i

terça-feira, 29 de março de 2011

Secretaria de Saúde de Ipanguaçu prever lançar Plano de mobilização de ações para prevenção da hanseníase em abril

Quem informa e a enfermeira do Programa Saúde da Família (PSF), Aline Gomes, que conforme ela o plano se caracteriza por um conjunto de ações no âmbito individual e coletivo que abrange a promoção e proteção da saúde, a prevenção de agravos, o diagnóstico, o tratamento, a reabilitação e visa à manutenção da saúde.

Segundo a enfermeira dentre os agravos de maior interesse de prevenção e controle, está a Hanseníase, agravo esse que há muito é conhecido, bem como sua forma de transmissão e tratamento, mas que ainda causa impacto dentro dos assuntos de saúde pública. Ela explica que a hanseníase é endêmica no Brasil, registram-se em média, a cada ano, 47.000 novos casos, dos quais 23,3% com graus de incapacidade I e II. No município de Ipanguaçu existe apenas 01(um) caso diagnosticado da doença, que está em fase de tratamento.

Para ela o Plano de mobilização de ações para prevenção da hanseníase, busca esclarecer e sensibilizar a população, quanto sinais e sintomas das doenças e a necessidade do tratamento para os casos diagnosticados; Capacitar todos os profissionais de saúde quanto os sinais e sintomas, importância da notificação e acompanhamento dos casos; Busca ativa dos casos suspeitos; Avaliar os casos suspeitos encaminhados à Unidade de Saúde;Realizar exames complementares para os casos suspeitos;Encaminhamento para a unidade de referência para avaliação por especialista dos casos pertinentes; Notificação dos casos confirmados; Iniciar tratamento e acompanhamento dos casos.

A secretária de Saúde, Sumaira Fonseca, disse que previsão é que o plano possa ter inicio em abril e seguir até fevereiro de 2012. “Para que essas ações aconteçam, se faz necessário a qualificação de todos os profissionais de saúde para identificar sinais e sintomas suspeitos, conversar com o paciente e encaminhá-lo para a realização de exames, tratamento adequado e reabilitação, quando necessária” disse a secretária de saúde do município.


Que fala que o diagnóstico precoce, o tratamento e a prevenção são ações prioritárias para bloquear transmissão da doença, reduzir incapacidades e deformidades, assim como para desconstruir o medo e o preconceito que causam discriminação e danos psíquicos, morais e sociais aos doentes e familiares e à sociedade. “A proposta é alertar a população sobre como identificar os sinais e sintomas da doença para que o tratamento médico seja tão logo iniciado e a doença mais rapidamente curada” disse a secretária de Saúde, Sumaira Fonseca.

Ex-vice-presidente José Alencar morre aos 79 anos


Nos últimos 13 anos, Alencar enfrentou batalha contra o câncer.
Ele passou por diversas cirurgias e buscou tratamento alternativo nos EUA.


Do G1
José Alencar (Foto: Futura Press)José Alencar (Foto: Futura Press)
O ex-vice-presidente da República José Alencar morreu nesta terça (29), às 14h45, por falência múltipla de órgãos, aos 79 anos, no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. O político mineiro lutava contra um câncer na região do abdômen.
Na última das várias internações, Alencar estava desde segunda (28) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Sírio Libanês, em São Paulo, com quadro de suboclusão intestinal.
O ex-vice-presidente lutava contra o câncer havia 13 anos, mas nos últimos meses, a situação se complicou.
Após passar 33 dias internado – inclusive no Natal e no Ano Novo –, o ex-vice-presidente havia deixado o hospital no último dia 25 de janeiro para ser um dos homenageados noaniversário de São Paulo.
A internação tinha sido motivada pelas sucessivas hemorragias e pela necessidade de tratamento do câncer no abdômen. No dia 26 de janeiro, recebeu autorização da equipe médica do hospital para permanecer em casa. No entanto, acabou voltando ao hospital dias depois.
Durante o período de internação, Alencar manifestou desejo de ir a Brasília para a posse da presidente Dilma Rousseff. Momentos antes da cerimônia, cogitou deixar o hospital para ir até a capital federal a fim de descer a rampa do Palácio do Planalto com Luiz Inácio Lula da Silva.
Ele desistiu após insistência da mulher, Mariza. Decidiu ficar, vestiu um terno e chamou os jornalistas para uma entrevista coletiva, na qual explicou por que não iria à posse e disse que sua missão estava “cumprida”. Na conversa com os jornalistas, voltou a dizer que não tinha medo da morte. “Se Deus quiser que eu morra, ele não precisa de câncer para isso. Se ele não quiser que eu vá agora, não há câncer que me leve”, disse.
No mesmo dia, ele recebeu a vista de Lula, que deixou Brasília logo após a posse de Dilma.
Internações
Os últimos meses de Alencar foram de internações sucessivas. Em 9 de fevereiro, ele foi hospitalizado devido a uma perfuração no intestino. O ex-vice-presidente já havia permanecido internado de 23 de novembro a 17 de dezembro para tratar uma obstrução intestinal decorrente dos tumores no abdômen. No dia 27 de novembro, foi submetido a uma cirurgia para retirada de parte do tumor e de parte do intestino delgado.

