i

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Mega Sena pode pagar R$ 23 milhões hoje

O concurso da Mega Sena desta quarta-feira (23) deve pargar o prêmio de R$ 23 milhões ao apostador que acertar as seis dezenas. De acordo com a Caixa Econômica Federal, neste ano apenas uma pessoa certou os seis números da Mega-Sena, sendo premiado com R$ 13 milhões, três sorteios atrás.

Caso o prêmio de hoje saia para um único ganhador, pode render cerca de R$ 95 mil por mês, se aplicado em poupança. O valor também é equivalente a 76 imóveis de R$ 300 mil ou 191 carros de luxo.

Sábado passado, quando houve o último sorteio, ninguém acertou as dezenas e o prêmio foi acumulado para o sorteio de hoje. Os números desse sorteio foram: 31 - 36 - 44 - 47 - 49 - 54. 99 apostadores acertaram a quina, levando R$ 27.077,55 cada; e outros 6.683 acertaram a quadra, ganhando R$ 573,02 cada um. 

As apostas, de valor mínimo de R$ 2 podem ser feitas até as 19h dos dias dos sorteios, em qualquer lotérica da Caixa Econômica.

Dilma grava pronunciamento sobre redução na tarifa de energia elétrica


A presidenta Dilma Rousseff gravou um pronunciamento, que deve ir ao ar nesta quarta-feira (23), no qual reafirma o corte na tarifa de energia elétrica, recentemente colocado em dúvida devido à falta de chuvas no país.
A redução média prometida pelo governo é de 20% para empresas e indústrias e 16% para o consumidor doméstico. Depois de avaliações sobre a capacidade dos reservatórios de energia, prejudicados pelo atraso nas chuvas, o Executivo negou o cancelamento da promessa.
A lei que prorroga as concessões do setor elétrico e dá condições para a redução nas tarifas foi assinada por Dilma na semana passada.

Governo entra com representação contra médico que denunciou falta de insumos no Walfredo Gurgel


Denúncia do médico teve repercussão nacional
O Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), protocolou denúncia contra o médico Jeancarlo Cavalcante, presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Norte (Cremern), que fez um vídeo, no início do mês, revelando a falta de fio de aço, no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, para fechar uma cirurgia torácica.
A denúncia da Sesap foi protocolada no Cremern e no Conselho Federal de Medicina, já que o médico é presidente do Conselho Regional.
O caso do vídeo ficou conhecido nacionalmente, depois que a Rede Globo veiculou matéria no Jornal Hoje. Na falta do material adequado, Jeancarlo Cavalcante precisou fechar a cirurgia com fio de náilon. O vídeo gravado pelo profissional também repercutiu em outros veículos de abrangência nacional.
A assessora jurídica da Sesap, Catarina Lins, explica que o órgão considera errada a forma como o médico fez a denúncia.
"No momento em que ele estava realizando a cirurgia, existiam dois tipos de fios de aço, inclusive um de qualidade superior ao que ele solicitou. Então a forma como ele fez a denúncia não foi apropriada. Ele deveria ter procurado os setores correspondentes. Percebemos problemas de caráter ético", afirma a assessora. 
Médico afirma que cumpriu com sua missão ao denunciar deficiências
Jeancarlo Cavalcante responde que cumpriu com a sua missão, enquanto presidente do Cremern. "Não podia me omitir diante de tal situação de falta de insumos, principalmente por ser presidente do Conselho Regional de Medicina. A reação do Governo do Estado é equivocada. Eles deveriam apresentar explicações à população sobre a falta de material nos hospitais", afirma o médico.
Sobre a afirmação da assessora jurídica de que existiam outros materiais para fechar a cirurgia, Jeancarlo Cavalcante diz o contrário.
"Não tinha outro material, inclusive a própria diretora do hospital, quando entrevistada, disse que realmente não havia fio de aço na unidade. No dia seguinte, a direção precisou pedir fio de aço emprestado a um hospital particular para substituir o fio de náilon", destaca o presidente do Cremern.

