i

domingo, 2 de setembro de 2012

Nome da bola da Copa é escolhido pela primeira vez pela torcida: Brazuca


Do GLOBOESPORTE.COM:
A bola que vai rolar nos nossos gramados tem que ter a nossa alegria, a nossa irreverência. Essa é a bola que vai representar o nosso orgulho de ser brasileiro. E ela tem que ser a nossa cara, ter o nosso nome. Essa bola tem que ser Brazuca, o nome escolhido por 77,8% de 1.119.539 pessoas que votaram para batizar a substituta da Jabulani na Copa do Mundo Fifa de 2014.
Pela primeira vez na história, os torcedores puderam escolher o nome da bola oficial do Mundial, produzida pela adidas. A votação começou no dia 12 de agosto no GLOBOESPORTE.COM e foi encerrada neste domingo durante o Esporte Espetacular. Outras duas opções estavam na disputa: Bossa Nova (14,6%) e Carnavalesca (7,6%).

Em visita ao bairro Pinheirão, Leonardo e Josimar destacam melhorias na infraestrutura e garantem: “foi só o começo”


Quem visita o bairro Pinheirão, em Ipanguaçu, e passa por suas ruas, todas pavimentadas, talvez não imagine que há muito pouco tempo seus moradores convivessem com uma realidade completamente diferente. Em época de chuvas, então, não era necessário grande volume d’água para que as residências fossem invadidas pela lama. Um transtorno que durou muito anos, mas foi resolvido pelo prefeito Leonardo (PT) que visitou neste sábado (01) casa a casa da localidade, acompanhado pelo candidato a vice-prefeito, Josimar Lopes (PSB), e pelos vereadores da Coligação Aliança do Povo.

Sem pressa, Leonardo e Josimar apresentaram suas propostas para a próxima gestão, sempre consultando a população em busca de sugestões.

Após as visitas, houve um comício relâmpago. A população, atenta, ouvia a todos, esperando até o final para escutar a palavra do prefeito. Em seu discurso Leonardo tornou a apresentar propostas, contemplando diversas áreas. Falou também sobre o crescimento do bairro. “O Pinheirão cresceu muito. Precisamos continuar investindo para que ele avance junto com a cidade. Todos os nossos bairros estão em nosso projeto, para que possam crescer de forma organizada e planejada, melhorando, assim, as condições de vida do nosso povo. Entre nossos projetos para o Pinheirão, vamos atender o bairro com uma praça, para que possa proporcionar maiores oportunidades de lazer aos moradores”, afirmou.


Pouco antes, Josimar garantiu o compromisso de continuar fazendo uma campanha propositiva, apresentando ideias e assumindo compromissos com a população. E afirmou: “vamos promover a cada dia a melhoria dos serviços prestados à nossa população. Seja na zona rural ou urbana, o que o nosso povo precisa é de resultados e não apenas de promessas. Vocês sabem o que Leonardo já fez. Sabem que ele cumpre seus compromissos. Então, sabem que muito mais virá por aí”, disse Josimar.

Agenda

Neste domingo (02) pela manhã, Leonardo se reúne com lideranças políticas. Às 16 horas visita, ao lado de Josimar e dos vereadores da Coligação Aliança do Povo, a comunidade de Tabuleiro Alto.

Veja mais imagens (AQUI). 

Punido pelo preconceito

Conheça a história de Valdécio Soares, um inocente que viveu mais de dois anos de pesadelo atrás das grades

Ser negro, tatuado, pobre, sem estudo e ainda professor de capoeira. Valdécio de Oliveira Soares, 34 anos, acredita que foram essas características que o levaram a ficar preso por dois anos, três meses e 28 oito dias por um crime que não cometeu. Acusado de ter matado um amigo, Erivan de Paiva Justino, 34, em janeiro de 2010, ele foi inocentado em um júri realizado em 19 de julho deste ano por falta de provas. Solto desde então, ele lembra com tristeza dos momentos de desespero e sofrimento na cadeia, pagando por um crime que não cometera, sentindo saudades da família e de amigos. No entanto, ele também compartilha o gosto da liberdade de fazer coisas simples como tocar um berimbau ou mesmo comer pão com ovo quando bem entender.

Foto: FERNANDO LOPES/CB/D.A PRESS


Valdécio Soares foi detido em Bom Jesus, onde mora, em 29 de abril de 2010 durante a chamada "Operação Sentinela", deflagrada pela Polícia Civil com objetivo de cumprir mandados de prisão contra pessoas acusadas de crimes diversos, principalmente homicídio. O professor de capoeira foi apontado como o principal suspeito na morte de Erivan Justino, que fora encontrado morto e com o corpo carbonizado às margens da BR 226, no município de Bom Jesus, em 26 de janeiro daquele mesmo ano. A vítima estava desaparecida desde o dia 4 daquele mês, depois de ter saído da casa de Valdécio.

Ele conta que no dia em que Erivan desaparecera, esse teria ido à sua casa para beber, juntamente com outro amigo, Elias. Enquanto bebiam, Erivan teria pedido para tirar a calça, por estar com calor e estar vestindo uma bermuda por baixo. "Eu disse que ele podia ficar à vontade. Ele tirou a calça e me pediu para guardar". Por volta das 11h, Erivan disse para Valdécio que precisava sair para sacar um dinheiro da conta e chamou o professor de capoeira e o outro colega para irem junto. "Mas eu disse que não iria, que ele podia ir só". Desde então, Valdécio não viu mais o amigo.

O advogado do capoeirista, Lázaro Amaro, explica que o delegado Frank Albuquerque, que à época conduziu as investigações, teria entendido que Erivan teria comprado droga ao seu cliente e não pagou, por isso foi executado. "A mãe da vítima revelou à Polícia que o filho era dependente químico de crack. Ela contou ainda que Erivan deixou uma calça na casa de Valdécio e, no mesmo dia, tentou sacar dinheiro da conta. Isso é o que tinha de concreto nas provas e que levou à presunção do crime. Associaram o fato do meu cliente ser negro, tatuado e capoeirista com a possibilidade de ser traficante, porque o delegado ouviu dizer que ele vendia drogas. Porém, não encontrou uma pessoa que confirmasse isso".

Por Paulo de Sousa/Diário de Natal - Leia a matéria completa (aqui)

Desertificação será tema de debate no Nordeste

No momento em que o mundo sofre os efeitos de uma das piores secas já observadas, que atinge em grandes proporções o Nordeste do Brasil, o país se prepara para sediar a 2ª Conferência Científica da Convenção das Nações Unidas sobre Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos de Secas (UNCCD). O encontro, que faz parte do calendário oficial das Nações Unidas, ocorre de 4 a 7 de fevereiro de 2013, em Fortaleza, e deve reunir acadêmicos, cientistas, políticos, organizações sociais e de setores privados de várias nações.
Durante os quatro dias, eles vão discutir a inclusão ou a consolidação das questões da desertificação, da degradação da terra e da seca na agenda ambiental de seus países. Estão previstas atividades como workshops, apresentações de resumos, oficinas, vídeos, exposições de inovação, excursões e mesas-redondas.