i

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

ProUni tem 570 mil inscritos até final da tarde desta terça


Inscrições no ProUni serão encerradas hoje


A primeira fase do Programa Universidade para Todos (ProUni) recebeu 570.110 mil inscrições até o final da tarde desta terça (9). O prazo termina às 23h59 desta quarta.
Os interessados devem acessar o site www.mec.gov.br e fazer a inscrição, de acordo com o Ministério da Educação (MEC). 

Os alunos usarão a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para se inscrever. A média mínima que o aluno deve ter para estar apto a concorrer é 400, considerando as quatro provas e a redação. Quem tirou zero na redação não poderá participar.

No total, são 165 mil bolsas disponíveis – 86 mil integrais e 79 mil parciais de 50% - em 1.399 instituições. A lista das instituições estará disponível no site após a abertura das inscrições, informou o MEC.

Ainda de acordo com o ministério, entre as informações que serão pedidas para acessar o programa estão o número de inscrição no Enem e o CPF. Ao contrário do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), que recebia inscrições até 23h59, o ProUni estará ativo ininterruptamente até o último dia da primeira etapa.

A primeira fase será encerrada no dia 10 e a lista de pré-selecionados sai no dia 13. As matrículas serão feitas entre os dias 17 e 26. No dia 4 de março, uma segunda etapa de inscrições será aberta. Ela vai até o dia 7 e o resultado será divulgado no dia 10.
A central de atendimento do ministério funcionará durante todo o período de inscrições entre 8h e 20h pelo telefone 0800 616161. Há exceção nos últimos dias de inscrição da primeira e segunda etapas. Nesses dias (10/2 e 7/3), o atendimento será de 8h às 23h59.

Perfil dos candidatos
 
Podem concorrer a bolsas do ProUni alunos que não estejam ocupando outra vaga em instituição pública e que se encaixem nas faixas de renda determinadas pelo MEC. Para tentar uma bolsa integral, o candidato deve ter faixa de renda de até 1,5 salário mínimo por membro da família; no caso de bolsa parcial, essa faixa deve ser de até 3 salários mínimos por membro. 

PUBLICIDADE:

Temor de surto de tuberculose deixa RN em alerta


Tosse, febre, suores noturnos, falta de apetite, emagrecimento e cansaço fácil. Estes são alguns dos sintomas da turberculose pulmonar, doença causada pela Mycobacterium tuberculosis, que recentemente foi diagnosticada no suplente de senador Garibaldi Alves e deixou os médicos potiguares em estado de alerta, temendo estar havendo um surto da doença em Natal. Apesar de um ligeiro aumento no registro de novos casos, a preocupação de surto não foi confirmada pela equipe técnica de controle do Programa Estadual de Controle à Tuberculose da Secretaria Estadual de Saúde.

De acordo com o médico Carlos Barbosa, só é possível caracterizar um surto com um aumento súbito dos casos em determinada região, o que não acontecido em Natal que desde 2006 vem decrescendo em comparação com o crescimento da população. Mas ele também esclarece que apesar da diminuição de casos no período, registrados no Sistema de Informação de Agravos Notificáveis (SINAN), não se pode também dizer que atuberculose está diminuindo. "Na verdade, há muita subnotificação de casos de pessoas que não procuram o serviço médico e outros que não foram informados ao sistema", disse ele.

Segundo o registro da Secretaria Estadual de Saúde, o Rio Grande do Norte tem 20 casos confirmados de tuberculose em janeiro deste ano, mas o responsável pelo sistema de informação da doença da Sesap, Álvaro de Oliveira Costa, disse que o número pode ser maior, já que os dados finais ainda não chegaram ao banco de dados da secretaria. Em 2007 o estado registrou 920 casos da doença e em 2008 esse índice chegou a 1024. No ano passado, ainda segundo a Sesap, foram 916 casos (ver quadro).

A turberculose se dissemina por meio do ar expelido pela pessoa contaminada, seja por meio da tosse, espirro ou fala. As gotas de saliva infectadas podem sobreviver dispersas no ar por horas, desde que não tenham contato com a luz solar. Nos casos mais graves é possível que a pessoa tenha dificuldade para respirar, elimine sangue e acumule pus na pleura.A transmissão, no entanto, ocorre somente a partir de pessoas infectadas.

