i

segunda-feira, 5 de abril de 2010

AULAS DA ESCOLA DE MÚSICA DE IPANGUAÇU COMEÇAM SEGUNDA FEIRA


A reunião realizada no ultima segunda-feira (29) na cidade de Ipanguaçu para apresentação da proposta da formação de uma escola de música foi bastante participativa. O Projeto de criação da escola foi elaborado pelo Grupo de Escoteiro Herói Luiz Gonzaga, e já mereceu aprovação na instancia do governo do estado. Tendo a primeira parcela de recursos já liberada para a associação criada pelo grupo. O Projeto tem um orçamento total no valor de R$ 80.000,00(Oitenta mil reais). Um dos objetivos do projeto é a formação de uma banda de música do município de Ipanguaçu. O projeto conta também com o apoio da prefeitura municipal. Segundo o Chefe Escoteiro Beto Rocha, as aulas acontecerão nas dependências da câmara de vereadores as atividades terão inicio nesta segunda-feira (05), nos três turnos, manhã, tarde e noite. Cerca de 200 pessoas demonstraram interesse em participar do projeto. Beto Rocha relembra que no ultimo dia 31 de março, o movimento escoteiro do município de Ipanguaçu completou 37 anos de existência, enfatizando que o primeiro passo foi dado no ano de 1973. O coordenador do movimento no município de Ipanguaçu falou sobre a reunião de apresentação da escola de música e do trabalho que vem sendo prestado pelos escoteiros de Ipanguaçu.
* Rádio Princesa do Vale

PUBLICIDADE:


Briga pelo petróleo pode acabar com G-12


Assú/Carnaubais - O clima entre os dois municípios está bastante acirrado depois que Carnaubais decidiu retomar a briga pelo direito dos royalties de exploração de petróleo nas comunidades rurais fronteiriças. O atual presidente do Consórcio Intergestores Vale Unido (G-12) e prefeito de Carnaubais, Luiz Gonzaga Cavalcante Dantas, o popular "Luizinho", e o ex-presidente da entidade e prefeito do Assu, Ivan Júnior, assumem postura de guerra.
A teima pelo petróleo entre os dois municípios não é recente. Depois de uma trégua, a briga judicial que começou entre os dois ex-prefeitos Ronaldo Soares e Zenildo Batista, recomeçou com mais força.
Luizinho já avisou que só dialoga com Ivan na Justiça Federal e ainda acusa a Prefeitura vizinha de ter falsificado um mapa para entregar à Agência Nacional de Petróleo (ANP). Por outro lado, o prefeito Ivan Júnior conta que esteve no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em Natal, e na Secretaria de Estado da Reforma Agrária e Assuntos Fundiários (SEARA) e que as áreas reclamadas pela Prefeitura de Carnaubais pertencem mesmo ao município do Assu. Ivan nega a existência de qualquer documento falso e revela que a Justiça é quem vai decidir se os royalties são de Assu ou de Carnaubais.
De acordo com o jornalista Valderí Tavares, em outubro de 2007, foi divulgado um "veredicto" da Agência Nacional do Petróleo (ANP) que Assu teria vencido a disputa por áreas produtoras de petróleo e que dos 250 poços, que antes os royalties eram pagos à Prefeitura de Carnaubais, 138 serão transferidos para a Prefeitura de Assu. Já em dezembro do mesmo ano, foi divulgado outro "veredicto" da ANP confirmando que os pagamentos de royalties relativos à produção de petróleo dos poços em litígio eram de Carnaubais.
Para o jornalista, esse "lenga-lenga" entre as Prefeituras de Assu e Carnaubais, que não é de hoje, pode provocar o fim do Consórcio. "O estopim está aceso e ameaça explodir a união do G 12", avisa. Valderí acredita que essa briga por áreas petrolíferas, seja qual for a decisão da Justiça, descambará também para uma batalha política, deixando sequelas entre os prefeitos envolvidos.
As especulações políticas preveem até que essa disputa possa subir nos palanques dos governadoráveis, Iberê Ferreira de Souza (PSB), apoiado por Luizinho Cavalcante (PSB), e Rosalba Ciarlini (DEM), que receberá o apoio de Ivan Júnior (PP), através de Robinson Faria (PMN). Mesmo sem isso, acredita-se que a estabilidade do G-12 está muito abalada.

JEAN-PAUL PRATES
O secretário de Estado de Energia e Assuntos Internacionais, Jean-Paul Prates, tem servido como ponto de equilíbrio entre os dois municípios. É ele quem tem intermediado os dois prefeitos junto à ANP em Brasília.
Para Jean-Paul, o problema é sério e não se resolve em curto prazo. Ele sugere a criação de um consórcio entre os municípios, como medida mais madura para resolver a discrepância. "Pela situação que se encontra o debate, talvez o assunto tenha de ser resolvido junto à Assembleia Legislativa", explica o secretário.
Ele teme que a ANP coloque os recursos dos royalties em consignação judicial até que se chegue a um denominador comum.

FONTE: Jornal de Fato
PUBLICIDADE:

CHUVA TORRENCIAL EM ASSÚ DEIXA ZONA PERIFERICA INUNDADA


Dentre às 15h às 15:30 do dia 04/04/2010.
REGIStrando

PUBLICIDADE:

Comentário

Professora Fábia:

OS PROFESSORES DO MUNICIPIO DE IPANGUAÇU,TRABALHAM NÃO SÃO COMO CERTOS VEREADORES,QUE VÃO AOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO TÃO SOMENTE FALAREM TITICA DE GALINHA,NOS PRECISAMOS QUE NOSSO PLANO DE CARGOS E SALARIOS, SEJA COLOCADO EM PRATICA, AFINAL ATÉ MESMO ESTES, CELEBRES QUE OCUPAM NOSSA CAMARA DE VEREADORES,FORAM EDUCADOS POR UM PROFESSOR,PENA QUE PARA ALGUNS CONTINUAM ANALFABETOS MESMO OBTENDO O GRAU DE INSTRUÇÃO,FRIZE QUE A CRITICA NÃO É PARA DESAFIÁ-LO MAS QUE ELES SE LEMBREM QUE PROFESSOR TBEM VOTA E TEM FAMÍLIA E 2ANOS E 8 MESES DERREPENTE,PASSA ...

Dilma sobe quatro pontos e encosta em Serra


Nova rodada de pesquisa, divulgada na noite de sábado (3) pela Rede Bandeirantes de Televisão, mostra que a ex-ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à Presidência da República, subiu mais quatro pontos e encostou de vez no ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB).

A pesquisa foi feita pelo Instituto Vox Populi nos dias 30 e 31 do mês passado e o registro da pesquisa no TSE foi realizado no dia 31 de março (protocolo 7337/2010). Serra permanece nos mesmos 34% da pesquisa anterior, divulgada em janeiro, e Dilma subiu para 31%. A margem de erro da consulta, que ouviu duas mil pessoas, é de 2,2 pontos.

Dilma subiu nas últimas três pesquisas Vox Populi. Em novembro do ano passado, Serra tinha 36% das intenções de voto e Dilma 19%. Em janeiro, Serra caiu para 34% e Dilma subiu para 27%. Na pesquisa deste sábado, Serra permaneceu nos 34% e Dilma foi a 31%. Ciro tem 10% e Marina Silva 5%.

Votos nulos e brancos somam 7%, enquanto 13% não souberam ou não quiseram responder.

FONTE: Tribuna do Norte 

PUBLICIDADE: