i

domingo, 29 de novembro de 2009

Estrangulamento facilita inundação em Ipanguaçu

As seguidas inundações ocorridas no município de Ipanguaçu não foram provocadas somente pelos invernos rigorosos dos últimos anos.  O avanço das águas do rio Pataxó até a cidade também contou com a colaboração das empresas que estão instaladas às margens do rio.  Segundo o subsecretário de Obras de Ipanguaçu e membro da Defesa Civil Municipal, Genilo Rodrigues, empresas como a Del Monte e a Finobrasa provocaram interrupção em vários pontos do percurso do rio Pataxó, criando vários trajetos para a vazão da água, especialmente para dentro da cidade.  “O rio Pataxó foi muito estrangulado por essas empresas, o que aumentou a possibilidade de inundações”, explicou.

Genilo informou que a Del Monte fez dois drenos no rio que, quando ocorrem as cheias, levam a água direto para o bairro Manoel Bonifácio, provocando inundações e deixando centenas de famílias desabrigadas.

A interferência da Finobrasa no percurso do rio Pataxó também provoca o mesmo problema.  É justamente num ponto de drenagem feito pela empresa onde ficam as primeiras famílias atingidas pelas enchentes, precisamente no bairro de Ubarana.  “A água teve seu percurso alterado e sempre que o rio enche chega primeiro ao bairro de Ubarana, por conta de um dreno feito pela Finobrasa”, explicou Genilo.

Acabar com o risco de inundações em Ipanguaçu só será possível com o fim do estrangulamento e também do desassoreamento do rio Pataxó.  Um sonho da população do município, mas que não tem data para acontecer.  “Um projeto para solucionar o problema em definitivo está sendo feito, mas não tem previsão para ser colocado em prática”, declarou o prefeito de Ipanguaçu, Leonardo Oliveira (PT).

O projeto inicial, apresentado na segunda-feira, prevê a construção de diques de contenção na margem direita do rio Pataxó e na margem esquerda do rio Piranhas-Açu.  “Dessa forma, a água seria contida e não chegaria até a cidade, tanto na zona rural quanto urbana”, salientou Genilo.

Outra medida seria a drenagem do rio Pataxó com uma profundidade aproximada de 3,5 metros.  Hoje, o rio está muito assoreado, ou seja, com muito areia e enche facilmente.

Enquanto o problema não tem uma solução definitiva, algumas ações estão sendo adotadas para amenizar os efeitos de novas enchentes.  Uma medida de emergência está sendo a limpeza do canal do rio Pataxó, o que aumenta a capacidade do rio de armazenar água.  Mesmo assim, o risco de inundações será praticamente o mesmo, ainda mais considerando que os reservatórios estão quase cheios.  A barragem Armando Ribeiro Gonçalves e o rio Pataxó estão com mais de 90% de sua capacidade no momento, de acordo com informações da Agência Nacional de Águas (ANA).

As inundações em Ipanguaçu causam diversos transtornos.  Algumas localidades ficam ilhadas (Luzeiro, Cuó e Lagoa de Pedra) e em outras as famílias são desalojadas (Maria Romana, Ubarana, Manoel Bonifácio e Frei Damião).

“Acabar com esse dilema requer muito dinheiro, algo em torno de R$ 70 milhões, e é um sonho bem distante para um município do porte de Ipanguaçu receber um investimento dessa magnitude”, salientou, de forma sincera, o prefeito Leonardo Oliveira.

Projeto definitivo será apresentado em 30 dias

Um projeto contendo a solução para acabar definitivamente com o problema de inundações no município de Ipanguaçu será apresentado em 30 dias.  Pelo menos foi o que informou a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMARH).  De acordo com a assessoria, a empresa Pechne, responsável pelo projeto, está fazendo um levantamento completo e pediu prazo de 30 dias para apresentar o projeto denominado “Planejamento da macrodrenagem da Ilha de Ipanguaçu e desobstrução da calha do rio Pataxó”.  “A Pechne vai apresentar em 30 dias todos os detalhes do projeto, incluindo orçamento e prazo para execução da obra”, afirmou a assessoria, acrescentando que, no momento, a Semarh está fazendo a desobstrução da calha do rio Pataxó.

A assessoria informou ainda que, para resolver o problema das inundações na região do Vale do Açu por completo, a Semarh já tem recursos assegurados pelo Governo Federal para a construção da barragem de Oiticica, que servirá para contar com água do rio Piranhas/Açu.

Segundo a Semarh, o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) está fazendo estudo em toda a bacia hidrográfica do rio Piranhas/Açu para ver como é possível acabar com as cheias.  A reportagem do DE FATO tentou contactar o diretor-geral do Dnocs, Elias Fernandes Neto, mas não conseguiu.

Reportagem: Magnos Alves - Jornal de Fato
Retirado da Tribuna do Norte

Entre cães e gatos...



Nas ultimas sessões que vêem acontecendo na câmara de vereadores de Ipanguaçu,  vêem se  tornando a cada sessão  um campo de guerra, na ultima sexta-feira 28 de novembro do decorrente ano, vereadores fazem acusações sérias, que são feitas no plenário de forma ridícula e irresponsável,tornando a câmara em um verdadeiro  campo de bate boca e disputa política e pessoal.
Alguns vereadores falam coisas, sem pensar, atingindo não só os colegas mais a população Ipanguaçuensse, achando que o povo acha super lindo o que acontece nas sessões  no período de quinze a quinze dias.

As sessões é mais bate boca, troca de acusações políticas e pessoais, do que um plenário construtivo, que deve ter proposta políticas para o bem estar da população.
O que tudo indica é que o futuro do local é virar um verdadeiro campo de guerra de difamação.
Você que é Ipanguaçuensse ou não, venha ver a próxima sessão que acontecerá dia 04 de dezembro às 19h30min, e verá a verdadeira irresponsabilidade de alguns “vereadores”.

Mais ATEMÇÃO: O blog recomenda que só maiores de 16 anos deva ver as sessões.

Assembléia de fundação dos Pescadores e Artesãos


No ultimo sábado dia 28 no   interior do Clube Municipal de Ipanguaçu foi palco, de uma assembléia geral, oportunidade em que foi  lançada a base da fundação de uma organização classista dos pescadores e artesãos do município.
O primeiro item da ordem do dia da assembléia geral foi justamente o ato formal de constituição da organização sindical. Em seguida se observará a leitura, discussão e deliberação por sobre o estatuto social elaborado para nortear as ações da entidade classista.
No seguimento foi verificado o processo eleitoral do qual sairá a primeira diretoria executiva e Conselho Fiscal do sindicato.
Na mesma ocasião foram dada oportunidade para que outros assuntos de interesse dos pescadores e artesãos de Ipanguaçu possam ser abordados dentro da assembléia geral "para cumprimento das exigências legais".

No entendimento do prefeito Leonardo Oliveira do PT,  é de que o surgimento da entidade será de grande importância para os dois setores.




INSS abre inscrições para concurso com vagas temporárias


O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) abriu 190 vagas temporárias para engenheiros eletricistas e civis em diversas cidades brasileiras. É preciso ter nível superior em engenharia civil ou elétrica. O período de contratação será por um ano, com possibilidade de prorrogação. O salário é de R$ 3,8 mil (leia aqui o edital).

São 16 vagas para engenheiro eletricista e 174 para engenheiro civil. A jornada de trabalho será de 40 horas semanais. 
Os interessados devem se inscrever entre 30 de novembro e 10 de dezembro por meio do site:

A taxa de inscrição é de R$ 60.


Fonte: Com informações do G1