i

sábado, 2 de maio de 2009

COTA

Barragem Armando Ribeiro Gonçalves sangra com 3,20 cm



Açude de Pataxó - 60cm

Vale do Açu recebe cestas básicas e a governadora estará na região


Mais de 30 mil pessoas já foram atingidas pelas chuvas em todo o Estado e o Vale é a região mais castigada. Wilma de Faria acompanhará de perto a situação.


Na sede da Companhia Nacional de Abastecimento de Natal (Copab), militares preparam 5 mil cestas básicas para enviar às cidades atingidas pelas enchentes no Vale do Açu. Inclusive, a governadora Wilma de Faria estará esta tarde na região para acompanhar de perto a situação.


Ainda hoje (2) os caminhões serão enviados para a região, portando também medicamentos.
Na opinião do vice-governador Iberê Ferreira, a situação pede urgência.

“No momento a gente só pode focar nas medidas emergenciais, como manter alimentos para a população, medicamentos, cobertores, colchões”.

Outra medida apontada pelo vice-governador é o reforço da segurança. “As casas atingidas ficam sem ninguém e acabam sendo roubadas”, disse.

O vice-governador reforça que o governo apenas coordena as ações realizadas por grupos de apoio como forças armadas. “Não temos nenhuma ação isolada, são todas elas compartilhadas”.

MULTINACIONAL DA FRUTICULTURA PODE INTERROMPER ATIVIDADE NO VALE DO AÇU



Em entrevista a este Blog, nesta quinta-feira 30/04, a superintendente de Relações Trabalhista da empresa Del Monte Fresh Produce Brasil Ltda., Liana Melo, faz um breve relato sobre as perspectivas da empresa no Vale do Açu, diante da possibilidade de nova perdas em decorrência das enchentes no período chuvoso de 2009.


- A Del Monte, a exemplo de toda a Região do Vale, já vivencia outra vez problemas e danos semelhantes aos enfrentados em 2008. Naquele momento perdemos cerca de 1.000 hectares de áreas produtivas, o que significa 46 milhões de quilos de bananas de exportação. Foram demitidos 1.400 empregados moradores dos municípios de Assu, Carnaubais e Ipanguaçu. Em Ipanguaçu, especificamente, fechamos a Fazenda Bananeiras, com 400 hectares em produção, e não mais retomamos as atividades, estando a Fazenda ainda fechada. Nesta Unidade, demitimos 500 empregados de Ipanguaçu.
Neste momento estamos sem acesso a seis Fazendas, áreas nas quais a produção e a mão-de-obra que empregam mais de 500 trabalhadores estão paradas. Nestas unidades o acesso só está sendo possível através de barco ou canoa, com as atividades de Vigilância.
Ontem (29) enviamos Oficio ao Governo do Estado contendo estas informações e reiterando todos os pleitos feitos na Enchente de 2008, que até o momento não receberam nenhuma resposta, colocando a Empresa e as Comunidades do Vale na mesma situação já vivenciada, visto que a ausência destas Obras agrava todos os problemas vividos nas Inundações. Como parte das solicitações enviadas destacamos:
1. O desassoreamento do rio Pataxó, o que facilitaria o melhor fluxo das águas e evitaria inundações nas áreas ribeirinhas;
2. Diques em áreas estratégicas da citada zona;
3. Melhor manejo da vazão da represa Armando Ribeiro Gonçalves por parte do DNOCS, haja vista que há sete anos não ocorrem secas na região, portanto, não se admite uma vazão tão reduzida de forma regular e, principalmente, nos períodos chuvosos.
Pelo que, reiteramos nossa preocupação com a situação outra vez vivida no Vale do Assu, e consequentemente nossa particular condição como Empresa aqui encravada, por observarmos que se não houver por parte dos Governos ações concretas com obras de enfrentamento das Enchentes, será impossível para a DeI Monte manter-se produzindo e empregando no RN por mais tempo. Externamos também nossa estreita preocupação com o Vale, pois bem sabemos da necessidade de empregos e riquezas desta Região, que tem na DeI Monte uma de suas maiores empregadoras, vendo-se na iminência de mais uma vez perder milhares de posto de trabalho.
- Outrossim, ratificamos nossa elevada estima e respeito ao povo do Vale, e informamos que apesar da problemática interna que estamos vivendo, estamos mandando tratores e frutas para apoio ao povo desabrigado da Cidade de Ipanguaçu.
Nos colocamos a disposição e contamos também com o apoio deste Governo Municipal para reforçarmos os pleitos e providências junto ao Governo Estadual.


