i

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Editorial: Quem ganha e quem perde com a nova eleição?


Hoje refiz esta nova reflexão comigo mesmo: Quem ganha e perde com a nova eleição? E sem titubear veio a resposta: O POVO. Sim o povo, aqueles que trabalham dia a dia, que acorda cedo pra bater o ponto e ganhar o pão de cada dia, o povo que exerce as suas funções nas mais diversas esferas dentro e fora do poder público, nas empresas privadas ou seja lá qual cargo ou função exerça ou tenha ligação direta ou não com o governo municipal. 


Vejo sobre a tela de um computador, as pessoas digladiando-se, além de trocar acusações pessoais na rua. Ele é culpado, ele é inocente.

Não tenho dúvidas que uma nova eleição é um retrocesso, sim um retrocesso. Diariamente lutamos para que tenhamos uma política democrática e não ditatorial, mas o que vejo é um jogo de interesses. Um trabalho sujo.

Não existe grupo bom ou mal, existe pessoas, as quais querem ver uma cidade que cresça, seja lá de qual lado for. Mas há pessoas que insistem em discutir em busca de se favorecer. É preciso que estas pessoas amadureçam, cresçam intelectualmente de uma forma mais humanizada. 

Dezenas de prefeitos já passaram a exercer o cargo mais importante do município, o de prefeito, e deram sua contribuição uns mais, outros menos. Não estou para dizer quem fez mais, ou quem fez menos, cada um faz disso aqui a própria reflexão.

Hoje sem dúvidas não vivemos na cidades das maravilhas, nenhuma cidade do país vive, mas também não vivemos em uma das piores do RN, vejo tantos avanços quanto antes, tantos desafios e barreiras vencidas, e em busca de um só proposito, ver está terra se desenvolver. Há muito ainda o que fazer, não tenho a mínima dúvida, mas como fazer? Quem pode fazer? Apenas o gestor, ou a população?

Uma discussão sem fim recomeça em torno desta pequena ilha. Muita demagogia e hipocrisia salta da dela do computador para a vida real de uma pequena parte da população. 

Já vi tempos de que antes um pequeno grupo se beneficiava do que se deveria ser público e de todos, pessoas que eram beneficiados com grandes salários e gratificações, que cresceram e construíram grande império, e por não saberem administrar ruíram novamente, natural, tudo que vem fácil, vai embora fácil. 

Ipanguaçu viveu em 2012 um dos momentos históricos, a população queria a continuidade de uma mudança. Nunca nenhum prefeito venceria uma eleição em todas as urnas com maioria de mais de 1.800 votos. Mas pareceu em vão já que uma acusação chega aos tribunais, que afirma troca de benefícios em busca de votos. Provas, um papel e fotos de materiais em frente das casas. 

Há! Esqueceram de mencionar que o município está em desenvolvimento, antes só a classe “A” ou “B” faziam reformas nas suas casas, pagavam suas contas em dia, hoje pobre também faz seus destino, trabalha, luta pelos seus ideias e constrói seus sonhos. Prova desse crescimento econômico é o número de casas construídas e adquirias pela população através do programa Minha Casa Minha Vida, além de reformas e aquisição de um carro ou motocicleta. É a classe “C” saindo da miséria, do conformismo, fazendo crescer a esperança de dias melhores. Tudo isso são novas oportunidades que se concretizam-se na cidade. 

Hoje Ipanguaçu torna-se uma nova cidade para investimentos, em todos os recantos, há um pequeno ou micro empresário que investe, gera novos empregos e prova que é possível tornar uma pequena cidade em uma constante mudança para o futuro. 

Não sei até onde poderá ir tanta ganancia e forme de poder. Só espero que a população não perca com tanta politicagem e hipocrisia que paíra sobre as mentes que instem em retroceder, a voltar há um passado, e sem falar que isso acarreta em inúmeros desentendimentos entre famílias, amigos e conhecidos. 

Quero uma Ipanguaçu para todos(as). Que a paz volte a reinar na cidade e que o trabalho e desenvolvimento não cerce. O futuro já começou, e a participação popular é o que faz a diferença.

Sem surpresas, Felipão define convocados para Copa do Mundo


O técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, anunciou a lista dos 23 jogadores convocados para a disputa da Copa do Mundo no Brasil. O evento ocorreu no Rio de Janeiro e contou com a presença de mais de 700 jornalistas, segundo a CBF. Como o próprio técnico havia dito anteriormente, a lista segue uma linha de coerência com o trabalho que vinha sendo realizado e não foge muito daquilo que vinha se especulando pela imprensa e torcida brasileiras. 

E foi exatamente isso que se viu quando o técnico começou a listar os atletas que vestirão a Amarelinha no Mundial. O próprio técnico já havia confirmado anteriormente as presenças do goleiro Júlio César, dos zagueiros Thiago Silva e David Luiz, dos volantes Ramires e Paulinho, dos meias Willian e Oscar e do atacante Neymar.



Restavam apenas quatro vagas em aberto. Na vaga de terceiro goleiro, Diego Cavallieri e Victor disputavam e quem levou a melhor foi o goleiro do Atlético Mineiro.

Na lateral esquerda Maxwell e Felipe Luís brigavam pela reserva de Marcelo. Quem levou a melhor foi o jogador do PSG. Já na zaga, Henrique, do Napoli, foi o escolhido, desbancando Dedé, Miranda e Marquinhos.

