i

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Em visita à Ipanguaçu, deputada Fátima Bezerra diz que cobrará do Estado maior apoio em ao município em ações emergenciais

Fátima acompanhará o prefeito Leonardo Oliveira em audiência com ministro da Integração na próxima semana para tratar detalhes sobre as obras de drenagem do Rio Pataxó

A deputada federal Fátima Bezerra esteve na manhã de hoje (06), no município de Ipanguaçu, parcialmente tomado pelas águas do Rio Pataxó desde o último dia 25 de abril. A parlamentar é autora da emenda que destinou recursos para a elaboração do projeto de macrodrenagem deste rio, solução tida como definitiva para resolver as recorrentes inundações.

Acompanhada do prefeito Leonardo Oliveira, Fátima Bezerra se reuniu na sede da secretaria municipal de Assistência Social com representantes da população ipanguaçuense, assessores da prefeitura, militares do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil para ouvir detalhados relatos sobre a real situação da cidade.

O prefeito fez um apelo à deputada, para que continue cobrando junto ao governo que a obra, já prometida em 2009 pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima, saia, de fato, do papel. “Deputada, queremos mais uma vez o seu apoio para resolvermos de vez esse problema. E agradeço pelo seu olhar de futuro, pois, sem o projeto de macrodrenagem que a senhora garantiu emenda para que fosse feito, não teríamos condições para seguir” disse Leonardo, com a convicção de que o projeto “diminui as chances de que o município volte a ser afetado pelas águas do Rio Pataxó, deixando os pequenos agricultores e as grandes empresas mais tranquilos, sem o medo dos habituais grandes prejuízos que assolam a cidade com frequência cada vez maior na última década”.


Fátima reiterou seu apoio e concordou que, sem o projeto de macrodrenagem, o ministro não teria como assegurar a obra, avaliada nesta primeira etapa, em R$ 7,3 milhões. “O ministro Fernando Bezerra Coelho assegurou à governadora e à bancada federal do RN esses recursos que serão investidos na obra de dragagem e supressão da vegetação no leito do rio Pataxó. Sem o nosso projeto levaríamos mais dois anos para a criação de um projeto que ajudasse o município” afirma a deputada.

Ao final da reunião, Fátima Bezerra conheceu de perto a situação vivida em Ipanguaçu, visitando os bairros Ubarana e Maria Romana. “Não sou a governadora nem presidente, mas farei o que estiver ao meu alcance. Têm que ser traçadas ações emergenciais rápidas para garantir a sobrevivência dessas famílias que se encontram nas comunidades isoladas e nos abrigos. Vou ligar para governadora, pois sei que a prefeitura não tem condições de custear tudo isso. Precisamos de ações rápidas” disse ela.

Ministro receberá prefeito de Ipanguaçu nesta quarta-feira

Em audiência solicitada pela deputada Fátima Bezerra, o prefeito de Ipanguaçu, Leonardo Oliveira, será recebido na próxima quarta-feira em Brasília pelo ministro Fernando Coelho, da Integração Nacional. “Junto com a deputada Fátima Bezerra, entre outras coisas, saberemos do governo federal como se dará a liberação dos recursos e qual é o prazo para que essa tão importante obra possa ter início”, explicou o prefeito.

Números atualizados na tarde de hoje (06) dão conta de que 578 pessoas (163 famílias) estão sob assistência da prefeitura, vivendo em abrigos municipais ou em casas de parentes. Até o momento, cinco bairros foram atingidos pelas águas, que apresentaram um sensível recuo nesta semana. São eles: Maria Romana, Ubarana, Manoel Bonifacio, Frei Damião e Pinheirão.

Na zona rural, cerca de 2340 pessoas se encontram isoladas em 13 comunidades, nas quais só se chega através de canoas: Santa Quitéria, Barra, São Miguel, Luzeiro, Cuó, Lagoa de Pedra, Itú, Picada, Porto, Salinas, Deus nos Guie, Sacramentinho e Pau de Jucá. A comunidade de Olho D' Água também já apresenta alguns pontos inundados.

Mais fotos no link abaixo.

Concorrendo com instituições públicas e privadas, escola municipal da zona rural de Ipanguaçu é destaque em premiação estadual

A escola Adalberto Nobre de Siqueira, da rede municipal de ensino de Ipanguaçu, recebeu nesta sexta-feira (06) o Prêmio Construindo a Nação, na categoria “Destaque Social – Ensino Fundamental”. Concorriam com a escola ipanguaçuense 136 escolas particulares e públicas de 67 municípios do Rio Grande do Norte. A cerimônia foi em Natal, no Sesi Clube, às 09 horas da manhã.

Localizada na comunidade de Tabuleiro Alto, uma das mais distantes da zona urbana de Ipanguaçu, a escola municipal Adalberto Nobre de Siqueira estimula a criatividade de seus alunos através de diversas atividades culturais. “Livros, músicas, filmes, vídeos, fotografias - são inúmeras as maneiras de analisar aspectos de disciplinas como a Língua Portuguesa, bem como quaisquer outra em sala de aula” disse o professor de português e literatura André Magrim que coordenou o projeto vencedor: “Uma visita à elegante essência do medo”.

A elaboração do projeto envolveu o esforço de mais de 50 alunos do 6° e do 9° anos letivos. Para a secretaria de Educação, Jeane Dantas Bezerra, a premiação do projeto é também um prêmio aos esforços envidados pela prefeitura do município na melhoria constante do ensino público que oferece à população. “Ficamos muito orgulhosos. Uma das nossas escolas mais distantes da zona urbana vencer o premio é gratificante, isso mostra o bom trabalho dos nossos educadores que se reflete no grande aprendizado dos nossos alunos” frisou a secretária.

Criado no ano de 2002 pelo Instituto da Cidadania Brasil (ICB), o Prêmio Construindo a Nação teve seu início no estado de São Paulo, sendo posteriormente se expandindo para outros Estados, graças à parceria realizada com a Confederação Nacional das Indústrias e o Serviço Social da Indústria (CNI/SESI), no ano de 2006. Hoje o prêmio conta com o apoio da iniciativa privada e de instituições de ensino Em nove edições a premiação já mobilizou mais de dois milhões de alunos em todo o Brasil, com o objetivo de destacar, valorizar e mostrar como exemplo as ações que as escolas públicas e privadas realizam com a presença ativa de seus alunos no diagnóstico e ações práticas de solução para problemas das comunidades onde estão situadas.

O quesito básico para participação das escolas foi a apresentação de projetos vinculados ao tema cidadania, abordando situações internas ou externas às escolas, e que envolvessem a participação dos estudantes em todas as suas etapas.

A realização desta edição do prêmio é uma ação conjunta do Instituto da Cidadania Brasil, Confederação Nacional da Indústria – Conselho Temático Permanente de Responsabilidade Social, SESI, Fundação Volkswagen e parceiros nacionais – Anhanguera de Educação e Conselho Nacional de Secretários de Educação (CONSED).

Fora o estado do Rio Grande do Norte, os estados que participaram do Prêmio Construindo a Nação são: Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo, Sergipe, Tocantins e Roraima.