i

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Ladrões roubam um veículo a cada cinco horas na Grande Natal

Estatísticas da Sesed apontam 826 casos de furto ou roubo no 1º semestre, média de 4,5 carros por dia

Maioria das ocorrências acontece entre às 18h e às 23h, no período de quinta-feira ao sábado Foto: Tales Paulo/DN/D.A Press
Por dia, quatro proprietários de veículos foram vítimas da ação de ladrões na região metropolitana de Natal durante o primeiro semestre deste ano. A média é baseada nos dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) e mostra que um carro é furtado ou roubado a cada cinco horas na Grande Natal. Os números da Subcoordenadoria de Estatística e Análise Criminal da Sesed mostram que no período entre janeiro e junho deste ano, 826 casos de furto ou roubo de veículos na Grande Natal foram registrados pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp). Nessas ocorrências estão casos em que o carro, moto, caminhão ou ônibus foram tomados de assalto, levados de estacionamentos ou simplesmente arrombados, tendo os bandidos levado objetos de dentro do veículo.

A maioria dos casos, segundo o secretário adjunto de Segurança, o delegado federal Silva Júnior, acontece entre a quinta-feira e o sábado, principalmente à noite. Bairros com população de maior poder aquisitivo, como Lagoa Nova, Candelária e Nova Parnamirim, estão entre os de maior incidência nesses crimes. Porém, comunidades com maioria de moradores de baixa renda, como Vale Dourado e Felipe Camarão, também apresentam números altos nesses tipos de delito. Apesar disso, comparando-se aos seis primeiros meses de 2010, houve uma redução de 5,7% no número de ocorrências, quando foram registrados 876 furtos e roubos de veículos.

Recuperação
Apesar das estatísticas, Silva Júnior afirma que, em comparação com outros estados, o Rio Grande do Norte tem uma média baixa de ocorrências. Ele ressalta ainda que a taxa de recuperação de veículos pela Polícia é de 70%, número considerado muito bom por ele. O secretário adjunto atribui isso e também a redução no número de ocorrências em comparação ao mesmo período de 2010 às chamadas blitzen móveis. 

"Nessas blitzen, as câmeras captam as placas e já apontam se o carro é roubado, otimizando o trabalho. Temos aumentado a frequência dessas ações e o resultado tem sido bom". Segundo o secretário adjunto da Sesed, as barreiras policiais têm priorizado as saídas da capital potiguar, utilizadas pelos ladrões como rota de fuga. "A mais usada tem sido a BR-226, no trecho entre Natal e Macaíba".

Saiba mais

Número de Ocorrências de Furto/Roubo de Veículos na Grande Natal (Janeiro - Junho)
2010 - 876
2011 - 826

Bairros com Maior Incidência de Furto/Roubo de Veículos na Grande Natal (Jan/Jun 2011)
Lagoa Nova - 23
Alecrim - 19 
Vale Dourado - 18 
Nova Natal - 16 
Candelária - 15 
Nova Parnamirim - 15 
Felipe Camarão - 15 
Santarém - 14 
Cidade Satélite - 13 
Quintas - 12

Fonte: Seac/Ciosp - Sesed 


Matéria do Diário de Natal/Paulo de Sousa 

Petrobras comemora 30 anos de produção no Vale do Açu

Nesta quarta-feira (20/07), a Petrobras realiza cerimônia em comemoração aos 30 anos de produção de petróleo no Vale do Açu. O poço pioneiro – ARG-01 - está localizado no campo de Alto do Rodrigues e continua em atividade até hoje.

A área de Exploração e Produção da Petrobras na região é representada pelo Ativo de Produção Alto do Rodrigues, que tem em sua abrangência oito municípios produtores de petróleo e outras fontes de energia - Afonso Bezerra, Alto do Rodrigues, Assu, Carnaubais, Macau, Pendências, Porto do Mangue e Serra do Mel. São 13 campos de produção terrestres e um marítimo, mais de dois mil poços de petróleo, 22 estações coletoras de óleo, 21 geradores de vapor e 350 quilômetros de dutos.

A presença da Petrobras tem contribuído para mudar o cenário econômico da região. Atualmente, cerca de duas mil pessoas, entre empregados próprios e contratados, trabalham para a Companhia no Vale do Açu. Em 2011, os royalties pagos pela atividade de exploração e produção de petróleo e gás aos oito municípios produtores da área de abrangência do Ativo de Produção Alto do Rodrigues já superaram R$ 33 milhões. Além disso, mais de 300 agricultores que têm poços de petróleo em suas terras recebem participação na produção de óleo e gás.

