i

sábado, 16 de maio de 2009

Prefeitos voltam a Brasília esta semana

Vale do Açu - Os prefeitos das cidades atingidas pelas enchentes deste ano, devem se encontrar em Brasília na próxima semana para juntos tentarem agilizar a liberação de recursos para cobrir os prejuízos deixados pelas inundações causadas pelos rios Açu e Pataxó.
Pelo menos esse é o desejo do prefeito de Assu, Ivan Lopes Júnior, que se prepara para voltar à capital federal. O prefeito queria aproveitar que os colegas Ivan Padilha (Pendências) e Eider Medeiros (Alto do Rodrigues) vão estar lá também para unir forças junto à bancada federal e aos ministros do Governo Lula.
Ivan vai voltar a manter contato com dois auxiliares diretos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva: os ministros Geddel Vieira Lima (Ministério da Integração Nacional) e Altemir Gregolin (Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca), que estiveram na região recentemente para ver de perto os estragos deixados pelas enchentes.
Na audiência que buscará com o ministro Geddel Vieira, o prefeito entregará o relatório circunstanciado, enumerando os prejuízos acumulados no município por conta do fenômeno climático. O documento produzido pela Comissão Municipal de Defesa Civil, presidida pelo secretário municipal de Agricultura, Pecuária e Pesca, Paulo César de Brito, identificou todos os danos que foram decorrentes das enchentes e fortes chuvas caídas no município. De acordo com o diagnóstico oficial, para que a Prefeitura possa executar um trabalho de recuperação e restauração dos estragos, serão necessários recursos financeiros superiores a R$ 9 milhões.
Com o ministro Altemir Gregolin, o prefeito Ivan Júnior pretende debater a viabilidade de um projeto que possa constituir-se em instrumento de geração de emprego e renda para os pescadores do município.Quando da visita do ministro à região, no encontro acontecido em Pendências, o prefeito entregou um ofício ao ministro revelando interesse em discutir a experiência de criação de peixes em cativeiro, projeto que pode ser colocado em prática em alguns reservatórios como a Lagoa do Piató e o açude público de Mendubim.O projeto também está sendo defendido pelo prefeito Ivan Padilha. Para ele, Pendências deve ser escolhido por ser o maior produtor de pescado do Vale do Açu e possuir reservatórios propícios para a cultura.

Prejuízos com cheias chegam aos milhões e preocupam prefeitosMilhões de reais em prejuízos. Esse é mais um problema para os municípios do Vale do Açu resolverem nos próximos anos, isso sem contar com os danos já acumulados desde o inverno passado, que até agora pouco tiveram atenção dos governos Federal e Estadual.Quem pensou que os R$ 10 milhões em estragos anunciados pelo município de Assu é muito, precisa conhecer a dificuldade dos demais. Em Porto do Mangue, o número é 50% maior, de acordo com estimativa da Defesa Civil.Especula-se em pelo menos R$ 15 milhões, levando em consideração os estragos do município e das empresas instaladas no território. "Ainda aguardamos informações das empresas Camanor, Maricultura e levantamento de danos causados em outras regiões do município", explica o prefeito Titico.
Em Ipanguaçu o número de famílias desabrigadas subiu para 618, totalizando mais de duas mil pessoas. Ao todo já são mais de cinco mil pessoas afetadas e prejuízos em quase todo o município, um dos mais prejudicados pelas cheias.Alto do Rodrigues não fica atrás. Segundo o assessor de comunicação, Assis Medeiros, já faz mais de três semanas que as regiões estão alagadas. "Essa última semana tivemos de retirar mais 15 pessoas das áreas de risco", informou.
APODI
Os prejuízos no município mais prejudicado com as cheias neste ano no Oeste já passam dos R$ 7 milhões. Segundo Marcílio Reginaldo, as estradas de acesso à zona rural estão intransitáveis e em pelo menos três casos a passagem é somente em canoas. Neste caso, o município recebeu promessa do Departamento Nacional de Obras Contra (DNOCS) de três pontes metálicas.
FONTE: JOTTA PAIVA Da Redação - Jornal de Fato

