i

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Integração Nacional garante recursos para obras de macrodrenagem do Rio Pataxó, que recorrentemente inunda o município de Ipanguaçu

Anúncio foi feito após audiência em Brasília, da qual participaram a deputada federal Fátima Bezerra, a governadora do RN, Rosalba Ciarlini, e a bancada federal do RN

ministro da Integração Nacional, Fernando Coelho, assegurou a liberação de R$ 7,3 milhões para as obras de macrodrenagem do Rio Pataxó. Foto: Assessoria da Deputada Fátima Bezerra. 


Em audiência realizada no início da tarde de hoje (04), o ministro da Integração Nacional, Fernando Coelho, assegurou a liberação de R$ 7,3 milhões para as obras de macrodrenagem do Rio Pataxó, cujas águas inundam o município de Ipanguaçu desde o último dia 25. Participaram da audiência a deputada federal Fátima Bezerra e a governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini, além de senadores e deputados potiguares.

“Podemos dizer que esses recursos resolvem 99% dos problemas de enchentes em Ipanguaçu”, afirmou o prefeito do município, Leonardo Oliveira. O projeto de macrodrenagem do Pataxó foi elaborado anos atrás, com recursos garantidos por emenda da deputada Fátima Bezerra, mas, desde então, estava engavetado pelo governo.

A reunião foi marcada pela governadora Rosalba Ciarlini e contou com a participação dos deputados Fátima Bezerra, Fábio Faria, Henrique Alves e Sandra Rosado, dos senadores José Agripino e Paulo Davim, além do ministro Garibaldi Alves Filho, da Previdência Social.
A obra vai consistir na supressão da vegetação do leito do Rio Pataxó e em sua dragagem. Durante a reunião também foi tratada a construção de diques na bacia, como forma de conter as águas. Falou-se também sobre a construção da barragem Oiticica, no Seridó. “Vamos lutar pela liberação dos recursos para essas outras etapas, mas o principal é realmente a macrodrenagem do Pataxó”, avaliou o prefeito Leonardo Oliveira.

Ao final do encontro, Fátima Bezerra solicitou ao ministro uma audiência para o prefeito de Ipanguaçu. A reunião já está marcada para a próxima quarta-feira (11).

O transbordamento do Açude Pataxó aumentou o nível do assoreado Rio Pataxó, levando suas águas a invadirem diversos pontos do município de Ipanguaçu desde o último dia 25 de abril. O problema é recorrente há décadas e, além dos transtornos causados às famílias que precisam deixar suas casas, algumas vezes perdendo móveis e demais pertences, abala seriamente a economia local, que se baseia principalmente na agricultura e na pecuária.

Em 2009, uma multinacional exportadora de banana teve que desativar algumas de suas fazendas em Ipanguaçu por conta da grande enchente daquele ano. Na ocasião, foram demitidos mais de 1500 funcionários, o que equivale a mais de 10% da população local, estimada em quase 14 mil habitantes.

Familias na zona rural utilizam canoa para chegar em casa. 

De acordo com dados atualizados no final da tarde de hoje (04), 155 famílias estão sob assistência da prefeitura e da Defesa Civil, o que representa aproximadamente 553 pessoas.
As águas atingiram cinco bairros até o momento: Maria Romana, Ubarana, Manoel Bonifácio, Frei Damião e Pinheirão. Na zona rural, treze comunidades estão isoladas, só sendo possível o acesso através de canoas: Santa Quitéria, Barra, São Miguel, Luzeiro, Cuó, Lagoa de Pedra, Itú, Picada, Porto, Salinas, Deus nos Guie, Sacramentinho e Pau de Jucá). A comunidade de Base Física também já apresenta alguns pontos inundados.

A macrodrenagem do Rio Pataxó, obra de custo demasiadamente elevado para os limitados recursos do poder municipal, extingue o medo de que novas cheias do Rio Pataxó ocorram nos próximos períodos chuvosos.

Vice-governador é aguardado nesta quinta em Ipanguaçu e a deputada Fátima Bezerra na sexta-feira

Para averiguar in loco a situação do município, Robinson Faria, vice-governador e também secretário estadual Meio Ambiente e Recurso Hídricos, vai até Ipanguaçu nesta quinta-feira (05).

