i

terça-feira, 16 de abril de 2013

Prefeito de Ipanguaçu reúne-se com secretário do Estado de Recursos Hídricos para discutir o projeto de desassoreamento do Rio Pataxó



O prefeito de Ipanguaçu Leonardo Oliveira esteve na manhã de hoje (16) na Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), acompanhado da Deputada Federal Fátima Bezerra e do Deputado Estadual Fernando Mineiro, a fim de discutir sobre o desassoreamento do Rio Pataxó com o novo secretário da Semarh, Leonardo Nunes Rêgo. 

Leonardo cobrou explicações ao novo secretário sobre o convênio firmado em 2011 para o desassoreamento do rio Pataxó, que está orçado em R$ 7,3 milhões que foram captados através do projeto da deputada Fátima Bezerra, ficando a cargo do governo do estado o processo licitatório e execução da obra. 

“O secretário comprometeu-se em pedir a prorrogação do prazo para início da execução da obra de desassoreamento do Rio Pataxó ao Governo Federal, o prazo limite encerra em julho deste ano. Lamentamos o fato do governo do estado não ter se preocupado com uma obra tão importante, não só para os ipanguaçuenses, mas para todo o Vale do Açu e para a economia do RN, pois o município gera emprego e renda a centenas de famílias nas empresas agrícola que perdem milhões por causa das cheias na nossa cidade” disse o prefeito Leonardo Oliveira. 

A Deputada Federal Fátima Bezerra solicitou ao secretário atenção a esse projeto para que o sofrimento das famílias do município de Ipanguaçu não venha mais repetir-se e que possa ser aproveitado o momento da estiagem para a execução da obra. “Não podemos aceitar que venham a chuva e as inundações, trazendo prejuízos à população e à economia local. É de fundamental importância que a obra possa sair logo, adequado-se ao período de estiagem e às condições climatológicas da região” destaca a deputada que acompanhara os tramites para a prorrogação do prazo em Brasília. 


Só em 2011, em que ocorreram as últimas inundações, registrou-se diversas perdas que devastaram plantações, invadiram casas, desabrigaram centenas de famílias e isolaram milhares de pessoas em diversas comunidades rurais, gerando prejuízos às empresas de fruticultura instaladas em Ipanguaçu e aos agricultores rurais, danos que ultrapassaram os 8 milhões de reais. 

O gestor municipal solicitou ainda que a Semarh possa colocar em prática também a recuperação do Canal do Pataxó, que transporta água da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves para o Rio Pataxó e que deflagra ao longo de sua estrutura diversas rachaduras e perfurações, nas quais a água ‘se perde’ antes de chegar ao seu destino na extensão de 9km. Segundo o secretário Leonardo Nunes, o projeto para a reforma do canal está passando pela adequação orçamentária.

Lei de Diretrizes Orçamentárias prevê salário mínimo de R$ 719,48 em 2014


dinheiro no bolsoA Lei de Diretrizes Orçamentárias prevê salário mínimo de R$ 719,48 em 2014 com aumento de 6,12%. O documento, que será encaminhado ao Congresso, servirá de base para o orçamento da União do próximo ano.
A previsão é de que haja um crescimento econômico de 4,5% em 2014, superávit primário de R$ 167,4 bi dos quais R$ 67 bi poderão ser abatidos da economia para pagamento de juros da dívida.

Dilma vai a evento do PT com Lula e defende manutenção da aliança


dilma aliança
O Globo – Com o olhar na disputa eleitoral do ano que vem, a presidente Dilma Rousseff (PT) e seu padrinho político, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participaram juntos, na noite desta segunda-feira, de um de um evento promovido pelo PT de Minas para exaltar os dez anos do partido no Palácio do Planalto.
Realizado num auditório de grandes dimensões no centro da capital, o encontro contou com dois telões de alta definição, foi animado por um coral de mulheres do Norte de Minas e reuniu lideranças de 15 partidos. Lula discursou antes de Dilma. Para uma plateia de mil pessoas, o ex-presidente petista adotou um tom contundente em prol da continuidade do PT no poder.
Sem citar o nome de Aécio, Lula afirmou que aqui em Minas Minas alguns programas do governo federal “mudaram de nome” como se tivessem sidos criados pelos tucanos. Afirmou ainda, também sem citar nominalmente os adversários, que políticos em Minas usaram empresa pública para fazer parte de sua política.

Ataques nos EUA podem ter relação com debate sobre controle de armas


exploção EUA
UOL – Os atentados ocorridos nesta segunda-feira (15), durante a maratona de Boston (EUA), acontecem em um momento no qual os norte-americanos estão imersos em um apaixonado debate sobre o controle das armas de fogo, após o massacre ocorrido em meados de dezembro, em uma escola em Newtown, em Connecticut, que deixou 26 pessoas mortas.
Três explosões registradas em Boston causaram a morte de três pessoas, entre elas uma criança de oito anos, e deixaram pelo menos 140 pessoas feridas, segundo informou a rede de TV americana CNN.
No passado, as tentativas do governo de pôr limites à circulação das armas de fogo entre a população, sobretudo das mais mortíferas, contrariou os grupos nacionalistas mais extremistas que defendem, inclusive violentamente, o direito de ter armas no país.
Segundo lembrou nesta segunda-feira o jornal “The Washington Post”, a perspectiva de uma legislação federal sobre as armas de fogo exacerbou a atividade dos grupos “patrióticos” mais violentos, de acordo com um recente relatório do Southern Poverty Law Center, especializado no acompanhamento desses grupos.
De acordo com essa organização, os grupos patrióticos alcançaram níveis recorde em 2012 e experimentaram um crescimento de 813% nos últimos quatro anos.

Henrique diz que vai devolver dinheiro de obra em residência oficial


Henrique-Eduardo-Alves-Foto-Rodolfo-Stuckert-Agência-SenadoO presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse nesta segunda-feira que irá devolver R$ 8.700 gastos com a instalação de uma cobertura ao lado da piscina da residência oficial Câmara. A Folha revelou hoje que, a pedido de Alves, foi construído no local um deck com recursos públicos.
Alves afirmou que mandou construir a cobertura porque não havia nenhuma sombra perto da piscina, o que inviabilizaria sua utilização, e que decidiu devolver o dinheiro porque não era algo que já existia na casa. Duas árvores foram cortadas para dar lugar ao deque.
Com relação aos gastos com enxoval, o deputado afirmou que não irá restituir os valores por considerar que são utensílios que compõem a Casa independentemente de sua vontade.
A Câmara gastou R$ 4.000 com a compra de nove colchas de casal, dois jogos de lençol, 5 toalhas de banho, 8 colchas de solteiro, 4 travesseiros e 7 toalhas de piso. Um único lençol custou R$ 599,00. Segundo uma loja especializada de Brasília, por esse valor é possível adquirir um lençol de “600 fios, toque acetinado e de puro algodão”. Outras quatro colchas de solteiro saíram pelo total de R$ 796,00.