Del Monte ainda não fez relatóriodos estragos sofridos neste ano

Vale do Açu – A Del Monte Fresh ainda não conseguiu fazer o levantamento das perdas decorrentes das enchentes deste ano. Dos 300 hectares inundadas no começo das sangrias dos reservatórios locais, apenas metade voltou ao normal, o que impossibilita a equipe de fazer os levantamentos dos danos.Segundo o gerente jurídico de relações institucionais, Newton Assunção, os estragos são piores nas bombas, drenos e estradas. “Só teremos os valores reais depois que as águas baixarem por completo”, disse Newton.Ele garantiu que até agora não foi cogitado na empresa nenhum prejuízo humano. “Não fizemos demissão, férias coletivas, nem cancelamento de contratos”, completou.Na última sexta-feira, 15, prefeitos do Vale do Açu e Seridó se reuniram para discutir a construção da barragem de Oiticica, em Jucurutu. O pleito, apontado como uma das soluções das enchentes, é uma cobrança da Del Monte, para permanecer na região e evitar uma demissão em massa de pelo menos quatro mil pessoas.Outra cobrança está relacionada ao setor tributário do Estado. A multinacional quer que o Governo devolva R$ 10 milhões referentes de créditos acumulados em razão da Lei Kandir, que desonerou as exportações.Pela Lei, a União desonerou os exportadores do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) cobrado pelos Estados, mas ficou de compensá-los. Durante este encontro, na Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), foi assinado o convênio que autoriza a transferência de recursos para a realização da Expofruit 2009.A governadora Wilma de Faria anunciou recentemente que teve encontro com os fruticultores das regiões do Oeste e Vale do Açu para falar sobre o assunto. De acordo com a informação, o secretário estadual de Tributação, João Batista Soares de Lima, explicou que a determinação da governadora é a devolução parcelada para os fruticultores que têm créditos superiores a R$ 200 mil.Abaixo desse valor, o pagamento será em parcela única. Ele lembrou que o Rio Grande do Norte tem um acumulado de perdas de receita do ICMS da ordem de R$ 842 milhões de 1996, quando a lei entrou em vigor, até os dias atuais. O Estado já recebeu do Governo Federal R$ 14 milhões, dos quais, R$ 10,9 já foram repassados às empresas credoras. Os outros R$ 3 milhões, explica ele, serão devolvidos agora. O decreto que autoriza o repasse destes créditos já está, inclusive, pronto, segundo ele. Essa informação ainda não tinha chegado ao conhecimento de Newton Assunção, que avisou que estar esperando um retorno do Governo sobre o tema há três anos. “Estamos torcendo que o Governo devolva esse recurso. Já faz dez anos que esperamos”, completou Newton, lembrando que a Del Monte foi a empresa mais afetada com as enchentes.SANGRIASNovos dados divulgados na sexta-feira, 15, pela Secretaria do Estado de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMARH), apontam a sangria de mais dois reservatórios no Rio Grande do Norte: Lucrécia, em Lucrécia e Zangarelhas, em Jardim do Seridó. Dos 46 reservatórios monitorados pela Semarh, apenas quatro ainda não atingiram a capacidade máxima: Japi, em São José do Campestre, Inharé, em Santa Cruz, Boqueirão de Parelhas, em Parelhas, e Tourão, em Patu.
FONTE: Jornal de Fato

MERCADO PÚBLICO É INAUGURADO


Ex - Prefeito José de Deus e atual Prefeito Leonardo Oliveira, inauguram o mercado público
________________________________________________
Umas das entradas do Mercado
_____________________________________


Lado esquerdo do Mercado
_____________________________


Lado direito do Mercado
__________________________________

Hoje 16 de Maio as 8:00hs desta manhã de sábado foi inaugurado o Mercado Público de Ipanguaçu, o Prefeito Leonardo Oliveira juntamente com os seus coordenadores, e o ex Prefito José de Deus e toda a população inauguraram o local, juntamente com os donos dos pontos públicos, que viram hoje como ficou o predio.




Ficou bem dividido, frutas, verduras,lanches e carnes, gostei muito! Disse um dos proprietarios.





FONTE: Ipanguaçu News

Mais dois açudes do Rio Grande do Norte transbordaram

Novos dados divulgados nesta sexta-feira, 15, pela Secretaria do Estado de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMARH), apontam a "sangria" de mais dois reservatórios no Rio Grande do Norte: Lucrécia, em Lucrécia e Zangarelhas, em Jardim do Seridó. Dos 46 reservatórios monitorados pela Semarh, apenas quatro ainda não atingiram a capacidade máxima: Japi, em São José do Campestre, Inharé, em Santa Cruz, Boqueirão de Parelhas, em Parelhas e Tourão, em Patu.

Fim de semana será de chuva no RN, alerta Defesa Civil

A Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, enviou alerta de chuva forte a defesa civil do estado do Rio Grande do Norte.

Hoje (16) e amanhã (17) chove no Rio Grande do norte e em outros estados do nordeste. Alerta-se que, em alguns momentos, a chuva pode ser de forte intensidade.

Hoje no REGIStrando


Neste sabado a partir do meio-dia no programa REGIStrando, o convidado especial será o Presidente da Câmara Municipal de Ipanguaçu, Tuneifes Morais, que certamente virá acompanhado dos vereadores da casa.
Voce poderá ouvir atraves do site:
http://www.radioprincesadovale.com.br/



FONTE:REGIStrando