i

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Saúde: Prefeitura de Ipanguaçu disponibiliza funcionários para o SAMU

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) do Vale do Açu, sediado na cidade do Assú, conta com a parceria da Prefeitura de Ipanguaçu. O município disponibilizou duas técnicas em enfermagem para compor a equipe que está atendendo aos 12 municípios da 8ª Regional de Saúde do Rio Grande do Norte: Ipanguaçu, Alto do Rodrigues, Angicos, Assú, Carnaubais, Fernando Pedrosa, Itajá, Paraú, Pendências, Porto do Mangue, São Rafael e Triunfo Potiguar.

Para o prefeito Leonardo Oliveira, o SAMU contribui de maneira eficaz na melhoria dos atendimentos de saúde à população. “A população ganha na redução do tempo de resposta ao atendimento. Estamos contribuindo para a melhoria na saúde não só do nosso município, mas da região. O SAMU é um grande aliado”, disse o prefeito Leonardo Oliveira.

Por enquanto o serviço pode ser acionado pelos telefones 9114-9131 ou 9412-0079. De acordo com a operadora de telefonia fixa, o 192, que é gratuito, deverá entrar em serviço nos próximos dias.

O Samu é uma ação que integra os governos Federal e Estadual, em parceria com as prefeituras, e atua em casos de urgência e emergência e na regulação do sistema de vagas de urgência e emergência em hospitais secundários e terciários por uma central 24 horas.

Duas faculdades reprovadas no RN

O Rio Grande do Norte teve duas faculdades de direito reprovadas no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O Instituto Natalense de Ensino e Cul-tura (INEC), que teve sete inscritos e a Faculdade de Ciências, Cultura e Extensão do RN (FACEX), que teve seis concorrentes, não conseguiram aprovar ninguém. O terceiro pior desempenho é o da Universidade Potiguar (UnP). Dos 1.090 inscritos, só 88 conseguiram passar na seleção, o equivalente a 8,40%.

As universidades públicas tiveram os melhores índices de aprovação, embora, se-gundo o presidente da OAB da seccional de Mossoró, Humberto Fernandes, ainda tenham ficado abaixo das médias anteriores. A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) aprovou 23 dos 63 inscritos (37,10%) e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) 55 dos 106 concorrentes (53,92%). "Houve uma redução no índice da UFRN e da UERN que tinham uma média de 70% e 60% de aprovações, respectivamente", disse Humberto.

De acordo com ele, a OAB já tem mostrado preocupação com a abertura de cursos que não têm condições de oferecer um ensino de qualidade. "Essa situação tem debilitado o índice de apro-vação no exame da Ordem", acrescenta.

Para o ex-presidente da Ordem, em Mossoró, Lindocastro Nogueira, esses índices são uma compro-vação de que o ensino jurídico priorizou a quantidade em detrimento da qualidade. "A abertura dos cursos jurídicos está sendo feita sem nenhuma preocupação com a de-manda do mercado. As universidades têm publicizado a profissão, atraindo pessoas que não têm nenhuma aptidão para o Direito", criticou.

Lindocastro reclama que as graduações não têm um curso de Direito direcionado para o exercício da advocacia. "Os cursos são implantados no sentido de formar bacharéis em Direito, deixando para cada um a preocupação com a qualificação, após o término da graduação", acrescenta.

NO BRASIL
O Rio Grande do Norte aparece em nono na lista dos estados com insti-tuições de ensino reprovadas no exame da ordem, ao lado do Ceará, Amapá, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina.

Os estados com maior número de universidades "reprovadas" na avaliação da OAB são, em ordem, São Paulo (17), Bahia (10), Para-ná (10), Minas Gerais (9), Espírito Santo (7), Distrito Federal (3), Goiás (3) e Rio de Janeiro (3).

No início de junho, o Mi-nistério da Educação, por meio da Secretaria de Regu-lação e Supervisão da Educação Superior (SERES), suspendeu cerca de 10.912 vagas de 136 cursos de direito que tiveram resultados insatisfa-tórios. Menos de 10 dias depois, outras 281 cadeiras em seis cursos foram supri-midas.

