i

sábado, 1 de agosto de 2009

Agência de Águas reconhece nova extensão da bacia do rio Piranhas/Açu


O geólogo assuense, Eugênio Pimentel, que há muito tempo vinha questionando a nascente do rio Açu, teve seus esforços reconhecidos pela Agência Nacional de Águas (ANA). Conforme comunicado do Superintendente de Gestão da Informaçãodo órgão, Maurício Cezar Rebello Cordeiro, o curso d'água principal da bacia já adquiriu uma nova extensão.

Eis na íntegra a resposta ao questionamento de Eugênio Pimentel: Com base na cartografia de 1:1.000.000 do IBGE, de onde foi extraída a base de dados oficial da ANA, o rio cuja toponímia é “Piranhas ou Açú” tem uma extensão de 294,02 km, conforme pode ser visto na figura 1.

Vale ressaltar, entretanto, que o curso d'água principal da bacia, com base na resolução 399, é formado por um trecho do rio Piranhas ou Açú, de sua foz até sua confluência com o rio Piancó, o próprio rio Piancó e riacho Santa Inês, mencionados em seu questionamento.

SECRETARIA DE SAÚDE DISCUTE PLANO PARA REDUÇÃO DA MORTALIDADE INFANTIL E MATERNA DO RN

Na próxima segunda-feira (3), a Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap), o Comitê de Mortalidade Materna, as Unidades Regionais de Saúde (Ursaps) e a representante do Ministério da Saúde em Vigilância de óbitos materno, infantil, fetal e mal definidas, se reunirão na Sesap para discutir propostas que acelerem a redução de mortalidade infantil no Estado. O termo de compromisso “Mais Nordeste pela Cidadania”, firmado entre o Governo do Estado e o presidente da República, fortalecerá os nove municípios responsáveis por mais de 50% dos óbitos infantis do RN. São eles: Natal, Parnamirim, Macaíba, São Gonçalo do Amarante, Ceará-Mirim, Currais Novos, Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros. Para a redução em 10% da mortalidade infantil, no período de 2009/ 2010 foi elaborado um Plano de Ação que visa fortalecer a resposta do Rio Grande do Norte ao compromisso assumido. Esse plano de ação contempla os nove municípios com ações que vão desde a estruturação da Vigilância de óbito, até a qualificação da atenção ao pré-natal, assistência durante o parto, estruturação de maternidades, qualificação de profissionais, implantação de UTIs neonatal e atenção prioritária para as gestantes e recém-nascidos - com especial atenção para a primeira semana de vida. Como desdobramento do Plano a equipe da SESAP está elaborando uma proposta de desenho de rede da assistência perinatal para todo o RN, objetivando assegurar a garantia da referência para assistência ao parto, à gestação de risco e ao recém nascido de risco, proposta esta que será construída com os Colegiados de Gestão Regional e referendada na Comissão Intergestora Bipartite.
FONTE: Rádio Princesa