i

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Sexta-feira da Paixão relembra a maior prova de amor de Deus pela humanidade


A Paixão de Cristo é uma das histórias mais conhecidas e revividas no mundo, em especial na Sexta-feira Santa. A data relembra os momentos do calvário de Jesus Cristo, do instante em que ele é preso no Monte das Oliveiras, logo após a última ceia com os apóstolos, até a sua morte na cruz.


Para os cristãos, reviver essa parte do Evangelho é voltar o pensamento para refletir sobre o amor de Deus pela humanidade. Uma vez que a Paixão de Cristo remete a prova maior do amor divino, que entregou seu filho amado pela salvação de todos os homens.


Assim, a Sexta-feira Santa traz consigo um convite à reflexão, onde cada indivíduo repense sobre seus atos, confrontando com os ensinamentos de Deus. Para proporcionar um momento de encontro mais próximo entre o homem e Deus, a Igreja Católica recomenda nesta data jejum, sobretudo a abstinência de carne.


A Sexta-feira Santa é o único dia do ano em que não é celebrada a presença de Jesus na Eucaristia. Na Igreja de Nossa Senhora de Lourdes a celebração foi marcadas pelo beijo na cruz, como sinal de devoção e de esperança por uma vida melhor.


Hoje a tarde aconteceu  missa da sexta feira santa, em seguida a encenação da Paixão de Cristo pelos grupos de jovens JUFD do bairro Manoel Bonifácio e também JUSAFRAN da comunidade de Pau de Jucar.


A apresentação retrata em um texto simples e juvenil os fatos marcantes e emocionantes do plano de salvação de Deus, que estão descritos na Bíblia.


A Sexta-feira Santa, segundo a Bíblia, corresponde a sexta-feira antes do Domingo de Páscoa, que Jesus foi condenado à morte após ser acusado de blasfêmia por se apresentar como o rei de Israel. Na época, a Judeia estava sob domínio do Império Romano, desta forma coube a Pôncio Pilatos, autoridade máxima romana na região, aplicar a punição.


Como estava próximo à Páscoa, festa tradicional dos judeus, Pilatos ofereceu a possibilidade de suspender a condenação de Jesus. Porém, a população, estimulada pelos sacerdotes, preferiu que a anistia fosse dada a Barrabás, um ladrão e assassino, que também seria condenado à morte.


Acatando o pedido do povo, Pilatos proferiu sua sentença e Jesus Cristo passou pelos flagelos que os romanos impunham aos condenados. Ele foi açoitado e obrigado a carregar a sua cruz até o local da crucificação.

Para a Igreja Católica, além de prova de amor incondicional, o sofrimento de Jesus, em suas últimas horas de vida, representa sua doação pela humanidade. Pois, através do seu sacrifício, Cristo redime os pecados dos homens, dando-os oportunidade de desfrutarem da vida eterna. Por este motivo, a data é tão lembrada e venerada.

*Fotos cedidas pelo grupo de jovens

PUBLICIDADE:

Reunião discute revitalização da banda de música dos escoteiros da cidade de Ipanguaçu


Um encontro que registrou a participação de crianças, adolescentes, pais e representantes de diversos outros segmentos organizados do município, focalizou a proposta de soerguimento da banda de música do grupo de escoteiros "Herói Luiz Gonzaga", em Ipanguaçu. Na avaliação de um dos dirigentes do grupo, Luís Alberto da Rocha, "Beto", foi uma reunião excelente. No encontro aconteceu a divisão das primeiras turmas que participarão do processo de revitalização da banda de música. O valor do investimento total é da ordem de R$ 80 mil.


"Beto" declarou que ficou pré-agendado que as atividades começarão efetivamente a partir da próxima segunda-feira, 5 de abril, na Câmara Municipal durante os três períodos: manhã, tarde e noite. "Posso afirmar que o encontro foi ótimo no que se refere à reconstrução do movimento escoteiro na cidade de Ipanguaçu", salientou o representante da categoria. Ele disse que, na oportunidade, foi possível sentir o engajamento de todos na retomada das ações do setor escoteiro municipal. "Estamos motivados e acreditamos que em breve teremos nossa banda de música restaurada", projetou.


HISTÓRIA

"Beto" destacou que o episódio aconteceu num instante muito importante na trajetória histórica do movimento escoteiro de Ipanguaçu. Frisou que na quarta-feira, 31 de março, comemorou-se mais um aniversário do lançamento pedra fundamental do grupo de escoteiros "Herói Luiz Gonzaga". O fato foi registrado no dia 31 de março de 1973 por iniciativa da então prefeita do município, Maria Eugênia Macieira Montenegro. "Portanto, é uma feliz coincidência que esta discussão relativa à remontagem da banda de música do nosso grupo aconteça no momento em que estamos festejando os 37 anos de existência de nosso movimento escoteiro", concluiu "Beto". 
Fonte: O Mossoroense 

PUBLICIDADE:

PADRE JOSE MOREIRA VAI SE DESPEDIR DE IPANGUAÇU NA DATA DA CRIAÇÃO DA PAROQUIA


Está chegando ao final a missão designada pela Arquidiocese de Natal ao Padre Jose Moreira a frente da Área Pastoral e futura Paróquia de Nossa Senhora de Lurdes, no município de Ipanguaçu. Responsável direto pela condução dos trabalhos de elevação do município a condição de paróquia, fato que será registrado no próximo dia 19 de abril, o vigário de Ipanguaçu, deverá estar sendo transferido para uma nova região do estado do Rio Grande do Norte, e passará a assumir a missão católica nos municípios de Passe e Fica e Lagoa Danta. Segundo informação antecipada pelo padre Jose Moreira, quem estará vindo assumir a nova paróquia Nossa Senhora de Lurdes, será o Padre Jorge Alves Cardoso. O vigário de Ipanguaçu confirma a data da transformação da área pastoral em paróquia, fala da programação da semana santa e antecipa seus agradecimentos a comunidade em geral pelo tempo em que foi acolhido em Ipanguaçu e região.

Fonte: Rádio Princesa do Vale

PUBLICIDADE: