i

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Com o tema “A Importância de Brincar”, Prefeitura de Ipanguaçu promove capacitação continuada com professores da Educação Infantil



Brincar é coisa séria. Através de brincadeiras, a criança desenvolve mais que coordenação motora, mas também exercita corpo, mente, suas habilidades visuais e auditivas, além de desenvolver sua percepção de mundo. Essas informações, e muitas mais, foram repassadas aos professores da Rede Pública de Ensino de Ipanguaçu, em mais uma capacitação realizada pela prefeitura do município para a contínua melhoria na educação básica.

“Quando a criança brinca, ela expõe seus sentimentos, suas angústias, medos e alegrias. E, assim, desenvolve suas potencialidades, comparando, analisando, nomeando, medindo, associando, calculando, classificando, criando, deduzindo e, além disso, treinando sua linguagem”, disse a professora e coordenadora da Educação Infantil da Secretaria de Educação de Ipanguaçu, Amailza Fonseca.

O curso, ministrado pela professora Odaílma Siqueira da Silva, capacitou 34 professores da Educação Infantil e supervisores das 10 escolas municipais.

“A prefeitura tem investido na formação dos professores, pois acredita que esta é uma das ações essenciais na busca da melhoria continuada dos índices da Educação Pública na cidade. Já estamos nos reunido com a secretária de Educação, Jeane Dantas, para que no inicio do próximo mês possamos realizar mais uma capacitação, com outros professores e supervisores”, informa a coordenadora.

Del Monte Fresh condenada em R$ 1 milhão


Por Samuel Júnior/ Rabiscos do Samuel

A empresa de fruticultura Del Monte Fresh Producer foi condenada a pagar indenização de R$ 1 milhão por dano moral coletivo. A decisão foi da juíza do Trabalho, Aline Fabiana Campos Pereira, da Vara do Trabalho de Assú.

Pela ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho em 2010, a Del Monte Producer estaria causando graves danos ao meio ambiente e à saúde dos trabalhadores.

Inspeções realizadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego e pelo Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN, ao longo de doze anos, comprovou uma série de irregularidades na produção de bananas, realizada pela empresa norte-americana na região do Vale do Açu.

Entre as principais infrações destacam-se a realização de jornadas excessivas de até 15 horas diárias e a existência de condições de trabalho insalubres, inclusive com exposição dos trabalhadores a agrotóxicos sem uso do equipamento de proteção adequado.

A Del Monte Fresh foi advertida, mas insistiu no descumprimento da lei e não tratou de corrigir as falhas verificadas pelos fiscais do trabalho e da defesa agropecuária.

O pagamento de R$ 1 milhão, a título de dano moral coletivo, deverá ser revertido para uma instituição beneficente a ser indicada pelo MPT-RN.

A Del Monte Fresh possui inúmeras ações trabalhistas na Vara do Trabalho de Assú, chegando a ocupar um terço da pauta das audiências naquele juízo.

Cristoteca em Pataxó