i

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Padre Canindé vira o carro na RN 016, entre Assu e Carnaubais


Padre Canindé com a governadora Rosalba, em Assu
Cezar Alves/Da Redação do Jornal De Fato
O padre Francisco Canindé dos Santos, de 77 anos, captou seu veículo Meriva, na RN 016, trecho entre as cidades de Assu e Carnaubais, no início da tarde desta quarta-feira (22).

O padre sofreu apenas pequenas escoriações. Foi levado para o Hospital Regional Nelson Inácio dos Santos, onde recebeu alguns cuidados médicos e em seguida liberado.

Canindé contou ao radialista Jarbas Rocha, da Rádio Princesa do Vale, que tentou desviar de um carro e terminou perdendo o controle e virando o carro.

O religioso é muito respeitado na região do Vale do Açu, sendo procurado com frequencia pela classe politica e empresarial.

MEC quer pacto com estados para melhoria do ensino médio


Mercadante-ENEM
Após reunião com os secretários estaduais de Educação, o ministro Aloizio Mercadante anunciou que será firmado um "pacto nacional" com os governos estaduais para melhorar a qualidade do ensino médio. A iniciativa surge uma semana depois da divulgação dos resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) que, no ensino médio, indicaram resultados insuficientes. O ensino médio é considerado o "gargalo" da educação básica, por registrar altos índices de abandono e reprovação, além de problemas na aprendizagem.

De acordo com Mercadante, será formado um grupo de trabalho entre os secretários de Educação e dirigentes do MEC para discutir soluções para essa etapa do ensino. Um dos focos deverá ser a reforma do currículo do ensino médio. A crítica é que hoje o conhecimento é apresentado de forma muito fragmentada aos estudantes – em média são 13 disciplinas obrigatórias. O debate não é novo. No ano passado, o Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou as novas diretrizes curriculares do ensino médio que já indicavam uma flexibilização desse formato. De acordo com o ministro, o documento servirá de base para o novo modelo.
Mercadante ressaltou que a reforma não significa que a divisão entre as disciplinas será abolida, mas que a aprendizagem dos conteúdos será integrada em quatro grandes áreas: linguagens, matemática, ciências humanas e da natureza. "Algumas redes de ensino já estão trabalhando por área de concentração. Isso não quer dizer menos disciplinas ou menos professores, mas que elas estão integradas em um processo de aprendizagem único", disse.
Uma das funções do grupo de trabalho será levantar as boas experiências já desenvolvidas nos estados para que elas possam ser utilizadas por outras redes de ensino. Para a presidenta do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Nilene Badeca, é fundamental que os estados participem desse redesenho curricular porque são eles que executam as políticas na ponta.
"A ideia não é ter um modelo único. A gente vai buscar aquilo que é mais adequado para cada realidade. Nós vamos trocar experiências para ver o que é melhor para os estados. Vamos propor e ver o que podemos fazer junto com o MEC", disse.
Além da reforma curricular, o MEC discutiu com os secretários outras ações para melhorar o ensino médio, como o aumento da jornada escolar e do número de professores com dedicação exclusiva a uma única escola. Segundo o ministro, outra ideia é criar um programa de intercâmbio entre diretores de escolas para que eles conheçam "as melhores experiências de ensino médio no Brasil a fim de trazer para sua rede".
Também será discutida a possibilidade de ampliação do Programa Ensino Médio Inovador, que atualmente atende a 2 mil escolas. Por meio dele, o MEC apoia unidades de ensino que queiram desenvolver novos formatos de organização de ensino médio, inclusive com o aumento do número de horas que o aluno passa na escola.
Fonte: Agência Brasil

Com o carinho do povo, Leonardo conclui visita ao Bairro Presidente Lula

Hoje se inicia caminhada no Manoel Bonifácio

Era uma terça-feira (21), dia útil, mas, ainda assim, a população manteve o clima alegre e festivo que tem marcado as visitas realizadas pelo prefeito Leonardo Oliveira e os vereadores da Coligação Aliança do Povo aos bairros e comunidades de Ipanguaçu. Passando de casa em casa, a todo instante Leonardo recebia abraços, incentivos e inúmeras manifestações genuínas de carinho das famílias da localidade. O candidato aproveitou a oportunidade para fazer um balanço dos serviços prestados por sua gestão nos últimos 3 anos e 8 meses e apresentou propostas do seu plano de governo para o próximo mandato.

