i

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Após enchentes, Prefeitura de Ipanguaçu prevê reinício das aulas da rede municipal para segunda-feira

Após quase 40 dias, todos os alunos da rede de ensino de Ipanguaçu poderão estar nas salas de aula na próxima segunda-feira (06). As escolas estavam servindo de abrigos para famílias desalojadas com as enchentes que atingiram o município nos últimos dois meses. Segundo a secretária de Educação Jeane Dantas, a rede municipal de ensino atende a mais de 2.500 alunos, o que equivale a mais de 18% da população de Ipanguaçu.

As aulas foram paralisadas no dia 28 de abril por causa das inundações, que deixaram 13 comunidades isoladas, alguns bairros da zona urbana completamente alagados e obrigaram 168 famílias a saírem de suas casas. O retorno tem sido gradual, ocorrendo desde a semana passada. Atualmente oito das dez escolas estão funcionando normalmente. Na segunda reabrem os portões as escolas das comunidades rurais de Língua de Vaca e Tabuleiro Alto, que apesar de não mais estarem sendo utilizados como abrigos, não podiam funcionar por conta da situação precária em que as águas deixaram as estradas vicinais que lhes dão acesso.

Com as obras de recuperação de 62 quilômetros de estradas, iniciadas na última terça-feira (31) pela Prefeitura, os alunos poderão ser transportados às escolas em segurança. “A retomada das aulas é vista como prioridade. A recuperação de todas as estradas vicinais é uma obra de enorme importância para Ipanguaçu, social e economicamente. A maioria da nossa população vive no campo e depende de atividades como a agricultura e a pecuária para terem sua renda. Agora poderão escoar suas produções com eficiência e segurança”, afirmou o prefeito Leonardo Oliveira.

Retornando à normalidade

Atualmente, apenas um bairro Ubarana ainda apresenta pontos de alagamentos em Ipanguaçu, município mais castigado pelos efeitos das chuvas em todo o Rio Grande do Norte. No total, 42 famílias ainda se encontram alojadas em abrigos municipais ou em casa de parente e amigos.

Um relatório, elaborado conjuntamente por técnicos da prefeitura, engenheiros do Ministério da Integração Nacional, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil foi encaminhado para o Governo Federal. No documento, estão listados mais de R$ 2 milhões em prejuízos e as obras necessárias para que a cidade possa retornar à normalidade.

Além disso, em audiência com o prefeito Leonardo Oliveira e a deputada federal Fátima Bezerra em Brasília, o diretor do Departamento de Reabilitação e Reconstrução da Secretaria de Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional, coronel Ivan Fredovino Ramos Júnior, apalavrou que serão liberados cerca de R$ 7,3 milhões para obras de drenagem e aprofundamento do leito do assoreado Rio Pataxó, que alagou diversos pontos do município.

Prefeitura de Ipanguaçu reúne profissionais da educação municipal para discutir Plano de Desenvolvimento da Escola e investimentos em seis unidades

Com o objetivo de promover constantes melhorias na educação do município, a Prefeitura de Ipanguaçu reuniu nesta quinta-feira (02) membros de seis escolas municipais no auditório do Teatro Maria Eugênia Montenegro para discutir o investimento de R$ 134 mil, oriundos Plano de Desenvolvimento da Escola (PDE-Escola), bem como debater o planejamento estratégico a ser desenvolvido pelas escolas para a melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem dos alunos.

Na oportunidade, foram formados grupos de trabalhos nas escolas formados por professores, supervisores, secretários escolares, ASG, diretores e vice-diretores para a realização do processo de planejamento estratégico que deverá ser desenvolvido pelas escolas, de forma a incrementar qualidade do ensino e a aprendizagem dos alunos.

“Essas reuniões são oportunidade de as escolas avaliarem erros e acertos, de forma a identificar e superar eventuais deficiências existentes” destacou a coordenadora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação Janinele Araujo.

Serão contempladas com os recursos as escolas municipais Nelson Borges Montenegro (na comunidade Picada); Adalberto Nobre de Siqueira (comunidade Tabuleiro Alto); Francisco Florêncio Lopes (comunidade Pataxó); Francisco Soares da Costa (Conjunto Habitacional Pedrinhas); Professora Francisca Neide de Medeiros Costa Santos (Comunidade Arapuá) e Escola Professora Maria Rizomar de Figueredo Barbosa. Nas cinco primeiras escolas citadas deverão ser investidos R$ 20 mil e R$ 34 mil na última.

Políticos terão 30 dias para se filiar a novo partido


O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) criou ontem uma janela possibilitando que políticos migrem para um novo partido em um prazo de até 30 dias, a contar de sua criação formalizada pela Justiça Eleitoral, sem que corram o risco de perderem o mandato por infidelidade partidária.

A medida beneficia diretamente o PSD, sigla criada pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), que ainda se encontra em processo de formação.

Todos aqueles políticos que já se associaram ao PSD poderão, portanto, mudar de partido, sem que sejam considerados infiéis. A decisão, contudo, valerá para todos aqueles que quiserem mudar de partido no prazo estabelecido, mesmo se não haviam participado dos atos anteriores à sua criação formal.

Ao responder a uma consulta formulada pelo deputado federal Guilherme Campos (DEM-SP), os ministros do tribunal entenderam ontem, por unanimidade, que um político que migrar a uma nova sigla "estará acobertado pela justa causa para se desfiliar da legenda pela qual foi eleito".

A resolução do TSE que definiu as regras da fidelidade partidária, editada em 2007, já estabelecia três exceções para a troca de partidos: perseguição, mudança ideológica da legenda e a mudança para um novo partido.

Fonte: VT