i

terça-feira, 12 de julho de 2011

Com o objetivo de incentivar a doação de sangue no município, Prefeitura de Ipanguaçu se une ao Hemocentro de Mossoró

Doar sangue é um ato de amor ao próximo. No entanto, muita gente ainda vê a prática com desconfiança. Em Ipanguaçu, onde dados da secretaria municipal de Saúde revelam não haver sequer um doador formalizado, a Prefeitura se uniu ao Hemocentro de Mossoró no projeto denominado “Irmãos de Sangue”. O objetivo é incentivar a população, com esclarecimentos e informações, para reverter esse quadro.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, apenas 1,8% da população brasileira doa sangue. A meta do projeto é fazer com que essa incidência chegue a 3%. As doações são destinadas a procedimentos como cirurgias de pequeno e grande porte, tratamentos ontológicos e urgências hospitalares.

Para o prefeito Leonardo Oliveira, muitos ipanguaçuenses podem estar realizando doações de sangue diretamente nos pontos do Hemocentro em Mossoró, o que explicaria a inexistência formal de doadores no município. “A prefeitura abraçou essa causa e quer cadastrar esses supostos doadores já existentes, bem como incentivar o surgimento de novos doadores. Entendo que a doação de sangue é um ato humanitário, de solidariedade e que deve ser estimulada”, afirmou o prefeito, que também enfatizou que a campanha é permanente e por isso não há uma data definida para acabar.

Critérios
Podem doar sangue pessoas com idade entre 16 e 17 anos, desde que possuam autorização por escrito dos pais ou responsáveis, que também devem acompanhá-las no ato da doação.

É necessário ainda que o voluntário pese mais que 50 quilos, seja saudável e esteja bem alimentado. Além disso, a pessoa não deve estar tomando medicação, ter ingerido bebidas alcoólicas nas últimas 24 horas antes da doação e não ter fumado horas antes da coleta. O voluntário deve estar portando um documento de identificação.

Com apoio da Prefeitura de Ipanguaçu, estudantes da UFRN oferecem atividades diversas à população do município

Com o apoio da Prefeitura de Ipanguaçu, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) está oferecendo diversos serviços à população do município, através do programa de extensão Trilhas Potiguares. Os trabalhos, que se iniciaram na segunda-feira (11), prosseguem durante toda esta semana. Diversas oficinas e serviços estão sendo oferecidos em varias partes da cidade, da zona urbana à rural. Estima-se que mais de três mil pessoas serão beneficiadas.

O Programa Trilhas Potiguares, criado há 15 anos, tem como objetivo oferecer atividades que contemplem as áreas da saúde, educação, lazer, economia, agricultura, meio ambiente, cidadania e comunicação, entre outras. Segundo a coordenadora Renata Gama, cerca de 20 universitários estão incluídos nas oficinas. Gama informa que o programa proporciona que os alunos exerçam na prática o que estão aprendendo na universidade.

Para o prefeito Leonardo Oliveira, ações que vão ao encontro da comunidade são muito importantes. “Os universitários darão a sua parcela para a melhoria da qualidade de vida da população da cidade, valorizando a cultura e a tradição local, estabelecendo o contato entre o saber popular e o saber acadêmico” disse o prefeito.

Os interessados em participar das ações proporcionadas pelo Trilhas Potiguares em Ipanguaçu devem procurar a Secretaria de Educação.







Atendimento no Detran é retomado hoje


Depois de quase 50 dias parados, os servidores do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Norte (DETRAN-RN) voltam ao trabalho nesta terça-feira, 12. A decisão de retomar as atividades foi tomada em assembleia realizada pela categoria nesta segunda-feira, 11.
Os servidores aceitaram a proposta do Governo do Estado encaminhada na sexta-feira passada (8), que prevê o pagamento e a reestruturação do Plano de Cargos, Carreira e Salários dos trabalhadores em quatro parcelas, a partir do mês de setembro, e decidiram encerrar a greve iniciada no último dia 3 de maio.

O diretor geral do Detran-RN, Érico Souza, informou que nos próximos dias será priorizado o atendimento ao público, especialmente os processos de transferência de veículos.
Segundo Érico, existem cerca de 12 mil processos de transferência pendentes em todo o Rio Grande do Norte.

