i

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Campanha contra doença de Chaga já acontece nas comunidades rurais de Ipanguaçu


Ontem (24) a Secretaria Municipal de Saúde recebeu a visita do técnico da 2ª Unidade Regional de Saúde Pública (URSAP), Roberto Paiva, que veio ao município para auxiliar e tirar todas as duvidas dos agentes de endemias que estão envolvidos na campanha.

 A coordenadora dos agentes no município, Zélia Novo, conta da importância da participação do técnico no município, da à oportunidade de tirar todas às duvidas técnicas de como deve ser feito o procedimento de detecção do barbeiro, e depois de encontrado o que deve ser feito.


A doença infecciosa parasitária crônica e generalizada, transmitida ao homem por um protozoário que é encontrado nas fezes do barbeiro. No Brasil a doença se encontra mais concentrada na zona rural, principalmente em casas construídas com barro ou cobertas de palhas, quanto mais ocorre precariedade das habitações maior a incidência de adquirir a doença.

Segundo o técnico da 2ª URSAP, Roberto Paiva, a transmissão se da pelas fezes do barbeiro. Depois que pica e suga o sangue humano, o barbeiro contamina o local da picada com suas dejeções, as fezes contaminadas pelos protozoários penetram no organismo pelo local da picada, principalmente quando o indivíduo coça o local por causa da irritação, ocasionando uma porta de entrada para o protozoário.

Os agentes de endemias fizeram uma vista na comunidade de Angélica, acompanhado da coordenadora, Zélia Novo, e o técnico Roberto Paiva, durante a visita foi detectado o besouro em umas das residências. “O besouro passará por uma análise, e na residência que foi encontrado toda a família passará por pré-exames para se constatar se houve ou não a contaminação da doença de chagas” conclui Zélia.       

Até o fim de 2010 as comunidades de Angélica e Arapuá serão as primeiras a serem investidas. Em janeiro de 2011 a campanha segue por todas as comunidades.  


Transmissão
Infecciosa e parasitária, a doença de Chagas é causada pelo protozoário Trypanossoma cruzi e transmitida por triatomíneos – o bicho barbeiro. Esta é a transmissão vetorial da doença, porém, há outras formas de transmissão da doença - transfusional e transplacentária (congênita).

A transmissão oral da doença de Chagas ao ser humano é hoje uma importante via causadora de morbidade. Ela se dá pelo consumo de alimentos contaminados com o parasito, principalmente a partir de triatomíneos e ou de suas dejeções. Esse tipo de transmissão também pode ocorrer devido a ingestão de carne de caça - crua ou mal cozida - ou de alimentos contaminados por urina ou secreção anal de marsupiais infectados.

Na transmissão vetorial, a doença geralmente evolui de forma aguda ou crônica. A partir da contaminação pelo Trypanossoma cruzi, instala-se a fase aguda, geralmente acompanhada de febre, com duração média de 4 a 8 semanas. A doença pode passar praticamente despercebida - com sintomas leves - ou apresentar alterações no coração, fígado, baço e sistema nervoso. Esta fase é mais grave que, se não for tratada, em crianças de baixa idade e pessoas imunodeprimidas pode levar a morte.

Aos poucos a febre declina e desaparecem os demais sintomas. É o início da fase crônica, assintomática, que pode durar décadas e permanecer até a morte, sem que as alterações sejam perceptíveis, em avaliações clínicas - exame físico, eletrocardiograma e RX – do infectado.

Entre 20 e 30% dos chagásicos desenvolvem alterações cardíacas e de 10 a 15%, no esôfago e/ou intestino grosso. E há pacientes que evoluem para a forma cardiodigestiva. No coração, a infecção crônica provoca principalmente desordens cardíacas e insuficiência progressiva da função circulatória. Essa é a forma mais grave da doença e a que leva à morte inúmeros casos. O infectado incha, tem falta de ar e canseira aos menores esforços, sente palpitações e perda de consciência.

Quando acomete o esôfago ocorrem dilatação e desordens motoras no órgão, ocasionando grande dificuldade à deglutição - “mal de engasgo” ou “embuchamento”. No intestino, que também se dilata, ocorre uma progressiva prisão de ventre, que pode chegar a uma semana ou mais.

Diagnóstico

Na fase aguda, o diagnóstico se dá através da detecção do parasito no sangue periférico e na fase crônica, pesquisa-se os anticorpos circulantes através de técnicas sorológicas.

Há dois tipos de tratamento, o contra o parasito e aquele usado para combater as manifestações da doença. Ambos devem ser realizados sob supervisão médica. As poucas drogas disponíveis apresentam boa atuação contra o Trypanossoma cruzi somente na fase aguda. Elas obtêm sucesso no tratamento de congênitos e aqueles com infecção recente; em casos de reativação da infecção chagásica – em soropositivos para AIDS e imunodeprimidos -; em transplantes com doador infectado, quando um tratamento após a cirurgia tem boa ação preventiva; e em indivíduos crônicos na forma indeterminada, pode proporcionar benefícios, minimizando a evolução tardia da doença, mesmo sem a obtenção de cura parasitologia completa. Neste caso, cabe ao médico decidir sobre a indicação ou não do tratamento, em caráter individual.

O tratamento sintomático é variável e depende da forma e das manifestações da doença. O importante é oferecer aos chagásicos, acesso a médicos com competência mínima para avaliá-los criteriosamente e tratá-los, ou encaminhá-los, de forma adequada aos ambulatórios de referência em doença de Chagas existentes no Estado. 

Seminário discute projeto de lei que beneficia MPE

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, a Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa, a Frente Empresarial da Micro e Pequena Empresa e o Sebrae no Rio Grande do Norte realizarão na próxima semana o Seminário para Debate e Mobilização para aprovação do PLP 591/10.