Alencar passou alguns dias na UTI Cardiológica e começou a fazer sessões de hemodiálise depois que os médicos detectaram piora da função renal. Em setembro de 2010, foi internado em razão de um edema agudo de pulmão. No dia 25 de outubro, voltou ao Sírio-Libanês ao apresentar um quadro de suboclusão intestinal. Dias após a internação, ainda no hospital, sofreu um infarto no fim da tarde do dia 11 de novembro. Foi submetido a cateterismo, “que não mostrou obstruções arteriais importantes”.
Batalha contra o câncer
O ex-vice-presidente travou uma longa batalha contra a doença. Nos últimos 13 anos, enfrentou uma série de operações e tratamentos médicos. Foram mais de 15 cirurgias. Em abril de 2010, desistiu da candidatura ao Senado para se dedicar ao tratamento do câncer.

Desde 1997, foram mais de dez cirurgias para retirada de tumores no rim, estômago e região do abdômen, próstata, além de uma cirurgia no coração, em 2005.
A maior delas, realizada em janeiro de 2009, durou quase 18 horas. Nove tumores foram retirados. Exames realizados alguns meses depois, no entanto, mostraram a recorrência da doença.
Também em 2009, iniciou em Houston, nos Estados Unidos, um tratamento experimental contra o câncer. Alencar obteve autorização para participar, como voluntário, dos testes com um novo medicamento no hospital MD Anderson, referência no tratamento contra a doença. O tratamento não surtiu o efeito esperado e o então vice-presidente voltou a fazer quimioterapia em São Paulo.
José Alencar era casado com Mariza Campos Gomes da Silva e deixa três filhos: Josué Christiano, Maria da Graça e Patrícia.
Tratamento no exterior
O tratamento experimental nos EUA em 2009 não foi a primeira tentativa de Alencar de obter a cura fora do país. Ele já havia viajado para os Estados Unidos em 2006 para se tratar com especialistas. No ano seguinte, no entanto, os exames mostraram que o câncer havia se espalhado para o peritônio, uma membrana que reveste as paredes do abdômen.

Iniciava-se, então, a série de cirurgias na região. Em 2008, foram três internações. Em janeiro e em julho, exames mostraram uma reincidência de tumores abdominais. Em agosto, Alencar começou tratamento com um novo medicamento, a Trabectedina.
Com a saúde fragilizada, o ex-vice-presidente também foi internado por outros problemas. Em novembro de 2008, durante uma visita a Resende (RJ), teve fortes dores abdominais. O diagnóstico foi enterite (inflamação intestinal). Segundo os médicos, não havia relação com o câncer. Vinte dias depois, ele foi internado novamente, com quadro de insuficiência renal. Recebeu alta dois dias depois.
Sempre bem-humorado nas sucessivas vezes em que deixou o hospital Sírio-Libanês, chegava a brincar com seu próprio quadro clínico. "Estou melhor do que das outras vezes", repetia.
Após a maior das cirurgias, em 2009, Alencar saiu do hospital dizendo que não temia a morte. “Não tenho medo da morte, porque não sei o que é a morte. A gente não sabe se a morte é melhor ou pior. Eu não quero viver nenhum dia que não possa ser objeto de orgulho", afirmou. “Peço a Deus que não me dê nenhum tempo de vida a mais, a não ser que eu possa me orgulhar dele.”
Problemas de saúde ‘paralelos’
O ano de 2010 começaria com uma boa notícia para o então vice-presidente. O tumor que tratava vinha apresentando redução, segundo o hospital.

Alguns meses mais tarde, no entanto, ele começou a ter problemas de saúde “paralelos” ao câncer.
No início de maio, numa das idas ao hospital para a quimioterapia, apresentou pressão alta. Exames apontaram isquemia cardíaca e uma “obstrução grave” numa das artérias. Alencar então passou por um cateterismo e uma angioplastia e recebeu um “stent”, um mecanismo que “alarga” a artéria. No total, ficou nove dias internado.
No final do mesmo mês, queixando-se de fadiga, foi internado novamente. Após exames, o hospital constatou que ele estava anêmico e tinha um “quadro congestivo pulmonar”, consequência da quimioterapia. O tratamento, no entanto, continuava a dar resultados positivos, com a redução dos tumores.
No final de agosto, contraiu uma infecção, que foi tratada com antibióticos. Ele seria internado novamente poucos dias depois, no início de setembro, com o diagnóstico de edema agudo de pulmão. Foram mais seis dias no hospital.
Fonte: G1

Dia Mundial da Juventude será comemorado com passeio ciclístico em Ipanguaçu


A Secretaria Municipal de Assistência Social de Ipanguaçu em parceria com o Centro de Referência da Assistência Social – CRAS, realizarão na manhã desta quarta-feira (30), o Iº Passeio Ciclístico “Rodas da Paz”, a atividade proposta será realizada com os jovens do Programa ProJovem Adolescente.

Segundo a coordenadora do ProJovem Adolescente, Rayanne Ribeiro, o passeio terá inicio as 7:00horas da manhã tendo como ponto de partida o Ginásio Poliesportivo Jose Araujo Filho, os atendidos pelo programa percorrerão de bicicleta pelas principais ruas do município em ato de celebrar o dia Mundial da Juventude, que é comemorado amanhã (quarta-feira dia 30). “O passeio será um marco histórico do município, por ser o primeiro passeio ciclístico realizado pelos jovens munícipes” afirma a coordenadora do programa.

Rayanne Ribeiro ainda disse que o evento contara com a participação de mais de 100 jovens cadastrados no programa, os três coletivos do centro e um da comunidade de Arapuá participarão da mobilização que tem como objetivo levar os jovens e demais cidadãos ipanguaçuenses uma reflexão acerca das oportunidades de inserção social, “acreditamos que os mesmos poderão conquistar seus espaços com dignidade e respeito que são valores imprescindíveis para a construção do futuro, enfrentando os desafios do presente. A partir do desenvolvimento e aprimoramento das habilidades e dos talentos dos nossos jovens”, disse ela.

Hoje em Ipanguaçu o ProJovem atende mais de 100 Jovens de diversas partes do município, o serviço de convivência e fortalecimento de vínculos para adolescentes e Jovens de 15 a 17 anos, tem por foco o fortalecimento da convivência familiar e comunitária, o retorno dos adolescentes à escola e sua permanência no sistema de ensino. Isso é feito por meio do desenvolvimento de atividades que estimulem a convivência social, a participação cidadã e uma formação geral para o mundo do trabalho.

Um homem de livros

Protagonista de uma trajetória marcada por superação e conquistas, José Xavier Cortez é enfático ao afirmar que “adquirir livros não é despesa, é investimento.” Conhecimento de causa não lhe falta: o potiguar, natural de Currais Novos, empresta seu sobrenome à Cortez Editora, criada há mais de três décadas em São Paulo. Empresa familiar, a Editora atua no mercado editorial brasileiro desde 1980 com ênfase na publicação de títulos acadêmicos. 