Responsabilidade Social
A Petrobras desenvolve em parceria com diversas instituições da região ações educativas, de geração de trabalho e renda, combate à miséria e à fome, garantia dos direitos da criança e do adolescente, promoção da cidadania, cultura e preservação do meio ambiente. São projetos diversos que buscam a autonomia e sustentabilidade das populações beneficiadas. Além dos oito municípios produtores, Ipanguaçu também possui atividades voltadas principalmente para crianças e jovens.

Dentre os projetos desenvolvidos pela Companhia nesta região estão: Programa de Criança Petrobras, Terra Pronta, Mova-Brasil, Circuito Petrobras de Vela, Caatinga Viva, Telecentro de Inclusão Digital, Horta Comunitária e Programa Molhar a Terra.

Vaporduto
É nesta região que está o Projeto de Injeção Contínua de Vapor (Vaporduto) - considerado o maior do mundo, com uma extensão de aproximadamente 30 km - sendo o primeiro a operar com vapor superaquecido. A primeira etapa, que tem 11,9 km de extensão, está em operação desde janeiro de 2010, injetando vapor nos poços do Campo de Estreito. Em janeiro do ano passado; o Campo de Estreito produzia 4.660 bpd (barris de petróleo por dia), em abril de 2011, a produção subiu para 7.700 bpd.

O vapor é gerado pela Usina Termoelétrica Jesus Soares Pereira (Termoaçu) e distribuído para os poços através de uma rede de dutos. A segunda etapa irá atender aos poços do Campo Alto do Rodrigues e terá extensão de 15,8 km.

O Projeto de Injeção Contínua de Vapor (Vaporduto) está entre os três mais importantes em execução na Unidade de Operações de Exploração e Produção do RN e CE, contribuindo significativamente para o incremento da produção nos próximos 15 anos.

Fonte: Rodrigo Medeiros 

Polícia Federal investiga envolvimento do 1º BEC em irregularidades nas obras de aeroporto de São Gonçalo

Publicado por Robson Pires, 
Segundo reportagem da Folha de São Paulo (veja abaixo), a Polícia Federal abriu três inquéritos para investigar suspeitas de desvios na construção do novo aeroporto internacional da Grande Natal, um dos principais projetos de transportes para a Copa do Mundo de 2014. O terminal está sendo erguido em São Gonçalo do Amarante (RN) e tem suas obras de infraestrutura básica executadas pelo Exército.


 O aeroporto será operado pela iniciativa privada e foi vendido pelo governo como modelo para o Mundial. O Ministério Público Federal suspeita que a Força pagou a uma empresa por serviços que teriam sido prestados pelos próprios militares. O caso também é investigado pelo Ministério Público Militar, que apura a suspeita de participação de oficiais em possíveis desvios.
Em ofício enviado à PF, a procuradora Cibele da Fonseca, da Procuradoria da República no Rio Grande do Norte, pediu investigação da suposta prática do crime de peculato (desvio praticado por servidor público).
Ela investigou quatro licitações do Exército vencidas pela empresa Pedreira Potiguar entre 2008 e 2010. As principais suspeitas estão ligadas a uma concorrência de R$ 13,2 milhões, feita pelo 1º BEC (Batalhão de Engenharia de Construção) do Exército em 2008, sediado em Caicó, para o fornecimento de asfalto usado nas pistas de pouso e nos pátios do aeroporto. Já foram pagos R$ 12,6 milhões.
Segundo a Folha apurou, a Procuradoria de Justiça Militar no Recife já tem indícios de que o 1º BEC teria feito pagamentos à empresa em troca de material produzido na usina de asfalto do batalhão.
A Procuradoria Militar encontrou evidências de que parte dos serviços de construção de canaletas foi feita por soldados do batalhão e não por funcionários da empresa, como previa o edital de uma das licitações.
O dono da Pedreira Potiguar, José Luís Arantes Horto, foi investigado na Operação Via Apia da PF, que apurou desvios em obras da rodovia BR-101. O caso levou à prisão de Gledson Maia, ex-dirigente do Dnit local, sob suspeita de corrupção. A Potiguar e outra empresa de Horto, a Transpedras, doaram cada uma R$ 75 mil para o PR, que comanda o Ministério dos Transportes, nas eleições de 2010.
A PF abriu outro inquérito para investigar a contratação da empresa em obras de drenagem na BR-101 em Natal e Parnamirim (RN). O Exército teria feito pagamentos antes do início da obra.
Fonte: Robson Pires