i

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Desfile cívico marca o 07 de setembro em Ipanguaçu

Centenas de crianças, adolescentes e jovens desfilaram em Ipanguaçu nesta quarta-feira (07), dia em que se comemora a Independência do Brasil, o orgulho de serem brasileiros. Pela principal avenida do município,a Luiz Gonzaga, muitas pessoas acompanharam o ato de patriotismo promovido pela Prefeitura de Ipanguaçu. Além dos alunos de dezenas de escolas das redes municipal e estadual, também participaram do desfile jovens e crianças beneficiados por projetos e programas mantidos pelo Poder Público Municipal.

O prefeito Leonardo Oliveira parabenizou a todos que participaram e prestigiaram o desfile cívico de 07 de setembro. “Foi um momento lindo, que há anos não se via e que enche os nossos olhos, pelo exemplo de patriotismo. Uma marca de amor e respeito que deve ser valorizada como tradição que não pode ficar esquecida no passado”, disse Leonardo.

Após o desfile cívico, o prefeito Leonardo Oliveira; a secretária de Educação, Jeane Dantas; e o vereador licenciado João Batista Timóteo da Costa hastearam as bandeiras ao som da Banda Filarmônica Municipal Elizaldo Rodrigues dos Santos.

Leonardo ressaltou ainda que o governo municipal tem investido e agido de forma a resgatar a “independência dos ipanguaçuenses”. “Temos investido em qualificação e fomentado a economia local, comprando e contratando serviços em Ipanguaçu o máximo possível. E essas atitudes tem dado resultado. Prova disso é o numero de negócios que estão sendo abertos em nosso município: 60% dos empreendimentos em Ipanguaçu são novos, abertos recentemente, um número recorde em 62 anos de história de nosso município”, apontou o prefeito.



As fotos você confere no link abaixo. 

Impasse segue sem perspectiva de resolução e Justiça deverá definir rumos do movimento

Nesta quinta-feira a greve dos docentes e técnicos administrativos da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) completa 100 dias, mas ainda sem uma luz no fim do túnel. O impasse mantém-se entre os grevistas e o Governo do Estado, pois a proposta apresentada não satisfaz o comando de greve e a administração estadual afirma não poder modificá-la neste momento.

Governo do Estado aguarda decisão do Tribunal de Justiça sobre ilegalidade Foto:Fábio Cortez/DN/D.A Press
O principal pedido do comando de greve é a reposição dos índices da inflação sobre o aumento proposto pelo governo, o que o secretário estadual de administração Anselmo Carvalho afirma não poder realizar. Os componentes da UERN também pedem que a verba utilizada para administrar a instituição seja liberada e uma pauta de reivindicação dos estudantes seja atendida. A pendência entre os grevistas e o Governo do Estado deverá ser resolvida nos tribunais de justiça, pois desde o final de agosto o pedido de ilegalidade da greve feito pelo Estado encontra-se no Tribunal de Justiça para ser julgado.

"Não nos foi garantido nada em relação ao que pedimos. O impasse continuará até que o Governo do Estado resolva nos atender ou fazer algo em relação à universidade, como a liberação dos recursos contingenciados que seriam utilizados na UERN", afirma Telma Gurgel, representante do comando de greve, que reúne mais de mil professores, nos campi de Natal, Mossoró, Caicó, Pau dos Ferros, Assu e Patú.

Segundo Telma, os grevistas aguardam para que uma nova proposta e novas negociações com o Governo e que elas apresentem algo além do parcelamento dos 23,8% de aumento oferecido de forma escalonada, sendo 10,65% em abril de 2012; 7,43% em abril de 2013; e 7,43% em abril de 2014. "Queremos, acima deste aumento, uma reposição do índice inflacionário, o que o governo não quer nos dar. Lamentamos que, por isso, o impasse tenha ido parar na justiça, com o pedido de ilegalidade da nossa greve", disse Telma.

Sobre a recente declaração da governadora Rosalba Ciarlini sobre os gastos com a universidade, Telma conta que a categoria recebeu-a com bastante tristeza. "Nunca houve cumprimento total do orçamento da UERN e governadora dizer que todo aquele montante de dinheiro é um gasto, causa indignação. Somos uma das universidades mais baratas do Nordeste, mas já que a governadora Rosalba não quer investir em educação superior pública de qualidade não se pode fazer nada", lamentou.

A decisão dos desembargadores componentes do Pleno do Tribunal de Justiça ainda não tem data para ser proferida, mas ambas as partes já apresentaram seus argumentos e aguardam a sinalização da justiça para uma solução. Uma reunião informal entre representantes do Governo do Estado, do comando de greve e do Tribunal de Justiça chegou a acontecer esta semana, mas não consegui destravar as negociações. Segundo o titular da Secretaria de Estado de Administração e Recursos Humanos (Searh), a posição do governo neste momento é aguardar a decisão dos magistrados. "Estamos apenas esperando o que a justiça irá decidir quanto ao pedido de ilegalidade da greve feito em agosto. E aguardamos que isto aconteça o quanto antes, pois esta greve traz grandes prejuízos ao Estado", explicou Anselmo Carvalho.

De acordo com o secretário, a rejeição da proposta pelos professores e técnicos administrativos, atravancou as negociações. "Logo no início, diferente do que eles dizem, apresentamos a proposta de que a concessão do aumento fosse aceita e depois continuaríamos com as conversas. Mas, com a recusa total, tudo ficou travado", afirmou o titular da Searh. Até o momento, segundo Anselmo, a proposta continua a mesma, com a divisão do aumento e sem reposição da inflação, pois o governo não tem condições de apresentar outra situação diferente desta. 
 
