i

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Prefeitura de Ipanguaçu inicia a construção da primeira praça pública da Comunidade de Base Física

Praça da Comunidade de Base Física. 
A tradicional comunidade de Base Física, em Ipanguaçu, finalmente terá sua primeira praça pública. A Prefeitura já iniciou a obra, nas proximidades do campus do IFRN (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia), graças a uma parceria com o Ministério do Turismo, integra o projeto “Praças nas Comunidades”.

A primeira comunidade a receber esse projeto foi Cuó, que teve sua praça construída e inaugurada ainda no ano passado, com recursos próprios da prefeitura. Em Olho D’água, uma praça e uma quadra de esportes estão sendo concluídas. A próxima comunidade a ser beneficiada será Pataxó, distante 23 km do centro de Ipanguaçu.

Segundo o prefeito Leonardo Oliveira um dos objetivos desta iniciativa é oferecer novas oportunidades de lazer e de práticas de esportes aos cidadãos ipanguaçuenses. “Cada uma dessas praças foi pensada de forma a proporcionar uma melhor qualidade de vida aos nossos munícipes. Essa tem sido uma preocupação constante da nossa gestão, refletida em todas as nossas ações”, afirmou o prefeito.

Praça e quadra de Olho D'água. 
As três obras já iniciadas ou concluídas estão orçadas em de R$ 201.075,82 (duzentos e um mil setenta e cinco reais e oitenta e dois centavos). De acordo com a Comissão de Licitação da Prefeitura a empresa contratada deve concluir a construção da praça da Base Física até o final do ano.

Prefeitura de Ipanguaçu antecipa parcela do 13º salário para servidores da Educação


Por determinação do prefeito Leonardo Oliveira, a Prefeitura de Ipanguaçu antecipará, pelo terceiro ano consecutivo, o pagamento de uma primeira parcela do décimo-terceiro salário dos servidores lotados na Secretaria Municipal de Educação. De acordo com dados da prefeitura de Ipanguaçu, a medida injeta R$ 125. 758,17 na economia local.

O pagamento está programado para ser realizado nesta terça-feira (21). O adiantamento corresponde a 50% do beneficio e beneficia a 45% dos funcionários do município.

“Apesar de estarmos investindo em diversas áreas, realizando obras e buscando soluções para problemas históricos de Ipanguaçu, com planejamento e organização temos conseguido antecipar esse benefício aos nossos servidores”, afirma o prefeito Leonardo.

Além de beneficiar os servidores, a antecipação do décimo-terceiro aquece significantemente o comércio local de Ipanguaçu, município cuja população foi estimada pelo último censo do IBGE (2010) em cerca de 13,9 mil habitantes.

Comunidade do Luzeiro realiza festa junina



Aconteceu sábado,dia 18, na comunidade de Luzeiro a festa Junina, o evento aconteceu com o apoio do prefeito Leonardo Oliveira que esteve presente acompanhado da secretária de Assistência Social, Cristina Oliveira.



A festa com comida típica aconteceu apresentação da quadrilha “jovens unidos ao sagrado coração de Maria” na quadra de esporte da comunidade que contou com a animação de Almir dos Teclados.








Ensino público e privado: razões do abismo

Pesquisa do Inep constata diferença exorbitante nos índices de reprovação nas duas redes no RN
Os indicadores mais recentes do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão ligado ao Ministério da Educação (MEC), revelam uma triste constatação: piora o índice de qualidade na rede pública estadual do Rio Grande do Norte. As altas taxas de evasão e a reprovação escolar, em todos os níveis, mostram que existe uma diferença abissal entre o que é ensinado na rede particular e o que é ministrado nas escolas públicas. Em 2010, de acordo com o levantamento que ficou pronto no mês passado, 18,3% dos alunos matriculados no Ensino Fundamental da rede estadual norte-rio-grandense foram reprovados, enquanto a reprovação da rede privada foi de apenas 4,5%. O alento é o nível médio, onde não há diferença tão grande: a reprovação é de 6,4% nas escolas estaduais, e de 6,2% nas particulares.

Repetência atingiu 18,3% dos alunos no nível fundamental do sistema público do RN Foto: Fábio Cortez/DN/D.A Press
Entre os estados do Nordeste, o Rio Grande do Norte aparece em 3º lugar no ranking de reprovação no que diz respeito aos colégios da rede estadual. O menoríndice é o do Maranhão (10%), e o maior de Sergipe (23,5%), que também amarga o pior percentual do país. Para secretária estadual de educação, Betânia Ramalho, parte da explicação sobre esse índice de reprovação reside na passagem do 5º para o 6º ano do Ensino Fundamental. "Com a mudança no sistema pedagógico, há uma dificuldade de acompanhamento, readaptação ao método de ensino. Sai a figura do professor polivalente, entra o professor por área de conhecimento. E, com a fragilidade na base do sistema, torna-se frágil sua continuidade", analisou.

A escola pública, segundo a secretária, ainda não tem atratividade para o aluno. Some-se a isso as condições sócio-econômicas desfavoráveis, a trajetória familiar do alunado e a falta de incentivo governamental. "A escola pública é um reflexo da sociedade brasileira. A rede privada, além de ter uma escola mais bem estruturada, tem a família que acompanha e fatores importantes para elevar os índices de aprovação, como aulas suplementares, de reforço, entre outros mecanismos".

Eleika Bezerra, educadora do Instituto de Desenvolvimento da Educação (IDE), complementa a informação da secretária, acrescentando que, enquanto o cliente da escola pública não alterar seu nível de exigência, sua qualidade vai ser questionada. "Me convenci de que a apatia, a indiferença dos que frequentam a escola pública é muito grave. A educação pública não é prioridade. Hoje em dia o governo incentiva o crescimento do número de matrículas, mas não adianta o aluno estar na escola se não se sabe o que acontece dentro dela", critica.

Fonte: Diário de Natal/Sérgio Henrique Santos