i

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Projeto Sexta Literária semeará leitura na zona rural de Ipanguaçu

A Prefeitura de Ipanguaçu, através da Secretária de Educação, realiza nesta sexta-feira (05) mais uma edição do “Sexta Literária: Leitura Viva na Praça”, ação de incentivo à leitura que faz parte do projeto municipal denominado “Ipanguaçu, a cidade que lê”. Será às 16 horas, na praça da comunidade de Arapuá.

De acordo com Jeane Dantas, Secretária de Educação do município, o evento, até então realizado apenas na zona urbana do município, contemplará agora as comunidades rurais. “Nas edições passadas os alunos das escolas vinham até a praça central da cidade para participarem do projeto. Desta vez vamos às escolas do campo, semear a leitura no meio rural”, disse a secretária.

O “Sexta Literária” envolve os esforços de alunos e professores das escolas municipais. Nesta sexta, os alunos da escola Francisca Neide, de Arapuá, apresentarão peças de teatro baseadas em clássicos da literatura e contarão histórias à comunidade. Além disso, uma grande tenda será armada na praça, abrigando livros e leitores sob a supervisão e incentivo da equipe de motivadores, formada pelos professores da unidade educacional local.


Prefeitura de Ipanguaçu realiza entrega de certificados de curso de qualificação a remanescentes quilombolas

Determinação, mãos hábeis e orientação de profissionais capacitados. A união desses fatores culminou na tarde desta quarta-feira (03) na entrega dos certificados do curso de artesanato com a fibra da bananeira promovido pela Prefeitura de Ipanguaçu, município do interior do Rio Grande do Norte, para moradoras da Picada, comunidade remanescente de quilombo distante 07 quilômetros do centro da cidade.

O curso integra um conjunto de ações da Prefeitura que tem por objetivo capacitar as famílias do município para que possam gerar, por conta própria, renda e empregos de forma sustentável. Os recursos vêm do governo Federal, através do programa Bolsa Família. Foram 60 horas de aulas ministradas pelo Instituto Valer, uma ONG que já trabalha com esse tipo de produção na região do Vale do Açu. A produção engloba desde simples portas-copo à bolsas, tapetes e abajures.

“Estamos sendo reconhecidas pelos nossos valores, primeiro como remanescente quilombola no ano passado, condição na qual eu me reconheço, e agora com esse curso. Eu vou investir no artesanato, e agradeço muito pela oportunidade que foi oferecida à gente”, disse a jovem Francimaria Santos da Costa, de 23 anos, visivelmente emocionada.

De acordo com a secretária de Assistência Social, Cristina Oliveira, essa não é a primeira turma que é capacitada para esse tipo de trabalho no município, e não será a última. “A nossa expectativa é de que essas mulheres possam iniciar o trabalho com o artesanato, que tem um custo pequeno para a produção. E além de complementar a renda dessas famílias, o artesanato pode ser considerado como terapia ocupacional. Outra turma já formada tem vários casos de sucesso, por isso, pretendemos replicar essa experiência em breve”, diz a secretária.

Para o prefeito Leonardo Oliveira, a valorização das fibras naturais é um processo muito importante, que agrega valor a um produto da terra. "Em nossa região a bananeira é abundante e é bom que possa fornecer matéria prima para o artesanato. Essa atividade acaba por gerar trabalho e renda a um grupo considerável de pessoas. Vamos continuar investindo nas famílias para que elas possam criar seu próprio sustento, principalmente sem que precisem sair de suas comunidades”, afirma o prefeito.

Participaram da solenidade de entrega dos certificados, além do prefeito e da secretária de Assistência Social, o presidente da câmara de vereadores, Tunefis Morais; o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Jaires Azevedo; a representante da ONG Valer, Aparecida Liberato; a coordenadora do CRAS, Célia da Silva; e a projetista Glória Josefa, entre outros.

TCE aponta problemas em contas de Iberë

Relatório do conselheiro Tarcísio Costa, aprovado ontem em plenário, aprova, "em parte", as finanças do ex-governador
Apesar de ter aprovado as contas da ex-governadora Wilma de Faria (PSB), o Tribunal de Contas do Estado (TCE) identificou problemas nas contas da gestão do ex-governador Iberê Ferreira de Souza (PSB). Em sessão especial realizada ontem, o Tribunal deu parecer sobre as contas relativas ao exercício de 2010. Os dados referentes à administração de Iberê tiveram aprovação parcial. Agora, o relatório vai ser encaminhado para apreciação da Assembleia Legislativa.