À Agência Brasil, o presi-dente da OAB Ophir Cavalcanti acusou as instituições de "estelionato educacional". "O descompasso na qualidade do ensino contribui para desmerecimento das profis-sões jurídicas como um todo", afirmou.

Fonte: Jornal De Fato/JOTTA PAIVA

Cidadania: Prefeitura de Ipanguaçu promove Colônia de Férias do PELC


A Prefeitura de Ipanguaçu, através da Secretaria de Esporte e Lazer, está realizando durante toda esta semana a primeira Colônia de Férias do Programa de Esporte e Lazer da Cidade (PELC). A programação teve início na última segunda-feira (04) e se estende até a próxima sexta-feira (08), no Complexo de Lazer da comunidade do Porto.

Segundo o coordenador do Programa, João Batista, a expectativa é que mais de 500 crianças e adolescentes sejam beneficiadas pela iniciativa da prefeitura. Batista informa que diversas atividades de esporte e de lazer estão sendo oferecidas, tais como futebol, danças, basquete, dama, handebol, arvorismo entre outras atividades. “A colônia tem o objetivo de ocupar, de uma forma saudável, o tempo livre que as crianças têm nesse período. Estamos proporcionando momentos prazerosos e saudáveis”, destaca João Batista.

Diariamente mais de 300 crianças e adolescentes participam do evento. A segurança é um dos pontos que recebeu maior atenção: monitores, orientadores, salva-vidas e equipes de saúde estão a postos.

Para o estudante Erinaldo Lima Bezerra, 17 anos, morados da comunidade Porto, a colônia de férias está superando as expectativas “É incrível essa oportunidade que estamos tendo. O lazer é muito importante e eu pretendo participar todos os dias”, diz o jovem, bastante animado.

Atualmente, o Programa de Esporte e Lazer da Cidade atende mais de 800 pessoas de todas as idades em Ipanguaçu, oferecendo oficinas gratuitas de esporte, cultura e lazer em oito comunidades polo e em todos os bairros da cidade.









Sem acordo, categorias permanecem em greve

Em ofício, governo admitiu impossibilidade de atender as pautas de policiais, professores e servidores da Tributação
As quatro categorias de servidores estaduais que estão com as atividades paradas não receberam uma boa notícia na tarde de ontem. O governo do estado, por meio de um ofício enviado à Assembleia Legislativa, informou que não tem condições de atender às reivindicações dos policiais civis - que estão em greve há 50 dias -, professores - mais de dois meses parados -, Uern e técnicos da Secretaria de Tributação. A justificativa descrita no ofício, assinado pelo chefe da Casa Civil, Paulo de Tarso Fernandes, e pelo secretário de Administração, Anselmo Carvalho, é de que o estado ultrapassou o limite total da despesa com pessoal, concedido ao Poder Executivo. Diante de tal posicionamento, os grevistas afirmaram que a paralisação continua por tempo indeterminado.

Com as atividades paralisadas há 50 dias, Polícia Civil fez mais uma passeata ontem pelas ruas do centro da cidade Foto: Eduardo Maia/DN/D.A Press
No documento enviado à Casa Legislativa, o governo informou que o relatório de gestão, divulgado em maio e apresentado em audiência pública no plenário da Assembleia, mostra a situação de dificuldade enfrentadapela atual gestão. O documento diz que o governo está disposto a cumprir, plenamente, os Planos de Cargos que foram aprovados nos últimos anos, "observando rigorosamente todas as disposições e condições para a implementação", diz o ofício. O presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Ricardo Motta lamentou o posicionamento do governo, mas reconheceu que a realidade vivida pelo estado é de dificuldades. Através da assessoria de imprensa, o parlamentar disse que não era essa a resposta que gostaria de ouvir do governo, depois de tantas rodadas de negociação.

