i

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Prefeitura de Ipanguaçu irá recolher animais que estiverem soltos nas ruas

O município de Ipanguaçu tem registrado nos últimos anos acidentes constantes que afligem a população da cidade, uma das principais causas são animais soltos nas estradas, com na RN-118, que é a principal via de acesso a cidade. 


O secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Mario Silvério, fala da preocupação do poder público a fim de solucionar o problema, “é constante vermos animais soltos nas proximidades das estradas, muitos donos destes animais, soltam a fim de alimentar seu rebanho, pois encontra alimentação de forma fácil na beiras das estradas, além de muitos deles não terem cercados adequados” relata o secretário. 

Animais serão recolhidos e proprietários serão responsabilizados e autoados. Foto: Meramente ilustrativa. 
A fim de solucionar este problema a Prefeitura através das Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente e de Planejamento e Administração montaram uma equipe de fiscalização para recolher os animais que estiverem soltos nas vias públicas do centro da cidade, RN118 e nas comunidades de Pataxó, Pedrinhas e Arapuá. 

Segundo o secretário a prefeitura já tem feito diversos comunicados aos donos de animais que, mesmo assim insistem em deixá-los soltos nas ruas da cidade, que além de causar acidentes destrói os canteiros entre ruas e avenidas. “Estamos reforçando e apelando aos donos dos animais que mantenham presos em local adequado, pois além de destruir os canteiros nas praças, o risco de destes animais se choquem com veículos é ainda maior, assim atentando contra a vida dos que circulam” frisa Mário. 

A população poderá ajudar na captura dos animais denunciando, a secretaria disponibilizou o telefone (084) 3335-2559 e 9133-9341 para denúncias de animais soltos nas ruas. Os animais encontrados nas ruas, praças, estradas ou caminhos públicos serão recolhidos para um local adequado já montado pela Prefeitura e após três notificações seus proprietários serão responsabilizados e autoados.

Cavalgada de São Pedro

Beneficiários do Programa Minha Casa Minha Vida participam de reunião para melhoria da convivência familiar



A Secretaria de Trabalho, Habitação e Assistência Social promoveu nesta ultima quarta-feira (26) uma reunião com as famílias que serão beneficiadas com as 40 unidades habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida 2 que estão sendo construídas na comunidade de Pedrinhas.

Além de receberem as unidades, os beneficiários participam de reuniões que buscam ações sócias educativas para a melhoria da convivência familiar. A reunião contou com a palestra da Assistente Social, Valeria Faustino.  

Brasil garante vaga na decisão após vitória sobre Uruguai

São Paulo - A seleção foi aprovada em seu teste mais difícil. Ontem, o time de Luiz Felipe Scolari sofreu em campo contra a retranca do Uruguai, contou com pênalti defendido pelo goleiro Julio Cesar e aguentou a pressão dos rivais no final para vencer pelo placar de 2 a 1, graças ao gol de Paulinho, aos 40 minutos do segundo tempo, e avançar à final.
wagner meier/agfi/aeO volante Paulinho subiu bem para marcar o gol da vitória da Seleção Brasileira sobre o UruguaiO volante Paulinho subiu bem para marcar o gol da vitória da Seleção Brasileira sobre o Uruguai

A vitória suada foi aplaudida de pé pelos torcedores presentes no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, onde a seleção sofreu sua última grande vaia - no amistoso contra o Chile, no dia 24 de abril. Desta vez, as arquibancadas vibraram com a defesa de Julio Cesar em pênalti cobrado por Forlán, com a entrada de Bernard no segundo tempo e com a postura guerreira do time nos minutos finais da partida.

O triunfo, que não chegou a ser ameaçado pelas manifestações em Belo Horizonte, garantiu a seleção em sua quinta final da Copa das Confederações. Em busca do tricampeonato consecutivo, os comandados do Felipão aguardam a outra semifinal, entre Espanha e Itália. A final será disputada neste domingo, às 19 horas, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

A partida de ontem foi precedida de uma mensagem e de uma homenagem. Os zagueiros Thiago Silva e Lugano, capitães dos dois times, leram textos de conteúdo antirracista, seguindo campanha antidiscriminação da Fifa. Quando os jogadores estavam postados em campo, a entidade lembrou a morte do camaronês Marc-Vivien Foé. Há exatos 10 anos, ele sofreu um colapso cardíaco e faleceu no gramado durante partida entre Camarões e Colômbia, pela Copa das Confederações de 2003, na França. Uma foto nos telões do Mineirão recordou o episódio trágico que assustou o futebol mundial.

Com a bola rolando, a seleção brasileira logo parou na retranca uruguaia. Os visitantes contavam com até dez jogadores atrás da linha da bola. Os times se estudavam, a marcação dava resultados nos dois lados do campo. E a torcida não tinha motivos para sorrir ou lamentar.

Até que David Luiz endureceu na marcação e fez falta em Lugano dentro da área. Sem hesitar, o árbitro chileno Enrique Osses confirmou o pênalti. Na cobrança, Forlán finalizou no canto esquerdo, mas Julio Cesar fez grande defesa, levantando a torcida mineira, que comemorou como se fosse um gol, aos 14 minutos.