A previsão do diretor é normalizar o atendimento em duas semanas. "Vamos nos esforçar ao máximo para que os cidadãos sofram o menos possível", observou Érico.

Nesta segunda-feira, mesmo com a greve ainda em andamento, algumas pessoas ainda se dirigiram à Central do Cidadão, sede do Detran em Mossoró.

Foi o caso da empresária Ana Amélia de Souza, que se mostrou surpresa com as portas fechadas. "E ainda está tudo fechado?", indagou a empresária.

Ana comemorou ao ser informada pela reportagem do JORNAL DE FATO que a greve havia acabado e que os serviços do Detran serão retomados hoje. "Que ótima notícia. Agora eu vou conseguir transferir o carro para o meu nome", destacou.

FJA
Os servidores da Fundação José Augusto (FJA) também acataram a proposta do Governo do Estado e retornaram ao trabalho ainda nesta segunda-feira.

Foram 42 dias de paralisação. A greve foi cessada graças a uma "boa proposta" apresentada pelo Estado, conforme classificou o presidente do Sindicato dos Servidores da Administração Indireta do RN (SINAI-RN), Santino Arruda. "Embora ainda existam perdas, foi uma proposta adequada. Trata-se de uma conquista que vai dignificar aqueles que produzem a cultura estatal no Rio Grande do Norte", ressaltou o sindicalista.

Hoje, será a vez de os servidores da Emater se reunirem para avaliar o acordo proposto pelo secretário-chefe de Gabinete Civil, Paulo de Tarso. O encontro será na sede dos servidores, em Macaíba, às 10h. Além do pagamento do Plano, os funcionários da Emater reivindicam a diminuição da carga horária diária de 8h para 6h.

Multas serão perdoadas
Outra boa notícia para os usuários dos serviços do Detran é o perdão de possíveis multas geradas pelo atraso no emplacamento de veículos.

Érico Souza garantiu que não haverá cobrança de multas para os proprietários que não conseguiram emplacar o veículo durante o período de paralisação. "Todas as pessoas prejudicadas pela greve terão as multas perdoadas, já que o cumprimento do prazo de emplacamento não foi possível por conta da indisponibilidade do serviço", justificou.
Para o agente de endemias Oleano Alves Ferreira, a decisão do diretor é mais que acertada. Oleano está entre as pessoas que poderiam ser prejudicadas pela cobrança das multas.

O agente de endemias comprou uma moto no último dia 15 de junho, mas não conseguiu emplacá-la até esta segunda-feira. "Fui ao Detran várias vezes, mas sempre encontrei as portas fechadas e não consegui fazer o emplacamento", relatou.

Fonte: Jornal de Fato/MAGNOS ALVES
Da Redação

Ufersa divulga lista de espera de candidatos convocados no SiSU

A Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) disponibilizou em seu site (www.ufersa.edu.br) a lista de espera dos candidatos convocados através do Sistema de Seleção Unificada (SiSU). Após duas chamadas, apenas 44% das vagas oferecidas pela instituição foram preenchidas, restando ainda 560, das 1.015 ofertadas pela instituição, distribuídas entre os três campi da Universidade.

Para evitar o não-preenchimento das vagas remanescentes, estão sendo convocados os candidatos cuja classificação esteja dentro do limite de três vezes o número de vagas disponíveis. "É importante lembrar que todos esses candidatos devem participar das reuniões que serão realizadas entre os dias 18 e 19 deste mês, onde serão convocados os aprovados, de acordo com a ordem de classificação", alerta o assistente administrativo da Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) da Ufersa, Wendson Max.

Durante as reuniões, realizadas em horários distintos para cada curso, será efetuada chamada nominal dos candidatos inscritos na lista de espera, para a realização da matrícula, pela ordem decrescente da nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2010, até que todas as vagas disponíveis pelo SiSU sejam preenchidas.

Os candidatos que não comparecerem às reuniões ou não apresentarem a documentação necessária para matrícula, serão excluídos da lista. "Se após as reuniões, ainda existirem vagas disponíveis, uma nova lista de espera será divulgada pela Ufersa", afirma Wendson Max.

A reunião para os alunos convocados para o Campus de Angicos será feita no próprio campus, no auditório do prédio administrativo, dia 18, às 8h, para o curso de Ciência e Tecnologia Integral, e às 13h30 para os cursos Ciência e Tecnologia Noturno, Licenciatura em Computação e Informática e Sistemas de Informação.

