i

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Campanha contra hipertensão realiza centenas de atendimentos em Ipanguaçu


Prevenir, controlar e combater uma das principais causas de doenças cardíacas – e mortes – no Brasil. Esse foi o objetivo da campanha “Ipanguaçu no combate à hipertensão – Eu sou 12 por 8”, que vivenciou seu “Dia D” nesta terça-feira (22). Centenas de pessoas tiveram a oportunidade de receber informações educacionais, realizar exames e receber atendimentos médicos.

Segundo dados da prefeitura, há registros de quase 780 pessoas sofrendo de hipertensão arterial em Ipanguaçu, todas com o devido acompanhamento da secretaria municipal de Saúde. “Detectar novos casos de pessoas com a doença é uma das metas da Prefeitura nesta campanha. Por isso, estamos ampliando o acesso das pessoas aos exames e ao acompanhamento médico, possibilitando, desta forma, que a população se previna contra os problemas causados por esta condição. Todos os novos casos detectados, serão registrados e receberão o acompanhamento necessário”, destaca a secretária de saúde Sumaira Fonseca, que a afirmou, ainda, que a campanha continua até o final deste ano.

Nas palestras, os médicos caracterizaram a hipertensão como uma inimiga silenciosa, pois, na maioria das vezes, ela não é percebida pelo paciente. Embora a pressão alta não tenha cura, suas graves consequências podem ser evitadas. O agricultor aposentado João Joaquim da Costa, 63 anos, sabe disso. Morador da comunidade de Picada, na zona rural, assim que foi informado sobre a campanha foi fazer um eletrocardiograma. “Antes isso não tinha em Ipanguaçu, agora tem, e de graça. O bom dessa campanha é que da para ver se está tudo bem”, fala o aposentado.

Para o prefeito Leonardo Oliveira, a campanha é uma iniciativa que contribui para agregar qualidade de vida ao dia a dia da população. “Essa é nossa maior intenção, por isso, acreditamos na campanha e sabemos que conquistaremos importantes resultados para a prevenção da saúde da população”, frisa o prefeito.

Entendendo a hipertensão e seus riscos

Hipertensão arterial ou pressão alta ocorre quando a pressão que o sangue exerce nas paredes das artérias para se movimentar é muito forte. A pessoa é considerada hipertensa quando a pressão arterial está igual ou maior a 14 por 9. Se não tratada, a pressão alta pode provocar derrames cerebrais, doenças do coração, como o infarto, insuficiência cardíaca (aumento do coração) e angina (dor no peito), insuficiência renal ou paralisação dos rins e alterações na visão que podem levar à cegueira.

Os principais sintomas do aumento de pressão arterial são dor de cabeça, cansaço, tonturas, sangramento pelo nariz. Hipertensão arterial não tem cura. Tem controle, com acompanhamento médico, mudanças de hábitos alimentares, realização de exercícios físicos. Essas recomendações estão no banner “Fique atento à Hipertensão”, que a secretaria da Saúde do Estado distribuiu este ano para todas as suas unidades de saúde.

RN ganhará mais 14 parques eólicos

Investimentos superam a marca de R$ 1 bi e deverão beneficiar Pedra Grande, São Miguel e São Bento do Norte
Luiz Freitas e Juliska Azevedo/Diário de Natal *
 

Benefícios anunciados no Rio de Janeiro se estendem a cidades-sede da Copa 2014 Foto: Ana Amaral/DN/D.A Press
O Rio Grande do Norte deve receber mais 14 parques eólicos, um investimento superior a R$ 1,15 bilhão. A informação foi dada ontem pelo vice-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), João Carlos Ferraz, durante entrevista coletiva com jornalistas de cidades-sede da Copa de 2014 no Nordeste, participantes de um workshop promovido pelo banco, no Rio de Janeiro.

