i

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Presidente Dilma decide sobre royalties do petróleo até dia 30


A presidente Dilma Rousseff tem até o dia 30 para decidir sobre o projeto que redistribui os royalties do petróleo. O texto chegou à Casa Civil na noite da última sexta-feira (9/11), data a partir da qual a presidente tem 15 dias úteis para decidir sobre o projeto. Após a aprovação na Câmara, ocorrida na última terça-feira (6/11), a presidente Dilma disse que faria uma “análise exaustiva” do texto antes de decidir se vetará o texto de forma total ou parcial ou ainda se sancionará o projeto sem mudanças.
O texto aprovado não era a proposta do Executivo e deixou de fora a previsão de repasse de 100% dos royalties dos poços que serão licitados para a educação, como queria o governo. A presidente Dilma também defendia a manutenção dos atuais contratos de exploração do regime de concessão para preservar os ganhos dos estados produtores, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Morre o ator e diretor Marcos Paulo da Rede Globo


Após uma luta de mais de um ano contra um tumor no esôfago, o ator e diretor Marcos Paulo veio a falecer na noite deste domingo (11).
Marcos Paulo morreu de embolia pulmonar. Ele estava em sua casa, no Rio. Na última sexta (09), Marcos havia marcado presença no “IV Amazonas Film Festival”, que aconteceu em Manaus. Em agosto do ano passado, o diretor havia passado por uma cirurgia para remover o tumor.
No início de novembro de 2012, o Hospital São José, no Rio, havia divulgado que Marcos Paulo tinha vencido a batalha contra a doença, após uma bateria de exames. “Uma saúde perfeita e o câncer do esôfago em total remissão”, disse a nota da clínica na época.
Em recente entrevista à revista “Alfa”, o diretor comentou: “Quando recebi a notícia do câncer, pensei: ‘Perdi’. É uma coisa chocante. Você sempre acha que pode acontecer com quem está do lado. Nunca com você”. E completou: “Estou vivo e essa é uma guerra que tinha de enfrentar. Guerras são feitas de batalhas, e a gente vai vencendo uma a uma”.

Médico potiguar alerta: zumbido no ouvido pode indicar diversas doenças



A sensação geralmente é a mesma: um ruído constante que a pessoa não sabe de onde vem e como acabar com ele. Em alguns casos, o incômodo é parecido com o barulho de insetos; em outros, com sons de uma cachoeira e até mesmo de vozes humanas. “O zumbido é um problema que afeta pessoas de todas as idades e que possui diversas causas, podendo ser originado por doenças fora ou dentro do ouvido”, alerta o otorrinolaringologista natalense Pedro Guilherme Cavalcanti. Este domingo, 11, é o dia nacional de combate ao problema.
Entre as causas apontadas pelo especialista estão: tumores no ouvido ou ao redor dele, estresse, problemas dentários, além de distúrbios no metabolismo, como diabetes, hipertireoidismo, colesterol e pressão alta. Mas, em cerca de 90% dos casos, Pedro Cavalcanti alerta: o zumbido está relacionado à perdas auditivas em seus diferentes níveis.
“O zumbido pode ser causado por perdas auditivas, muitas vezes mínimas, e que ocorrem devido à exposição prolongada a ruídos intensos, principalmente no trabalho”, afirmou, acrescentando que o problema também pode ser causado por por perda de audição natural com a idade, por medicamentos, excesso de cera e por outras doenças no ouvido, como inflamações.

TCE promove encontro com prefeitos em fase de transição


A Escola de Contas do TCE/RN, em parceria com a CGU, TCU e a FEMURN vai realizar no dia 10 de dezembro o Encontro dos Prefeitos Eleitos e daqueles que estão encerrando o mandato. O evento será realizado no auditório do Centro de Referência em Educação Aluízio Alves (CEMURE).
O objetivo é dar boas vindas aos novos prefeitos e oportunizar espaço de informação e debate de temáticas sobre a boa governança, incluindo orientações sobre a comissão de transição para o cargo de Prefeito, com base na Constituição Federal e na Lei de Responsabilidade Fiscal- LRF
Entre os temas que serão abordados estão: O papel dos órgãos de controle, órgãos jurisdicionais, a integridade pública e o fortalecimento da gestão e a resolução 027/2012-TCE.