i

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Olimpíadas: Brasil deixa Londres com 17 medalhas e dois ouros inéditos


Depois de 17 dias de competição, milhares de atletas que disputaram diferentes modalidades nas Olimpíadas de Londres participam da cerimônia de encerramento dos Jogos. Na festa, a pira olímpica será apagada e os organizadores do evento anunciam a cidade-sede dos Jogos Olímpicos de 2016, que serão realizados no Rio de Janeiro.
O Time Brasil deixa Londres com um total de 17 medalhas, ocupando a 22ª posição no ranking geral dos Jogos. O número supera a previsão do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), que esperava alcançar o mesmo resultado de Pequim, em 2008.
Entre as conquistas alcançadas por 57 brasileiros que disputaram sete modalidades, três vitórias representaram ouro, como a da seleção feminina de vôlei e as vitórias de Sarah Menezes, do judô feminino, e de Arthur Nabarrete Zanetti, da ginástica artística masculina.
Os brasileiros também conquistaram cinco medalhas de prata. Entre os segundos lugares, o pugilista Esquiva Falcão divide espaço com as equipes masculinas de futebol, vôlei de quadra, vôlei de praia e natação.
As nove medalhas de bronze foram alcançadas por Adriana Araujo (boxe feminino), Yamaguchi Falcão (boxe masculino), Felipe Kitadai e Mayra Aguiar (judô), César Cielo (natação), Robert Scheidt e Bruno Prada (vela) e Juliana e Larissa (vôlei de praia feminino).
A última medalha conquistada pelo Brasil foi mais um bronze no último dia de competições.  Depois de mais de dez horas de competição, a pernambucana Yane Marques conquistou a medalha inédita no pentatlo moderno. O esporte tradicional nas Olimpíadas, criado em 1912, é dividido em cinco modalidades: esgrima, natação, hipismo e combinado (alternância de corrida e tiro esportivo).
Entre as conquistas brasileiras que ficam marcadas na história do país, estão o primeiro ouro no judô feminino e na ginástica artística masculina, o recorde brasileiro de quatro medalhas no judô e no vôlei, e de três no boxe.

Diabetes e hipertensão são fatores de risco para a saúde dos rins


O processo de filtragem de todo o sangue que temos no nosso corpo é encabeçado por dois pequenos órgãos que ficam situados nas costas. Os rins, que pesam entre 150 e 300 gramas cada chegam a filtrar até 180 litros de sangue durante o dia.
O Bem Estar desta segunda-feira (13) falou sobre a saúde desses órgãos, que são tão importantes para o corpo humano, com a participação da pediatra Ana Escobar e do nefrologista José Osmar Medina Pestana.
Além de filtrar o sangue, os rins são importantes para manter o equilíbrio de líquidos e sais do organismo – é o mecanismo de controle mais elaborado que o corpo tem.
Com isso, eles controlam a pressão arterial, eliminam o excesso de substâncias químicas, como o sódio, produzem um hormônio que interfere na produção de células de sangue e ativam a vitamina D, essencial para a absorção de minerais no intestino.
De acordo com a Sociedade Brasileira de Nefrologia, cerca de 10 milhões de pessoas no país tem alguma disfunção renal, mas poucas sabem. Os sintomas de problemas no rim não são de fácil identificação. Um deles é a retenção exagerada de líquido, que leva a inchaço e aumento da pressão arterial. Acordar várias vezes durante a noite para urinar também pode ser sinal de que algo está errado.
A hipertensão e, principalmente, a diabetes, estão normalmente associadas com as disfunções renais. Cerca de 100 mil brasileiros precisam fazer diálise – tratamento no qual alguma máquina ou líquido de fora do corpo é usado para filtrar o sangue – e, desses, 60% têm diabetes.
Os danos que essas duas doenças provocam nos rins são permanentes e, por isso, é importante mantê-las sob controle. A hipertensão machuca os rins porque o sangue passa com mais dificuldade pelos vasos. Já os diabéticos costumam perder proteína pela urina, o que também acarreta em lesões.
As pedras nos rins – ou cálculo renal – são formadas por substâncias que o rim elimina normalmente, como o cálcio ou o ácido úrico. A urina é formada por cristais, e algum distúrbio de metabolismo ou alimentação pode causar a formação das pedras. Elas podem sair pela urina ou com cirurgia.

Após morte em carreata em Apodi, Polícia de Trânsito reconhece falhas na fiscalização


Carlos Guerra Júnior/Da Redação do Jornal de Fato

Neste domingo (12), foi morta a jovem estudante Camila Danikely Gurgel de França, de 15 anos, após cair e ser atropelada por paredão de som, durante carreata política. O comandante da Polícia Estadual de Trânsito, Maximiliano Luis Bezerra, reconhece que existem falhas na fiscalização nas movimentações eleitorais.

O ato de ficar em cima de veículos, como esse, se trata de um crime de trânsito, mas que é bastante corriqueiro em festas, sobretudo no período eleitoral. Entretanto, o comandante afirma que a fiscalização neste período de eleições se torna incontrolável, por conta da grande demanda.

“A fiscalização acontece nessas cidades, de acordo com a solicitação do juiz eleitoral (José Herval Sampaio). Em Mossoró, nós fazemos a fiscalização nas movimentações da chapa majoritária”, disse Maximiliano, ressaltando que os veículos devem estar kit tanto com a justiça eleitoral, como com a justiça de trânsito.

Neste final de semana, houve a solicitação para a fiscalização em Baraúna, onde foram apreendidos 14 veículos na cidade. Em Mossoró, foram apreendidos dois veículos, por propagandas irregulares no Centro.

Segundo Maximiliano, entretanto, a Polícia Estadual de Trânsito ainda não recebeu da Justiça Eleitoral os veículos que estão cadastrados sequer em Mossoró, para realizar as manifestações eleitorais.

O caso em Apodi

A jovem estudante Camila Danikely caiu de um paredão de som, em Apodi, e foi atropelada pelo veículo, que passou pela região do tórax.

Segundo informações da Polícia Civil de Apodi, a jovem aparentava estar alcoolizado. Ela teria sido avisada para descer do paredão, porque era perigoso, mas preferiu continuar. Daí, ela caiu do veículo e o condutor só percebeu quando sentiu o carro balançado, que foi justamente o momento em que a vítima foi atropelada.

A passeata política vinha do Sítio Sorocaba em direção à cidade de Apodi e era movimentada em favor da reeleição da prefeita do município Goreti Silveira Pinto (PMDB). O acidente ocorreu por volta das 19h30min.

A investigação, sobre os detalhes do acontecimento, vai ser coordenada pelo delegado civil de Apodi, Renato Oliveira.