i

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Prefeitura de Ipanguaçu promove “Ação Cidadania” na comunidade de Pataxó

Foram realizados mais de 900 atendimentos médicos, jurídicos e culturais, entre outros

A população da comunidade rural de Pataxó, distante 25 quilômetros do centro de Ipanguaçu, foi beneficiada nesta quinta-feira (30) com o “Ação Cidadania”, projeto realizado pela Prefeitura do município que ofereceu diversos tipos de atendimento de saúde e jurídico, além de oficinas culturais e atividades de lazer.

Das 08 às 13 horas, foram registrados mais de 900 atendimentos jurídicos, consultas médicas, odontológicas, nutricionais, exames preventivos, vacinação, oficinas de dança e música, jogos e brincadeiras, atendimentos especiais aos idosos, oficinas de educação e leitura, palestras, entre outros. Todas essas atividades foram sediadas na Escola Estadual Maria da Glória.

As ações receberam a visita da equipe pedagógica da Secretaria de Educação e Cultura da Prefeitura de Parnamirim, que veio conhecer de perto os projetos de incentivo a leitura e as experiências vivenciadas em Ipanguaçu.

De acordo com o prefeito Leonardo Oliveira, o Ação Cidadania é mais uma forma encontrada pela prefeitura de continuar prestando serviços à comunidade de maneira eficaz, independente da distância das comunidades em relação À sede do município. “Além do projeto “Prefeitura nas Comunidades”, que ainda virá a ser realizado na comunidade de Pataxó, estamos trazendo o serviço “Ação Cidadania”, que atende a população com mais praticidade e tem o objetivo de promover a cidadania saudável, reduzindo as desigualdades sociais e estimulando o desenvolvimento. Estamos avançando e investindo para a constante melhoria da qualidade de vida dos ipanguaçuenses”, afirmou Leonardo.

Para a aposentada Alice Batista Alves de 61 anos, moradora de Pataxó, o serviço oferecido é de grande importância para todos da comunidade, “Fui atendida pelos doutores, aferiram minha pressão e estou participando do encontro com os outros idosos. Esse trabalho é muito importante para todos nós. Estou muito feliz por esse momento”, disse a senhora.

Além do serviço oferecido pela prefeitura, os vereadores realizaram a “Câmara Itinerante”, que consistiu em uma sessão da Câmara na comunidade rural, estimulando a participação local.

Mais fotos (AQUI)

Prefeitura de Ipanguaçu inicia qualificação de cidadãos para a construção civil

A Prefeitura de Ipanguaçu iniciou na noite da última quarta-feira (29) cursos profissionalizantes de Pedreiro, Pintor e gesseiro. Abertos à população, os cursos são frutos de uma parceria entre a prefeitura e o Ministério do Trabalho e emprego e estão sendo realizados na Escola Municipal do Conjunto Habitacional Presidente Lula.

De acordo com o Prefeito Leonardo Oliveira, os cursos são voltados para aquelas pessoas que necessitam de uma capacitação profissional. “O mercado a cada dia está mais exigente. Precisamos qualificar os moradores de nossa cidade. A intenção é também realizar um cadastro onde todos os profissionais já qualificados possam ser encontrados pelos empregadores”, disse Leonardo.

Ainda segundo o prefeito, o principal objetivo da realização dos cursos é auxiliar na renda das famílias. Mais de 70 homens e mulheres estão matriculados, e terão aula praticas e teóricas com a carga de 200 horas.

Consumo de energia cresce 5,21% no RN e é maior que média nacional

Nos últimos 12 meses, o crescimento no consumo da eletricidade no Rio Grande do Norte foi de 5,21%, segundo informações da Companhia Energética do Rio Grande do Norte (COSERN). Esse número é quase 1% maior do que a média do Nordeste, que nos últimos 12 meses registrou aumento de 4,4%.

De janeiro até maio deste ano, o consumo do serviço au-mentou 0,88% em relação ao mesmo período de 2010. Em comparação com o Nordeste, o crescimento foi pra-ticamente um terço menor. De acordo com o boletim mensal da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), nos últimos cinco meses o NE consumiu 2,7% a mais do que o mesmo período de 2010.

O boletim mostra que, em maio, houve redução de 0,9% no consumo residencial do RN. Segundo o EPE, isso se deu devido à antecipação do período chuvoso, que deixou a temperatura mais baixa na comparação com o ano passado, explicando um consumo menor de eletricidade nas residências.

Retração também no consumo de energia nos setores de comércio e serviço. A redução foi de 2,1% frente a 2010. A contração foi registrada também nos Estados de Pernambuco (-1,5%), Ceará (-4,9%) e Alagoas (-03%). Em todo o Nordeste, inclusive, o consumo foi praticamente o mesmo do ano passado (variação de -0,1%). O Nordeste também apresentou decréscimo do consumo total (-1,2%), decorrente do desempenho negativo do segmento industrial.

PAÍS
O consumo nacional de energia elétrica somou 35.221 gi-gawatts-hora (GWh) em maio deste ano, ficando 2,8% acima do mesmo mês de 2010. No acumulado do ano, o consumo total aponta para um aumento de 3,8% e, em 12 meses, de 5,6%. A pesquisa revela que no Brasil o consumo residencial de energia elétrica totalizou, no último mês de maio, 9.141GWh, ficando 5% acima do mesmo mês de 2010.