Passado o susto, os brasileiros tentaram responder no ataque. A primeira finalização dos anfitriões só saiu aos 16 minutos em chute de Oscar, de fora da área, por cima do gol. Empurrado pela torcida, o Brasil tentava capitalizar o bom momento, mas não conseguia esboçar pressão.

Os uruguaios fechavam bem pelo meio e aproveitavam a atuação discreta de Oscar para neutralizar as investidas brasileiras pelo setor. Neymar e Hulk, assim, concentravam as jogadas pelas pontas, tentando se esquivar das linhas defensivas do Uruguai. Em seu melhor lance, Hulk tabelou dentro da área e bateu de canhota para longe do gol, aos 27 minutos.

O Brasil também tinha dificuldade na ligação entre defesa e ataque, o que não havia acontecido nos jogos anteriores. Tal limitação só foi superada quando Paulinho acertou belo lançamento e achou Neymar dentro da área. O atacante tentou encobrir Muslera, que deu rebote. Fred, livre dentro da área, pegou mal, de canela, e balançou as redes aos 40 minutos.

Além de marcar seu terceiro gol na competição, o atacante mineiro aumentou a sua incrível média no Mineirão. Agora, ele soma 42 gols em 47 jogos disputados no estádio - a maior parte dos gols, 36, foram anotados com a camisa do Cruzeiro.

A vantagem, contudo, não durou muito tempo. O Uruguai chegou ao empate logo aos 2 minutos da segunda etapa, em uma vacilada geral da defesa brasileira. David Luiz, Marcelo e Thiago Silva falharam em série ao tentar afastar a bola dentro da área e Cavani não bobeou. Acertou o pé e igualou o placar.

O gol preocupou Felipão, que resolveu mudar o meio de campo. Trocou Hulk e Oscar por Bernard e Hernanes, respectivamente. A entrada do jogador do Atlético Mineiro levantou a torcida presente no estádio. As mudanças deram novo fôlego ao Brasil, que acelerou o jogo na tentativa de surpreender a defesa rival. Os jogadores também demonstravam maior nervosismo, com cartões amarelos distribuídos aos dois times.

O time da casa seguia dominando, com até 65% de posse de bola. Mas não criava muito mais jogadas que os uruguaios. Aos 20 minutos, Forlán cobrou falta na área e Thiago Silva quase marcou contra, rente ao travessão.

Aos trancos e barrancos, a seleção respondia com velocidade, mas sem o mesmo perigo. Aos 21 minutos, Fred tentou bater de primeira dentro da área e mandou longe. Dois minutos depois foi a vez de Neymar finalizar colocado e parar na defesa de Muslera.

Depois de seguidas tentativas frustradas, o Brasil superou a defesa uruguaia em lance de bola parada. Aos 40 minutos, Neymar bateu escanteio e achou Paulinho na segunda trave. O volante aproveitou saída atrapalhada de Muslera e cabeceou para as redes, garantindo a vitória e a vaga na decisão.

Estudantes têm até esta quinta-feira para se inscrever no ProUni

O prazo para inscrições no Programa Universidade para Todos (ProUni) termina nesta quinta-feira (27) às 23h59. As inscrições devem ser feitas no site do programa. Inicialmente, o prazo final era o dia 25, mas o Ministério da Educação prorrogou a data. O Prouni oferece bolsas em instituições particulares de ensino superior.


Pode se inscrever o estudante que tenha feito a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e obtido, no mínimo, 450 pontos na média das notas. O candidato não pode ter zerado a redação e deve ter cursado todo o ensino médio na rede pública ou ter tido bolsa integral em escola particular.

Com o adiamento da data para inscrições, o calendário do ProUni foi modificado. O processo terá duas chamadas. O resultado da primeira será divulgado no dia 30, e não mais no dia 28, pela internet. Do dia 1º de julho ao dia 8, o estudante pré-selecionado deverá comparecer à instituição de ensino para comprovar as informações prestadas no momento da inscrição, providenciar a matrícula e, se for o caso, participar de seleção própria da escola.

O resultado da segunda chamada foi transferido para o dia 16 de julho. O estudante terá de 16 a 22 desse mês para comprovar as informações e providenciar a matrícula.Os candidatos não selecionados nessas etapas podem aderir à lista de espera de 26 a 29 de julho. Eles começarão a ser convocados em 2 de agosto.

Nesta edição, serão oferecidas 90.045 bolsas - dessas, 55.693 integrais e 34.352 parciais, no valor de 50% da mensalidade. As bolsas integrais são para os estudantes com renda bruta familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. As bolsas parciais são destinadas aos candidatos com renda bruta familiar de até três salários mínimos por pessoa.

Agência Brasil

Lula convoca jovens para ir às ruas


20130627044650_cv_EleCumpridO jornal o Globo estampa que surpreendido pelas manifestações que tomaram conta do país, o ex-presidente Luiz Inácio Lula tem reunido os movimentos sociais mais próximos do PT para tratar dos protestos. O tom de Lula impressionou os jovens de grupos como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a União da Juventude Socialista (UJS), o Levante Popular da Juventude e o Conselho Nacional da Juventude (Conjuve).
Em vez de pedir conciliação para acalmar a crise no governo, Lula disse que o momento é de “ir para a rua”. Convidados pelo ex-presidente, cerca de quinze lideranças participaram do encontro anteontem, na sede do Instituto Lula, no bairro do Ipiranga, em São Paulo.