i

quinta-feira, 23 de abril de 2009

EROSÃO ATINGE PAREDE DA BARRAGEM ARMANDO RIBEIRO GONÇALVES

BURACO NA PAREDE DA BARRAGEM
_____________________________________________________
EROSÃO A EXEMPLO DO ANO PASSADO
______________________________________________
É só chover um pouco mais e a história se repete: buracos aparecem na parede da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves. No ano passado, eram três enormes crateras, uma delas com aproximadamente três metros de profundidade. Agora, dois buracos voltaram a aparecer na junção das calhas da parede do açude. Material usado na construção da parede vem sendo levado pela água da chuva, agravando o problema.
FONTE:JEAN LOPES

COMPERVE DIVULGA EDITAL PARA ISENÇÃO DA TAXA DO VESTIBULAR;


A Comissão Permanente do Vestibular da UFRN – Comperve publicou edital com as normas para a solicitação de isenção do pagamento da taxa de inscrição no Vestibular 2010 para os cursos de graduação, no site www.comperve.ufrn.br. As inscrições serão feitas exclusivamente pela internet, das 8h do dia primeiro de maio às 23h59 do dia 31. O número de isenções será definido pelo Conselho de Administração – Consad. Podem requisitar a isenção os alunos que tenham cursado, com aprovação, da quinta a oitava séries (sexto ao nono ano), mais os dois primeiros anos do ensino médio ou curso equivalente, em escolas da rede pública ou instituições filantrópicas, de acordo com o Conselho Nacional de Assistência Social e/ou Municipal. Para se inscrever, o candidato deve acessar o site da Comperve, preencher integralmente o formulário de inscrição, imprimir o comprovante de solicitação da isenção e entregá-lo ou enviá-lo para a sede da Comperve, junto com as cópias autenticadas do histórico escolar do ensino fundamental e médio. Deve também entregar a declaração de que está cursando, em 2009, o último ano do ensino médio e documento de identificação. A sede da Comperve fica no Campus Universitário, Lagoa Nova, por trás do Departamento de Artes da UFRN, nas proximidades da BR 101, e funciona das 8h às 11h30 e das 14h às 17h30. Mais informações no site www.comperve.ufrn.br ou pelo fone 3211-9203.

A água Volta ao Frei Damião.


Frei Damião 23 de Abril, 2009.



Hoje bem sedo, a água voltou ao bairro Frei Damião, agora com mais intencidade, a prefeitura de Ipanguaçu já esta se mobilizando a retirar os residentes desses bairros que poderam serem alagados novamente.


Hoje a Rádio princesa do vale e seu jornalista Edmilson da Silma, contou qual era a cota da Barragem Armando Ribeiro Gonzalves localizada na cidade de Assú, que hoje de manhã estava na cota de 70 cm, já o Rio Pataxó localizado no municipio de Ipanguaçu estava também com 70 cm, Ele também contou que ontem 22 de abril chovel 100 milimetros aqui em Ipanguaçu.


A qualquer momento voltaresmos com mais noticias,
aguardem...

Secretaria Municipal de Saúde de Ipanguaçu realiza Campanha Nacional de Vacinação do Idoso

A Secretaria Municipal de Saúde de Ipanguaçu está realizando a Campanha Nacional de Vacinação do Idoso. Onde deu-se início dia 16/04/2009 na zona Rural do Município. E será finalizada neste dia 08/05/2009.

Para o dia D da Campanha, no dia 25/04/2009 (Sábado) será montando 04 pontos estratégicos na Cidade de Ipanguaçu objetivando oferecer um atendimento mais preciso aos nosso Idosos. E em caso necessário diante de imobilidade ou impossibilidade de comparecimento de algum idoso aos postos de vacinação nossas equipes de saúde estarão prontas para realizar a vacinação e o atendimento necessário na residência.

CRONOGRAMA DE VACINAÇÃO

DIA 16/04/2009
Sítio Pedrinhas
Sítio Baldum

DIA 20/04/2009
Sítio Tira Fogo
Sítio Angélica

DIA 22/04/2009
Sítio Tabuleiro Alto
Sítio Assentamento Olho D´água

DIA 23/04/2009
Sítio Pedrinhas
Sítio Baldum

DIA 24/04/2009
Sítio Arapuá
Bairro Maria Romana

DIA 25/04/2009 (DIA D)
Centro de Saúde
Presidente Lula
Sítio Ubarana
Manoel Bonifácio

DIA 28/04/2009
Sítio Nova Descoberta

DIA 30/04/2009
Sítio Língua de Vaca

Fonte: Secretaria de Saúde de Ipanguaçu, Sumaria Foneseca.

Barragem de Santa Cruz em Apodi começa sangria


O segundo maior reservatório do Rio Grande do Norte, a barragem de Santa Cruz, no município de Apodi, atingiu a capacidade máxima às 17h de ontem. Os dados foram atualizados neste momento pela Secretaria do Estado de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh).


Integrante da bacia Apodi-Mossoró, a Santa Cruz do Apodi, com capacidade de 599 milhões de metros cúbicos, é uma das mais importantes fontes de abastecimento do Rio Grande do Norte, atendendo a uma população de 108 mil habitantes em 27 cidades. A barragem, que sangrou pela última vez em 2008, será base para a transposição das águas do Rio São Francisco no estado.


