i

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Prefeitura de Ipanguaçu promove 2º Semana Municipal do Livro Infantil



Uma algaroba, livros que caem dos galhos e crianças em volta. Este foi o espaço escolhido para o inicio das atividades da II Semana Municipal do Livro Infantil, cujo tema traz neste ano, "Leituras da Infância: brincadeira, imaginário e palavra popular". A programação segue até dia 30 desta semana busca fomentar a política de incentivo ao livro, à leitura e à literatura na cidade junto aos alunos de toda a rede municipal.

As convidadas para este momentos foram às professoras Drª. Claudia Andrade/UFF e Profª. Ms. Patrícia Freixo/UERJ, que reunirão crianças e adolescentes em baixo da árvore ao lado da Escola municipal Professor Antônio Leandro de Lima Júnior, na comunidade de Luzeiro. Alunos de cinco escolas integraram a ciranda das palavras popular com a contação de histórias e dramatização. 

As professoras disseram está encantada com os incentivos praticados nas escolas. Para elas é necessário estimular a leituras de diferentes formas, incluindo em baixo de uma arvore, “os livros devem está à disposição dos alunos, sair dos armários trancafiados”, conta as docentes que doaram livros infanto-juvenil as escolas municipais, fruto de doações de outras crianças do estado Rio de Janeiro. 

Durante a tarde nesta segunda, o encontro continua na E.M Nelson Borges Montenegro, comunidade quilombola de Picada, na promoção o tema: Memória, História e Literatura Negra. No fim da tarde de hoje uma carreata Literária “Literatura para o povo” acontecerá em direção ao município vizinho de Assú. 


Logo a noite ocorre abertura oficial da II Semana Municipal do Livro Infantil realizada no espaço Pastoral Pe. Valtair Lira Lucas, na qual contará com a presença do prefeito interino, Geraldo Paulino, a secretária de Educação Jeane Dantas, diretores e professores da rede municipal. Na programação contará com a exibição do filme “Uma professora maluquinha”, baseado na obra infantojuvenil homônima de Ziraldo, sendo concluindo com o debate pedagógico com professores e supervisores da rede de ensino municipal. 

Até o dia 30 serão desenvolvidos atividades de literatura nos bairros e comunidades, oficinas pedagógicas com professores, e roda das letras, contação de histórias e minicurso “Poesia, Infância e Alteridade: a literatura infantil e seu papel formador”.

Programação 
29/04 – Terça-feira:
8h – 10h30: Literatura que encanta em cada canto 
Atividades de mediação literária casa à casa nas seguintes comunidades/bairros: Nova Descoberta;  Tabuleiro Alto;  Língua de Vaca;  Arapuá;  Ilha Grande;  Japiaçu; Picada;  Pedrinhas; Luzeiro;  Pataxó; e centro comercial e econômico da cidade. 
14h – 17h: Oficinas pedagógicas em Leitura Literária e Educação na II Jornada Paulo 
Freire do Vale do Açu (UERN/Campus Assu) 

30/04 – Quarta-feira: 
8h – Roda das Letras (DaluzinhaAvlis e Djairo Alves) 
Contação de histórias 
Local: Caraibeira
Escolas convidadas: Nova Descoberta, Tabuleiro Alto, Língua de Vaca, Arapuá, Ilha 
Grande e Ovídio Montenegro. 
14h – 17h: Minicurso “Poesia, Infância e Alteridade: a literatura infantil e seu papel formador”. 
Local: Câmara Municipal de Ipanguaçu

Confira as fotos, aqui.

Secretária de Saúde de Ipanguaçu convoca para vacinação contra a gripe


A Prefeitura de Ipanguaçu através da Secretaria Municipal de Saúde deu início neste último sábado(26) a campanha nacional de vacinação contra a gripe. Com o tema: “Vacinação contra a gripe: você não pode faltar” contou com as Unidades Básicas de Saúde (UBS) abertas para o “Dia D”. 

Para a secretária municipal de Saúde, Sumaira Fonseca, fala que a mobilização nacional para a imunização faz parte da parceria entre o Governo Federal e o município em busca de proteger o público alvo que estão em situação de vulnerabilidade, sendo a vacina uma medida de proteção, “chamamos a todos que se enquadram nos requisitos do Ministério da Saúde que procurem o quanto antes uma UBS para que possa ser vacinado. Este ano, crianças até cinco anos serão também vacinadas, na campanha passada o público alvo era até os dois anos. Então não dá pra perder tempo, tem que vacinar”, convoca a secretária que informa ainda que na hora da vacinação deve ser acompanhado do catão de vacina. 

A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela OMS para este ano (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). Devem ser vacinados crianças de seis meses a menos de cinco anos, gestantes, idosos com mais de 60 anos, pacientes com doenças crônicas além dos profissionais de saúde. 

Neste sábado - “Dia D” mais de 31% do público alvo foram vacinados nas oito unidades abertas. A campanha segue até o dia 09 de maio. Cerca de 3.511 doses da vacina foram encaminhados ao município, a meta é vacinar 80% do público alvo. 