A última vaga da lista era disputada até pela posição que o técnico chamaria. Os meias Hernanes e Lucas e o atacante Robinho estavam no páreo. Hernanes ganhou a posição e está na Copa.

Confira a lista completa:
Goleiros
Júlio César (Toronto FC-CAN), Jefferson (Botafogo) e Victor (Atlético/MG)
Zagueiros
Thiago Silva (PSG-FRA), David Luiz (Chelsea-ING), Dante (Bayern Munique-ALE) e Henrique (Napoli-ITA)
Laterais
Daniel Alves (Barcelona-ESP), Maicon (Roma-ITA), Marcelo (Real Madrid-ESP) e Maxwell (PSG-FRA)
Meias
Luiz Gustavo (Wolfburg-ALE), Paulinho (Tottenham-ING), Ramires (Chelsea-ING), Fernandinho (Manchester City-ING), Hernanes (Inter-ITA), Oscar (Chelsea-ING) e Willian (Chelsea-ING). 
Atacantes
Neymar (Barcelona-ESP), Fred (Fluminense), Hulk (Zenit-RUS), Jô (Atlético-MG), Bernard (Shaktar Donetsk-UCR)


Tribuna do Norte

Prefeitura de Ipanguaçu inicia instalação de novo sistema de abastecimento de água em Pataxó

Açude Publico de Pataxó registra o menor volume de água desde sua criação. Foto: Keyson Cunha.

Vários municípios de todo o Rio Grande do Norte vem sofrendo com longa estiagem que assolam todo o estado. Frente a isso, a Prefeitura do município de Ipanguaçu, à 214 km da capital potiguar, vem criando estratégias que possam minimizar os impactos que prejudicam diretamente a população. 

Nos últimos três meses a Secretaria de Obras e Serviços Urbanos (SEMOS) tomou a medida em racionar água em todo o território municipal, na qual a prefeitura abastece 28 comunidade rurais e bairros com 34 motores a custo zero. A estratégia foi disponibilizar o liquido em uma escala semanal, afim de diminuir desperdícios. 

Segundo o órgão com a falta de chuvas os lençóis freáticos tiveram grande redução de água no solo. O mesmo acontece com o açude público de Pataxó que apresenta hoje pouco menos de 23% de sua capacidade. 

O secretário de Obras e Serviços Urbanos, Genilo Rodrigues, disse que o município tem enfrentado problemas com a falta das chuvas, com isso a prefeitura vem estudando medidas que possam a vim minimizar a problemática. “Além da escala de abastecimento montada nas comunidades, temos abastecido as comunidades com carro pipa, mas muitas delas o carro não resolve o problema, como é o caso de Pataxó, uma das comunidades mais populosas, a qual já iniciamos a implantação de um novo sistema de abastecimento”, frisa. 
Instalação do sistema elétrico, na colocação dos postes. Foto: Aluísio de França//Ipanguaçu do Bem



Maquinas e homens iniciaram o trabalham na instalação do sistema elétrico e hidráulico para o funcionamento da tubulação que tem uma extensão de mais de 2,5km e que abastecerá a comunidade que conta com pouco mais de mil habitantes. 


A água levada até a comunidade sairá da lagoa do Canadá, na qual recebe as águas da barragem Armando Ribeiro Gonsalves, através do Canal do Pataxó na qual deságua no rio do mesmo nome. As obras contam com um investimento de mais de 70 mil em recursos próprios, a expectativa é de que o novo sistema de abastecimento esteja em funcionamento em 15 dias. 

Ministério da Saúde e Prefeitura de Ipanguaçu qualificam profissionais de saúde no combate as drogas





O agentes comunitários de saúdes, auxiliares e técnicos de enfermagem da equipe de Estratégia de Saúde da Família (ESF) do município de Ipanguaçu, estão participando da formação em saúde mental, crack e outras drogas oferecida pelo projeto Caminhos do Cuidado.

O projeto faz parte da pactuação do município com o Ministério da Saúde que busca, por meio da formação e qualificação dos profissionais da rede de atenção básica à saúde a formação em saúde mental com ênfase em crack, álcool e outras drogas, visando melhorar a atenção ao usuário e seus familiares.

A secretária de Saúde, Sumaira Fonseca, destaca que as informações repassadas ao profissionais de saúde auxiliam na melhoria dos procedimentos e nas práticas mais eficientes para o atendimento aos usuários de drogas, visando sempre a redução de danos. “Mais do que nunca precisamos estar atentos aos novos problemas de saúde pública, e as drogas é uma delas. Os agentes comunitários estão diariamente com as famílias, com isso ele cumpre papel fundamental na recuperação e prevenção no uso de drogas”.

O curso faz parte de um dos eixo do plano integrado de combate às drogas ‘Crack, é Possível Vencer’ na qual conta com uma cargo horaria de 60h, integrando os temas: Conhecendo o território, as redes de atenção, os conceitos, políticas e as práticas de cuidado em saúde mental; A caixa de ferramentas dos ACS e ATEnf na Atenção Básica e Reforma Psiquiátrica, Redução de Danos e Integralidade do cuidado como diretrizes para intervenção em saúde mental e no uso de álcool, crack e outras drogas.