Insatisfeitos com a posição do Executivo estadual, os policiais civis saíram em passeata na tarde de ontem, partindo da sede do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol/RN), na Avenida Rio Branco até o Centro Administrativo. A ideia dos representantes da categoria é sensibilizar a população para que apoiem o movimento grevista e entendam a razão da paralisação. "O governo descumpriu o acordo que foi feito com a Assembleia Legislativa, de implantar o Plano de Cargos e Salários da categoria, e por isso vamos protestar. Nossas negociações estão paradas e desde o dia primeiro de junho não nos reunimos com o governo", disse o vice-presidente do Sinpol, Djair Oliveira.

Docentes

Além dos policiais, os professores da rede estadual de ensino continuam em greve. Neste caso, há uma particularidade, tendo em vista que o governo do estado encaminhou ao Tribunal de Justiça um pedido de ilegalidade do movimento dos professores. O processo, de número 2011008049-7, foi distribuído para o Desembargador Virgílio Macedo que ordenou que o Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte/RN) se pronunciasse a respeito da ação no prazo de 48 horas. Na tarde de ontem, a diretoria da entidade encaminhou sua defesa ao Tribunal e espera que o juiz transforme sua decisão numa nova rodada de negociações.

Sobre as declarações contidas no ofício enviado à Assembleia Legislativa, o vice-presidente do Sinte, José Teixeira, não concordou com os argumentos do governo. "No balanço apresentado pelo governo, em maio deste ano, consta que o estado tinha um saldo financeiro de R$ 410 milhões. Além disso, o governo informou que teve a maior arrecadação no mês e maio. Entendemos que com o crescimento de receita o governo está muito abaixo do limite prudencial e tem condições de negociar, mas não quer". 

Fonte: Diário de Natal/Jussara Correia

Representantes dos Sindicatos Rurais do Vale prestigiarão hoje etapa local do Grito da Terra Nordeste

Esta quarta-feira, dia 6, promete ser um dia de intensa movimentação na capital do Estado. Além de uma grande mobilização de todas as categorias de servidores em greve do Rio Grande do Norte, Natal será palco neste dia da etapa estadual do Grito da Terra Nordeste. Para este evento são esperadas delegações de mais de cem cidades potiguares que possuem representação sindical de trabalhadores rurais. O evento foi organizado pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Rio Grande do Norte, Fetarn. O Vale do Açu marcará presença com uma delegação representativa do Pólo Sindical Rural da região. Ontem, terça-feira, num contato com a reportagem da Rádio Princesa do Vale, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Ipanguaçu, João Batista Moura de Oliveira, ‘João das Peças’, comentou sobre a grande programação que será realizada no dia de hoje na capital do Estado, aproveitando para tratar de outros assuntos, um deles sua posse na presidência do sindicato, já que foi reeleito para o cargo no recente processo eleitoral da entidade sindical rural. No município de Ipanguaçu nossa reportagem foi à sede do Poder Executivo e entrevistou o vereador licenciado Jaíres Azevedo dos Santos, ‘Gordo’, do PSB, que hoje está exercendo o cargo de secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente. A entrevista deu oportunidade para que o vereador/secretário pudesse destacar uma série de questões vinculadas à pasta por ele conduzida na administração ipanguaçuense. Inicialmente, ‘Gordo’ falou sobre o processo de consolidação do projeto ‘Balde Cheio’, anunciando para sábado, dia 9 de julho, o deslocamento de um grupo de criadores até o município de Currais Novos para conhecer experiências exitosas do citado Projeto. A visita da reportagem à Ipanguaçu, no dia de ontem, permitiu ainda outro contato, desta feita com o Chefe de Gabinete do prefeito Leonardo da Silva Oliveira, do PT, o professor Joildo Lobato Bezerra. O auxiliar do Poder Executivo começou sua fala justamente destacando uma série de ações que estão sendo executadas pela gestão municipal. Na sequência, Joildo Lobato se pronunciou na condição de representante do diretório municipal do PT em Ipanguaçu, dizendo o que está sendo planejado pelo partido dentro da necessidade de reorganização com vistas à sucessão municipal de 2012. O professor Joildo Lobato concluiu sua participação falando como docente da rede estadual de ensino, especificamente com relação à continuidade da paralisação grevista da categoria em todo o Rio Grande do Norte.