Nos campi de Caraúbas e Mossoró a reunião acontecerá no auditório Amâncio Ramalho, Campus Leste, nos seguintes dias e horários: 18 de julho, às 8h (Ciência e Tecnologia Integral Mossoró e Ciência e Tecnologia Integral Caraúbas); 13h30 (todos os cursos do turno noturno - Ciência e Tecnologia Noturno Caraúbas, Ciência e Tecnologia Noturno Mossoró, Administração, Ciência da Computação, Ciências Contábeis e Direito); 19 de julho, às 8h (Agronomia, Biotecnologia, Ecologia, Eng. Florestal, Eng. Pesca, Medicina Veterinária e Zootecnia).

Os candidatos convocados para as reuniões deverão apresentar os seguintes documentos, necessários para efetuar a matrícula: cópias e originais da carteira de identidade, do CPF, da certidão de nascimento ou de casamento, do título de eleitor e do comprovante de quitação militar (homens); histórico escolar do ensino médio, original e fotocópia e duas fotografias 3x4, iguais e recentes.
 

ECA completa 21 anos com avanços e desafios para infância e juventude

eca_crianca_e_adolescente
O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) completa 21 anos amanhã, comemorando avanços e buscando novas conquistas para a infância e a juventude. Segundo a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Mossoró (Comdica), Mirna Aparecida, o maior avanço da lei foi definir a criança e o adolescente como sujeitos de direitos, já que antes não existia essa mentalidade.
"Antes do estatuto, o Brasil dava atenção mais às crianças muito pobres, marginalizadas, mas o ECA surgiu e universalizou os direitos, estendeu os direitos a todas as crianças e adolescentes, independente da cor e da classe social, estabelecendo deveres da família, da sociedade e do Estado. Enfim, fortaleceu a condição de cidadão das crianças e adolescentes", analisa.
Mirna Aparecida considera a garantia desses direitos importante avanço para conquistas sociais e melhoria de vida na infância e na juventude, mas que ainda há muito a ser conquistado. Os principais desafios, segundo ela, é o combate ao trabalho infantil, exploração sexual, violência familiar, uso e abuso de drogas.
"Para isso, é necessário fortalecer a rede de atendimento à criança e ao adolescente e, uma das coisas mais importantes, processo de conscientização da família para romper questões culturais, porque muitos dos problemas da infância e da juventude começam na família, como a violência doméstica e o trabalho infantil", comenta.
A presidente do Comdica defende mais investimentos em políticas públicas, como programas sociais, porque investir na criança e no adolescente significa mais retorno à sociedade. "Precisamos melhor preparar nossos jovens para o mercado de trabalho, garantir educação, saúde de qualidade, enfim, cidadania", diz.

Conselheiro do Conselho Tutelar de Mossoró da 34ª Zona, Flávio Roberto avalia como avanço o fato de o ECA ter colocado em evidência os direitos da criança e do adolescente e que isso ficou claro na sociedade brasileira ao longo dos 21 anos de existência da lei, promulgada em 1990.

"O estatuto fortaleceu direitos e a condição da criança e do adolescente como prioridades absolutas, garantidas no artigo 227 da Constituição Federal, mas colocadas em prática pelo ECA, desde o direito à saúde para as crianças, como a vacinação, até a preparação profissional para os adolescentes", observa o conselheiro.
Outro avanço, esse mais recente, é o fortalecimento dos laços familiares, através do acolhimento não em abrigos, mas acolhimento familiar, implementado pela nova Lei da Adoção, em vigor desde o começo deste ano. "Tem também o estabelecimento de medidas socioeducativas para jovens a partir de 12 anos", destaca.
Mas, segundo o conselheiro, ainda é preciso mais esclarecimentos acerca do Estatuto da Criança e do Adolescente para avanço de políticas públicas, ainda carentes em alguns setores. No caso de Mossoró, essa carência é percebida na falta de um hospital infantil e na precariedade na assistência médica pediátrica na cidade."A insuficiência de preparação profissional é outro problema grave, porque facilita a entrada do adolescente no mundo das drogas; a educação também, sobretudo em relação à educação em tempo integral, que deixa a desejar. Tudo isso precisa ser melhorado", frisa Flávio Roberto. 
Fonte: O mossoroense