i

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Prefeito participa de Fórum do Sindicato dos Servidores Públicos do município

O prefeito de Ipanguaçu Leonardo Oliveira participou na manhã desta terça-feira (16) do I Fórum do Sindicato dos Servidores Públicos de Ipanguaçu, que teve como tema “A humanização no serviço público”. O evento, realizado na Câmara Municipal, teve como objetivo incrementar a comunicação e interação entre os profissionais das diversas áreas do serviço público e com a população. O evento é promovido pelo Sindicato dos Servidores Públicos de Ipanguaçu (SINDISEPI).

No fórum ocorreram apresentações de diversas palestras, tais como: “O relacionamento e o emocional no processo de humanização do serviço público”, mediado pela psicopedagoga Maria de Lourdes Varela; “Ética e política pública”, pelo Pe. Edson Costa Galvão, e “Direitos humanos”, pela Dra Michele Cardin.

“É importante, nos diversos setores da sociedade, que se reconheça o espaço onde transitamos, o espaço de formação. E propor a cada um a melhoria na qualificação profissional e o respeito à ética”, disse Serjane Araujo, presidente do SINDISEPI.

Para o prefeito Leonardo Oliveira o fórum é muito importante para a melhoria dos serviços públicos prestados à população. Leonardo enfatizou ainda que continuará estabelecendo uma comunicação direta e regular com os servidores. “Tenho orgulho de ser o prefeito que instituiu algumas das maiores conquistas para os servidores ipanguaçuenses, como pagamento no mês trabalhado do plano de cargos e salários. Reafirmou que continuaremos governando com responsabilidade avançando, dentro do possível, na qualificação e promoção dos servidores de Ipanguaçu. Esta sintonia entre o executivo e as entidades representativas dos servidores e movimentos sociais é que permitirá ao município resolver de forma sólida e permanente os problemas e desafios que enfrentamos”, frisou.

O evento contou com a participação do Vereador Juan Montenegro; da Secretária de Educação, Jeane Dantas; do secretário de Finanças Washington Fonseca; secretário de Esporte e Lazer Marcos Oliveira, entre outros servidores públicos.

Mais de 24 mil famílias do RN podem ter Bolsa Família cancelado

Prazo para atualização cadastral, uma das condições para manter no programa do Governo Federal, vence em menos de três meses.

Até 31 de outubro, 24.076 famílias beneficiárias do Bolsa Família no Rio Grande do Norte deverão procurar os gestores do programa e efetuar a atualização dos dados para evitar o bloqueio do benefício.

Em todo o País, o programa de transferência de renda atende 12,9 milhões de famílias. Desse total, cerca de 1,3 milhão foram convocados a passar pelo processo de revisão cadastral no início de 2011 porque estavam há mais de dois anos sem atualizar seus dados.

No Rio Grande do Norte, o programa atende 340.663 famílias. De janeiro a julho, cerca de 7.870 benefícios foram atualizados. Nesse processo são informadas, por exemplo, mudança de endereço ou de renda, localização da escola dos filhos para acompanhamento da frequência escolar e composição familiar são informações fundamentais para a boa gestão do programa.

Segundo o Ministério de Desenvolvimento Social, os dados do cadastro devem retratar a realidade dos beneficiários, para garantir que o Bolsa Família chegue à parcela da população com renda per capita de até R$ 140. Caso o cadastro não seja feito o pagamento do benefício será suspenso a partir de Novembro.

O estado com maior volume de cadastros revisados é São Paulo, seguido por Minas Gerais e Bahia. Mais de 120 municípios já finalizaram o processo de revisão cadastral de 2011. Outras cidades estão empregando todos os recursos disponíveis para buscar os beneficiários que estão há dois anos ou mais sem renovar informações e ainda não procuraram a gestão municipal.

Fonte: Nominuto.com/ Por Rayane Guedes

Prefeito de Ipanguaçu reativa e empossa Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural e Sustentável

O prefeito Leonardo Oliveira empossou na manhã desta terça-feira (16) os novos membros do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural e Sustentável, que estava desativado há anos. A cerimônia aconteceu no Centro Integrado de Cidadania (CIC).

