i

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Robinson é eleito governador do Rio Grande do Norte

Robinson votou com dois dos seis filhos
O vice-governador Robinson Faria, do PSD, é o governador eleito do Rio Grande do Norte. Neste domingo, 26, ele venceu o deputado federal Henrique Alves e substitui a governadora Rosalba Ciarlini, do DEM, em 1° de janeiro de 2015. O seu vice será o atual deputado estadual Fábio Dantas (PC do B).
Derrotado no primeiro turno, Robinson Faria virou o jogo para cima de Henrique e totalizou no segundo turno 876.978 votos, frente os 743.509 votos do adversário (com 99,96% dos votos apurados). A maioria pró Robinson foi de 142.469 votos.
No primeiro turno, Henrique venceu com 701.612 votos (47,22%) contra 623.141 de Robinson (42,04%), uma maioria de 78.471.
No segundo turno, Robinson conquistou 253.837 novos votos, enquanto que Henrique “apenas” 41.897.
Robinson Faria venceu nos dois principais colégios eleitorais do estado: Natal e Mossoró. E em cidades importantes como Parnamirim, Caicó, Pau dos Ferros, Assú e Macaíba.
No Rio Grande do Norte, 410.927 (17.66%) dos eleitores não compareceram para votar. Dos que foram às urnas, 58.770 (3,07%) votaram em branco e 244.893 (12,78%) votaram nulos.
A eleição de Robinson Faria pode ser tratada como uma vitória popular. Henrique Alves reuniu em sua coligação praticamente todas as forças políticas do estado, incluindo senadores, deputados estaduais e federais, prefeitos de mais de cem municípios e centenas de vereadores.

Mesmo com todo esse aparato político, a coligação perdeu a disputa para o Senado com Wilma de Faria (PSB) (a deputada federal do PT Fátima Bezerra foi eleita) em 5 de outubro e para o governo com Henrique, neste domingo.
Já Robinson teve como principal partido de apoio o PT, juntamente PC do B, PT do B, PP, PEN, PRTB e PTC.
Henrique acumulou a sua terceira derrota em uma disputa majoritária (perdeu duas disputas para a Prefeitura de Natal) e vai ficar sem mandato, a partir de fevereiro de 2015, depois de 44 anos como deputado federal.
Robinson – Robinson Mesquita de Faria tem 55 anos, nasceu em Natal, em 1959. Advogado formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o governador eleito iniciou a carreira política em 1986, quando foi eleito deputado estadual, sendo reeleito outras cinco vezes seguidas. Ocupou a Presidência da Assembleia Legislativa em dois mandatos, de 2003 a 2010, quando não disputou o sétimo mandato para compor a chapa majoritária com Rosalba Ciarlini (DEM) e foi eleito vice-governador para o mandato até 2014. Foi nomeado secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos em 2011, mas deixou a secretaria meses depois após romper politicamente com a governadora.
Casado com Julianne Faria, Robinson é pai de seis filhos, o deputado federal Fábio Faria, Nathalia Faria, Janine Faria, Maria Fernanda, Maria Luiza e Gabriel.
Robinson Farias amplia maioria em Mossoró, Pau dos Ferros e AssúMossoró foi decisiva para a vitória de Robinson Faria. A chamada Capital do Oeste deu uma diferença expressiva para o governador eleito no primeiro turno e ainda ampliou essa diferença no segundo turno.
Neste domingo, Robinson teve uma vantagem de 48.153 para Henrique Alves em Mossoró, totalizando 79.619 (71,66%) votos contra 31.484 de Henrique (28,34%).
Com o apoio do prefeito Fabrício Torquato, do DEM, Robinson Faria teve quase o dobro de votos de Henrique Alves em Pau dos Ferros. Robinson, que já vencera Henrique na cidade no primeiro turno, ampliou a sua vantagem com o apoio declarado de Fabrício e totalizou 9.497 votos frente os 5.008 de Henrique.
O mesmo cenário se desenhou em Assú. Com o apoio do prefeito Ivan Júnior, Robinson teve 19.875 votos (65,96%) contra 10.259 (34,04%) de Henrique.
Em nota, Robinson diz que foi eleito para governar para todos os potiguaresEm nota divulgada após a confirmação da sua vitória, o governador eleito Robinson Faria agradeceu aos 877.196 mil potiguares pelos votos de confiança. Robinson disse que foi eleito para governar para todos os potiguares e por isso reafirmou o seu compromisso “em fazer um governo técnico, focado na eficiência da máquina pública e no desenvolvimento social e econômico do Rio Grande do Norte”.
Ele observou que mais de quatrocentas mil pessoas ainda vivem abaixo da linha da pobreza. “Por isso, como disse em toda a campanha, vou trabalhar para os últimos por mais justiça social, por um Estado mais solidário”, garantiu.
Por fim, Robinson disse que não vai governar pensando na próxima eleição. “Eu vou governar pensando nas próximas gerações. E como disse o presidente Lula, agora é hora de reconstruir a história política do Rio Grande do Norte. Me alimentei de fé, coragem e resistência! Lutarei para ser o melhor governador da história do Rio Grande do Norte”, concluiu.
Também em nota, Henrique Alves disse que desejava ao futuro governador eleito que cumpra com todos os seus compromissos. “De nossa parte, ele terá uma oposição vigilante e democrática, como deve ser”, adiantou.
“Eu agradeço a todos os que me apoiaram, a cada cidadão que me confiou o voto e conseguimos fazer esta bonita campanha. Eu enfrentei de cabeça erguida, uma quando fui convocado para esta luta pelo meu partido, o PMDB, por outros partidos, e lideranças e me dediquei totalmente. Eu me entreguei de corpo e alma e dei o que eu tinha de competência, de experiência na vida política, desde os 28 anos de idade. E saio bastante tranquilo”, acrescentou.
MAGNOS ALVES
Editor de Política//Jornal de Fato