Fonte: Jornal de Fato

Cerca de 80% dos selecionados não efetuaram matrícula

ufersa_fachada

Os estudantes aprovados na primeira chamada do Sistema de Seleção Unificada (SiSU) para a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) tinham até anteontem, terça-feira, para efetuar as matrículas. No próximo sábado, será divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) a segunda chamada do processo seletivo.

A atenção deve ser redobrada porque são muitas as vagas disponíveis na Ufersa para a segunda chamada. É que 77% das vagas não foram preenchidas. Das 1.015 disponibilizadas, apenas 229 tiveram as matrículas concretizadas.


O pró-reitor de Graduação, professor Arimatea Matos, informa que o curso que obteve o maior número de matrículas foi o bacharelado em Ciência e Tecnologia, noturno, do campus da Ufersa de Angicos, com o percentual de 48% das vagas preenchidas. Nos campi de Mossoró e Caraúbas, o mesmo curso também no turno noturno obteve percentual de 34%.As matrículas da segunda chamada ocorrerão dias 5 e 6, terça e quarta-feira. Após esse período, o sistema do SiSU gera uma lista de espera disponível para as instituições selecionarem os candidatos para as vagas remanescentes.


Podem entrar na lista os estudantes que não foram selecionados em nenhuma das opções escolhidas nas duas primeiras chamadas. Os interessados deverão fazer as inscrição no próprio sistema, entre os dias 2 e 7 de julho.Para realizarem as matrículas, os novos alunos da Ufersa devem apresentar, nos campi onde foram aprovados, a cópia e original do RG, CPF, certidão de nascimento, ou casamento, Certificado de Alistamento Militar (para os candidatos do sexo masculino); documento original do Histórico Escolar e mais duas fotos 3x4, iguais e recentes. O horário de atendimento aos novos estudantes é das 7h30h às 11h30 e das 13h30 às 17h30. 
Seleção é feita com base no desempenho do Enem
O Sistema de Seleção Unificado (SiSU) é o mecanismo gerenciado pelo Ministério da Educação (MEC) por meio do qual as instituições públicas de educação superior participantes selecionam candidatos pela nota obtida no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem).

O processo seletivo do SiSU 2º/2011 seleciona candidatos para ingresso em cursos com início no segundo semestre de 2011. A Ufersa disponibiliza 665 vagas em Mossoró, 200 no campus de Angicos e no 150 no de Caraúbas.

Dos cerca de 20% dos aprovados que fizeram a matrícula da primeira chamada para os cursos do Campus Central, estava Higina Moreira, oriunda de Fortaleza, e que já possui graduação e mestrado em Fisioterapia e tinha sido aprovada no primeiro semestre para o curso de Medicina Veterinária da Ufersa, mas por causa do trabalho não pôde se matricular.

"Passei novamente nesse semestre para o mesmo curso e dessa vez vou cursar. Espero que seja bom e que eu encontre aqui uma boa estrutura de laboratórios e um bom ingresso no mercado de trabalho", completou.
A também cearense Brenna Pinheiro, de Russas, fazia Administração na Ufersa, mas, segundo ela, seu maior sonho só foi concretizado agora, quando ela viu seu nome na lista dos aprovados para Biotecnologia.
"Sempre sonhei em trabalhar na área da biotecnologia, como, por exemplo, o setor farmacêutico", explicou. Brenna ainda explicou o motivo pelo qual escolheu a Ufersa para estudar. "Aqui em Mossoró os cursos ganham muito espaço na academia, e a Ufersa é muito procurada pelos que buscam formação", comentou.

Fonte: O Mossoroense 

Festa Junina do ProJovem








Fátima Bezerra faz apelo para que Rosalba Ciarlini dialogue com servidores

A deputada federal Fátima Bezerra (PT) subiu hoje (30) à tribuna na Câmara Federal e renovou o apelo ao Governo do Estado para que seja encontrada uma solução para o impasse que envolve as greves dos profissionais de Educação, policiais civis e servidores públicos da administração indireta no Rio Grande do Norte.

Ela fez um apelo à governadora Rosalba Ciarlini (DEM) para que apresentasse contra-propostas aos funcionários – os profissionais de Educação estão parados há mais de 50 dias.

“Quero fazer um apelo ao governo Rosalba Ciarlini para que, ao invés de vir com ameaças, de cortar ponto e alegar ilegalidade de greve, ao invés de vir com esse tipo de postura, sente à mesa com os servidores, respeitando inclusive a Assembleia Legislativa no seu papel de mediadora”.

Antes, ela havia dito que o deputado estadual Fernando Mineiro (PT) e o presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta, tomaram a iniciativa de criar uma comissão para servir de ponte entre o governo e os servidores, mas o governo manteve-se insensível.

“O que mais nos espanta é que, passado esse tempo todo, o governo Rosalba Ciarlini demonstra um imobilismo, uma paralisia (...) O que os servidores públicos do meu estado estão lutando é por direitos. Eles não estão pedindo nada demais. Eles estão pedindo que o Estado cumpra a lei”.

Os funcionários estaduais entraram em greve em setores e períodos diferentes, mas com uma só razão: forçar o governo estadual implantar seus planos de cargos, carreiras e salários, aprovados na Assembleia Legislativa em anos anteriores. “É de uma ingenuidade sem tamanho pensar que os servidores públicos iriam abrir mão de diretos conquistados a duras penas”, concluiu a deputada.