i

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Limpeza do Rio Pataxó será estendida em 50% e segue até o final do mês

Trabalho reduz riscos de enchentes em Ipanguaçu

Uma benção e um tormento. Vital para o desenvolvimento da agricultura, principal atividade econômica do município de Ipanguaçu, o Rio Pataxó, assoreado, tem sido um problema tão grandioso quanto os seus 21 km de extensão. As cheias, cada vez mais frequentes nos últimos 20 anos, desabrigam famílias, impedem o funcionamento de escolas, destroem plantações e abalam fortemente a economia local. Estimasse que a cada inundação os prejuízos financeiros mínimos sejam de cerca de R$ 8 milhões, fora os problemas psicológicos e sociais que acarretam. De forma a minimizar danos no próximo período chuvoso, a prefeitura de Ipanguaçu vem realizando a remoção de vegetação do leito do rio, em parceria com o governo do Estado.

De acordo com o prefeito Leonardo Oliveira, o governo do Estado havia cedido o pagamento de 300 horas de trabalho para que duas máquinas realizassem a limpeza, o que resultou em 08 quilômetros do Pataxó. Esta semana o prefeito conseguiu aumentar em 50% a ajuda, de forma que as máquinas trabalharão mais 150 horas, provavelmente até o final do mês de janeiro. “Essa limpeza, que se soma a que realizamos com recursos próprios desde o ano de 2009, poderá minimizar bastante os riscos de danos caso venha a se repetir um inverno como o do ano passado. Segundo os dados que dispomos, em 2009 as cheias atingiram mais de 1.815 pessoas, em 2011 o numero caiu para menos de 10% desse total, cerca de 160 pessoas”, afirma Leonardo Oliveira.

A remoção da vegetação do leito do Rio Pataxó, apesar de importante e de ter o potencial de reduzir ou até, dependendo do volume das chuvas, evitar danos é uma ação paliativa, lembra o próprio prefeito de Ipanguaçu. “Queremos com essa limpeza minimizar problemas, enquanto a obra de macrodrenagem não é iniciada. Trata-se de um trabalho preventivo”, fala o prefeito.

ProUni tem 700 mil inscritos para disputar bolsas de estudo

Até o meio-dia de hoje (17), o Programa Universidade para Todos (ProUni) já havia recebido inscrições de 733 mil candidatos interessados em uma das 195 mil bolsas de estudo disponíveis para o primeiro semestre deste ano. O processo segue até quinta-feira, exclusivamente pela internet.

Ao acessar o sistema, o estudante pode escolher até duas opções de cursos, indicando sua prioridade. Podem participar do ProUni estudantes que cursaram todo o ensino médio em escola pública ou que estudaram em colégio particular com bolsa integral. Também é necessário ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011 e alcançado pelo menos 400 pontos na média das provas objetivas e não ter zerado a redação.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o maior número de inscrições veio de São Paulo: mais de 280 mil. Em seguida, vêm Minas Gerais, com 165 mil; Bahia, com 96 mil; Rio de Janeiro, com 95 mil; e Rio Grande do Sul, com 94 mil. Do total de bolsas oferecidas, 98 mil são integrais e 96 mil, parciais, que custeiam 50% da mensalidade. O benefício integral é destinado àqueles com renda familiar per capita mensal de até 1,5 salário mínimo. As bolsas parciais podem ser pleiteadas por quem tem renda familiar per capita de até três salários mínimos

A lista dos aprovados em primeira chamada está prevista para 22 de janeiro. Os selecionados deverão comparecer à instituição de ensino onde conseguiram a bolsa no período de 23 de janeiro a 1° de fevereiro para apresentar a documentação necessária e providenciar a matrícula. Após esse processo de confirmação, será divulgada a segunda chamada no dia 7 de fevereiro. Ao fim das duas chamadas, o sistema vai gerar uma lista de espera para preencher as bolsas remanescentes. Os interessados em participar dessa lista deverão fazer o pedido no próprio site do ProUni entre 22 e 24 de fevereiro.

*Fonte: Agência Brasil

Prefeito de Ipanguaçu vai a programa de rádio e diz que situação da saúde era precária

Foi ao ar ontem (16) o primeiro programa Ipanguaçu em Debate, programa que teve como entrevistado o prefeito do município, Leonardo Oliveira(PT).

O Prefeito Leonardo Oliveira durante a entrevista fez um rápido balanço sobre os três anos a frente do poder publico, destacou a incansável luta sobre a problemática do Rio Pataxó que vem afetando a população há anos, e se mostrou otimista com o trabalho de limpeza do rio onde já ultrapassa mais de 10 km. “Nosso povo sofreu muito com esse rio, aos poucos vou conseguindo limpar e trazer a tranquilidade, só não entendo com os gestores foram tão omissos” revela o prefeito. 
 
