i

domingo, 17 de julho de 2011

Açude de Pataxó volta a sangrar




Por causa das fortes chuvas dos últimos dois dias, o açude público de Pataxó no município de Ipanguaçu amanheceu hoje, domingo dia 17, “sangrando”.


Fotos: Cedidas por Alyson Rocha

Na noite de ontem (16) a região do Vale do Açu choveu a noite toda, isso pode ter ocasionando a sangria do açude. A lâmina d’água foi registrado ao meio dia de hoje com 6 cm.
A barragem do Açude Pataxó, projetada e construída pelo DNOCS, foi iniciada em 1951 e concluída em 1953. O açude tem área da bacia hidrográfica 900 km' e tem capacidade para armazenar 24 milhões de metros cúbicos de água.

Adesão de Zé Diana a Leonardo deixa Zé de Deus e Rizomar Barbosa completamente desorientados

O ex-prefeito José de Deus e a sua esposa Maria Rizomar Barbosa, pré-candidata a prefeita de Ipanguaçu pelo PMDB nas eleições de 2012, ficaram completamente desorientados ontem, quando souberam do apoio do agropecuarista Zé Diana - um dos mais respeitado cidadãos do Vale do Açu – ao projeto de reeleição do prefeito de Ipanguaçu Leonardo Oliveira, do PT.

Programa_6A presença do empresário Zé Diana nos estúdios da Princesa do Vale para prestigiar a entrevista concedida pelo prefeito Leonardo Oliveira ao programa Registrando, causou uma surpresa grande nos meios políticos do município e da região pelo fato de que ele e o ex-prefeito José de Deus eram amigos de 'carne e unha'. Zé Diana sempre acolheu Zé de Deus como um filho na sua casa e na fazenda. Era uma amizade antiga.
Apesar de Zé Diana não ter proferido uma palavra para explicar o rompimento com o ex-prefeito José de Deus, foi um duro golpe político que coloca por terra a acusação de ingratidão e perseguição aos amigos que o ex-prefeito utiliza nas conversas para justificar o racha com Leonardo.
Depois da adesão política de Zé Diana a Leonardo, trocando um 'amor antigo pelo novo', fica uma grande interrogação hoje, sobre quais os motivos que levaram Zé Diana a não querer acompanhar mais a orientação política do ex-prefeito. Comenta-se que outros velhos amigos de Zé Deus, seguirão o exemplo de Zé Diana. O negócio começa a ficar feio para a ex-primeira dama, Rizomar Barbosa.

Estudantes participam hoje da primeira avaliação para entrada no IFRN

1ª avaliação acontece neste domingo (17)

Os candidatos inscritos no Programa de Iniciação Tecnológica e Cidadania - PROITEC realizam hoje a primeira avaliação, marcada das 13h às 17h, para a inclusão nos cursos oferecidos pelos campos.

A primeira avaliação terá 40 questões de múltipla escolha, com conteúdos de Língua Portuguesa (15 questões), Matemática (15 questões) e Ética e Cidadania (10 questões), referentes às unidades de 1 a 5 do livro texto “Proteu na rota do descobrimento”.

Para imprimir o cartão de inscrição acesse: http://selecao.ifrn.edu.br/

Leonardo Oliveira participa do programa Registrando e Mario afirma apoiá-lo

O prefeito Leonardo Oliveira (PT) participou ontem (16) do Programa Registrando, que vai ao ar todos os sábados pela Rádio Princesa do Vale.

Leonardo apresentou as ultimas ações do governo municipal, entre elas a reunião em Brasília que contou com a participação do ministro Fernando Coelho e a Deputada Federal Fátima Bezerra.

O prefeito frisou que o ministro garantiu esta firmando, na terça-feira 19, o convenio para logo após acontecer à abertura do processo licitatório junto ao governo do estado. “Quero solução, chega de ações paliativas, quero devolver a população de Ipanguaçu a cidadania, a oportunidade e não se aproveitar de enchente para ta chorando. Queremos solucionar este problema de anos” afirma Leonardo.

A deputada Fátima Bezerra (PT) falou através do telefone sobre a reunião com o ministro, para a deputada a obra é de grande importância para a cidade e que não sossegara junto ao prefeito enquanto a obra de macrodragagem não for iniciada. “Eu e Leonardo tem lutado muito por essa obra, e não vamos sossegar enquanto não for iniciada” disse Fátima.