Segundo o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Jaíres Azevedo, o conselho foi reativado de forma a contemplar as necessidades dos agricultores ipanguaçuenses. “Através deste conselho poderemos resgatar e criar projetos para beneficiar os pequenos produtores de nosso município, que desempenham um papel fundamental na nossa economia”, destacou o secretário.

O Conselho, cuja missão é de contribuir efetivamente para o aumento da produção agropecuária, geração de emprego/renda e melhoria da qualidade de vida das famílias rurais, é formado por representantes do Poder Executivo Municipal, Poder Legislativo Municipal, Emater, Sindicato Rural, Associação de Moradores de Comunidades Rurais e Associação de Pequenos Produtores. O mandato dos membros é de dois anos, permitida uma única reeleição. e tem como missão acompanhar a implantação de ações e projetos na zona rural.

Graças a iniciativa inédita no Brasil, Governo Federal convida professora de Ipanguaçu para evento em Brasília

Convidada pelo Governo Federal, a professora Aloma Dayane, da rede municipal de ensino de Ipanguaçu, vai participar do I Seminário da Olimpíada de Língua Portuguesa, que será realizado em Brasília nos próximos dias 29 a 31 de agosto. Apenas três municípios dos 167 do Rio Grande do Norte tiveram representantes convidados no evento, que reúne professores de todo o país: Ipanguaçu, Natal e Pau dos Ferros. Estes dois últimos municípios serão representados pelas professoras Tânia Aires e Diana Mendes, respectivamente.

A professora ipanguaçuense, que foi coordenadora municipal das Olimpíadas de Língua Portuguesa do ano passado, competição que ocorreu em todos os municípios do Brasil, participará na qualidade de debatedora dos temas apresentados no evento. Mais duas professoras iram representar o Rio Grande do Norte no evento, Tania Maria Aires da cidade de Natal, Diana Mendes de Pau dos Ferros.

Em Ipanguaçu, a Olimpíada de Língua Portuguesa reuniu alunos e professores de 16 escolas em torno da competição, que tem por objetivo desenvolver ações para a ampliação do conhecimento e aprimoramento da escrita. Muito mais que um concurso de textos, a Olimpíada é uma oportunidade para o aperfeiçoamento de professores e uma ocasião especial para que os alunos possam desenvolver as práticas de leitura e escrita.
Professora Aloma Dayane representará o município em seminário federal 
em Brasilia. Foto: Keyson Cunha 

De acordo com Aloma Dayane, o convite do Governo Federal deve ter sido motivado pelo interesse que o Ministério da Educação demonstrou em um diferencial espacial da aplicação das olimpíadas em Ipanguaçu. “Quando concluímos as olimpíadas, decidimos publicar todos os textos vencedores dos nossos alunos. Esta é uma iniciativa única no Brasil. Os livros estão dispostos nas bibliotecas das escolas municipais e cada aluno vencedor foi presenteado com a obra. Acreditamos que, dessa forma, estamos incentivando ainda mais o hábito da leitura e da escrita. Os alunos vencedores estão orgulhosos e os que não venceram estão motivados, pois querem ter seus nomes e textos registrados no próximo livro”, disse a professora.

O I Seminário da Olimpíada de Língua Portuguesa tem o objetivo de promover, no âmbito das próximas edições da Olimpíada de Lingua Portuguesa, uma reflexão tanto sobre práticas didáticas e de formação docente quanto sobre pesquisas a respeito, assim como, estabelecer um diálogo entre orientações oficiais, de um lado, e, de outro, pesquisas, práticas de ensino e de formação docente de todo o País. Em três dias de encontro, os convidados participarão de conferências com especialistas; relatos de práticas de sala de aula e de formação docente; apresentações de pesquisas sobre a Olimpíada ou sobre o programa Escrevendo o Futuro e grupos de trabalho.

Ao todo, participarão do Seminário 400 convidados, entre professores de alunos semifinalistas da Olimpíada, técnicos da secretaria de educação que realizam ações de formação em língua portuguesa e pesquisadores acadêmicos.

A Olimpíada de Língua Portuguesa é realizado pelo Ministério da Educação (MEC) e pela Fundação Itaú Social, com coordenação técnica do Centro de Estudo e Pesquisa em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), e tem como parceiros na execução das ações: Todos pela Educação, Canal Futura, Conselho Nacional de Secretários de Educação - Consed - e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação - Undime.

