i

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Governo Federal define dragagem do Rio Pataxó como “prioridade zero”

Foto: Rejane Medeiros/Assessoria da dep.





Prioridade zero. Assim foi definida a obra de dragagem do assoreado Rio Pataxó, que desde o dia 25 de abril inunda diversos pontos do município de Ipanguaçu, no interior do Rio Grande do Norte, a 205 quilômetros de Natal. “A obra de dragagem do Rio Pataxó é prioridade zero para o Ministério da Integração Nacional e assim que a proposta for registrada no SICONV (portal de convênios do Governo Federal) vamos fazer o empenho e conveniar a obra”. Afirmou na tarde de hoje (11) o diretor do Departamento de Reabilitação e Reconstrução da Secretaria de Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional, coronel Ivan Fredovino Ramos Júnior, em reunião com o prefeito Leonardo Oliveira e a deputada federal Fátima Bezerra.

A primeira etapa das obras está orçada em R$ 7,3 milhões e o convênio deve ser assinado entre o governo do Estado e o ministério da Integração. Para o prefeito Leonardo Oliveira as obras devem ser iniciadas o mais rapidamente possível, de forma a evitar que a população e a economia de Ipanguaçu voltem a ser abalados pelas águas no próximo ano. “Estamos com quase quatro mil alunos fora de sala de aula, 163 famílias desabrigadas e 13 comunidades ilhadas. A situação é de calamidade. Entrarei em contato com a governadora Rosalba Ciarlini para que essa proposta possa ser registrada no SICONV o mais rapidamente possível. O povo de Ipanguaçu não pode mais esperar”, afirmou Leonardo.

Ipanguaçu, no vale do Açu, é o município mais atingido pelos alagamentos no RN. Mais de 578 pessoas (163 famílias) estão sob assistência da prefeitura, vivendo em abrigos municipais ou em casas de parentes. Até o momento, cinco bairros foram atingidos pelas águas, que apresentam um sensível recuo. São eles: Maria Romana, Ubarana, Manoel Bonifacio, Frei Damião e Pinheirão.

Na zona rural, cerca de 2340 pessoas se encontram isoladas em 13 comunidades, nas quais só se chega através de canoas: Santa Quitéria, Barra, São Miguel, Luzeiro, Cuó, Lagoa de Pedra, Itú, Picada, Porto, Salinas, Deus nos Guie, Sacramentinho e Pau de Jucá. A comunidade de Olho D' Água também já apresenta alguns pontos inundados.

A gravidade da situação levou o prefeito a decretar Estado de Emergência no município no último dia 28 de abril. Questionado por prefeito Leonardo Oliveira acerca da publicação do decreto de calamidade pública no Diário Oficial da União, o que oficializa o reconhecimento federal da situação do município, o coronel Fredovino garantiu que isso deve acontecer até a próxima sexta-feira (13).

O prefeito também questionou sobre o apoio do governo Federal à reconstrução da infraestrutura da cidade danificada pelas águas, como casas, estradas e pontilhões. O diretor do Ministério da Integração respondeu que as casas devem ser construídas pelo ministério das Cidades e o ministério da Integração se responsabilizará responsável pela recuperação de acessos, pontilhões e passagens molhadas.


*Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Ipanguaçu

Reconhecimento Nacional: Empresa assuense é destaque na qualidade em manipulação de medicamentos

Localizada no município de Assú, a farmácia de manipulação Pharman recebeu a chancela e a certificação do Sistema Nacional de Aprimoramento e Monitoramento Magistral (SINAMM), o maior programa de Educação Corporativa e Monitoramento da Qualidade do mundo. O programa é realizado pela Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (ANFARMAG) em todos os Estados brasileiros. No Rio Grande do Norte, apenas quatro empresas foram chanceladas, duas no interior.

Bastante abrangente, o SINAMM tem por objetivo garantir a segurança e eficácia dos medicamentos manipulados. O processo engloba o treinamento de farmacêuticos e colaboradores, a realização de rigorosas auditorias nas farmácias participantes, além do controle de qualidade dos fornecedores e das fórmulas manipuladas.
“Ficamos muito felizes porque o auditor não precisou voltar à farmácia para corrigir qualquer irregularidade. Recebemos nossa chancela logo na primeira auditoria. Isso nos dá a certeza de que estamos no caminho correto”, diz o farmacêutico e proprietário da Pharman, Dr. Frederico Augusto.
A meta da Pharman agora é intensificar o treinamento e desenvolvimento de seus colaboradores. "Nós chamamos essa iniciativa, que visa transferir os conhecimentos transmitidos pela Universidade aos técnicos de manipulação, de Programa da Gestão do Conhecimento Corporativo", esclarece Dr. Frederico.
A chancela da Pharman pode ser conferida através do link: http://www.anfarmag.org.br/integra.php?codigo=2742
Escrito por Rodrigo Medeiros

Desabrigados receberão 23 toneladas de alimentos

Doações foram feitas pela Defesa Civil Nacional e vão para pelo menos 163 famílias de Ipanguaçu


A Defesa Civil Estadual vai entregar até sexta-feira 23 toneladas de alimentos para as 163 famílias desabrigadas pelas enchentes no município de Ipanguaçu. O tenente-coronel Josenildo Acioli, coordenador do órgão, afirma que amanhã estará na cidade de Maracanaú (CE) para receber os alimentos na unidade local da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), para em seguida realizar o transporte para o município potiguar. 


Cheias do rio Pataxó foram as responsáveis pelas inundações no município potiguar, onde ajuda deve chegar na 6ª Foto: Eduardo Maia/DN/D.A Press
A carga de alimentos foi enviada pela Secretaria Nacional de Defesa Civil. Devem ser entregues 1 mil cestas básicas de 23kg cada às famílias desabrigadas. Josenildo Acioli ressalta que a Defesa Civil do Estado, aliada ao Corpo de Bombeiros e à Polícia Militar, está realizando a arrecadação de 200 colchões para serem enviados às famílias de Ipanguaçu. "Todos os quartéis de batalhões da PM estão com postos de recolhimento, recebendo esse material para enviarmos ao município".

Verbas

O prefeito de Ipanguaçu, Leonardo Oliveira, está em Brasília (DF) como objetivo de reunir-se hoje à tarde com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, para tratar de detalhes do projeto de macro drenagem no rio Pataxó, cuja cheia tem inundado o município desde o último dia 24. O número de famílias desalojadas chega a 163, algumas delas abrigadas em escolas e sindicatos rurais da cidade. As aulas foram suspensas, prejudicando cerca de 4 mil alunos. A Secretaria de Saúde local informa que há contaminação por bactérias nas lagoas formadas pelas enchentes em três bairros e teme surto de dengue. 

Prazos

Segundo a assessoria de comunicação da prefeitura de Ipanguaçu, Leonardo Oliveira se reuniá às 14h de hoje com Fernando Bezerra Coelho para verificar os prazos para assinaturas de licitações para o início do projeto de macro drenagem do Pataxó, que custará R$ 27 milhões. Isso porque, a causa principal das enchentes que assolam o município é o assoreamento do rio. 

Por Paulo de Sousa da Redação do Diário de Natal