i

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Águas das enchentes de Ipanguaçu apresentam riscos à saúde, revelam exames

Secretaria de Saúde do município alerta população sobre bactérias e teme surto de dengue

A Prefeitura de Ipanguaçu recebeu nesta segunda-feira (09) um laudo com o resultado de exames realizados em amostras de água colhidas em lagoas formadas pelas inundações do Rio Pataxó. Assina o documento a II Unidade Regional de Saúde Pública (II URSAP), que enviou uma equipe técnica ao município no último dia 03 de maio. O resultado é preocupante.

De acordo com os exames, há grande índice de contaminação nas amostras colhidas em três localidades: nos bairros Ubarana e Maria Romana e na comunidade Olho d’água.


Segundo a enfermeira da secretaria de Saúde Pública de Ipanguaçu, Aline Gomes, entre as principais doenças causadas pelo uso de água contaminada está a gastroenterite, uma inflamação causada pela bactéria Escherichia coli e que se caracteriza pela ocorrência de diarreia. A enfermeira explica que essa bactéria está presente quando existe na água a presença de fezes, humanas ou de animais. A contaminação da água pela urina do rato, que possui a bactéria causadora da Leptospirose, também é um risco à saúde. A contaminação das águas por fezes também pode ocasionar a presença de parasitas, provocando doenças como a cólera ou até mesmo virais, como a hepatite A.

A secretaria de Saúde de Ipanguaçu recomenda especialmente aos pais que fiquem atentos às crianças, para que elas não tenham contato com a água. É preciso prestar também muita atenção ao alimento que chega à mesa, evitando, por exemplo, o consumo de peixes contaminados. “Independente da idade, qualquer um pode ficar doente, por isso deve-se evitar qualquer contato com essas águas das enchentes”, afirma a enfermeira Aline Gomes.

Para a secretária municipal de Saúde, Sumaira Fonseca, não se pode descartar nem mesmo a ocorrência de doenças mais raras, como a febre tifoide. “Estamos realizando uma rigorosa monitoração, enviando, inclusive, equipes médicas às comunidades isoladas, de canoa. A população pode ficar tranquila, pois tomaremos as medidas que forem necessárias. Também iremos alertar aos ipanguaçuenses sobre os riscos que essas águas representam, com campanhas informativas e panfletos” disse.

E se as doenças raras preocupam, a dengue é que não passa despercebida. Com as dificuldades causadas pelas inundações ao controle dos focos de proliferação do mosquito, já que há grandes lagoas de água parada em vários pontos da cidade, a secretária Sumaira teme que possa ocorrer em Ipanguaçu um grande surto de dengue. A recomendação, neste caso, é que moradores e voluntários se previnam, fazendo um esforço extra na vigilância contra o mosquito e, se possível, utilizando repelentes que contenham DEET em concentração superior a 35%.

Usuários do SUS terão cartão válido em todo o Brasil

O Ministério da Saúde começa a implantar uma base nacional de dados que permitirá a identificação dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), por meio de um número único, válido em todo o país. O sistema será composto pelo Cartão Nacional de Saúde, pelo Cadastro Nacional de Usuários do SUS e pelo Portal de Saúde do Cidadão, que deverá ser lançado no segundo semestre deste ano.

Com o formato de um cartão de crédito, o novo Cartão Nacional de Saúde trará uma etiqueta com dados pessoais do usuário e o número fornecido pelo Ministério da Saúde. As secretarias estaduais e municipais de Saúde que já têm algum tipo de sistema integrado de registro de dados de saúde terão o prazo de um ano para emitir e distribuir os cartões.

A meta é implantar o registro eletrônico de saúde em todos os municípios brasileiros até 2014. Ao todo, deverão ser emitidos 200 milhões de cartões. Em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional, o secretário de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, Odorico Monteiro, afirmou que “todos os brasileiros terão o cartão, mesmo aqueles que possuem plano de saúde”.

Além de identificar os usuários do SUS, o cartão servirá de base para que o próprio cidadão acompanhe seu histórico de consultas médicas, verificar a participação em campanhas de vacinação, se fez exames ou cirurgias. “Onde o cidadão estiver, as informações estarão à disposição dele”, completou Monteiro.

O Portal de Saúde do Cidadão, em uma área restrita ao usuário, permitirá acesso aos dados cadastrais, atendimentos por meio do SUS e informações sobre a rede pública de serviços de saúde. O portal terá também uma área de acesso público, com informações em saúde, campanhas e notícias sobre o SUS.

As pessoas que não tiverem o Cartão Nacional de Saúde não serão impedidas de receber atendimento em qualquer estabelecimento público de saúde.

Fonte: Agência Brasil

Açude do Pataxó sangra com apenas cinco centímetros

Informação colhida às 08:05 da manhã de hoje (09) dá conta de que o Açude do Pataxó, em Ipanguaçu, transborda com lâmina d’água de apenas cinco centímetros. Infelizmente, isso pouco mudou o quadro das inundações no município.

De acordo com o presidente da Defesa Civil de Ipanguaçu, Luiz Alberto Rocha, a remoção da vegetação do leito do Rio Pataxó foi responsável por uma sensível melhoria nas áreas inundadas, porém, o aumento de volume d’água do Rio Assú provocado pela “sangria” da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, não permite que as águas do Pataxó escoem mais rapidamente. “Por isso, houve algum recuo, mas pouco”, afirmou.

Mais informações sobre a situação de Ipanguaçu a qualquer momento.