Indagado sobre o principal problema enfrentado a frente do poder público o prefeito destacou quem alem do rio pataxó, a saúde pública do município estava em situação precária, “os profissionais se quer tinham a estrutura básica para trabalharem, postos de saúde pelas comunidades fechados e sem funcionar. Hoje conseguimos mudar essa realidade, e vamos continuar trabalhando” destacou o prefeito. 

Sobre o meio político os apresentadores perguntaram ao prefeito como ele avalia está com o maior grupo político nos últimos 30 anos. Leonardo disse que não tem intriga política e pessoal com ninguém e destaca que isso representa o reconhecimento das pessoas pelo trabalho a frente do poder público, “Estou trabalhando para a população de Ipanguaçu, não tenho nenhum compromisso pessoal ou familiar, meu trabalho esta voltando para o povo, e é assim que deve ser” frisou Leonardo. 

O programa Ipanguaçu em Debate vai ao ar pela rádio local, FM Sacramento, de segunda a sexta das 17 ás 18hs, com a apresentação de Joildo Lobato e Keyson Cunha.


E nesta terça (17) o entrevistado é o presidente do sindicato dos trabalhadores rurais, João das Peças.

Prefeito de Ipanguaçu destaca ações que objetivam prevenir risco de eventual inundação

Segundo o prefeito da cidade de Ipanguaçu, Leonardo da Silva Oliveira, do PT, tem tido toda a preocupação no sentido de agir preventivamente com o intuito de fazer o que for possível para evitar que o município volte a padecer os problemas que foram registrados nos últimos períodos invernosos. Falando sobre esta questão, o prefeito municipal disse que, a partir da instituição desta mentalidade, já foi possível diminuir consideravelmente os prejuízos em Ipanguaçu durante a época das chuvas em 2011. O chefe do Executivo ipanguaçuense se expressou acerca de tal temática, numa matéria cedida à reportagem da Rádio Princesa do Vale, destacando a importância do trabalho a fim de evitar futuras inundações. Ainda tecendo considerações sobre o trabalho que tem por fim garantir que diminuam os riscos de futuros alagamentos na cidade, o prefeito de Ipanguaçu se reportou acerca da ação que tem se voltado para a limpeza do leito do rio Pataxó, destacando a importância da participação do Governo do Estado, por intermédio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos.
 
Fonte: Rádio Princesa do Vale

Dilma Rousseff afirma que desenvolvimento do Brasil depende de investimentos em educação

dilma_5Brasília - A presidenta Dilma Rousseff disse ontem que o desenvolvimento do país depende da educação. No programa semanal Café com a Presidenta, ela destacou a democratização do acesso ao ensino superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e do Programa Universidade para Todos (Prouni). Juntas, as iniciativas contabilizam mais de 300 mil vagas abertas desde o início do ano.

"O desenvolvimento do país depende da educação e por isso esses programas são tão importantes, são tão estratégicos para o jovem, para a sua família e, sobretudo, para o Brasil", disse. "Nossa intenção é garantir a todos os jovens que queiram frequentar a universidade uma chance, uma oportunidade", completou.

Dilma lembrou que o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) permite que o estudante financie até 100% da mensalidade, com juros de 3,4% ao ano. O programa prevê ainda que o aluno só comece a pagar o empréstimo um ano e meio após o término da faculdade. O prazo é três vezes mais que a duração do curso.

Além disso, segundo a presidenta, jovens que optarem por cursos de licenciatura ou de medicina e que forem trabalhar dando aulas em escolas públicas ou atendendo pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) em locais em que há carência de médicos poderão ter o débito do Fies reduzido.

"A educação é a principal ferramenta para a conquista dos sonhos de cada um e também para que o Brasil continue crescendo, distribuindo renda, para que seja um país dê oportunidade para todas as pessoas. Nada é mais importante que a educação quando se trata de distribuição de renda e de garantia de futuro", concluiu Dilma.

Presidenta reunirá ministros na próxima semana
A presidenta Dilma Rousseff fará na próxima semana a primeira reunião ministerial do ano, com titulares das 38 pastas do governo. É a segunda vez que Dilma reunirá todos os ministros. Em 2011, o encontro ocorreu apenas uma vez, em 14 de janeiro.

A reunião está programada para a próxima segunda-feira (23). Antes, ministros de áreas afins farão encontros setoriais, para adiantar o que será apresentado no encontro geral. As reuniões setoriais devem ocorrer entre a quinta-feira (19) e a sexta-feira (20), de acordo com o Palácio do Planalto.

As reuniões prévias com os ministérios estão divididas em grupos setoriais com temas como infraestrutura, economia, direitos humanos e políticas sociais.

A reunião ministerial deve ser a última com a atual equipe, já que alguns ministros devem deixar o governo para concorrer às eleições municipais, entre eles o ministro da Educação, Fernando Haddad, que deve ser candidato em São Paulo, e a ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Iriny Lopes, que deverá concorrer à Prefeitura de Vitória.

Paula Laboissière
Agência Brasil