Por Paulo Nascimento //  Diário de Natal

Em dois anos, Prefeitura de Ipanguaçu qualifica profissionalmente mais de 11% da população do município

Qualificação: a palavra-chave para explicar o motivo de sobrarem empregos e desempregados no Brasil. Ciente de que os poderes públicos podem – e devem – influenciar positivamente para reverter este quadro, a Prefeitura de Ipanguaçu, através da Secretaria de Assistência Social, já qualificou mais de 11% da população do município nos últimos dois anos e nove meses, em áreas distintas de atuação profissional.

Apenas nesta semana, 117 pessoas foram certificadas como aptas a exercerem no mercado de trabalho atividades ligadas à construção civil ou que requeiram habilidades de informática. Na última terça-feira, 06, no Centro Integrado da Cidadania (CIC), houve a entrega de 60 certificados de conclusão do curso de Informática Básica. Na mesma data, na Câmara Municipal, mais 57 pessoas receberam certificados dos cursos de pedreiro azulejista e gesseiro pintor.

Com o diploma em mãos e qualificados, a expectativa de inserção no mercado de trabalho é grande por parte dos alunos. Para a aluna Franksmenia Bezerra de Oliveira, que concluiu o curso de gesseiro pintor, o curso tem o potencial de lhe abrir portas. “Valeu a pena toda a dedicação, pois foi um bom curso, bem completo. Com um diploma desses a gente tem como comprovar experiência teórica e prática, e isso é importante para ingressar no mercado de trabalho”, afirma.

A mesma confiança é demonstrada por Eriberto Pereira dos Santos, de 33 anos, morador do bairro Veneza, aluno de Informática. “Antes eu não sabia nem pegar no teclado e hoje consigo fazer muita coisa. Essa oportunidade foi válida e vou colocar em pratica no mercado de trabalho”, diz.

Segundo a secretária de Assistência Social, Cristina Oliveira, os cursos são elaborados com base nas carências do mercado local e das necessidades da população. “A informática, atualmente, é essencial. Hoje o computador é muito importante na vida das pessoas, e elas devem estar prontas para manuseá-lo. Nosso Telecentro, inclusive, passará por reforma para poder atender mais pessoas com novos cursos. A construção civil, então, é uma área que está muito aquecida em todo o país e os alunos, certamente, não terão dificuldades para serem absorvidos pelo mercado”, informa Cristina.

De fato, os cursos são bastante completos. O de informática tem, inclusive, módulos de introdução ao Linux (sistema operacional de código livre que, por ser gratuito, tem sido bastante utilizado em órgãos públicos e na iniciativa privada) e ao pacote Open Office, que tem softwares de Editor de Textos, Planilha de Cálculos e Editor de Apresentação, também gratuitos e de uso muito difundido no mercado.

Já os da construção civil, além dos ensinamentos técnicos peculiares a cada área, fornecem aos alunos noções de Legislação Trabalhista; Segurança do Trabalho; Empreendedorismo; Tecnologia da Informação e Meio Ambiente.

De acordo com o prefeito Leonardo da Silva Oliveira, os certificados são de reconhecimento nacional. “Estamos qualificando homens e mulheres para que possam trabalhar em qualquer lugar do país. Falando especificamente sobre os cursos de construção civil, fruto de uma parceria com o Ministério do Trabalho e emprego, cada certificado tem a chancela do Governo Federal. Nossos alunos poderão ser aproveitados tanto no município como em obras além dos limites de nossa cidade”, informa o prefeito.

No momento, revela o prefeito Leonardo, a prefeitura está planejando a oferta de novos cursos para ofertar à população ainda este ano. A notícia anima o instrutor de Informática Antônio Firmino, que procurou no passado uma oportunidade de qualificação na área em que hoje atua, mas não encontrou. Por meio de muito estudo, revela Firmino, conseguiu ingressar no campus ipanguaçuense do Instituto Federal de Educação e Tecnologia do RN (IFRN), onde se graduou no curso técnico de Informática. “Não desisti, entrei no IFRN e consegui concluir meu curso de Informática. Hoje fico feliz de estar na função de professor e formar minha primeira turma, compartilhando conhecimentos”, frisa.

Mais fotos no link abaixo.

Empresas do mensalão do DEM terão de devolver R$ 241 mi


A Justiça do Distrito Federal condenou seis empresas a devolver aos cofres públicos R$ 240,8 milhões por contratos firmados sem licitação no esquema que originou o mensalão do DEM.

A decisão, de 24 de agosto, é a primeira envolvendo valor como esse no caso de empresas suspeitas no escândalo que levou à prisão o ex-governador do DF José Roberto Arruda.

O suposto esquema, denunciado por um secretário do governo do DF, tratava-se de pagamento de propina de empresários a integrantes do governo.

Ficou célebre pelos vídeos que mostraram Arruda e outros envolvidos recebendo pacotes de dinheiro em seus gabinetes.

- Publicado por Robson Pires,

Nova lei obriga escolas a ensinar sobre hino e bandeira do Brasil

Sancionada pela presidente Dilma Rousseff a lei que cria o estudo obrigatório dos símbolos nacionais — a bandeira, o hino, o brasão de armas e o selo nacional do Brasil.

O estudo obrigatório dos símbolos foi incluído na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), no mesmo artigo que determina que no ensino fundamental o aluno deverá ter “pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo”, e “compreensão dos valores em que se fundamenta a sociedade”, entre outras diretrizes.