No total, os reservatórios do Rio grande do Norte estão com 94% da capacidade. Em todo o estado, a Semarh monitora 46 açudes com capacidade acima de cinco milhões de metros cúbicos. Com o início do período chuvoso, o ritmo de sangria nos reservatórios potiguares está acelerado. Ontem, também transbordou o açude Pau dos Ferros.


Ao todo, os 17 reservatórios que já chegaram a capacidade máxima foram Encanto, no município de Encanto, em Encanto; Passagem, em Rodolfo Fernandes; Beldroega, em Paraú; Novo Angicos, em Angicos; Riacho da Cruz, em Riacho da Cruz; Pataxó, em Ipanguaçu; Mendubim, em Assu; Campo Grande, em São Paulo do Potengi; Marechal Dutra (Gargalheiras), em Acari; Cruzeta, em Cruzeta; Dourado, em Currais Novos; Rio da Pedra e Alecrim, em Santana do Matos; Passagem das Traíras, em São José do Seridó; Armando Ribeiro Gonçalves, em Assu; Pau dos Ferros, em Pau dos Ferros; e Santa Cruz, em Apodi.
Fonte: Diario de Natal

Moradores de Ipanguaçu torcem por inverno brando


O início da sangria na barragem Armando Ribeiro Gonçalves, no último final de semana, não foi motivo apenas de festa para os moradores do Vale do Açu. No município de Ipanguaçu a apreensão é nítida. Em 2008, com o rio Açu cheio, outro rio da região, o Pataxó, teve seu leito “barrado” e suas águas terminaram por inundar toda a cidade. Calcula-se que 4 mil dos 14 mil moradores sofreram com a enchente, muitos dos quais perderam suas plantações e outros tiveram de deixar suas casas.


A aposentada Maria das Neves Bezerra, de 72 anos, foi uma das vítimas. Sua casa, uma das primeiras da zona urbana, virou “leito de rio” e ela e seu marido tiveram de deixar a moradia. “A água atingiu uns dois palmos de altura, a correnteza passava por dentro e por baixo e o piso chegou a ceder um palmo. As paredes racharam e por pouco tudo não caiu”, relembra a filha da aposentada, Maria de Lurdes Bezerra.


Maria das Neves e o marido tiveram de alugar uma residência em Ipanguaçu e depois foram morar com a filha. No último final de semana, as duas limpavam a casa para que a aposentada pudesse retornar, mas a incerteza ainda era grande. “Tivemos de refazer todo o piso, reforçar as paredes, mas decidimos não pintar ainda, por precaução, porque temos medo que tudo volte a acontecer este ano”, admite Maria de Lurdes.


Maria das Neves tem fé de que as cenas de desespero não se repitam este ano, mas sabe que isso vai depender do quanto o inverno será rigoroso. A esperança também é a tábua na qual se sustenta o agricultor José Teixeira do Nascimento. Ele teve parte das paredes de sua casa de taipa destruída pelas águas e decidiu não reconstruí-la. “Quem sabe se vai ter enchente de novo é Deus, mas decidi não tapar. Para quê? Se vier outra chuva como a do ano passado vai tudo embora de novo”, reconhece.


José Teixeira perdeu praticamente tudo e hoje dorme às margens da rodovia de acesso à cidade. Em toda zona rural, porém, o temor é grande, embora o fato de a sangria da Armando Ribeiro ter vindo relativamente tarde reduza o medo. “Se viesse em março, ou no início de abril, nossa preocupação era maior. Mesmo assim ainda ficamos na expectativa que possa acontecer tudo de novo”, afirma o agricultor Francisco de Assis Lopes, cuja casa e dos vizinhos foi tomada pelas águas 12 meses atrás.


Bate-papo: Leonardo Oliveira - Prefeito de Ipanguaçu


A sangria da Armando Ribeiro preocupa a população?Existe uma grande preocupação, mas que realmente só não é maior porque a sangria veio agora, já na segunda quinzena de abril. A nossa preocupação se deve ao fato de a cidade ser banhada por dois rios e um deles, o Pataxó, já chegou a colocar água às margens das comunidades mais baixas da zona rural, este ano, embora tenha reduzido um pouco o volume. Esse rio despeja água dentro do rio Açu. Em função da sangria da barragem, o Açu pode aumentar de nível e as águas do Pataxó terminam não tendo como desaguar e podem acabar alagando a cidade.


E os serviços que seriam feitos para prevenir a cidade das cheias?A limpeza da vegetação no Pataxó, feita pela Secretaria de Recursos Hídricos do Estado, vamos supor que tenha sido feita de 30% a 40%. É que o período de inverno dificultou o andamento.


Essa limpeza resolve, ou o que poderia solucionar em definitivo? Em definitivo, ou pelo menos uns 90%, seria concluir toda a limpeza do rio e o governo ter a responsabilidade de fazer a desassoreamento do Pataxó, com o serviço de dragagem. Agora os trabalhos começaram este ano, em março.


E há algum plano emergencial caso se repitam as inundações? Nossa equipe de Defesa Civil está se preparando, se for necessário, para a retirada de famílias das áreas que vierem a ser afetadas.

Fonte: Tribuna do Norte