Ontem a diretoria do BNDES autorizou o financiamento de R$ 839 milhões a dois grupos de investidores vencedores do último leilão de energia eólica. Os recursos serão utilizados para a compra de equipamentos nacionais entre aerogerados e torres. O grupo Soares Penido irá instalar dez parques nos municípios de Pedra Grande e São Miguel do Gostoso. O investimento chega a R$ 754,6 milhões, dos quais 557,1 milhões (73,8%) serão financiados pelo BNDES. O banco também irá financiar a instalação do sistema de transmissão de energia. Ao todo os parques terão 169,6 megawatts (MW) de potência instalada.

Outro município beneficiado pela eólica será São Bento do Norte, que receberá quatro parques do grupo Galvão Energia. O investimento será de R$ 401,4 milhões para a geração de 94 MW - o banco de desenvolvimento irá financiar R$ 282 milhões, o que representa 70,7% do montante.

Em 2010, o BNDES liberou R$ 805 milhões em financiamentos para o Rio Grande do Norte. Apesar do volume, o valor representa apenas 5% dos desembolsos do banco para o Nordeste - ainda assim proporcional ao peso do estado no PIB nordestino, com participação de 6,4% da geração de riquezas.

João Carlos Ferraz sugeriu que uma parte da produção dos equipamentos necessários ao funcionamento do parque poderia se localizar próximo a eles, alterando o entorno dos parques. "Se há no RN uma demanda tão importante, por que não localizar a produção de alguns componentes das torres no estado, no Nordeste?", incita.

* Viajaram a convite do evento.

+ Mais
BNDES libera R$ 10 milhões a rede hoteleira

Ministério da Saúde vai buscar novos doadores de sangue por meio de cadastro em redes sociais

doacao_de_sangueBrasília – Em busca de aumentar o número de doadores de sangue no país, o Ministério da Saúde decidiu contar com a ajuda das redes sociais. A partir de hoje (23), a página do ministério no Facebook terá um aplicativo em que o internauta poderá se cadastrar como doador de sangue.

O interessado deve informar o nome, o tipo sanguíneo e a região onde mora. Ele não será obrigado a doar imediatamente. Os hemocentros terão acesso ao banco de doadores interessados para poder acioná-los quando for registrada falta de algum tipo de sangue em determinada região.

Com o cadastro virtual, a ideia é que os internautas espalhem a novidade para amigos que vivem na mesma região.

Atualmente, 1,9% dos brasileiros doa sangue regularmente. O percentual está dentro do parâmetro estabelecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que varia de 1% a 3% da população. No entanto, a pressão por mais bolsas de sangue cresce a cada ano no país. As 3,5 milhões de bolsas de sangue coletadas por ano já não têm sido suficientes para suprir a demanda, por exemplo, dos transplantes de órgãos. O ideal é chegar a 5,7 milhões anuais.
Se cada brasileiro doasse duas vezes ao ano, não faltaria sangue para transfusões, calcula o ministério.

O lançamento do aplicativo virtual faz parte da campanha do Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, comemorado no dia 25 deste mês.

Quem pode doar sangue:
- Homens e mulheres de 18 a 67 anos. Jovens de 16 e 17 anos podem doar desde que tenham autorização dos pais ou do responsável legal
- O doador deve pesar mais de 50 quilos e precisa apresentar documento com foto válido em todo o território nacional, como carteira de identidade ou habilitação de motorista
Recomendações:
- Não doar em jejum
- Dormir por, pelo menos, 6 horas antes da doação
- Não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores à doação
- Evitar fumo e comidas gordurosas

Quem não pode doar:
- Pessoas que tiveram hepatite após os 11 anos de idade
- Grávidas e mulheres em fase de amamentação
- Pessoas expostas a doenças transmissíveis (Aids, hepatite, sífilis e doença de chagas)
- Usuários de drogas
- Pessoas que tiveram relação sexual com parceiro eventual sem uso de preservativo

Fonte: Ministério da Saúde
Foto: Divulgação