i

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Câmaras municipais terão mais 7.716 vagas em 2013. Custo aumentará R$ 2,1 bi/ano


Publicado por Robson Pires

O aumento populacional verificado pelo Censo 2010, do IBGE, faz com que boa parte dos municípios brasileiros já esteja começando a articular um novo aumento no número dos vereadores, a partir de 2013.

Como a Constituição federal determina que a quantidade de representantes nas Câmaras municipais deve ser proporcional ao número de habitantes de cada cidade, o Brasil vai registrar uma explosão do número de vereadores daqui a dois anos: eles passarão de 51.992 para 59.708, segundo cálculos da Confederação Nacional dos Municípios (CNM).
Ou seja, haverá pelo menos 7,7 mil parlamentares a mais já na próxima legislatura, após a eleição municipal de 2012. E, com isso, uma garfada ainda maior nos cofres públicos. Em 2013, a chegada desses oito mil vai coincidir com o reajuste salarial generalizado para os vereadores de todo o país.
Isso porque o reajuste salarial de 62% para os deputados e senadores, aprovado este mês, tem efeito cascata, e nas Câmaras municipais chegará em 2013. Os novos vereadores já vão chegar ganhando mais. O teto salarial de um vereador, que hoje é de R$ 9.288,27, poderá chegar a R$ 15.031,75 em 2013.
Um vereador pode ganhar 20% do salário dos deputados estaduais em cidades com até dez mil habitantes — o que hoje significa R$ 2.476,87 — e até 75% do salário dos deputados estaduais em cidades com mais de 500 mil habitantes. E o salário dos deputados estaduais também pode variar de estado para estado, pois eles podem ganhar até 75% do que recebem os deputados federais.
Por conta dessas inúmeras variáveis, os especialistas não se arriscam a apostar em quanto aumentarão as despesas nas Casas de todo o país.
De concreto, sabe-se apenas que o aumento salarial concedido aos deputados este ano pode aumentar em até R$ 1,83 bilhão os rendimentos dos vereadores, considerando somente o número de 51.992 exercendo mandato atualmente.
Fazendo uma conta por baixo, com base no salário de R$ 2.246,87, apenas o aumento no número de vereadores custará mais R$ 230 milhões por ano ao país. Ou seja, a soma dos reajustes com o aumento do número de vereadores custará ao país mais de R$ 2,1 bilhões por ano.
Deu n’O Globo

Chuva derruba plantação e mata animais


Ipanguaçu/Carnaubais - A chuva do último sábado, 25, causou estragos e prejuízos no Vale do Açu. Parte de uma plantação de banana foi destruída devido à força do vento. O assessor de imprensa de Carnaubais, Toni Martins, divulgou em seu blog que o prejuízo ocorreu numa das fazendas da multinacional Delmonte Fresh Produce, mas a informação não foi confirmada pela assessoria de assuntos institucionais.



"Tenho impressão que a área atingida foi na divisa da fazenda Água Branca, mas numa área bem afastada de Ipanguaçu, por isso, talvez, a informação não tenha chegado ainda até à administarção da Delmonte", disse Toni, informando que embora o vento tenha atingido uma área considerável, fica quase imperceptível devido à dimensão da Delmonte, que é a maior produtora da fruta no Brasil.

Na área atingida, a plantação estava quase em fase de colheita. O peso dos cachos e a umidade deixam os bananais susceptível a esse tipo de ocorrência. Com o vento, a planta é partida ao meio e as bananas são arremessadas no chão. De acordo com Toni Martins, a cena é semelhante com a que aconteceu em 2005, quando as chuvas com ventos que chegaram a 60 quilômetros por hora, devastaram vários hectares de bananas.

A plantação de banana é um das mais prejudicadas no período chuvoso. A própria Delmonte já foi vítima das enchentes e ventos fortes em anos anteriores. Em 2008, as inundações destruíram metade do plantio, obrigando a multinacional a suspender as atividades em mais de mil hectares, demitindo pelo menos 1.500 trabalhadores.

Animais
A fruticultura não foi o único setor a ser prejudicado com a chuva de sábado. Em Carnaubais, a queda de um fio de alta tensão matou pelo menos seis ovelhas eletrocutadas do sítio do agricultor José Jorge de Souza, o Dedé Minduca.

O proprietário dos animais passou o domingo inteiro esperando que a Companhia de Serviços Energéticos do Rio Grande do Norte (COSERN) aparecesse para sanar o problema. Segundo Dedé, não deu para aproveitar nenhum animal. "Nem tinha como, se alguém tocasse numa das ovelhas, morreria também eletrocutado", disse.

Na comunidade que fica na zona rural de Carnaubais, várias árvores caíram e casas foram destelhadas causando medo aos moradores.

Fonte: Jornal de Fato