Professoras de Ipanguaçu apresentam experiências pedagógicas em evento internacional


Realizada entre os dias 23 e 25 de abril de 2014 no IFRN Campus Natal – Central, a segunda edição do Seminário Internacional Diálogos com Paulo Freire propôs discussões em torno do tema “Ensinar, aprender: leitura do mundo e leitura da palavra”. O evento, que tem realização do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN em parceria com IFRN e UFRN, configura-se como um espaço de debates e diálogos que amplificam a discussão em torno do fazer e do refletir pedagógico a partir do pensamento freireano, da ótica libertária que o Patrono da Educação Brasileira, Prof. Paulo Freire, tanto difundiu.

Professoras e professores da rede municipal de educação de Ipanguaçu participaram do Seminário apresentando, nos círculos de cultura, seus trabalhos – reflexo das experiências pedagógicas vivenciadas em sala de aula à luz da teoria freireana e das que com ela dialogam. 

A Profª. Aridenis Henrique, coordenadora pedagógica da EM Francisco Florêncio Lopes (Pataxó), propôs reflexões em torno das práticas de alfabetização a partir de processos contínuos de formação continuada mediados pela municipalidade, tendo como foco o GEEMPA e sua própria trajetória como alfabetizadora. Discutindo sobre a interface Letramento – Alfabetização a partir do desenvolvimento de sequências didáticas para ensino da leitura e da escrita, a Profª. Sarah Apoliana, da EM Francisco Targino Nobre (Língua de Vaca), relacionou autores como Paulo Freire e Magda Soares. 

A Jovem educadora, a Profª. Sílvia Siqueira dialogou acerca da leitura de imagens como caminho para a leitura do mundo na educação infantil, relacionando o pensamento freireano à experiência com crianças da creche e da pré-escola I em Língua de Vaca. Ela destaca o seminário como uma importante experiência, vez que a educação infantil é a base de tudo. 

“Chegar Ao seminário já foi uma grande vitória, mas poder falar sobre minha experiência em sala de aula, sobre a importância de levar a leitura para sala de aula da educação infantil não só através da leitura escrita, mas também através da leitura de imagens, de formas, sons, enfim, a leitura de mundo. É uma experiência encantadora, inesquecível e acima de tudo nos fez perceber mais uma vez que a educação infantil que é a base, cabendo a nós professores mediar a leitura para que possamos descobrir novos leitores, pequenos sim, no tamanho físico, mas, grandes em sonhos”, fala a professora que disse ainda orgulhosa em da cidade, “Afinal, Ipanguaçu é a cidade que lê!Mas, também é a cidade que nos instiga, nos provoca nos leva, nos apoia a gostar da leitura num todo”, conclui. 

A Profª. Adrilene Souza, da EM Adalberto Nobre de Siqueira (Tabuleiro Alto), debateu sobre as relações entre leitura e literatura na escola numa ótica de transformação dos sujeitos, a partir da experiência do projeto “Ler e Sonhar”, que coordena na escola. A Profª. Lidiane Dantas, da mesma instituição, discorreu sobre o processo de escrita reflexiva na educação infantil partindo de um trabalho que desenvolve com suas crianças na escrita do nome próprio, relacionando conceitos de identidade, escrita e leitura de si e do outro. Suscitando o debate sobre o poder de mobilização afetiva e humanizadora do texto literário, principalmente o poético, a Profª. Suelly Oliveira, da EM Profª. Francisca Salete Ribeiro Barreto (Bairro Ilha Grande), apresentou suas reflexões a partir da experiência da sua própria sala de aula com o trabalho de formação literária no ensino fundamental; autores como Vinícius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade e Cecília Meireles foram aprendidos pelas crianças. Por fim, a Profª. Aretusa Sales, técnica pedagógica da Secretaria de Educação, incitou o debate em torno do processo de formação inicial do professor de educação básica, tendo como parâmetro articulador o estágio supervisionado vivenciado na licenciatura. 

Segundo a Profª. Jeane Dantas, o desejo de apresentar as experiências que desenvolvem em suas salas está dentro do coração de cada educadora e educador. “As professoras representaram Ipanguaçu com intelectualidade e reflexão. As pesquisas têm grande potencial e os resultados positivos refletem o empenho e a dedicação de cada uma. Exemplos para todos os demais educadores da cidade, elas são a prova de que a educação pública pode fazer, e fazer bem, o seu trabalho, educando na cidadania. Apoiamos toda e qualquer iniciativa positiva e incentivaremos o surgimento de novos trabalhos e oportunidades de apresentá-los”, afirmou a secretária de educação. 


A secretária adjunta de educação, Profª. Mara Carmelita, esteve também participando e acompanhando o grupo de professoras, que também contou com a presença da Profª. Jaiza Lopes Dutra Serafim e do Prof. Cícero Henrique Rodrigues, na condição de debatedores dos trabalhos nos círculos de cultura.