i

quarta-feira, 14 de julho de 2010

CIDADE DE IPANGUAÇU INTEGRA ELENCO DE CIDADES CONTEMPLADAS PELO PROJETO TRILHAS POTIGUARES


Município encravado na região do Vale do Açu, Ipanguaçu está no rol de cidades do Rio Grande do Norte que recebem a edição de 2010 do projeto Trilhas Potiguares, realizado por professores e estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal.
Este ano o projeto atenderá um total de 18 municípios do Estado. Segundo informação da secretária municipal de Educação, professora Jeane Dantas Bezerra, a programação vai desenvolver-se até a próxima sexta-feira, 16 de julho.
"Nossa comunidade está muito satisfeita em recepcionar a equipe do projeto Trilhas Potiguares por todo o decorrer desta semana", declarou a secretária municipal. A equipe de docentes e acadêmicos chegou à cidade no final da tarde do último domingo, dia 11.
"A comitiva vai permanecer em Ipanguaçu por toda esta semana desempenhando uma série de atividades educativas, culturais, de saúde e socioambientais", reiterou Jeane Dantas. Adiantou que as tarefas do projeto compreenderão tanto o setor urbano quanto algumas comunidades rurais do município.
PROPÓSITOS
O projeto Trilhas Potiguares tem por missão propor novas formas de aplicação do conhecimento gerado na instituição de ensino superior, a partir do contato com as demandas da comunidade externa, buscando a construção solidária do saber, voltado para o desenvolvimento sustentável das comunidades.
O projeto objetiva também colocar em pauta o desafio de trabalhar, na ótica da educação ambiental, o equilíbrio entre o homem e o meio ambiente. Neste contexto, as ações do projeto estão objetivamente voltadas para a melhoria da qualidade de vida da população potiguar, priorizando o respeito à cultura e tradições locais, estabelecendo uma sintonia fina entre o saber acadêmico e o saber popular.

Fonte: O mossoroense

SECRETARIA REALIZARA ARRAIÁ PARA CRIANÇAS DO PETI


Nesta quinta-feira (15), a Prefeitura Municipal de Ipanguaçu através da Secretaria de Assistência Social, realizará o “Arraiá Petiano”. A festa acontecerá no clube municipal de Ipanguaçu as 19:00hs com a participação das mais de 220 crianças e adolescentes do programa.
Segundo Valeria Faustino, coordenadora do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI), o arraiá tem com objetivo de preservar a cultura e atribuídos aos festejos de São João, resgatando a figura do matuto nordestino da zona rural e permanecendo fiel a canjica ao milho assado, à pamonha e a musica de sanfona nos forrós, assim fazendo com que as crianças e adolescentes envolvam-se e conheçam a cultura popular brasileira e se divirtam.  
  

MUNICÍPIO PARTICIPA DE SEMINÁRIO ESTADUAL DA SAÚDE DOS ADOLESCENTES E JOVENS


Ontem (13) a Secretária de Saúde, Sumaira Fonseca, a coordenadora de tecnologia e informação da Secretaria de Educação, Poliana Rocha, estiveram presentes no I Seminário Estadual da Atenção Integral à Saúde do Adolescentes e Jovens, que aconteceu em Natal no Praia Mar Hotel. 

Segundo Poliana Rocha, o seminário teve como objetivo criar uma atenção integral à saúde do adolescentes e jovens, por nós fomos  representando o município para que possa ser criado uma atenção especial a todos os jovens e adolescentes do município. “No seminário foi apresentado como proposta a caderneta de saúde do adolescente, para que eles possam ser acompanhados integralmente, alem de reunir informações sobre como evitar doenças, e as mudanças no corpo”, conta a coordenadora.

Erradicar lixões é desafio para cidades do RN

 
Luizinho quer pressa na implantação do programa de resíduos sólidos. 
  
