i

terça-feira, 21 de junho de 2011

Prefeitura de Ipanguaçu adere ao projeto Balde Cheio

A prefeitura de Ipanguaçu fechou parceria com o Banco do Nordeste e com o Sebrae/RN e aderiu ao Projeto Balde Cheio, tido como uma alternativa de fortalecer e fomentar a pecuária leiteira no Vale do Açu e presente, a partir de agora, em 20 municípios do Rio Grande do Norte. O projeto conta com a contrapartida da prefeitura de R$ 12 mil.

A metodologia do Balde Cheio consiste na identificação de propriedades de cunho familiar de pequeno porte que tenham a atividade leiteira como principal fonte de renda. Elas operarão como unidades demonstrativas, tendo acesso à sistemática assistência técnica, transferência de tecnologia e capacitação gerencial.

Segundo o prefeito Leonardo Oliveira, o projeto , que começará a ser executado em Ipanguaçu no próximo dia 01 de julho, além de ajudar à economia local tem forte cunho social. “Esse projeto gera renda no campo, fixando as famílias de agricultores na zona rural com dignidade, resgatando até mesmo aquele produtor mais desanimado, mostrando que ele pode exercer com sucesso uma atividade cuidadosamente planejada para dar certo”, disse o prefeito.

Leonardo Oliveira explica que um técnico da prefeitura fará o acompanhamento e a supervisão da implantação e desenvolvimento do Balde Cheio em Ipanguaçu. De acordo com o secretário de Agricultura, Jaíres Azevedo, o projeto balde cheio é um instrumento importante no processo de revitalização da bacia leiteira da região “A Prefeitura está fazendo a parte dela. Cabe agora aos pequenos, médios e grandes pecuaristas fazerem a parte deles. Esperamos resultados motivadores”, afirmou.

Secretária de Educação de Ipanguaçu expõe projetos municipais de incentivo à leitura na Assembleia Legislativa


A secretária de Educação de Ipanguaçu, Jeane Dantas, representou o município nesta segunda-feira (20) no 2º Fórum da Rede Potiguar de Escolas Leitoras. O encontro foi realizado na Assembleia Legislativa e reuniu gestores municipais, gestores da educação, professores, mediadores de leitura, parlamentares e outros atores envolvidos com o incentivo da leitura.

O objetivo do Fórum é mobilizar a sociedade para a importância da literatura e dos espaços de leitura, considerados fundamentais para a melhoria da educação, especialmente na rede de ensino público.

De acordo com Jeane Dantas, que também representou a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação do Rio Grande do Norte (UNDIME - RN), os municípios e seus gestores devem estar voltados para a importância da leitura no contexto escolar, de forma a disseminar na comunidade o valor da leitura. “É preciso que possamos fazer um trabalho de mobilização, integrando a comunidade. Apresentamos aqui no Fórum algumas experiências que desenvolvemos em Ipanguaçu, com o projeto “Ipanguaçu, Cidade que Lê” que, comprovadamente, traz resultados positivos para os nossos alunos”, afirmou a secretária.

Em Ipanguaçu o projeto “Cidade que Lê” já atendeu, só no ano passado, mais de 2500 alunos.

Dragagem no leito do Rio Pataxó deve começar ainda em 2011

IPANGUAÇU – O prefeito de Ipanguaçu, região do Vale do Açu, Leonardo da Silva Oliveira (PT), pretende manter-se vigilante no sentido de que haja a necessária celeridade por parte do Governo do Estado com a finalidade de diligenciar as providências para que o projeto de dragagem do leito do rio Pataxó possa começar ainda em 2011.
Com este propósito, ele esteve, quinta-feira da última semana, dia 16, na Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), na capital potiguar. “É indispensável que o governo agilize o que tem que ser feito para esta obra começar”, frisou o prefeito.
A preocupação do chefe do Executivo é que o órgão estadual possa proceder com brevidade as ações que são de sua competência para que o projeto de engenharia seja executado. A obra hídrica será financiada pelo Governo Federal por intermédio do Ministério da Integração Nacional.
Leonardo Oliveira informou que o órgão federal destinou para o investimento recursos financeiros da ordem de R$ 7,2 milhões. Na interpretação do gestor público, a dragagem do rio é vital para reduzir a incidência de inundações à cidade durante os períodos do inverno mais intenso.
O prefeito julgou de extrema importância que os serviços de dragagem se verifiquem para aprofundar o leito do rio e, consequentemente, impedir que sejam repetidos os transtornos provocados pelo transbordamento do açude público de Pataxó, como ocorreu este ano.
A vazão fez com que a lâmina de vazão elevasse o nível de água do rio homônimo e, em razão do grande assoreamento do manancial hídrico, invadisse diversos setores rurais e periféricos do município, forçando a retirada de dezenas de famílias de seus lares por conta dos alagamentos. “A enchente só atingiu as moradias porque o rio Pataxó está bastante assoreado”, declarou Leonardo Oliveira. 
ENCAMINHAMENTO
Leonardo Oliveira registrou que procurou a Semarh porque, de acordo com o que foi definido, o empreendimento será custeado pela União, porém, a obra será tocada pelo Governo do Estado, via Semarh, para quem a dotação orçamentária será repassada por intermédio do Ministério da Integração Nacional.
O aporte financeiro para os serviços de dragagem do rio Pataxó foi assegurado pelo ministro Fernando Bezerra Coelho, durante audiência na qual recebeu, em Brasília, o prefeito de Ipanguaçu, quando do instante mais crítico das inundações no município, no inverno deste ano. “Naquela oportunidade ficou acertado que esta ação será feita por intermédio do Governo do Estado”, concluiu o governante municipal.
Fonte: O Mossoroense

