i

quarta-feira, 7 de julho de 2010

MUNICÍPIOS DO RN RECEBERÃO MAIS DE R$ 6 MILHÕES PARA RECONSTRUÇÃO DE MORADIAS


Uma lista dos Municípios em Situação de Emergência ou Estado de Calamidade Pública aptos a receber recursos para construção e melhoria de moradias foi divulgada pelo governo federal. A seleção é resultado de Chamada Pública, em que Estados e Municípios atingidos por fenômenos naturais enviaram as propostas. 

Os recursos no valor total de R$ 150 milhões estão previstos na Medida Provisória 480/2010. Dos 1.298 Municípios elegíveis – que poderiam apresentar carta-consulta – apenas 163 foram selecionados. Destes, seis são da região Norte, sete do Centro-Oeste, 45 do Nordeste, 28 do sudeste e 77 do Sul.
De acordo com o Ministério das Cidades, a seleção levou em conta os parâmetros contidos nos manuais de dois dos programas do Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS): Apoio à Melhoria das Condições de Habitabilidade de Assentamentos Precários e Apoio à Provisão Habitacional de Interesse Social.
Estados e Municípios que tiveram suas propostas selecionadas deverão cadastrar suas propostas no Sistema de Convênios do Governo Federal (Siconv). O cadastro deve ser feito no programa número 56000 2010 1116 para o prosseguimento do processo de análise dos projetos e contratação que nessas operações é realizado pela mandatária da União, a Caixa Econômica Federal.
O RN receberá mais de R$ 6 milhões do Ministério das Cidades, divididos entre oito municípios ( Baraúna, Ipanguaçu, Lajes, Pendências, Pureza, São Bento do Norte, São Vicente e Tangará).
Confira quanto município irá receber:
Baraúna – R$ 569.800,00
Ipanguaçu – R$ 800.000,00
Lajes – R$ 800.000,00
Pendências – R$ 1.000.000,00
Pureza – R$ 800.000,00
São Bento do Norte – R$ 600.000,00
São Vicente – R$ 800.000,00
Tangará – R$ 675.000,00

Fonte: Ministério das Cidades e CNM
Retirado de Robson Cabugi

PREFEITO DE IPANGUAÇU CONSTRUIRÁ BALNEÁRIO NA COMUNIDADE DO PORTO


O Prefeito de Ipanguaçu, Leonardo da Silva Oliveira contou nesta terça-feira (06), que pretende construir um balneário na comunidade do Porto, a 10 km de distância do centro da cidade. Segundo o chefe do executivo o objetivo é poder impulsionar o turismo local, assim gerando renda as famílias da comunidade. “O projeto visa melhorá todo o espaço, “O nosso foco é poder utilizar a lagoa sem degradar a natureza, assim criar um espaço rústico, bem natural,”. O prefeito frisa que o projeto não desmatará nem uma planta nativa do espaço, que o sentido é preservar para um turismo ecológico.

Toda a área que será usada está sendo demarcada para a construção do balneário denominada como lagoa da Ponta Grande. O prefeito conta que a ideia é criar um espaço onde não só a comunidade possa utilizar, mas possa ser usada como um destino de todos os moradores da cidade e seus visitantes.

No espaço utilizado será criado estacionamento, banheiros, parque infantil, campo de futebol e vôlei e quiosques. Todo o projeto do balneário será um investimento de recursos próprios do governo municipal.

O pedido do balneário é uma pedido do vereador Juan Montenegro, que a alguns meses, vem fazendo este pedido ao Prefeito Leonardo,  que agora está sendo atendido.

Justiça do Rio decreta a prisão de Bruno e Macarrão no caso Eliza

Ex-namorada do goleiro do Flamengo tentava provar que teve filho dele.
Macarrão é amigo do atleta e teria participado do sumiço de Eliza Samudio.

A Justiça do Rio de Janeiro acatou nesta quarta-feira (7) os pedidos de prisão temporária feitos pelo Ministério Público contra o goleiro Bruno e seu amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, conhecido como "Macarrão". Eles estariam envolvidos no desaparecimento da ex-amante do atleta do Flamengo, Eliza Samudio.  Ela está desaparecida desde o início do mês de junho.
A assessoria da Polícia Civil de Minas Gerais confirmou que outros oito mandados de prisão foram decretados pela Justiça mineira, entre eles, mais dois contra Bruno e Macarrão, além da mulher do goleiro, Dayane Fernandes. Também teriam sido acatados três mandados de busca e apreensão de veículos.  
Duas equipes da Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro chegaram ao condomínio onde mora o goleiro do Flamengo, Bruno, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste, por volta das 5h desta quarta. Policiais entraram na casa por volta de 8h e saíram 15 minutos depois. Segundo informações iniciais da polícia, Bruno não estava em casa e as buscas ao goleiro e seu amigo continuam.
Interrogatório
Um jovem de 17 anos, que foi apreendido pela polícia na casa do goleiro, prestou depoimento por mais de sete horas na terça-feira (6), na Divisão de Homicídios do Rio. O interrogatório pode ajudar a polícia a desvendar todo o mistério em torno do desaparecimento de Eliza. Ele foi levado para Minas, para ajudar nas investigações que estão centralizadas por lá.
O adolescente foi encontrado na casa do jogador na tarde desta terça-feira, após uma denúncia. O goleiro Bruno estava em casa e abriu a porta para os policiais. De acordo com a polícia, o depoimento do menor foi considerado esclarecedor, apesar dele ter entrado em contradição várias vezes. Durante o interrogatório, ele confirmou que Eliza está morta.

Segundo a polícia, o adolescente mentiu em alguns momentos. No interrogatório, de acordo com a polícia, ele contou que ajudou o Luiz Henrique Romão a levar Eliza Samudio e o bebê do Rio para o sítio do goleiro, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG).
Versão do menor
O adolescente disse à polícia que estava escondido no banco de trás do carro. No meio da viagem, segundo ele, houve uma discussão e ele bateu na cabeça de Eliza com uma arma que pertenceria a Macarrão. O menor contou que, neste momento, ela sangrou, mas ainda estava viva.
Mais adiante, o jovem falou que Eliza estava morta, mas não revelou quem seria o assassino. A caminhonete usada por eles seria a mesma onde o teste de luminol confirmou vestígios de sangue numa das janelas. O exame de DNA, que fica pronto esta semana, vai dizer se o sangue é de Eliza.
DenúnciaNuma entrevista à Rádio Tupi, do Rio, um conhecido do adolescente disse ter ouvido do jovem que Bruno teria dado dinheiro a um homem identificado como Clayton para que entregasse o corpo de Eliza a um traficante.
“O Bruno contratou o cara para dar sumiço, o Clayton, para levar o corpo até o cara que ia sumir com o corpo. Aí, pagou R$ 3 mil, ‘tá’ entendendo? O garoto sabe também, o garoto viu aonde ‘tá’. O garoto vai dar tudo. A garota foi desossada, enterraram os ossos da garota e concretaram”, disse o homem em entrevista à Rádio Tupi.

O depoimento do adolescente terminou no fim da noite de terça-feira e o promotor de Justiça que acompanhou parte das sete horas e meia de interrogatório disse que as informações do adolescente no depoimento parecem consistentes: “A versão dele é crível, a versão dele é razoável”, disse.

A Polícia Civil do Rio vai repassar todos os detalhes colhidos no depoimento para a polícia de Minas Gerais. Segundo a polícia, é a partir do confronto do que diz esta testemunha com as evidências colhidas até aqui, que os investigadores esperam estabelecer o que aconteceu com Eliza Samudio.