O prefeito de Carnaubais, na condição de presidente do G12, acompanhou a apresentação do Plano Estadual de Gestão de Resíduos Sólidos, medida que visa erradicar os lixões nas cidades. Quem expôs um balanço da situação no Rio Grande do Norte e adiantou o avanço do programa em outras regiões, foi  o presidente da Caern, Sérgio Pinheiro. “O Governo do Estado implantará unidades de reciclagem, aterros sanitários e estações de transbordos nas 25 cidades beneficiadas”. O projeto foi mostrado detalhadamente através de slides na tarde desta terça-feira em reunião ocorrida no escritório da Flona, em Assu. Dos 25 prefeitos convidados, somente 15 municípios estiveram representados. Os secretários de meio ambiente de Carnaubais, Macau e Areia Branca mostraram a experiência da coleta seletiva em suas respectivas cidades.
        
Em tempo: O prefeito Luizinho se reunirá na segunda-feira, 19, com os representantes da Secretaria Estadual de Recursos Hídricos para tratar da efetivação do consórcio. “Vamos ver se é melhor fazermos um aditivo no estatuto do G12 ou criarmos um consórcio para cuidar especificamente da operacionalização do aterro sanitário no Vale do Açu”, explicou.

Em tempo II: A previsão é que em breve os gestores municipais assinem o protocolo de intenções da autarquia que integrará 25 municípios através de consórcio oregional em parceria com o Banco Mundial, Pro-água, ANA, governo estadual e federal. No Seridó, o consórcio intermunicipal já está em fase avançada aguardando apenas a construção do aterro.  

Fonte: Toni Martins

A triste vida nos cruzamentos

Negligenciadas pela sociedade, crianças passam o dia a pedir esmolas e usar drogas
O sinal fechou, os carros pararam. Da sombra de uma marquise uma criança se levanta, aproxima-se de um carro e estende a mão num gesto de mendicância. As roupas estão sujas, estragadas, maltratadas, mas não menos que o próprio garoto, que há poucos dias sofreu espancamento da Polícia Militar. As marcas no rosto e na cabeça ainda estão evidentes. Enquanto uma mão está estendida, a outra coça as feridas que ainda não foram saradas pelo sol e pelo vento. O menino da Avenida Jaguarari é um pequeno mendigo que o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que agora completa 20 anos, ainda não foi capaz de retirar das ruas.


Menino recebe dinheiro de passageiro na Avenida Jaguarari. Mau hábito alimenta situação social crítica Foto: Fábio Cortez/DN/D.A Press
Nas ruas, onde não existem pai nem mãe, eles não apenas pedem esmolas. É lá que eles se alimentam, dormem, são vítimas de abuso, exploração e até de espancamento. É lá também que recebem um verdadeiro aprendizado para ingressar no mundo das drogas e da marginalidade. É por estar nas ruas que eles não têm acesso à escola, embora muitos estejam matriculados em programas sociais como Bolsa Família e Programa de Erradicação do Trabalho Infantil.

A situação de mendicância de crianças e adolescentes pode ser vista em vários pontos de Natal. A Avenida Bernardo Vieira é um dos principais, destacando-se os cruzamentos com a Jaguarari e com a Rua dos Pegas. Foi em um desses cruzamentos que encontramos pequenos mendigos. O menor deles, 11anos, foi vítima de espancamento por policiais que queriam que ele confessasse o roubo a uma academia de musculação. "Eles deram sem eu merecer três coronhadas de revólver na minha cabeça que abriu cortes grandes, fiquei com a cabeça sangrando vários dias", conta a criança. Perguntado porque mesmo passando por isso ainda fica nas ruas, ele respondeu sem titubear: "Prefiro estar aqui do que em casa ou na escola, porque tem dia que ganho nos sinais quase R$ 30 só com esmolas, às vezes dou um pedaço para minha mãe que mora nos Guarapes e fico com o resto para comer.

No mesmo semáforo, outro garoto mais destemido ganha mais.Com apenas 12 anos, o menino surpreende na abordagem aos motoristas. Ele simula tristeza e até chora para ganhar um trocado, depois quando o sinal abre ele volta à calçada, esbanja um sorriso de felicidade, tira um cigarro do bolso e acende sem o menor constrangimento com a reportagem. Com pais residentes no Nova Natal, Zona Norte, ele disse que às vezes vai em casa, quando deixa uns R$ 10 com sua mãe dos R$ 50 que apura diariamente com esmolas nos sinais. O garoto confessou ser viciado em crack para onde vai boa parte do dinheiro que apura.
 
 
Fonte: Diario de Natal