Iberê diz que tem novo tumor e anuncia cirurgia


Iber-Ferreira-no-Srio-Libans-Maro-2010-Small-300x199
Do ex-governador Iberê Ferreira (PSB), na manhã de hoje (16), através do seu endereço na rede de microblogs Twitter:
"Amigos, estou diante de mais um desafio. Em São Paulo, descobri novo tumor, esse bem pequeno e na área periférica do cérebro. Farei cirurgia logo mais".
E acrescentou: “Conto com as orações de todos vocês. Tenho muita fé e confio que Deus irá me ajudar a vencer mais essa batalha”.
Com informações do Blog do Carlos Santos.
Do ex-governador Iberê Ferreira (PSB), na manhã de hoje (16), através do seu endereço na rede de microblogs Twitter:
"Amigos, estou diante de mais um desafio. Em São Paulo, descobri novo tumor, esse bem pequeno e na área periférica do cérebro. Farei cirurgia logo mais".
E acrescentou: “Conto com as orações de todos vocês. Tenho muita fé e confio que Deus irá me ajudar a vencer mais essa batalha”.
Com informações do Blog do Carlos Santos.
Fonte: O mossoroense 

Nível de pobreza é critério para seleção de cidades que vão receber 120 novas escolas técnicas


escola-tecnica-ms
Os 120 municípios que vão receber as novas escolas técnicas do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) foram selecionados a partir de diversos critérios, entre eles, o percentual da população em extrema pobreza. Foram privilegiadas cidades muito populosas e com baixa renda per capita, além daquelas que apresentaram resultados ruins em avaliações como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e têm um percentual maior de jovens atrasados na escola. O anúncio das cidades que serão atendidas será feito hoje (16) pela presidenta Dilma Rousseff.
A Bahia é o estado que vai receber o maior número de escolas técnicas: nove, no total, nos municípios de Santo Antonio de Jesus, Lauro de Freitas, Euclides da Cunha, Juazeiro, Brumado, Alagoinhas, Xique Xique, Itaberaba e Serrinha. Em seguida vem o Maranhão (oito escolas), São Paulo (oito escolas), Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro (sete escolas). Todas as 26 unidades da Federação receberão pelo menos uma nova unidade que será administrada pelos institutos federais locais já existentes.
Além das 120 novas escolas, a presidenta Dilma irá inaugurar 88 unidades que começaram a ser construídas ainda no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A previsão, segundo o Ministério da Educação (MEC), é que todas as escolas estejam funcionando até o fim de 2014. O esforço faz parte do plano do governo federal de ampliar a oferta de educação profissional. Além do aumento das vagas nos institutos federais, o Pronatec prevê a distribuição de bolsas de estudo em instituições privadas de ensino.
Fonte: Agência Brasil

Prefeito solicita recursos para dique

 prefeito Leonardo Oliveira, de Ipanguaçu, conseguiu a liberação de R$ 7,3 milhões para desobstruir o rio Pataxó e reduzir as chances de haver inundações na cidade. No Alto do Rodrigues, o prefeito Eider Medeiros disse que viajou no início deste mês de agosto a Brasília para agilizar a liberação de aproximadamente R$ 6 milhões para construir um dique.
Assim como Ipanguaçu, a cidade do Alto do Rodrigues teve mais de 30% da cidade inundada durante as cheias do rio Piranhas/Açu em 2008 e 2009. As inundações se repetiram, em menor escala, em 2011. Segundo o prefeito, a experiência dos moradores e a prevenção feita pela Equipe de Defesa Civil reduziram o impacto social e o prejuízo da população.