Dilma Rousseff é reeleita

Assecom

Dilma comemora a vitória com Lula
Com 97,62% das urnas apuradas, a atual presidenta da República, Dilma Rousseff (PT), com 51,38% dos votos válidos, foi declarada reeleita para o cargo. O candidato Aécio Neves (PSDB) tinha 48,62% dos votos válido.

Mineira de Belo Horizonte, Dilma Rousseff, tem 66 anos, é economista formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), tem uma filha e um neto. Foi reeleita hoje (26), junto com o vice-presidente Michel Temer (PMDB), com o apoio da coligação formada por PT, PMDB, PDT, PCdoB, PR, PP, PRB, PROS e PSD. No primeiro turno, Dilma ficou em primeiro lugar, com 43.267.668 votos (41,59% dos votos válidos).

Filha de um imigrante búlgaro e de uma professora do interior do Rio de Janeiro, Dilma viveu em Belo Horizonte, capital mineira, até 1970, onde integrou organizações de esquerda, como o Comando de Libertação Nacional (Colina) e a Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares). Foi presa em 1970 pela ditadura militar e passou quase três anos no Presídio Tiradentes, na capital paulista, onde foi torturada.

Em 1973, mudou-se para Porto Alegre, onde construiu sua carreira política. Na capital gaúcha, Dilma dedicou-se à campanha pela anistia, no fim do regime militar, e ajudou a fundar o PDT no estado. Em 1986, assumiu seu primeiro cargo político, o comando da Secretaria da Fazenda de Porto Alegre, convidada pelo então prefeito Alceu Collares.
Com a redemocratização, Dilma participou da campanha de Leonel Brizola à Presidência da República em 1989. No segundo turno, apoiou o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em 1993, Dilma assumiu a Secretaria de Energia, Minas e Comunicação do Rio Grande do Sul, cargo que ocupou nos governos de Alceu Collares (PDT) e Olívio Dutra (PT).
Em 2000, Dilma filiou-se ao PT e, em 2002, foi convidada a compor a equipe de transição entre os governos Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva. Quando Lula assumiu, em janeiro de 2003, Dilma foi nomeada ministra de Minas e Energia, onde comandou a reformulação do marco regulatório do setor. Em 2005, ainda no primeiro governo Lula, Dilma assumiu a chefia da Casa Civil, responsável até então por projetos como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o Minha Casa, Minha Vida.
Dilma deixou a Casa Civil em abril de 2010 e, em junho do mesmo ano, teve sua candidatura à Presidência da República oficializada. Venceu sua primeira eleição no segundo turno, contra o candidato do PSDB, José Serra, com mais de 56 milhões de votos.
Em um governo de continuidade, Dilma manteve e ampliou programas sociais da gestão Lula e implantou iniciativas que levaram à redução da pobreza, da fome e da desigualdade. Criou o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC) e ampliou programas de empreendedorismo. Também implantou um programa de concessões para obras de infraestrutura e logística, muitas ligadas à realização da Copa do Mundo. Em um governo marcado por episódios de corrupção, Dilma chegou a demitir seis ministros em dez meses, em 2011. A presidenta reeleita também enfrentou problemas com a economia, com queda no ritmo do crescimento do país e avanço da inflação.
Dilma se diz 'disposta ao diálogo' e afirma que país não está dividido
Em seu primeiro pronunciamento após ser confirmada como presidente reeleita do Brasil, Dilma Rousseff disse não acreditar que a acirrada disputa eleitoral tenha “dividido” o país. A petista ressaltou em meio ao discurso que está "disposta ao diálogo" e que quer ser uma presidente melhor em seu segundo mandato.