Já na sexta-feira (06), a deputada Fátima Bezerra verá de perto a situação no município, bem como prestar contas do seu mandato acerca das ações tomadas em relação às inundações e prestar solidariedade à população sofrida do município.


* Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Ipanguaçu

Cidade no RN decreta situação de emergência após cheias de rios


Ipanguaçu tem 150 famílias desabrigadas pelas enchentes.
Treze comunidades estão isoladas no município.


Do G1, em São Paulo
As chuvas fortes que atingem o Rio Grande do Norte nesta quarta-feira (4) deixam 150 famílias desabrigadas em Ipanguaçu, cidade com 13,8 mil habitantes a 215 km de Natal. Ao todo, 13 comunidades estão isoladas.
De acordo com o coronel Acioli, coordenador-geral da Defesa Civil Estadual, a cidade está em situação de emergência em razão da inundação dos rios Açu e Pataxó, que deixou quatro bairros totalmente debaixo d’água.
Ao menos 500 pessoas foram afetadas pelas enchentes. No domingo (1°), a governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini, visitou o local onde acompanhou o trabalho de remoção das famílias em áreas de risco para abrigos.
As inundações tiveram início na segunda-feira (25). As comunidades isoladas estão todas na zona rural (Santa Quitéria, Barra, São Miguel, Luzeiro, Cuó, Lagoa de Pedra, Itú, Picada, Porto, Salinas, Deus nos Guie, Sacramentinho e Pau de Jucá).
A prefeitura da cidade iniciou o desassoreamento do Rio Pataxó e enviou equipes médicas às comunidades isoladas. Segundo a Defesa Civil, a cidade sofre com o transbordamento do rio desde 2009.

Fonte: G1

Cresce número de desabrigados em Ipanguaçu

Já chegam a 150 as famílias que deixaram suas casas no município
Apesar do nível do rio Pataxó estar estável, o número de famílias desabrigadas por conta das inundações no município de Ipanguaçu subiu de 128 para 150, de ontem para hoje. A Defesa Civil do município permanece de plantão 24 horas, monitorando a situação dos moradores que estão em áreas de risco, e o Corpo de Bombeiros também está na cidade para auxiliar a população. De acordo com a assessoria de imprensa de Ipanguaçu, até a tarde de ontem o governo do estado não havia enviado nenhuma material de apoio às vítimas, como cestas básicas, colchonetes e ítens de higiene pessoal.


Cheia do rio Pataxó e falta de drenagem: principais causas das inundações Foto:Eduardo Maia/DN/D.A Press
Para tentar agilizar o envio desse material, o prefeito de Ipanguaçu veio a Natal entregar em mãos um ofício solicitando ajuda da administração estadual. Por enquanto, tudo o que foi doado para os desabrigados foi comprado pela prefeitura. O secretário estadual de Justiça e Cidadania, Thiago Cortez, informou que é preciso receber um ofício com a avaliação dos danos e a requisição dos materiais que o município precisa para que o envio seja providenciado. 

Na tarde de ontem, a lâmina d'água do rio Pataxó era de 18cm, mas ainda chovia forte na cidade, o que poderia elevar o nível da água. Em entrevista ao Diario de Natal, o prefeito Leonardo da Silva afirmou que o problema do transbordamento do rio Pataxó, bem como do rio Piranhas/Assu, só será resolvido com a realização da obra de macro drenagem dos dois. "Existe um projeto de R$ 27 milhões para a macro drenagem do Rio Pataxó e do Rio Piranhas/Assu, e enquanto ele não for executado não haverá solução para esse problema", disse o prefeito. Ele acusa os governos federal e estadual de omissão em relação ao moradores do município. "A ajuda do Estado só vem depois do estrago consumado, com o objetivo de reparar os prejuízos. Nós queremos garantira segurança da população, e para isso é preciso que seja realizado o desassoreamento do rio". 

Por Fernanda Zauli do Diário de Natal 

Entrevista do Prefeito de Ipanguaçu da Inter-Tv Cabugi