i

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Enem já tem mais de 3 milhões de estudantes inscritos, diz Inep


Prazo termina no próximo dia 10. Expectativa é por um total de 6 milhões de participantes.
O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2011 recebeu mais de 3 milhões de inscrições até o meio-dia desta terça-feira (31), de acordo com o o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão vinculado ao Ministério da Educação, responsável pela organização do exame. O prazo termina às 23h59 do dia 10 de junho.

Veja no vídeo ao lado a íntegra do chat com a presidente do Inep, Malvina Tuttman, tirando dúvidas sobre o Enem 2011
Os interessados devem se inscrever exclusivamente pela internet, no site http://sistemasenem2.inep.gov.br/inscricao. A taxa custa R$ 35. As provas serão aplicadas nos dias 22 e 23 de outubro.
O pagamento da taxa de inscrição deve ser realizado até o dia 13 de junho e a confirmação será feita em até três dias úteis.
Com expectativa de receber 6 milhões de inscrições para o exame, o Inep dobrou a infraestrutura tecnológica para receber até 120 mil inscrições por hora.
O Enem será realizado em 12 mil locais, 140 mil salas de aula, ocorrendo em 1.599 municípios e mais de 6 mil escolas estão no processo. O Inep já marcou outro Enem para o primeiro semestre do ano que vem, nos dias 28 e 29 de abril de 2012.
Fonte: G1

Campus do IFRN de Ipanguaçu escolhe novo presidente para o grêmio


Foto: IFRN/Ipanguaçu
Aconteceu ontem, quarta-feira dia 1º, a eleição para a mesa diretora do grêmio estudantil do campus do IFRN em Ipanguaçu.

758 alunos matriculados regulamente do ensino integrado e de Educação para Jovens e Adultos (EJA) estiveram aptos a votar. Apenas 632 estudantes compareceram.

O resultado da votação saiu ainda na noite, e teve 632 votantes, sendo 53,8% (340 votos) para chapa 2 “Liberdade e Oportunidade” da estudante Maria Sueli do curso agroecologia, sendo eleita para ocupar a nova presidente do grêmio estudantil por um ano.

41,8% (264 votos) teve a chapa 1 “Transformação” que teve como concorrente, Francisco Leôncio do curso de informática.As eleições ainda contabilizaram 1,6%(10 votos) em branco, 2,8% (18 votos) nulos, e 163 abstenções.

Os integrantes eleitos tomam posse em um prazo de 15 dias, e terá livres poderes para gerenciar o grêmio estudantil, Marcel Lúcio Matias Ribeiro por um ano.

AssuFolia inova misturando Micareta e Festival, com 70 camarotes e arena para 10 mil pessoas


Em novo formato, inédito no Rio Grande do Norte, o tradicional AssuFolia vai misturar micareta com festival. Serão 10 atrações animando a festa que integra a programação oficial alusiva ao aniversário de emancipação do município de Assú, no mês de outubro. Os estilos são variados, agradando aos fãs de axé, pagode, swingueira e forró.
Apesar de a localização ser a mesma dos anos anteriores, a estrutura está bastante incrementada: haverá uma arena com capacidade para 10 mil pessoas; 70 camarotes; dois palcos; frontstage e praça de alimentação, entre outros itens essenciais, como banheiros químicos para o conforto dos foliões.
A segurança, marca do evento desde o seu início há quase duas décadas, continua sendo um destaque: além do policiamento no local do evento e no entorno, haverá também seguranças particulares contratados pela organização, e posto de primeiros socorros.
O evento acontece nos dias 14, 15 e 16 de outubro, mas a venda dos ingressos já se inicia na próxima semana, no dia 10 de junho. A organização é da Fama Produções; Carimbadas do Chocolate e de Atacadão Vieira Eletromoveis.