“Conclamo sem exceção a todas as brasileiras e brasileiros para nos unirmos em favor do futuro de nossa pátria. Não acredito que essas eleições tenham divido o país ao meio. Creio que elas mobilizaram ideias e emoções às vezes contraditórias, mas movidas por um sentimento comum, a busca por um futuro melhor”, disse Dilma.

Após uma campanha eleitoral marcada por ataques mútuos entre Dilma e o candidato do PSDB, Aécio Neves, a presidente reeleita disse que quer governar “da forma mais pacífica e democrática”. Ela destacou que está disposta a abrir um grande espaço de diálogo com todos os setores da sociedade para acelerar a busca para os principais problemas do país.

"Minhas primeiras palavras são, portanto, de chamamento e união. Democracia madura e união não significam necessariamente unidade de ideias nem ação monolítica conjunta, mas, em primeiro lugar, disposição para o diálogo. Esta presidente aqui está disposta ao diálogo", complementou.
Aécio deseja sucesso a Dilma e diz que prioridade é unir o Brasil

Derrotado na disputa para a Presidência da República, o candidato do PSDB, Aécio Neves, afirmou neste domingo (26) que ligou para a presidente reeleita Dilma Rousseff, do PT, para desejar sucesso no novo mandato e que "a maior de todas as prioridades é unir o Brasil".

"Cumprimentei agora há pouco, por telefone, a presidente reeleita e desejei a ela sucesso na condução de seu próximo governo. E ressaltei que considero que a maior de todas as prioridades deve ser unir o Brasil em torno de um projeto honrado e que dignifique a todos os brasileiros", afirmou.
Em pronunciamento em Belo Horizonte, o tucano também agradeceu a seus eleitores, "mais de 50 milhões de brasileiros que apontaram o caminho da mudança", disse.
Até a última atualização desta reportagem, as urnas contabilizavam 50,9 milhões de votos para Aécio (48,38% dos votos válidos) e 54,3 milhões para Dilma (51,62%).

Ao finalizar sua declaração, Aécio citou o apóstolo São Paulo, dizendo que combateu "o bom combate". "Mais vivo do nunca, mais sonhador do que nunca, eu deixo essa campanha ao final com o sentimento de que cumprimentos nosso papel. Combati o bom combate, cumpri minha missão, e guardei a fé. Muito obrigado a todos os brasileiros", concluiu.

Confirmação de inscrição no Enem está disponível a partir de hoje


Os cartões de confirmação de inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) estão disponíveis a partir de hoje (27) na internet. Para ter acesso, o estudante deve o informar o CPF e a senha escolhida na hora da inscrição. Também a partir desta segunda, os mesmos cartões começam a chegar pelo correio, no endereço informado na inscrição. O documento de confirmação traz os dados pessoais do participante – nome, CPF, número de inscrição no Enem, data, hora e local das provas, opção de língua estrangeira (inglês ou espanhol), necessidade de atendimento especializado ou específico (quando houver) e indicação de solicitação de certificação do ensino médio (se for o caso).

Aqueles que acessarem o cartão pela internet deverão conferir as informações e imprimi-lo, se desejarem. Não é obrigatório levar o cartão no dia da prova. No entanto, é indispensável apresentar um documento de identificação com foto, como carteira de identidade ou de motorista. Segundo o instituto, quem não receber o cartão, não conseguir imprimir pela internet ou constatar erro no documento, deve entrar em contato com o atendimento ao participante, no telefone 0800616161. Caso cartões enviados pelo correio sejam devolvidos, o Instituto Nacional de de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira entrará em contato com os candidatos por meio de SMS e mensagem eletrônica, por celular e e-mail. As provas do Enem serão nos dias 8 e 9 de novembro. Mais de 8,7 milhões se inscreveram para o exame.