alex regisCortez: Quando lançamos a coleção ‘Nossa Capital’ tivemos uma surpresa vinda de Fortaleza: em vez da prefeitura gastar dinheiro com um megashow no aniversário da cidade, adquiriu 215 mil livros para distribuir nas bibliotecas, entre alunos e professores.Cortez: Quando lançamos a coleção ‘Nossa Capital’ tivemos uma surpresa vinda de Fortaleza: em vez da prefeitura gastar dinheiro com um megashow no aniversário da cidade, adquiriu 215 mil livros para distribuir nas bibliotecas, entre alunos e professores.
Entusiasta das letras e sabedor da importância da leitura para a formação educacional, José Xavier circulou, neste mês de março, por municípios do interior do Rio Grande do Norte onde promoveu uma série de encontros denominados “Rodas de Conversa - A leitura, o livro e o editor”, evento dirigido e adaptado para diversos públicos como professores, acadêmicos, estudantes e crianças. José Xavier Cortez passou por cerca de 15 cidades do RN, principalmente da região do Seridó, e destaca o município de Ipanguaçu como um dos lugares mais interessados no encontro. Coincidentemente, os professores de português André Ribeira de Melo, 19 anos, e Aloma Saraiva Varela de Farias, 28, estavam na Poty  escolhendo alguns títulos doados por Cortez. A relação dos professores com o editor se deu de maneira espontânea: eles mandaram uma carta ao diretor do documentário elogiando o trabalho e a mensagem foi parar na mesa do próprio Cortez. “Ele entrou em contato e o convidamos para vir conhecer o trabalho desenvolvido em Ipanguaçu. Fizemos várias homenagens e hoje Cortez é um herói para os estudantes de lá”, informou a professora Aloma, da Escola Estadual Manoel de Melo Montenegro. “Vi muito da história de Cortez nos meus alunos”, finaliza André, professor da Escola Municipal Adalberto Nobre de Siqueira, na comunidade de Tabuleiro Alto, zona rural de Ipanguaçu.

Antes de embarcar de volta à São Paulo, ele conversou com a TN sobre a iniciativa e a experiência de compartilhar sua trajetória de vida diretamente com o público. Durante a entrevista, concedida na matriz da Poty Livros, o editor fez questão de garantir que “não há desculpa que justifique o fato das pessoas não lerem por falta de dinheiro. Sem o hábito da leitura, não há desenvolvimento”. 

De onde surgiu a ideia de promover as “Rodas de Conversa” e qual o conselho que o senhor sempre repete nesses encontros?

Ainda estamos comemorando as três décadas da Cortez Editora, e, apesar do lançamento do documentário (O Semeador de livros) e das biografias, queria estreitar esse contato com o público. Leitores e futuros leitores. E nesses encontros sempre repito: “foi a leitura que me trouxe até aqui, então, quem ainda não tem o hábito de ler está na hora de começar”.


Continue lendo (Aqui)
Fonte: Tribuna do Norte/ Yuno Silva - repórter

Mais de 1 bilhão de pessoas deve ficar sem água até 2050 nas grandes cidades

DivulgaçãoAs más condições sanitárias de algumas metrópoles mundiais agravam o risco para a fauna e a flora.As más condições sanitárias de algumas metrópoles mundiais agravam o risco para a fauna e a flora.
Brasília - Mais de 1 bilhão de pessoas, a maioria vivendo nas grandes cidades, ficarão sem água em 2050. A estimativa é de um estudo publicado na revista norte-americana Proceedings of the National Academy of Sciences. De acordo com os cientistas, as más condições sanitárias de algumas metrópoles mundiais agravam o risco para a fauna e a flora.

“Existem soluções para que esse 1 bilhão de pessoas tenha acesso à água. Mas isso requer muitos investimentos na infraestrutura e melhor utilização da água”, afirmou o coordenador da pesquisa, Rob McDonald, do centro de estudos privado The Nature Conservancy.

Segundo os pesquisadores, se a tendência atual da urbanização continuar, em 2050 cerca de 993 milhões de habitantes das cidades terão acesso a menos de 100 litros de água por dia para viver. Essa quantidade corresponde ao volume de um banho por pessoa.

Os cientistas advertem ainda que se forem acrescentados os efeitos prováveis da mudança climática, cerca de outros 100 milhões de pessoas não terão acesso a esse volume de água. O consumo de 100 litros diários é considerado pelos analistas como o mínimo necessário a um indivíduo para as necessidades de bebida, alimentação e higiene.

De acordo com a pesquisa, atualmente cerca de 150 milhões de pessoas consomem menos de 100 litros diariamente. Um cidadão médio que vive nos Estados Unidos, informou o estudo, consome aproximadamente 376 litros de água por dia.