Além da participação da deputada, muitos ipanguaçuenses, amigos de Leonardo acompanharam de perto a entrevista na rádio.

Entre eles Mario Silvério que afirmou esta apoiando o prefeito Leonardo. Para Mario seu apoio se dá por Leonardo ter votado nele por duas vezes como também esta trabalhando verdadeiramente para a população do município. “Leonardo esta trabalhando para a população, a cidade esta virando um canteiro de obra. Estou também como Leonardo porque votou em mim duas vezes, ao contrario do ex-prefeito que já apoiei e quando foi o momento dele votar em mim, isso não aconteceu”, destaca Mario.

Sobre o cemitério de Pataxó Leonardo disse que as obras vão acontecer, não só reforma como também ampliação e iluminação. “Desapropriamos uma área de mais de 8 equipares e vamos realizar as obras. Para isso temos que seguir todo o processo licitatório. A comunidade vai ter um cemitério com condições dignas”.

O prefeito concluiu dizendo que Ipanguaçu tem filhos competentes para administrar em Ipanguaçu “Nossa cidade tem filhos competente e capaz que podem administrar muito bem, agradeço a credibilidade de todos em estar nos apoiando” concluiu Leonardo.

Para ouvir o programa ouça (AQUI)
Veja fotos (AQUI)

Um país desarmado contra o crack

Governo aplicou apenas 20% dos R$ 410 milhões previstos para o combate ao entorpecente
Eles já chegam à impressionante marca de 900 mil no país, formando um exército de dependentes químicos da cocaína e crack que não para de crescer, de acordo com levantamento da Organização das Nações Unidas (ONU). Desde junho do ano passado, o governo reservou quase meio bilhão de reais para alterar a realidade, mas até agora não foram aplicados nem 20% dos recursos previstos, apesar da deficitária estrutura de atendimento. O Plano Nacional de Combate ao Crack e Outras Drogas, anunciado ainda no governo Lula, não decola. Isso, apesar de a considerável cifra de R$ 410 milhões ter sido pulverizada entre os ministérios da Justiça, da Saúde e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Hoje, o Brasil sequer conhece a face de seus dependentes químicos, em especial do crack. O último levantamento oficial sobre o uso de drogas no país foi feito em 2005 e uma nova pesquisa seria concluída em março. Mais uma vez, fez água, conforme admite a própria Secretaria Nacional de Política sobre Drogas (Senad). Uma pesquisa feita pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), em dezembro do ano passado, mostrou que 98% dos municípios brasileiros têm dependentes químicos, inclusive, de crack. Desses, apenas 14,7% têm Centros de Atenção Psicossocial (CAPs) e 8,4% contam com programas locais de combate ao crack.

Mesmo sem dados científicos sobre a realidade brasileira do crack, a secretária Nacional de Política sobre Drogas, Paulina Duarte, desdenhou da tese sobre o país viver uma epidemia de crack: "É uma grande bobagem." O presidente da Comissão Especial de Combate às Drogas da Câmara dos Deputados, Reginaldo Lopes (PT-MG), discorda. Para ele, há um endemia que deve ser tratada como crônica. "Do ponto de vista político, é melhor tratar como epidemia, aprimorar e efetivar políticas públicas do que depois correr atrás do prejuízo", destacou.

Sem atendimento

Ainda assim, o Plano de Enfrentamento do Crack e Outras Drogas deixa de contemplar cerca de 62% dos municípios brasileiros com a rede de atendimento pública a dependentes. Ele limitou o acesso às ações apenas a cidades com população acima de 20 mil habitantes, um total de 1.643 (29,5%). Para os demais, está prevista apenas a possibilidade de implantação de Núcleos de Apoio à Saúde da Família. Anunciada com alarde pela Senad, a construção de 2,5 mil leitos em todo o país significa apenas meia vaga para cada município brasileiro. Além disso, a tentativa de lançar editais públicos para contratação de vagas de internação não surtiu efeito. Foram tantas as exigências que não houve interessados.


+ Mais 
Financiamento em discussão

Aumenta apreensão de drogas nas fronteiras

Fonte: Maria Clara Prates e Débora Álvares/ Diário de Natal