Liana Melo
Superintendente RT-RH Dei Monte Brasil
30/4/2009


UFERSA EXTINGUE TRADICIONAL VESTIBULAR E ADOTA ACESSO A PARTIR DO ENEM

O Processo Seletivo 2009.2 é o último vestibular da forma tradicional que será realizado pela Universidade Federal Rural do Semi-árido (UFERSA). A partir de 2010, de acordo com Josivan Barbosa, reitor da Ufersa, o novo processo será o seletivo unificado adotado pelo Ministério da Educação (MEC). Oficialmente, a Ufersa é a primeira universidade federal a acabar com o vestibular depois de 42 anos. Agora, segundo o reitor será adotada integralmente a proposta do Mec, na qual o estudante escolhe cinco cursos em no máximo cinco universidades, independente da região do país - após a realização do Novo Enem e quando o aluno souber da nota no exame. A implementação do novo processo pela Ufersa foi aprovada na quarta-feira, dia 29, pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão e ontem, dia 30 de abril, pelo Conselho Universitário. Josivan Barbosa aponta diversos pontos positivos com a adoção do novo modelo. O grande ganho disse o reitor é que a universidade vai receber alunos mais qualificados, pois este novo exame vai exigir mais criatividade, já que a 'decoreba' utilizada no modelo tradicional não ocorrerá mais. Além disso, ele enfatizou que o acesso será gratuito, o que possibilitará que alunos pobres, ricos, independente da classe social, possam fazer o exame e cursar universidade. Um dos próximos passos para a implementação do Novo Enem na UFERSA será a realização de uma reunião. Para isso disse o reitor serão convocados todos os professores e diretores do ensino médio de todas as escolas da região para explicar o novo processo. Conforme a proposta do Mec há quatro formas de participação nos novo modelo. As universidades poderão usar o Enem como prova única, como primeira fase, combinado à nota do vestibular tradicional ou para seleção de estudantes para vagas remanescentes. Com este novo modelo, o Ministério objetiva fazer uma seleção por meio de quatro provas e uma redação que seriam aplicadas em dois dias, uma espécie de novo Enem. Os testes seriam de linguagens e códigos, matemática, ciências naturais e ciências humanas, cada um com 50 itens.

ASSU CONQUISTA EM CAICÓ O TITULO INEDITO DO CAMPEONATO ESTADUAL 2009


O campeão do primeiro turno, que também já tinha garantido a Copa do Brasil do próximo ano, o Assu, é agora também o grande vencedor do Campeonato Estadual 2009 e o representante do RN na Série D do Brasileirão. Isso porque o time perdeu para o Potyguar de Currais Novos por apenas 2 a 1 - podia ser derrotado por até dois gols de diferença - no estádio Marizão, em Caicó, nesta sexta-feira (1), e garantiu o título inédito na história do clube.


Com uma vantagem conquistada no primeiro jogo, disputado em Assu, quando venceu por 4 a 1, o Assu jogou como se diz, “como o regulamento embaixo do braço”, e, mesmo tendo feito dois gols contra e marcado apenas um a favor, o Camaleão do Vale conquistou o Estadual. “Víamos bem nos outros anos e, desta vez, finalmente chegamos ao título. Agora, é só comemorar”, afirma o presidente do clube, Daílson Machado, após o jogo.


Ao Potyguar de Currais Novos, restou o prêmio de consolação: a vaga na Copa do Brasil de 2009. Além disso, é importante lembrar que os dois times já haviam entrado para a história do Campeonato. Até este ano, nunca o título tinha sido decido por times que não fizessem parte do eixo Natal-Mossoró.

Jogo amigo, mas caneto para o Assu

A chuva e o vento forte não afastaram a torcida de Assu de uma verdadeira invasão ao Marizão em Caicó. Da mesma forma que os curraisnovenses não desistiram mesmo com o placar contra de 4 a 1. Melhor para os jogadores dos dois times, que foram contagiados pelo apoio vindo da arquibancada. Logo nos primeiros minutos, o goleiro do Assu, Erasmo, teve que trabalhar e fazer uma defesa “no susto” no belo chute de Leandro.


Depois não teve como Erasmo evitar que o Assu sofresse com o fogo amigo aos 32 minutos do primeiro tempo. Cobrança de falta de Leandro e o assuense Lano desviou de cabeça e mandou contra as próprias redes: 1 a 0 Potyguar. Quatro minutos depois, o Camaleão jogou um balde de água fria no ímpeto seridoense. Leandro Mineiro cobra falta, o goleiro Nilson bate-roupa, e Luciano Paraíba pegou o rebote e tocou entre as pernas do arqueiro, empatando o placar.
No segundo tempo, mais fogo amigo contra o Assu. Nininho cobrou falta da direita e novamente o zagueiro alviverde desviou de cabeça e mandou para o fundo do gol. Erasmo ficou mais uma vez batido no lance. Com mais um atacante em campo, com Roberto no lugar de Roquete, o Potyguar continuou em cima do adversário e quase ampliou a vantagem aos 21 minutos. Leandro cobra falta e a bola bate no travessão.


O terceiro gol que poderia dar uma esquentada ainda maior no jogo acabou não saindo. Mas nem por isso a partida não foi dividida dentro de campo. Como forma de barrar o contra-ataque rápido do Assu, Jeferson cometeu falta dura em Luis Carlos e recebeu o segundo amarelo e o vermelho. Dez minutos depois, aos 40 da etapa final, o meia Thiago é outro curraisnovense a levar o vermelho e deixar o gramado.
Chorando no vestiário, o jovem camisa 10 do Potyguar viu o adversário apenas administrar os últimos minutos e ficar com o título inédito.


Ficha técnica:Nilson; Leandro, Everaldo, Jefersson e Nininho; Roquete (Roberto), Emerson, Gil Pernambucano e Thiago; Quirino e Carlinhos (Maceió). Técnico: Neto Mathias
Potyguar-CN (2):


Assu (1): Erasmo; Tiago, Pedro (Jefersson), Pantera e Ribamar; Lano, Alan, Alisson e Leandor Mineiro; Marcelo Assu (Somália) e Luciano Paraíba (Luís Carlos).

Técnico: Hugo Sales


Árbitro: Suelson Diogenes

Assistentes: Milton Otaviano dos Santos e Adeilma Luzia da Silva

Horário: 17 horas

Estádio: Marizão (Caicó)

Público pagante: 1.456

Renda: R$ 32.280

Fonte: Tribuna do Norte