i

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Vereadores vão trocar PMDB e PP pelo PSD


A vereadora Thalita Cosme  já pediu sua 
desfiliação do  PMDB. Foto://Nelson Dantas
Após a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que aprovou nesta terça-feira, dia 27, o registro nacional do PSD (Partido Social Democrático), a nova sigla está apta para concorrer nas próximas eleições municipais de 2012. Em Ipanguaçu, os vereadores Batista Lobo (PP), Thalita Cosme e Francisco Romão (Chico Balaio) ambos do PMDB deixaram seus partidos para irem para o PSD.

Os vereadores vão se filiar no novo partido nas próximas semanas. O mais novo partido no Brasil tem como presidente nacional o prefeito de São Paulo Gilberto Kassab, no Rio Grande do Norte o vice-governador, Robinson Faria, e em Ipanguaçu a primeira dama, Cristina Oliveira ficará na presidência do novo partido. 


O mais novo partido se une a base aliada do prefeito Leonardo Oliveira(PT).

Projeto de revitalização da cultura algodoeira será exposto para proprietários de comunidade rural

A comunidade rural de Angélica, situada no município de Ipanguaçu, acolherá neste sábado, dia 1º de outubro, uma programação que se insere dentro da proposta de disseminar informações sobre o projeto que se propõe a soerguer como atividade produtiva rentável na região a cultura algodoeira.
plantacao_de_algodao

A programação em questão se traduzirá numa palestra que será proferida aos produtores rurais da referida povoação, de acordo com informação antecipada pelo secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, o vereador licenciado Jaíres Azevedo dos Santos, "Gordo" (PSB).

O secretário transmitiu que a programação contará com a participação de representantes de alguns dos organismos diretamente envolvidos no projeto de revitalização do algodão no Vale do Açu.

Participarão do evento representantes da Prefeitura Municipal do Assú, do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Norte (Emater/RN) e da Cooperativa Agropecuária do Vale do Açu (Coapeval).

"Gordo" explicou que na comunidade de Angélica há um expressivo número de pequenos proprietários rurais que externaram o desejo de obter mais informações sobre o projeto.
Além disso, ressaltou que alguns produtores rurais do lugarejo já estão irmanados à proposta que procura fazer da cotonicultura uma atividade que possa voltar a ser lucrativa.

"Quero adiantar que essa palestra não será restrita somente ao pessoal de Angélica. Os pequenos produtores rurais dos povoados circunvizinhos também poderão participar", declarou o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Ipanguaçu.

A proposta de revitalização do algodão na região recebe todo um trabalho de supervisão e monitoramento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Núcleo do Algodão, sediado na cidade de Campina Grande, interior do Estado da Paraíba. 

FEIRAOutra informação repassada pelo secretário "Gordo" dá conta que nesta sexta-feira, 30 de setembro, a pasta por ele dirigida coordenará a realização de uma nova etapa do programa Feira da Agricultura Familiar no município. "A Feira da Agricultura Familiar foi uma maneira criada pela administração para garantir aos pequenos agricultores familiares de Ipanguaçu uma oportunidade de mercado para que possam vender seus produtos agrícolas na sede da cidade", declarou, informando que a primeira experiência do programa ocorreu no mês de junho passado. "Além disso, temos diversas outras ações, como o projeto 'Balde Cheio' e o programa 'Corte de Terra Irrigado' em parceria com os irrigantes locais.

Fonte: O mossoroense

Infraero anuncia liberação de R$ 10 mi


Os aeroportos das cidades de Caicó, Currais Novos, Pau dos Ferros, Assú e Mossoró serão recuperados com recursos do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos (PROFAA), da Infraero. A informação foi passada à governadora Rosalba Ciarlini na manhã de ontem pelo presidente da Infraero, Gustavo do Vale, durante visita às obras do Aeroporto Augusto Severo, em Parnamirim.

Rosalba Ciarlini assistiu a uma exposição sobre as obras e depois fez um sobrevoo na área onde está sendo construído o aeroporto, acompanhada do presidente da Infraero, que garantiu que o terminal estará pronto em 2013, antes da realização da Copa do Mundo. Gustavo Vale também se mostrou satisfeito com essa primeira etapa das obras, que são de responsabilidade da Infraero.

Concluído esse processo, a estrutura será entregue para as empresas privadas que venceram o leilão iniciar as obras físicas do aeroporto. "As obras estão rigorosamente dentro do prazo e, de acordo com o nosso cronograma, vamos entregar tudo pronto até 2013 para que a empresa que ganhou a licitação possa concluir o terminal de passageiros. A parte de infraestrutura da pista, o pátio de aeronave e as saídas rápidas estarão prontos", garante.