Para a dona de casa Francineide de Lira Felipe, de 49 anos, é o trabalho de Leonardo que o credencia a buscar a reeleição. “Eu quero que ele ganhe e acredito que não seja apenas eu que tenho esse desejo, mas muitos. Leonardo vem fazendo muito por Ipanguaçu. E vai continuar, se Deus quiser”, disse. Esse é o entendimento de inúmeros vizinhos de dona Francineide, que citavam diversas realizações da gestão de Leonardo, em todas as áreas. Os testemunhos do povo evidenciaram a preocupação do prefeito em melhorar a qualidade de vida de seu povo, o que, pelo que se vê nos rostos de cada um dos ipanguaçuenses, ele tem conseguido. Mas Leonardo que fazer ainda mais.

“Nosso plano de governo é amplo, e prevê pavimentação, drenagem de ruas, tempo integral nas escolas públicas, com atividades diversas para os nossos alunos. A habitação também vai ter importante destaque. A saúde vai avançar ainda mais. São muitas as nossas propostas, todas pensadas com os pés no chão, dentro da nossa realidade e, para aquelas de maior investimento, contando com aliados importantes, como o governo da nossa presidenta Dilma. Já fizemos muito, mas o nosso desejo é fazer ainda muito mais”, afirma Leonardo.

Agenda

Nesta quarta-feira (22), Leonardo cumpre agenda administrativa pela manhã. Ao final da tarde, às 16 horas, inicia visita ao bairro Manoel Bonifácio.


Veja mais fotos (AQUI)

Superintendência Federal do Ministério da Pesca e Aquicultura regularizará pescadores de Ipanguaçu


pesca_de_arrasto
 A necessidade de eliminar uma série de falhas observadas no âmbito da legalidade do segmento pesqueiro do município de Ipanguaçu foi a razão primordial da visita feita ao município, segunda-feira última, dia 20, pelo superintendente federal do Ministério da Pesca e Aquicultura no Rio Grande do Norte, Abraão Lincoln Ferreira da Cruz Júnior. Um dos problemas detectados foi a existência de duas entidades que se proclamam representantes dos pescadores em Ipanguaçu.

De um lado a Colônia de Pescadores local e, do outro, o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais do município. "Perante a Lei nº 11.699/2008 e o artigo oitavo da Constituição Federal, o sindicato não é entidade representativa de classe dos pescadores", asseverou Abraão Lincoln, frisando que esta atribuição legal cabe à Colônia de Pescadores. Ele explicou que, no contato mantido segunda-feira na cidade, procurou justamente realizar um trabalho de conscientização neste sentido.

O dirigente destacou que a preocupação demonstrada com o caso em Ipanguaçu é reflexo da prioridade que a superintendência federal do Ministério da Pesca e Aquicultura vem dando às questões afetas ao segmento pesqueiro potiguar. "Nossa missão em Ipanguaçu e em todo o Estado é fazer com que os pescadores possam inserir-se na legalidade", registrou. Frisou que, em paralelo, o órgão federal tem voltado os olhos no sentido de sensibilizar os pescadores a evitarem e combaterem a pesca predatória.
O dirigente ressaltou que no esforço que está sendo feito pela superintendência, haverá o suporte logístico da Marinha do Brasil que disponibilizará veículos aquáticos para o trabalho de fiscalização nos diversos reservatórios hídricos do Rio Grande do Norte. "Esta ação, em parceria com a Marinha que vai nos dar apoio, tem por meta coibir a pesca predatória e também os casos de violência e roubo de equipamento dos pescadores", informou. "Não queremos prejudicar ninguém, só queremos que os pescadores sejam legalizados", disse.
Sobre a existência de dois órgãos que se proclamam representantes da categoria, Abraão Lincoln deixou claro que a orientação é para que os pescadores porventura ligados ao sindicato migrem imediatamente para a Colônia que, insistiu, é quem efetivamente detém legitimidade para representá-los. Descreveu que quem realmente tem poderes para representar a classe nos municípios são as colônias e, no Estado, a Federação dos Pescadores do Rio Grande do Norte (Fepern). 
Cadastro
"Vamos regularizar todas as carteiras dos verdadeiros pescadores de Ipanguaçu", pontuou. Abraão Lincoln revelou que recebeu denúncias dando conta da existência de pessoas identificadas pelo sindicato como pescadores, mas que não exercem tal atividade. Adiantou que, após a migração dos pescadores para a organização legitimada, será realizado um completo levantamento por meio do setor de Registro Geral da Pesca (RGP) da superintendência. "Faremos um mutirão de recadastramento dos pescadores para legalizá-los perante a Colônia de Pescadores de Ipanguaçu", encerrou.