A doença afeta principalmente os pulmões, mas rins, órgãos genitais, intestino delgado e ossos também podem ser comprometidos. O diagnóstico é feito via análise dos sintomas e radiografia do tórax, mas exames laboratoriais das secreções pulmonares e escarro do paciente também podem confirmar a doença. O principal exame para diagnóstico da tuberculose pulmonar é a baciloscopia. No Rio Grande do Norte, são seis municípios prioritários para o controle da doença: Natal, Macaíba, Mossoró, Parnamirim, Ceará-Mirim e São Gonçalo do Amarante.

Drama

No último dia 28 de janeiro o suplente de senador Garibaldi Alves, 86 anos, deu entrada no Natal Hospital Center com suspeita de infecção pulmonar. De lá pra cá Alves alternou momentos de recuperação e piora e o último boletim médico, divulgado ontem, diz que ele continua internado na UTI com o quadro clínico de tuberculose pulmonar. "No momento seu estado de saúde é considerado grave, mas está clinicamente estável e não apresentou novas complicações desde ontem (segunda), quando foram trocados os antibióticos", diz o comunicado.

Saiba como identificar a enfermidade

- Sintomas mais comuns:

Tosse (por mais de 15 dias); febre; suores noturnos; falta de apetite; emagrecimento; cansaço fácil.

- O diagnóstico é feito via análise dos sintomas e radiografia do tórax.

- O tratamento é feito à base de antibióticos, com duração de aproximadamente seis meses.

- A vacina BCG é utilizada na prevenção da tuberculose e deve ser administrada em todos os recém-nascidos.

- A transmissão é direta: ocorre de pessoa para pessoa via gotículas de saliva contendo o agente infeccioso, sendo maior o risco de transmissão durante contatos prolongados em ambientes fechados e com pouca ventilação.


FONTE:
Louise Aguiar, do Diário de Natal

PUBLICIDADE



Potiguares padecem sem atendimento

Pacientes que procuram rede estadual de saúde vivem drama diante da greve dos médicos
O motoboy Diego Cláudio Silvestre, 20 anos, foi uma das vítimas da greve dos médicos que iniciou ontem no Rio Grande do Norte. O jovem sofreu um acidente de moto ontem pela manhã e se dirigiu até o Hospital Walfredo Gurgel para tirar um raio-x, mas não foi atendido. "Eu vim da Cidade Satélite até aqui bem cedo e eles disseram que só estavam fazendo atendimento de casos graves e me encaminharam para o Hospital da Polícia. Mas eu preciso de trabalho e não tenho tempo para me deslocar até lá. Eu sinto muita dor no abdômen e nos ombros e vou ter que passar o resto do dia assim", desabafa.


Várias pessoas esperavam ser atendidas ontem pela manhã na recepção do WG Foto: Carlos Santos/DN/D.A Press
Na rede pública de saúde do RN, apenas 30% do efetivo está a serviço no momento. Desses, cerca de 3,3 mil atendimentos clínicos são feitos diariamente, procedimentos suspensos com a greve. A rede fez 40.240 internações e 2.888.790 atendimentosde janeiro a novemrbo do ano passado, segundo dados da Sesap.

Na manhã de ontem equipes da diretoria do Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed) fizeram um multirão pelos hospitais Santa Catarina, Maria Alice Fernandes, Giselda Trigueiro, João Machado, Walfredo Gurgel, Deoclécio Marques, Hemonorte e Centro de Saúde Reprodutivo para distribuir coletes e cartilhas de orientação para os cerca de 1,6 mil médicos que trabalham pelo estado. As principais reivindicações da categoria são a contratação de mais profissionais, melhoria nas condições de trabalho e de atendimento ao paciente, além de um reajuste salarial, de forma que o salário base passe de R$ 1.050 para R$ 7 mil para 20 horas semanais de trabalho.


Diego Cláudio procurou hospital para fazer radiografia, mas não foi atendido Foto: Carlos Santos/DN/D.A Press
Proposta
Segundo o presidente do Sinmed, Geraldo Ferreira, caso haja alguma proposta concreta por parte do governo, a categoria irá avaliá-la na quinta-feira (11). Ele informou que durante a greve somente os casos de urgência e emergência estão sendo atendidos nos 23 hospitais do RN. "Apenas um médico está atendendo nesses casos. Mas se houver algo que justifique a necessidade de outro profissional, a população não deve se preocupar pois todos estarão com os celulares ligados. Jáos procedimentos eletivos de consultas, cirurgias e exames não estão sendo realizados", afirma.


FONTE: Diário de Natal
 PUBLICIDADE