Operadora TIM // MP pede nova suspensão das vendas

Os Ministérios Público Federal (MPF) e Estadual (MPE) reiteraram ontem o pedido à Justiça Federal para que a operadora de telefonia TIM seja proibida de fazer assinaturas, habilitar novas linhas ou realizar portabilidade de acesso de outras operadora em todo o Rio Grande do Norte. Para os Ministérios Públicos, o Plano de Ampliação de Rede apresentado pela operadora, que mantém a liderança no RN com mais de 1,175 milhão de clientes, não é suficiente para atender a demanda dos consumidores do estado. A operadora disse que não tomou conhecimento denenhum posicionamento do MP.

O pedido foi baseado na análise feita pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) sobre o projeto da TIM. Segundo o parecer da agência os serviços da operadora apresentaram melhoria em apenas cinco municípios, persistindo graves problemas de congestionamento e queda de chamadas em mais de 80 municípios. Além disso, ao analisar os documentos enviados pela operadora, a Anatel chegou a conclusão de que não é possível atestar a conformidade do serviço prestado, somente com os relatórios elaborados pela TIM.

Conforme os gráficos apresentados, 84 municípios tem percentual de queda de chamada superior a 10%, dentre os quais, 30 municípios com mais de 50% de queda. Enquanto isso, o Plano Geral de Metas de Qualidade para o Serviço Móvel Pessoal prevê que a quantidade de quedas da ligação na rede da prestadora pode ser de até 2%.

Para o Ministério Público, em princípio, a operadora poderia lucrar com as quedas de chamada, pois possui planos que asseguram ao consumidor o direito de, nas ligações para números da mesma operadora, realizar chamadas de duração ilimitada, pagando apenas um valor fixo. Com as quedas, o consumidor teria que realizar novas ligações para concluir a conversação.

Em janeiro deste ano, a Justiça Federal havia proibido a comercialização de linhas no RN. A empresa recorreu da decisão anunciando um plano de expansão de rede. A decisão foi suspensa por 90 dias pelo juiz da 1ª Vara Federal, Magnus Delgado, e depois por mais 120 dias, sob a condição do Ministério Público e da Anatel se posicionarem favoravelmente sobre o caso. Entretanto, para o MPF a gravidade dos fatos é suficiente para restabelecer a medida judicial que impedia a habilitação de novas linhas.

Entre janeiro e abril deste ano, o número de linha habilitadas pela TIM no estado caiu de 1.224.312 para 1.175.312, resultando em 49 mil linhas a menos. Apesar disso, a operadora é líder no RN, com 34% de participação no mercado e também no Nordeste (29,54%).

Fonte: Diário de Natal

Câmara de Ipanguaçu altera horário regimental para permitir transmissão integral de sessões

Proposição defendida pelo vereador Ruan Montenegro, do PSDB, o Projeto de Lei sugerindo a modificação do Regimento Interno da Câmara Municipal de Ipanguaçu, precisamente no que se refere ao início dos trabalhos plenários, foi aprovado. A intenção do parlamentar tucano é que as sessões só se iniciem após a transmissão radiofônica do programa institucional ‘A Voz do Brasil’, uma vez que, a partir de agora, os trabalhos do Poder Legislativo ipanguaçuense estão sendo transmitidos ao vivo pela FM Comunitária Sacramento, localizada no distrito rural de Arapuá.

Fonte: Rádio Princesa do Vale