As cidades de Porto do Mangue, Carnaubais, Assú e Pendências, todas do Vale do Açu, também sofreram com a cheia do Piranhas/Açu em 2008 e 2009. Todas, assim como Alto do Rodrigues e Ipanguaçu, receberam investimentos na recuperação dos prejuízos, muito embora os moradores destas cidades não observem como suficiente para atender a todos.
O prefeito Ivan Júnior, de Assú, por exemplo, disse que investiu aproximadamente R$ 5 milhões na recuperação da estrutura da cidade, mas o prejuízo total foi superior a R$ 100 milhões. O prejuízo deve ter sido algo parecido em Ipanguaçu, especialmente na produção de banana e manga. Carnaubais, Pendências e Porto do Mangue também tiveram prejuízo.
No Alto do Rodrigues, os maiores problemas enfrentados pela população de aproximadamente 12 mil habitantes é no bairro Alto São Francisco. As casas deste bairro são inundadas pela água da lagoa, que sobe com a cheia do rio Piranhas/Açu. O prefeito Eider Medeiros também observa que a água só entra na cidade devido à obstrução do leito do rio Piranhas/Açu.

Ou seja, não basta investir no dique para reduzir a inundação, é preciso, segundo o prefeito Eider Medeiros, que os prefeitos do Vale do Açu trabalhem junto no sentido de conseguir no Ministério da Integração Nacional os recursos necessários para recuperar a mata ciliar e desobstruir o leito. Semana passada, o prefeito Ivan Júnior esteve em Recife participando de reunião com a Defesa Civil Nacional, tratando de elaborar metas para projetos que reduzam os impactos naturais no País.

Na ocasião, o prefeito Ivan Júnior pediu que a Defesa Civil Nacional agilizasse a realização de projeto e liberação de recursos para desobstruir o leito do rio Piranhas/Açu. O mesmo pensa o prefeito Leonardo Oliveira, de Ipanguaçu, e também Eider Medeiros, do Alto do Rodrigues. Os prefeitos de Porto do Mangue e Pendências, não se sabe a opinião deles em relação a assunto.

Fonte: Jornal DE Fato

Anac analisa falhas na cerca de proteção

Os frequentes casos de invasão de animais à pista do Aeroporto Dix-sept Rosado estão sendo analisados pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), através do 3° Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA III), enviou parecer técnico a Anac sobre o problema.

A assessoria de imprensa da Anac informa que o parecer está sendo analisado. Entretanto, "a Anac ainda não tem opinião definida quanto às violações às superfícies de proteção do Aeroporto Dix-sept Rosado", adianta a assessoria de imprensa.

Técnicos da Anac podem retornar a Mossoró para verificar in loco o problema, que pode resultar em sanções ao Aeroporto. "O parecer técnico mostra evidências de que a cerca de proteção esta sujeita à invasão de animais", reforça a assessoria de imprensa, sem informar que tipos de sanções podem ser aplicadas ao Aeroporto.

O acesso de animais à pista de pouso e decolagem do Aeroporto Dix-sept Rosado é algo corriqueiro, sendo um problema antigo.

A cerca de proteção do entorno do Aeroporto apresenta muitas falhas, sendo facilmente superada pelos animais.
Pousos e decolagens já foram abortados por conta da presença de animal na pista.
O diretor regional do Departamento de Estradas de Rodagem do Rio Grande do Norte (DER/RN), Newton Rêgo, reconhece o "problema antigo", mas garante que providências estão sendo tomadas. "Sempre que aparece um buraco na cerca a gente vai lá e fecha", declara.

Newton Rêgo justifica que não se trata de um problema exclusivo do aeroporto de Mossoró. "Você vai a Fortaleza e encontra o mesmo tipo de problema no aeroporto de lá", compara.
O diretor acrescenta que a localização do aeroporto, "entre duas favelas", potencializa o problema.

Entretanto, Neyton afirma que um projeto está sendo preparado pelo Governo do Estado, na Secretaria Estadual da Infraestrutura, para restaurar o aeroporto. "É coisa para esse ano ainda", garante.

A reportagem tentou falar sobre o projeto com a secretária estadual da Infraestrutura, Kátia Maria Cardoso Pinto, mas não conseguiu.

PROFAA
O acesso de animais à pista do aeroporto é um problema que já deveria ter sido sanado. Por duas oportunidades, o Governo do Estado desperdiçou recursos enviados pelo Governo Federal, através do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos (PROFAA). Em 2008, foram mais de R$ 1,6 milhão que não foi liberado porque o Estado não atendeu os requisitos necessários.

Fonte: MAGNOS ALVES
Da Redação do Jornal de Fato