 Fonte: O mossoroense

Aposentados: Décimo do INSS soma R$ 512 milhões no RN


O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) inicia os depósitos da primeira parcela do 13º salário, também chamado de abono natalino, a partir da próxima segunda-feira (27), junto com o pagamento de agosto. No Rio Grande do Norte, a metade do 13º salário irá representar R$ 152.182.227,32 nos 167 municípios do estado. 

A primeira metade do 13º será paga a partir de segunda-feira até o dia 10 de setembro. Nesta primeira leva - a ser paga na segunda, dia 27 - o valor será somado aos benefícios de agosto, que totalizam R$ 360.566.757,93. Com isso, a Previdência Social será responsável pelo aporte de R$ 512.748.985,25 na economia norte-riograndense nos meses de agosto e setembro. 

Serão pagos 425.459 benefícios com metade do 13º de um total de 505.771 benefícios que são pagos atualmente no estado. Essa diferença em relação à quantidade de benefícios do 13º salário ocorre porque nem todos têm direito a receber o abono.

No Brasil, o valor da primeira parcela do 13º somado ao valor mensal do pagamento de agosto deverá representar R$ 37.312.294.546,91 em pagamentos no Brasil. Desse total, R$ 11.377.902.300,91 são referentes ao 13º salário e R$ 25.934.392.246,00 são da folha deste mês que será paga até o dia 10 de setembro. 

Não haverá desconto de Imposto de Renda (IR) nesta primeira parcela. De acordo com a legislação, o IR sobre o 13º só é cobrado em novembro e dezembro, quando será paga a segunda parcela da gratificação natalina.

CALENDÁRIO

O calendário de pagamentos do INSS, que tem inicio no próximo dia 27, começa com os depósitos dos segurados que recebem até um salário mínimo e possuem cartão com final 1, desconsiderando-se o dígito. 

Para quem recebe acima do mínimo, o crédito começa a ser liberado a partir do dia 3 de setembro. Nesta data, o INSS libera o pagamento para quem tem cartão com final 1 e 6, desconsiderando-se o dígito. 

O calendário segue até o dia 10 de setembro. Não haverá pagamento em 7 de setembro, Dia da Independência.

Benefício

Aposentados e pensionistas, em sua maioria, receberão 50% do valor do benefício. A exceção é para quem passou a receber o benefício depois de janeiro. Neste caso, o valor será calculado proporcionalmente. Os segurados que estão em auxílio-doença também recebem uma parcela menor que os 50%. 

Como esse benefício é temporário, o INSS calcula a antecipação proporcional ao período. Por exemplo, um benefício iniciado em janeiro e ainda em vigor em agosto terá o 13º terceiro salário calculado sobre oito meses. O segurado receberá, portanto, metade deste valor. Em dezembro, caso ainda esteja afastado, o segurado irá receber o restante. Se tiver alta antes, o valor será calculado até o mês em que o benefício vigorar e acrescido ao último pagamento do benefício.

Por lei, não têm direito ao 13º salário os seguintes benefícios: amparo previdenciário do trabalhador rural, renda mensal vitalícia, amparo assistencial ao idoso e ao deficiente, auxílio-suplementar por acidente de trabalho, pensão mensal vitalícia, abono de permanência em serviço, vantagem do servidor aposentado pela autarquia empregadora e salário-família. 

Tribuna do Norte