i

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

‘O meu futuro pertence a Deus’

Entrevista exclusiva:



Leonardo da Silva Oliveira, Prefeito de Ipanguaçu


Eleito pelo Partido dos Trabalhadores (PT), formado em administração de empresas, com 23 anos do mercado de trabalho conduzindo uma rede de postos de gasolina, e 13 anos de atividade no ramo material de construção, exerce atualmente sua primeira experiência em cargo público. Casado com Cristina Oliveira, pai de três filhos (Felipe, Fernando e Laura), deixou a vida empresarial de lado para abraçar essa nova missão que vem desempenhando desde o dia 1º de janeiro de 2009. Filho de agricultor e dona de casa, casal humilde que superou todas as adversidades e conseguiu formação superior de todos os seus filhos em escola pública. Nessa entrevista Leonardo da Silva Oliveira fala de seu primeiro ano de mandato, das dificuldades, perspectivas para o futuro e sobre as eleições deste ano.

Confira os principais trechos:  

2009 foi considerado um ano difícil para os prefeitos. Qual o balanço que o senhor faz desse primeiro ano de seu governo?  

LeonardoRealmente, assumi uma Prefeitura em plena época de crise financeira, queda de arrecadação e, ainda, enfrentamos uma grande enchente. Porém, dentro do que é possível, cumprimos nosso Plano de Governo, com ações como ampliação e recuperação de postos de saúde, contratação de médicos especialistas - cardiologista, psicólogo, fisioterapeuta, ginecologista, ortopedista, bioquímico; aquisição de 8 novos veículos - 4 ônibus, 2 Fiat Uno, 1 doblô e uma ambulância toda equipada para os primeiros socorros e também equipamentos ambulatoriais... Também estamos realizando exames básicos, além de eletrocardiograma e ultracenografia. Conseguimos a desapropriação da maternidade Marola Caldas e já temos recursos de R$ 300 mil reais para reforma e ampliação da mesma.

Os moradores de quase todos os municípios sempre reclamam da falta de sintonia entre aquilo que foi proposto em palanque e as ações realizadas. Sua administração também enfrenta essa complexidade?

- Até o momento não. Dentro das nossas limitações estamos cumprindo nosso plano de governo elaborado para os quatro anos. E o povo tem compreendido nosso trabalho. Por exemplo, dizíamos que iríamos priorizar a saúde e nesse setor temos avançado mais que nossas propostas...

Qual o avanço mais significativo do setor de saúde?

Acredito que foi Implantar o funcionamento de pronto atendimento 24 horas. Isso foi um grande avanço. 

O bom uso do canal de acesso aos governos estadual e federal pode ser o grande responsável pelo sucesso de uma administração. Na condição de aliado do presidente Lula, como o senhor tem gerido essa relação?

- Estive em Brasília várias vezes, inclusive tendo encontros com o presidente Lula e com alguns Ministérios. Temos nos beneficiado com emendas de Através de nossos parlamentares no orçamento da União. Estamos buscando o diálogo também com o governo do Estado.

Ipanguaçu foi uma das cidades mais prejudicadas com as cheias dos dois últimos anos. Qual a dimensão desse prejuízo para a economia do município?

- Prejuízo incalculável com o desemprego e o receio de novos investimentos por parte das grandes empresas e dos pequenos e médios agricultores que perderam suas safras. Todos ficam temerosos, inclusive os comerciantes, as famílias que tiveram suas residências danificadas... E hoje, A nossa grande preocupação tem sido buscar alternativas que venham resolver os problemas ocasionados pelos rios que nos banha.

...E as ajudas do governo, o que de fato chegou e o que falta ser feito?

- Quanto ao governo federal, recebemos ajuda para construção de 72 casas, 14 mil metros quadrados de pavimentação e 65 quilômetros de recuperação de estradas vicinais.

O senhor acha que o bolo arrecadatório é mal distribuído? Ou seja, o município que está mais próximo do povo e tem maior responsabilidade, quase sempre ver suas receitas diminuindo...

Sim, há necessidade de que os governos invistam mais nos municípios, pois, é aqui que as pessoas vivem, trabalham e educam seus filhos; é aqui que estamos juntos na alegria e na tristeza e os demais entes federativos muitas vezes não conhecem nem os problemas municipais.

O que acha dessa “briga” sobre a redistribuição do ICMS aos Municípios?

- É preciso que as lideranças políticas ao vencer as eleições tratem os municípios de maneira semelhante uns aos outros, não importa se o município tem 10 mil ou 100 mil habitantes.

Prefeitos por todo o país têm dito que uma das grandes dificuldades é com a folha de pagamento e encargos sociais... Como está a situação de Ipanguaçu em relação a isso?
 