Atrações
Blocos:
Onda - Grafite e Oz Bambaz
Bicho - Netinho e Bonde do Maluco

Arena da Folia:
- Sexta - Saia Rodada e Sorriso Maroto
- Sábado - Fantasmão e Solteirões do Forró
- Domingo - Inala e Garota Safada
Mais informações em breve no site www.assufolia.com

Por: Rodrigo Medeiros 

Silenciaram o "homem-bomba"

Um dos principais réus da Operação Hígia, advogado Anderson Miguel é executado dentro do escritório

Oempresário e advogado Anderson Miguel, proprietário da A&G Locação de Mão de Obra, foi assassinado ontem com três tiros. Ele é um dos réus na Operação Higia - suposto esquema de desvio de verba pública e fraude em licitações nos contratos de higienização hospitalar e locação de mão-de-obra, na gestão da ex-governadora Wilma de Faria. O crime aconteceu por volta das 17h, em seu escritório localizado na Avenida Miguel Castro e segundo o comandante do policiamento Metropolitano, Alarico Azevedo, ele foi morto com três tiros. Anderson Miguel era apontado como pivô do suposto esquema de corrupção e, em novembro do ano passado, fez revelações "bombásticas" durante seu depoimento à Justiça Federal, envolvendo, entre outras pessoas, a ex-governadora e seu filho, Lauro Maia.


Anderson implicou vários políticos em suposto esquema de corrupção na Saúde. Foto: Ana Amaral/DN/D.A Press
De acordo com testemunhas, dois homens desceram de um Siena branco e entraram no escritório de Anderson, se dirigindo direto à sala do empresário. Após efetuarem três tiros, os dois fugiram do local. Cerca de uma hora depois do crime, policiais da Rocam prenderam um suspeito no bairro Planalto, com base nas características apresentadas por testemunhas. O homem estava num veículo semelhante ao descrito, com uma camisa preta e sem os dentes da frente.

No processo judicial da operação Hígia, diante do juiz Mário Jambo, Anderson Miguel afirmou que chegou a pagar R$ 3 milhões em propina para que fossem facilitados os pagamentos do contrato firmado entre sua empresa, A&G Locação de Mão de Obra e a Secretaria Estadual de Saúde. 

Segundo o réu, a destinação final desse dinheiro era o filho da ex-governadora, Lauro Maia e o ex-secretário da Casa Civil e de Planejamento e Finanças, Vagner Araújo, um dos homens de confiança da administração de Wilma e candidato a vice-governador na chapa do PSB em 2010. 

Durante o interrogatório, o empresário disse que quem ia buscar esses valores em seu escritório para levá-los aos destinatários eram o ex-secretário adjunto de Esporte e Lazer do estado, João Henrique Lins BahiaNeto, o jornalista Diógenes Dantas, o irmão da ex-governadora, Fernando Faria e o ex-prefeito de Macaíba, Luiz Gonzaga. O réu ainda declarou, em seu interrogatório, que o deputado Wober Junior, na época chefe do Gabinete Civil, chegou a solicitar o repasse de 15% do valor de um contrato de mão de obra para o SAMU, o que representaria cerca de R$ 40 mil.

Como funcionava o esquema

O Ministério Público Federal afirma que o filho da governadora, o advogado Lauro Maia, exercia forte influência nos órgãos do estado, favorecendo os interesses das empresas envolvidas na fraude. Ele seria tanto consultado como apoiado pelo, na época, secretário adjunto da Secretaria Estadual de Esporte e Lazer, João Henrique Lins Bahia Neto. A Polícia Federal chegou a registrar encontros de Lauro Maia na residência oficial da governadora para, possivelmente, receber valores de propina. A procuradora do estado, Rosa Maria Caldas, teria sido uma peça chave para que a contratação e a prorrogação fraudulenta fossem bem sucedidas. O MPF declarou que ela dava "aparência de legalidade" à celebração dos contratos em troca de vantagem indevida. 

A movimentação financeira de valores altos na conta de Rosa Maria foi constatada pelos documentos apreendidos durante diligência de busca e apreensão. O MPF alegou que ela utilizou a conta corrente de um filho para tentar ocultar os valores provenientes do esquema, caracterizando o crime de lavagem de dinheiro. A Operação Hígia foi deflagrada em junho de 2008 e na ocasião foram cumpridos 13 mandados de prisão e 42 buscas e apreensões no Rio Grande do Norte e na Paraíba. 

Fonte: Jussara Correia