Fonte: Agência Brasil

A mais bela é de Parnamirim

Concurso Miss RN 2011, que ocorreu sábado em Mossoró, elegeu Daliane Menezes como a representante potiguar



Miss Rio Grande do Norte 2011 vem de Parnamirim. A jornalista Daliane Menezes, de 22 anos, foi eleita a mais bela potiguar entre as 25 candidatas concorrentes e recebeu a coroa da Miss RN 2010, Joyce Christiny Oliveira, de Serrinha dos Pintos. A solenidade ocorreu na noite de sábado no Teatro Municipal Dix-Huit Rosado, em Mossoró. O evento contou com a presença da Miss Brasil 2010, a mineira Débora Lyra.


Os segundo e terceiro lugares ficaram para Catharina Amorim (Mossoró) e Natalia Clemente (Caicó), seguidas por Klendja Lucena (Ouro Branco) e Thaís Araújo (Governador Dix-Sept Rosado) Foto: Canindé Soares//Divulgação
O evento foi realizado na cidade de Mossoró. Pela primeira vez em 56 anos ocorreu fora da capital e recebeu transmissão ao vivo pela TCM - TV Cabo Mossoró. Os segundo e terceiro lugares ficaram para Catharina Amorim (Mossoró) e Natalia Clemente (Caicó), respectivamente, seguidas por Klendja Lucena (Ouro Branco) e Thaís Araújo (Governador Dix-Sept Rosado)


As representantes de cada cidade no concurso tiveram uma programação em Mossoró antes da realização do evento. Foi gravado um minidocumentário para TV que tratava das visitas das meninas a restaurantes, bares e outroslocais da cidade. O vídeo foi exibido no dia da final, para um Teatro lotado de mossoroenses e representações de cidades, com torcida organizada para algumas candidatas.

A Miss RN 2011 tem em seu currículo o segundo lugar no concurso Miss RN 2008 Universo, top 8 no Miss Terra Brasil 2009, top 10 no Miss Mundo Brasil 2009, Melhor Corpo e 3º lugar no Miss Friendship International 2009. Ela é formada em jornalismo, modelo profissional, já representou o Brasil em concursos internacionais, fala inglês, francês e espanhol e recebeu a coroa das mãos da Miss RN 2010, Joyce Christiny, que também se iniciou no jornalismo, mas desistiu do curso.

Daliane nasceu em Natal. O coordenador do concurso de Miss Parnamirim, Ranier Lyra, assistiu desfile de Daliane em 2008 e fez o convite já naquela época. Os pais de Daliane também são do interior. O pai, comerciante de material de construção, é natural de Caraúbas e a mãe, de Florânia. A nova Miss RN diz gostar de MPB por influência do pai e também da música regional. Lê livrosespíritas, apesar da formação católica, e outros voltados à comunicação - sua área profissional.

"Sempre quis trabalhar com assessoria de imprensa. Agora, vou dar uma parada pra investir nessa nova fase". E a ideia é iniciar preparação física, aulas de oratória e aulas de fluência em inglês com vistas ao concurso nacional. Tambem pretende trancar a atual faculdade de Radialismo. Mas o namoro de quatro anos e meio será mantido. O namorado mora em Santa Catarina. 

"O trabalho começa agora. O Miss Brasil não é um concurso fácil e o nível é mais alto do que vimos aqui. Vou lotar minha agenda com os preparativos. Ganhar o título é motivo de muito orgulho pra mim e para minha família. Agora, quero seguir em frente e aproveitar muito essa oportunidade", destacou a Miss RN 2011, já traçando planos para o Miss Brasil 2011.

Daliane concorreu com outras 24 candidatas com idade entre 18 e 25 anos. Os 12 jurados compõem um time de jornalistas, colunistas sociais, representantes do segmento empresarial e da moda. Também pela miss Brasil 2010, Débora Lyra e pelo renomado estilista paulista Arthur Caliman. O júri também escolheu a Miss Simpatia, Bruna Cabral (Macau) e Miss Elegância, para a terceira colocada geral, Natalia Clemente (Caicó).

