i

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Em posse de secretários e assessores Prefeito Leonardo Oliveira pede esforço redobrado



Em cerimônia na sede da Prefeitura Municipal de Ipanguaçu, tomaram posse na manhã desta terça-feira (08) secretários e assessores do governo municipal. Que contou também com a presença do presidente da Câmara Geraldo Paulino e do vereador, Jaires Azevedo.

Em seu discurso o prefeito Leonardo Oliveira, destacou a importância de ambos terem realizados um ótimo trabalho nas pastas do governo municipal, e que certamente serão bem sucedidos em mais essa etapa, “durante quatro anos quebramos paradigmas antes nunca enfrentados, agora é seguir com o ritmo, e redobra os esforços. Acredito no potencial de cada um, e espero que todos possam trabalhar unidos e de forma transparente” disse o prefeito.

Leonardo ainda salientou que espera continuidade do trabalho que está sendo desenvolvido, e que todos possam contribuir para quebrar os desafios que possam vim a aparecer nos próximos anos, “nos comprometemos no período eleitoral em fazer muito mais, e quero a colaboração de todos. Esta equipe está muito bem preparada e espero que possamos trabalhar ainda mais para atender aos anseios do povo ipanguaçuense e ajudar a melhorar ainda mais a qualidade de vida da população” destacou o jovem prefeito que da inicio ao seu segundo mandado.

Confira a relação dos secretários e assessores de Ipanguaçu:

-Chefe de gabinete, Thales Praxedes;
-Secretário de administração, Silvio Nobre;
-Secretário de Finanças e Tributos, Washington Rodrigues;
-Secretária de Assistência Social, Cristina Oliveira;
-Secretária de Saúde, Sumaira Fonseca;
-Secretária de Educação, Jeane Dantas;
-Secretário de Esporte e Lazer, Marcos Bezerra;
-Secretário de Obras e Urbanismo, Genilo Rodrigues;
-Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Mario Silverio;
-Secretário de Cultura e Turismo, Fernando Neto;
-Tesouraria, Fernanda Cristina;
-Assessor Contábil, Marcos Cezar Cavalcante;
-Assessoria Jurídica, Ivanaldo Salustino.

MEC divulga nova lista de cursos superiores com avaliação ruim

Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior do Ministério da Educação publicou na edição desta terça-feira (8) do “Diário Oficial da União” uma nova relação de cursos de graduação que obtiveram resultados insatisfatórios no Conceito Preliminar de Curso (CPC) referente ao ano de 2011.
lista  tem 38 cursos de 20 instituições de ensino superior, sendo quatro universidades federais, cinco universidades particulares, quatro institutos federais e sete centros universitários.
Os vestibulares para estes cursos não serão suspensos. No entanto, as instituições que organizam os cursos terão de cumprir medidas cautelares preventivas de ajustes para melhoria da avaliação destes cursos. Todas as instituições que tiraram igual ou menor que 2 no CPC serão convocadas a estabelecer um protocolo de compromisso junto ao MEC e terão de gerar relatórios a cada dois meses sobre o andamento das mudanças. Elas terão 60 dias para cumprir as exigências relacionadas ao corpo docente, como contratar novos mestres ou doutores, por exemplo; e 180 dias para se adequar na questão da infraestrutura, como criação ou reforma de laboratórios ou bibliotecas.

Data de posse de presidente, governadores e prefeitos poderá mudar


Os convidados para a posse da pessoa escolhida em 2018 para ocupar a Presidência da República talvez não precisem estar no Congresso Nacional poucas horas após as festas da virada do ano. A cerimônia deverá ocorrer no dia 15 de janeiro de 2019, segundo determina a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 38/11, do senador José Sarney (PMDB-AP), que está pronta para votação em Plenário.
O texto a ser votado em primeiro turno pelos senadores, que compõe um conjunto de iniciativas da reforma política, é um substitutivo adotado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Uma vez aprovado em dois turnos pelo Plenário do Senado, será enviado à análise da Câmara dos Deputados.
De acordo com a proposta, o mandato do presidente da República permanece de quatro anos e terá início no dia 15 de janeiro do ano seguinte ao da eleição. A regra, porém, só valerá para os eleitos em 2018. A pessoa escolhida para ocupar o Palácio do Planalto no ano que vem tomará posse, como ainda é norma, no dia 1º de janeiro de 2015.
Da mesma forma, os mandatos de governadores eleitos em 2014 começarão em 1º de janeiro de 2015. Mas os escolhidos para governar os estados a partir de 2018 tomarão posse no dia 10 de janeiro do ano seguinte. Os prefeitos escolhidos a partir de 2016, por sua vez, começarão seus mandatos no dia 5 de janeiro.
Uma das principais mudanças previstas pela proposta diz respeito justamente às eleições municipais. Segundo o texto a ser votado em Plenário, os mandatos dos prefeitos eleitos em 2016 terão a duração de apenas dois anos. Dessa forma, prevê-se a coincidência geral de eleições a partir de 2018.

Governo Federal autoriza repasse de R$ 500 milhões para agricultores da região Nordeste



O Governo Federal autorizou repasse de mais de R$ 500 milhões para os agricultores e empreendedores atingidos pela estiagem nos Estados do Nordeste e em parte de Minas Gerais, na região do semiárido brasileiro. O total de recursos disponibilizados pela linha emergencial de crédito chegará à marca de R$ 2,4 bilhões até fevereiro. A informação é do Ministério da Integração Nacional.
Segundo a Agência Brasil, os recursos fazem parte de uma linha emergencial de crédito operada pelo Banco do Nordeste do Brasil (BNB). O limite de crédito varia de R$ 12 mil a R$ 100 mil, com juros de até 3,5% ao ano. A maioria dos créditos contempla pequenos produtores rurais enquadrados no Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), em operações com juros de 1% ao ano e prazo de 10 anos para pagamento, com até três anos de carência.
Para o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, os recursos autorizados pela presidenta Dilma Rousseff (PT) vão contribuir para redução dos prejuízos dos agricultores e pecuaristas. “A prioridade do governo é apoiar os agricultores familiares na manutenção de suas atividades mesmo nessa situação adversa”, ressaltou o ministro.