Na gestão de Ferreira, "despesas a regularizar" aumentaram 2.790,24% Foto: Carlos Santos/DN/D.A Press
O relator das contas dos governos Wilma e Iberê foi o conselheiro Tarcísio Costa. Os demais conselheiros acompanharam o voto dele, com base no relatório produzido por comissão técnica. A aprovação "em parte" das contas de Iberê refere-se às distorções apresentadas no relatório. Chamou atenção a comparação entre o investimento na área de saúde e a concessão de diárias e publicidade.

Segundo Tarcísio Costa, "houve um baixo nível de investimento na área de saúde pública, já que somente restou efetivamente aplicadoo valor de R$ 17.386.528,39. Com efeito, tal montante é ínfimo quando comparado com outros gastos, a exemplo daquele empregado em diárias (R$ 35.292.048,06) e publicidade governamental (R$ 15.777.704,21)".

De acordo com o relatório técnico, a conta de despesas a regularizar atingiu o valor de R$ 131.353.863,87, "resultando num crescimento de 2.790,24% em relação ao exercício financeiro de 2009, situação esta decorrente, sobretudo, da implantação de planos de cargos e salários de pessoal, sem prévio empenho". Nas conclusões, o relatório diz que Iberê não reduziu as despesas após constatar o déficit na arrecadação, como prevê a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O documento enfatiza também que nenhum valor foi aplicado na função Saneamento no exercício financeiro de 2010, porém foram cumpridas as exigências constitucionais e legais referentes às despesas com educação e saúde.

"Estou tranquilo"
O ex-governador Iberê Ferreira disse, em entrevista ao Diário de Natal, que está tranquilo quanto à análise das contas. Ele enfatizou que o fato de o TCE ter aprovado apenas parcialmente suas contas não o preocupa. "Vamos esclarecer tudo o que for exigido. Farei um pedido à minha equipe técnica para prestar quaisquer esclarecimentos que o Tribunal de Contas exija", declarou Iberê. 


+ Mais 
Governo descumpriu a LRF

Fonte: Diário de Natal

Greve continua mesmo com negociações suspensas

Em greve há dois meses os técnicos administrativos de todas as Universidades Federais do país, entre elas, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA) prometem continuar o movimento, mesmo após suspensão das negociações por parte do Governo Federal. O movimento deve continuar pelo menos até o Sindicato Estadual dos Trabalhadores em Educação do Ensino Superior (SINTEST/RN) ser citado no processo movido pela Advocacia Geral da União (AGU) que pede a ilegalidade do movimento em todo país.

José Rebouças - técnico administrativo da UFRN e diretor de comunicação do Sintest, explica que "a AGU passou por cima da autonomia das assessorias jurídicas das universidades quando decidiu pedir a ilegalidade diretamente". "Não fomos ainda citados pela Justiça, mas esperamos os reitores das Universidades se pronunciarem, pois a greve deve ser tratada no âmbito de cada instituição, uma vez que existe autonomia", argumenta o sindicalista.

A paralisação nacional atinge mais de 30% dos técnicos da UFRN. Já na Ufersa, a paralisação "não passa de 30%", diz Rebouças. "A Ufersa tem sido vitoriosa, pois muitos técnicos ainda estão em estágio probatório e a instituição que é nova não tem tradição de participar desse tipo de movimento", ressalta ele. Entre as reivindicações da categoria estão a carreira plena, piso de três salários mínimos e racionalização dos cargos.

Fonte: Jornal de Fato

Promotoria de Justiça de Ipanguaçu estabelece o dia e o horário de atendimento ao público

O promotor de Justiça da Comarca de Ipanguaçu, Mac Lennon Lira dos Santos Leite, divulgou portaria que estabelece o dia e o horário de atendimento ao público. Segundo o documento, ficam estabelecidas as QUINTAS-FEIRAS, no período matutino, DAS 08 ÀS 12 HORAS, para a realização de atendimento ao público pessoal pelo Promotor de Justiça da Promotoria de Justiça da Comarca de Ipanguaçu/RN.

A Secretaria da Promotoria de Justiça deverá fazer triagem dos casos de atendimento, para o fim de identificar se o problema relatado pode ser resolvido mediante simples e pronta orientação da Secretaria, de modo a permitir que os atendimentos pessoais do Promotor de Justiça ao público sejam reservados aos casos que, de fato, reclamem seu atendimento pessoal.

As reuniões solicitadas pelos interessados, bem como as oitivas de instrução para os procedimentos extrajudiciais da Promotoria, deverão ser marcadas para os dias e horários especificados no art. 1º, sem prejuízo de, excepcionalmente, o Promotor de Justiça indicar outro dia e horário que se mostre mais conveniente para o atendimento.

Nos demais dias úteis, no horário de expediente, a Secretaria Ministerial deverá realizar atendimento à população normalmente.

Por Valderi Tavares