i

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Prefeitura de Ipanguaçu anuncia parceria com o projeto Caatinga Viva, que instalará usina de briquetes no município

Aliando preservação ambiental com geração de renda, a Prefeitura de Ipanguaçu fechou parceria com o projeto Caatinga Viva. O anúncio foi feito pelo prefeito Leonardo Oliveira na manhã desta quinta-feira (16), na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município. O projeto implantará em Ipanguaçu uma usina de briquetes (blocos prensados ecologicamente corretos).

O objetivo do projeto é minimizar o uso de lenha proveniente da caatinga como fonte de energia, preservando a vegetação local e gerando renda para trabalhadores do município. “As famílias de agricultores poderão vender o material que será utilizado na fabricação dos briquetes, obtendo na atividade uma fonte constante de renda. E, além disso, a iniciativa ajudará a reduzir a devastação da nossa caatinga, quem infelizmente, já está em um processo acelerado”, afirmou o prefeito ao afirmar que apoiará o projeto.

A lenha no Vale do Açu é o tradicional combustível de fornos de padarias e da maioria das indústrias de cerâmica da região. As técnicas rudimentares de extração da madeira, aliadas ao crescimento da economia, estão intensificando o ritmo da devastação da caatinga, um dos biomas mais raros do mundo, só existente no semiárido nordestino.

De acordo com Dario Nepomuceno, coordenador do Caatinga Viva, um dos pontos mais importante da fabricação dos briquetes é o aproveitamento de materiais orgânicos como galhos secos de árvores. “O produto é bem menos nocivo ao ambiente e ajudará na redução de áreas devastadas. Além disso, o projeto atuará também na educação ambiental para conquistar o homem do campo para a causa da preservação da mata nativa”, frisa o coordenador.

A usina está sendo montada no Campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). Já são parceiros do projeto Caatinga Viva o Programa Petrobras Ambiental, a Associação Norte-Riograndense de Engenheiros Agrônomos (ANEA-RN), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern).

Blogueiro Carlos Santos lança livro em Mossoró


Prefeitura de Ipanguaçu aumenta salário para atrair médicos


A Prefeitura de Ipanguaçu está oferecendo três vagas a médicos para que trabalhem no programa Saúde da Família, com remuneração mensal de R$ 9 mil, mais extra por plantão médico eventual de 12 horas no valor de R$ 500,00. Cada profissional trabalhará de segunda a sexta, das 07 às 13horas.

Problema enfrentado em todo o país, a falta de médicos interessados em prestar serviços à população do interior através da saúde pública levou a Prefeitura de Ipanguaçu a incrementar o salário oferecido. Segunda a secretária de Saúde Sumaira Fonseca, o salário de médico no município era de R$ 7 mil. “Como há dificuldade para que venham trabalhar no interior, a Prefeitura elevou o salário dos médicos para R$ 9 mil. Há urgência na contratação desses profissionais e esperamos que a medida surta efeito”, disse a secretária.

Os médicos interessados devem entrar em contato com a secretária de Saúde através dos telefones: (84) 3335-2484 ou 9408-1976.

Serviço
Cargo: Médico para Programa Saúde da Família
Vagas: Três
Remuneração Mensal: R$ 9.000,00 (Nove mil reais)
Carga Horária: 05 dias semanais (Segunda a sexta, das 07 às 13 horas).
Telefones para contato: (84) 33352484 / 9408-1976 (Tratar com Sumaira Fonseca)

Edmundo passa por exame no IML de SP e será transferido para o Rio

Ex-jogador foi localizado em um flat no Itaim Bibi, região nobre de SP.Segundo delegado, ele não esboçou reação ao ser abordado.
O ex-jogador de futebol Edmundo, que foi localizado pela polícia em um flat no Itaim Bibi, região nobre de São Paulo, durante a madrugada desta quinta-feira (16), passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal. Às 6h50, ele estava na Delegacia Seccional de Pinheiros, na Zona Oeste da capital, onde aguardava transferência para o Rio de Janeiro.
Durante a abordagem, ocorrida por volta das 2h, o ex-jogador tentou ligar para seu advogado, mas não conseguiu. Segundo o delegado Eduardo Castanheira, responsável pela detenção, o ex-jogador não esboçou reação ao ser abordado por policiais civis.
Edmundo era considerado foragido da Justiça. A Vara de Execuções Penais (VEP) do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) expediu mandado de prisão contra Edmundo na noite desta terça (14).
O ex-jogador foi condenado em 1999 a quatro anos e seis meses de prisão por homicídio culposo, após o juiz rejeitar a alegação da defesa de prescrição do processo em que Edmundo responde por acidente de carro, em 1995.
“Recebemos denúncia anônima dando conta que ele estava em um flat na Rua Amauri. O recepcionista nos levou ao seu apartamento. Ele não esboçou nenhuma ação. Solicitei que ele tomasse banho e se arrumasse”, disse Castanheira.
A polícia do Rio informou que vai buscar ainda nesta quinta-feira o ex-jogador. O delegado titular da Polinter do Rio, Rafael Willis, disse que está se informando a respeito dos trâmites legais para a transferência. O delegado verifica, por exemplo, se Edmundo será levado em um carro da Polícia Civil.
Rio
Doze agentes da Polinter percorreram quatro endereços diferentes registrados em nome do ex-jogador no Rio, mas ele não foi localizado na quarta-feira. O delegado titular da Polinter, Rafael Willis, chegou a dizer que as buscas tinham sido interrompidas temporariamente.
Em um dos endereços onde a polícia foi, estava a mulher de Edmundo que informou aos policiais que ele esteve no local pela manhã e saiu sem dizer para onde ia.
Segundo o TJ-RJ, a defesa do ex-jogador ainda pode recorrer da decisão. O advogado Arthur Lavigne informou na terça que ia entrar com pedido de habeas corpus. No entanto, nesta quarta, ele não foi encontrado para confirmar se já deu entrada no documento.
Fonte: G1