Miss Brasil

A 57ª edição do concurso Miss Brasil 2011 será realizado em 30 de julho no Credicard Hall, em São Paulo. Candidatas dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal participarão da competição. A vencedora representará o Brasil no Miss Universo 2011, a ser realizado também no Credicard Hall em 12 de setembro, e receberá a coroa de mulher mais bonita do mundo das mãos de Ximena Navarrete, do México, coroada em Las Vegas a Miss Mundo 2010, em 23 de agosto do ano passado. A segunda colocada irá representar o Brasil no Miss Internacional 2011. 

Fonte: Diário de Natal 

Rio Grande do Norte já tem mais de um celular para cada habitante


No mês de fevereiro passado, o Rio Grande do Norte se juntou ao grupo de Estados que contam com mais de um telefone celular para cada habitante.

Segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), no segundo mês do ano, 3.318.398 celulares estavam em operação no RN, quantidade maior que os 3.121.451 de habitantes do Estado. A média estadual é de 102 celulares para cada grupo de 100 habitantes.

Em fevereiro de 2011, outros dezesseis Estados já possuíam mais de um celular por habitante: Distrito Federal, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Goiás, Rio Grande do Sul, Rondônia, Mato Grosso, Santa Catarina, Pernambuco, Espírito Santo, Paraná, Tocantins, Amapá, Minas Gerais e Sergipe.

Na teoria, quer dizer que todo potiguar já tem celular, mas na prática essa não é realidade.
Na verdade, parte da população potiguar tem mais de um aparelho, enquanto que outra parte ainda não acessou a telefonia móvel.

As secretárias Gleidy Regina e Cledna Fernandes trabalham juntas e têm pelo menos mais uma coisa em comum: as duas têm mais de um celular.

Gleidy tem dois celulares e três chips, ou seja, é cliente de três operadoras de telefonia móvel, enquanto que Cledna, por enquanto, acessa os serviços de duas empresas e tem igual número de aparelhos.

O principal motivo que leva uma pessoa a ter mais de um celular é econômico.
Gleidy justifica que custa caro fazer ligação entre operadoras diferentes. "Fica mais caro ligar de um celular Claro para outro Oi, por exemplo", explica a secretária.

Cledna fala que tem contatos de pessoas com celulares de diferentes operadoras, o que justifica o uso de mais de um aparelho. "Quando a gente tem um celular da mesma operadora da pessoa que vamos ligar dá para usar os bônus e não gastamos créditos", destaca.

Outro motivo para não se limitar ao uso de um único celular é qualidade do sinal das operadoras.

Gleidy informa que apenas uma operadora tem sinal disponível no local onde o marido dela trabalha. "Comprei mais um chip porque os que eu já tinha não têm serviço fora de Mossoró", relata.

A teledensidade - número de celular por habitante - do Rio Grande do Norte é a segunda maior da região Nordeste, menor apenas que em Pernambuco (108,32 celulares para cada 100 habitantes).

Sergipe (101,98 celulares para cada 100 habitantes) é o outro Estado do Nordeste que já tem mais de um celular por habitante.


Mais celulares; mais problemas
A entrada de um novo celular em operação não significa apenas que mais uma pessoa está acessando as tecnologias da telefonia móvel. Representa também que novos problemas estão vindo por aí.

Desde que houve a massificação do uso do celular, não é pouco o número de reclamações dos consumidores contra as operadoras de telefonia móvel.

As empresas que prestam esse tipo de serviço estão entre as mais "lembradas" no Procon de Mossoró e de todo o Brasil. O acúmulo de problemas levou a Justiça a proibir a operadora Tim de colocar novas linhas em operação no Rio Grande do Norte durante o período de 30 dias.

O castigo não surtiu efeito, pois os serviços da Tim continuam ruins como sempre. É o que relata Cledna Fernandes, já adiantando que "a Tim lhe deixa sempre muito chateada".
Cledna conta que as ligações da Tim sempre ficam cortando, impedindo que a conversa ao celular flua, e que é preciso ligar três, quatro vezes para completar a chamada.

Ela também criticou a Oi, que lhe cobrou por um serviço que ela nem conhecia. "Fizeram meu cadastro num serviço que eu não solicitei e ainda deram o maior trabalho para fazer o cancelamento", reclama.

Fonte: Jornal de Fato/MAGNOS ALVES
Da Redação