O evento pretende acelerar a tramitação do PLP nº 591/10 , de autoria do deputado federal Cláudio Vignatti, que aperfeiçoa a Lei Geral das MPE intensificando a percepção da relevância e urgência da matéria para sua votação.

O seminário será realizado no dia 29 de novembro, das 9h às 12h, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.

Da região do Vale do Açu, Da região, alguns prefeitos e representantes empresariais da região, como presidentes de CDLs e Sindicato do Comércio Varejista, já confirmaram participação.

Nada novo, de novo!

Na tarde desta quarta-feira o blog o O Impostor Varziano”, que até agora não mostrou a sua verdadeira identidade que não se sabe o motivo, anunciou oficialmente como “porta voz” e com “exclusividade” a noticia que o ex-prefeito de Ipanguaçu lançará a sua esposa como candidata para as eleições de 2012.

Mais uma vez nada de novo, tudo como eu e toda Ipanguaçu esperava, que o ex-prefeito coloca-se como candidata nas eleições de 2012 sua esposa.

Após o rompimento com o atual administrador, além de estar inelegível por oito anos após uma decisão da câmara de vereadores do município e o Tribunal de Contas do Estado - TCE, o ex-prefeito, quer colocar a mulher na roda da conversa. Para começar ela irá para a comunidade do Porto onde participará de uma festinha que foi convidada. Mas espere só um pouquinho ela sabe bem o caminho?

Se não souber o seu GPS indicará. Acredito eu!

Neste cenário político que todos comentam já houvesse também em um terceiro elemento que poderia dificultar as coisas... Mais quem seria essa pessoa que ofuscaria a candidatura da mulher do ex-prefeito?

Uma coisa eu digo, muita água vai passar próximo a está grande ilha!

Comissão de Ipanguaçu participará de capacitação em gestão e monitoramento do Selo UNICEF

O município de Ipanguaçu, que concorre ao Selo UNICEF edição 2009 - 2012 participará nesta quinta-feira, hoje(25), de uma nova rodada de capacitação que acontece no CEMURE - Centro Municipal de Referência em Educação Aluízio Alves em Natal das 8 às 13h.

O encontro pretende reunir representantes de 70 municípios neste segundo dia, ao todo 140 municípios participaram da capacitação, que tem como principal objetivo apoiar os municípios na implementação do Plano de Ação – documento com propostas de políticas públicas a serem efetivadas no município a fim de melhorar os indicadores na área da infância e adolescência.

A secretária de Educação, Jeane Dantas, a conselheira do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Valéria Faustino, a representante da Secretaria de Saúde, Helena Fonseca, e a representante da comissão pró-selo, Luciene Varela, participarão da capacitação.  

Segundo as informações da organização do evento, a equipe do UNICEF apresentará alguns documentos que auxiliarão os municípios na implementação das propostas para a área da infância, como o Manual de Dicas, elaborado para auxiliar gestores públicos, membros da Comissão Municipal Pró-Selo, do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), do Conselho Tutelar (CT), lideranças comunitárias e adolescentes na elaboração de políticas públicas.

PREFEITO ADOTA PROJETO ESPORTIVO COMO FORMA DE COMBATER PROBLEMAS SOCIAIS

Atendendo ao chamamento de um grupo de jovens do bairro Maria Romana, o prefeito de Ipanguaçu, Leonardo Oliveira (PT), está apoiando de forma direta uma ação voluntária que partiu do desportista e agente social João Batista - "Batista de Coqueiro".



O trabalho de Batista consiste em envolver os jovens em ações verdadeiras de cidadania, por meio de atividades lúdico-esportivas e orientação sobre convivência familiar e respeito ao próximo. Esse trabalho vem sendo desenvolvido há alguns anos em Ipanguaçu, mas para fortalecer as ações já implementadas, criar novas possibilidades e atingir outras metas, Batista criou um projeto denominado "Ipanguaçu do futuro, meu sonho não tem fim", com isso dará maior crédito perante instituições educativas, comércio e poder público para fins de parcerias possibilitando continuar o trabalho totalmente voluntário.



Conforme transmitiu Batista de Coqueiro, o Ipanguaçu do Futuro está começando a provocar um impacto positivo no bairro Maria Romana." Dezenas de crianças dessa esfera estão se sentindo atraídas pela forma de se trabalhar o esporte. Aqui nós não fazemos exclusão, pelo contrário, promovemos a inclusão social das crianças e pré-adolescentes do bairro. Aceitamos todos, não importa se jogam bem ou mau, porque o objetivo desse projeto é devolver o lazer e não promover uma competição em que nela exista uma disputa e só ganha o melhor", explicou o agente social Batista de Coqueiro.



O prefeito Leonardo Oliveira aplaudiu a iniciativa de João Batista e resolveu oferecer todo apoio ao projeto fazendo com que a idéia ganhasse maior dimensão, combatendo a vulnerabilidade social das crianças. Batista também reforçou que o prefeito Leonardo visitou pessoalmente o local da nova praça onde transmitiu incentivo a todas as crianças.



Percebendo a necessidade de se criar um espaço próprio para a prática dos esportes, nesta semana, Batista e um grupo de garotos deram início a construção de uma área de lazer. "Quando pronta, nós vamos denominá-la de Praça Rústica Projeto Ipanguaçu do Futuro", lembrou Batista. Para a construção da área de lazer foram utilizados aproximadamente 300 pneus velhos. Para concluir a prefeitura de Ipanguaçu vai pintar todos os pneus, arborizar e iluminar a praça que fica localizada no cruzamento das ruas Luiz Manaia Filho com a Luiz Rocha.


Fonte: Cassimiro Júnior