- Quanto a essa questão estamos com a folha de pagamento dentro dos limites estabelecidos por lei, e ainda garantindo direitos aos servidores com a implantação do Plano de Cargos, Carreira e Salário, e sempre com a certeza de que no final do mês seus vencimentos estarão creditados em suas devidas contas.


Como foi sua adaptação ao fato de passar a ser prefeito, após anos e anos dedicados ao ramo empresarial?


Risos... Estou dando tudo de mim, quero ser consciente que fiz o possível. Tenho tido muita cautela, sensibilidade, ouvido as pessoas e pedido muito a Deus que me dê muita sabedoria para fazer o melhor por minha terra.

Com esse curto tempo na cadeira de prefeito, o senhor tem algum arrependimento?

Acredito que nada na vida do homem é por acaso. Arrependo-me apenas das coisas que poderia ter feito ontem e não fiz.

Quais as obras mais marcantes de seu mandato até aqui?

Recuperação do estádio de futebol Joacir Fonseca que estava desativado há mais de 12 anos. A restauração de todas as escolas municipais, praças centrais da cidade, o ginásio de esportes de Arapuá... Enfim, todas as obras, por menor que seja, são importantes.

O que não conseguiu fazer ainda e que já está na agulha?

O Matadouro Público, em processo de licitação.

O município tem vários projetos de assentamentos. Qual a situação hoje do agricultor familiar? 

Consegui uma maquina mecanizada que compõe de um trator 4x4 e equipamentos agrícolas para fortalecer os pequenos agricultores e assentados para trabalharem em suas terras. Estamos implantando uma feira itinerante de 80 barracas para garantir a comercialização de toda a produtividade do homem do campo.

Quais seus projetos para o turismo no seu município?

Quero que Ipanguaçu se mantenha com essa graça de cidade hospitaleira, que recebe bem seus visitantes, que todos os cidadãos tenham qualidade de vida, que as nossas águas ofereçam saúde e tenhamos segurança. O turismo pode criar muitas oportunidades de emprego, por isso vamos investir no Complexo Turístico do Pataxó, investimento em média de R$ 900 mil reais. Estamos em estudo de nossas potencialidades para buscar projetos que venham desenvolver nosso município.

Em que medida tem sido o relacionamento com a Câmara de Vereadores, onde, além da bancada de apoio, alojam-se opositores, insatisfeitos e outros perfis sempre dispostos a criar dificuldades para qualquer administração?

Poderia ter sido melhor, mas acredito que a cada dia, nossa credibilidade, nosso trabalho contribuirá para a união de todos ipanguaçuenses.

Prefeito, muitos políticos e jornalistas costumam defender a união política e administrativa dos municípios do vale do Açu para defender projetos em comum. Como o senhor avalia a experiência do Consócio Vale Unido até agora?

O Vale do Açu foi contemplado pela criação deste consórcio e hoje podemos dizer que os nossos municípios cresceram, pois se a região melhora, os municípios melhoram também. Por isso acho importante buscamos projetos em conjunto para o crescimento do nosso vale.

Politicamente, já projeta seu futuro?

Meu amanhã sempre estará projetado por Deus.

O Senhor já definiu seus candidatos para a eleição deste ano? Poderia nos dizer?

Estou aguardando quais serão os candidatos.

Como o senhor vê o papel da imprensa?

Muito importante, sem dúvida. A liberdade de imprensa veio criar condições de interação entre os seguimentos sociais. É preciso divulgar os fatos, fazer as críticas, elogios e muitas vezes expor os problemas para a população. Isso ajuda os administradores a ter mais responsabilidade.


FONTE: Ecrito por Toni Martins


Saúde


A secretaria de Saúde de Ipanguaçu estará  disponibilizando nesta quinta-feira (21), hoje,  uma equipe especializada em oftalmologia para realizar exames de glaucoma.

Os serviços serão realizados no Centro de Saúde Tibúrcio da Silveira, a partir das 10 horas. Os exames serão direcionados as pessoas que tenham acima de 40 anos.


Prefeitura do Assu lança edital para contratar concurso público

A prefeitura do Assu através do Diário Oficial do Município (DOM), publicou nesta quarta-feira, 20, o extrato da Tomada de Preços nº 124/2009, voltada para a contratação de uma empresa que ficará responsável pela realização de concurso público na esfera do executivo assuense.

A prefeitura do Assu já obteve do legislativo a aprovação que dispõe sobre a criação de cargos nas secretarias municipais de Saúde e de Educação e Cultura. A mensagem define a criação de 10 cargos de Agente Comunitário de Saúde, 70 cargos de professor de Educação Infantil ao Ensino Fundamental e, ainda, 03 de professor de Português; 04 de Matemática; 02 de Inglês; 01 de História; 02 de Ciências; 03 de Educação Física; 01 de Geografia; 17 Auxiliar Administrativo Educacional; 03 Inspetor Escolar; e, 01 Nutricionist.
 Fonte: Blog de Alderi Dantas