Gustavo Vale informou à governadora a liberação de R$ 10 milhões para recuperar os aeroportos de Mossoró, Caicó, Currais Novos, Pau dos Ferros e Assú. O recurso será proveniente do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos (PROFAA). Os aeroportos dessas cidades enfrentam sérios problemas estruturais, principalmente Mossoró e Assú.

Em Mossoró, o Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA), de Recife (PE), chegou a interditar o aeroporto Dix-sept Rosado, depois da constatação técnica da existência de 44 problemas graves que poderiam ocasionar acidentes com aeronaves comerciais. O principal problema foi relacionado à cerca, iluminação e terminal de embarque e desembarque.

Em Assú, o aeroporto precisa de limpeza, ampliação da pista e também controle de acesso, além de sinalização. "Vamos contar com o apoio do presidente da Infraero, através do Profaa, para obtenção de recursos com o objetivo de modernizar e adequar o aeroporto de Mossoró, Caicó, Currais Novos, Pau dos Ferros e Assú", disse Rosalba. 

A governadora declarou que deverá se reunir com Gustavo do Vale em Brasília (DF) no mês de outubro, para levar toda a demanda e necessidade das regiões atendidas por esses aeroportos. A expectativa é que a portaria ministerial que institui o Profaa esteja pronta até dezembro deste ano, com os recursos assegurados para obras possivelmente no próximo ano.

Fonte: Jornal de FATO

Estágio de incubação do Projeto Caatinga Viva será tema de seminário nesta quinta-feira

Numa realização da organização não-governamental Carnaúba Viva - Organização Potiguar de Arte, Cultura, Desporto e Meio Ambiente, com sede na cidade do Assú, estará sendo vivenciada nesta quinta-feira, 29 de setembro, na cidade de Ipanguaçu, a programação oficial do 1º Seminário sobre Incubação de Empresas do Projeto Caatinga Viva.

O evento se desenvolverá a partir das 9h nas dependências do auditório do Campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), em Ipanguaçu.

De acordo com Marília Estevão, da assessoria de comunicação do IFRN e que presta idêntico assessoramento ao citado projeto socioambiental, o seminário é dirigido a proprietários rurais e extrativistas de carnaúba de toda a região.
Será voltado de forma mais específica para os que tenham interesse em se organizar de forma cooperativista com o propósito de fornecer matéria orgânica vegetal - capim, restos de poda urbana de árvores e de palha da carnaúba - e participar da operacionalização da fábrica de lenha ecológica que está em processo de instalação no interior do campus do IFRN.

Ainda de acordo com a notícia prestada pela responsável pela assessoria de comunicação do IFRN e do Projeto Caatinga Viva, a programação iniciará suas atividades a partir das 9h, no auditório do campus da instituição federal, sendo que o primeiro ato consistirá na apresentação oficial do projeto aos participantes.

Em seguida, o coordenador do Programa de Empreendedorismo do IFRN, professor Jerônimo Santos, ministrará uma palestra sobre "Incubação de Empresas", com foco na produção de bioenergia. O projeto tem como entidade proponente a organização não-governamental Carnaúba Viva. 

Iniciativa foi lançada no último mês de abrilA ação foi lançada oficialmente na cidade do Assú, no dia 28 de abril deste ano. A experiência tem como principal instituição financiadora a Petrobras, por intermédio do programa ambiental desenvolvido pela companhia estatal.

Conforme informação passada por Dário Nepomuceno, gestor da organização não-governamental Carnaúba Viva, o Projeto Caatinga Viva deverá compreender os seguintes municípios: Assú, Carnaubais, Alto do Rodrigues, Ipanguaçu, Pendências, Macau, Porto do Mangue, Afonso Bezerra e Itajá.

PARCEIROS
Além da Petrobras - que financia o projeto - e do próprio IFRN, outras entidades e instituições se consorciaram à experiência. No rol de parceiros constam a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern); Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); Associação Norte-rio-grandense de Engenheiros Agrônomos (Anea); e o Governo do Estado - através da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh).

Essa união de esforços de diversas instituições estaduais e federais deve recuperar 60 hectares de Caatinga e capacitar 10 mil pessoas - agricultores e alunos de escolas públicas - na área de educação e preservação ambiental.

Fonte: O mossoroense