O Mossoroense

ProUni registra mais de 1 milhão de inscritos

prouni-mec-2
O balanço final do Programa Universidade para Todos (ProUni) registrou 1.032.873 inscritos. Os números divulgados ontem (22) pelo Ministério da Educação (MEC) apontam que o total de inscrições foi 2.011.538, considerando que cada candidato teve oportunidade fazer até duas opções de curso.
O estado com maior número de candidatos inscritos na primeira edição do programa neste ano foi São Paulo, com 187.489; seguido por Minas Gerais, com 141.839, e Rio de Janeiro, com 75.935.
A primeira convocação de candidatos pré-selecionados será feita amanhã (24) e o prazo para matrícula na instituição de ensino vai até o dia 31.
Em 8 de fevereiro, será feita a segunda chamada de pré-selecionados. O candidato deve providenciar a matrícula e a apresentação de documentos até o dia 19 do mesmo mês.
O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica em instituições privadas de educação superior. Para o primeiro semestre deste ano, estão sendo oferecidas 162.329 bolsas, sendo 108.686 integrais e 53.643 parciais (cobertura de 50% da mensalidade).
Para concorrer à bolsa integral, o candidato deve comprovar renda familiar por pessoa até um salário mínimo e meio (R$ 1.017). Para as bolsas parciais, a renda familiar deve ser de até três salários mínimos (R$ 2.034) por pessoa. Cada estudante pode optar por até dois cursos.
O estudante que conseguir apenas uma bolsa parcial (50% da mensalidade) pode custear a outra parte por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), sem necessidade de apresentar fiador. Para isso, é preciso que a instituição onde o aluno pretende se matricular tenha firmado termo de adesão ao Fies e ao Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo.
Estão dispensados dos requisitos de renda para a obtenção de bolsa os professores da rede pública em efetivo exercício do magistério na educação básica, integrantes de quadro de pessoal permanente de instituição pública. Eles concorrem exclusivamente a bolsas para cursos de licenciatura.
Fonte: Agência Brasil

Mais de 10 mil pessoas já se cadastraram no Programa Brasil Voluntário


voluntario-Copa
Em apenas sete horas, 10.320 pessoas se cadastraram no Programa Brasil Voluntário, lançado nesta terça-feira (22.01) pelo Governo Federal. O programa selecionará voluntários para atuar na Copa das Confederações FIFA Brasil 2013 e na Copa do Mundo FIFA Brasil 2014.

O cadastro foi aberto às 11h dessa terça pelo site do programa (www.brasilvoluntario.gov.br) e segue até 16 de fevereiro. A maioria dos inscritos até agora pretende participar dos eventos no Rio de Janeiro (3.262). São Paulo (1.699 pessoas), Brasília (1.195) e Belo Horizonte (1.033) também tiveram alta procura.
A maior parte dos inscritos (98,1%) é de brasileiros. Também se cadastraram 66 argentinos e pessoas de outras 17 nações.
Após o dia 16 de fevereiro, começam as etapas de seleção e formação dos voluntários para a Copa das Confederações, que será realizada entre os dias 15 e 30 de junho, em Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador. Sete mil voluntários serão selecionados nas seis cidades. Outras 4.900 pessoas poderão participar do evento de abertura, em Brasília, e do encerramento do torneio, no Rio de Janeiro. Neste caso, a seleção vai priorizar moradores desses locais.
Para participar, é necessário ter no mínimo 18 anos de idade (não há limite), residir no Brasil e ter disponibilidade de horário. A atuação dos selecionados será integrada com o programa de voluntariado da FIFA e funcionará como uma ampla rede de mobilização social que irá atender aeroportos, pontos turísticos, festas públicas, Fan Fests e outras áreas de grande fluxo de pessoas.
Envolvimento
Os mais de 10 mil inscritos já têm acesso à Rede Social Brasil Voluntário. Durante todo o dia, os candidatos puderam tirar dúvidas, conhecer pessoas e se reunir em grupos, separados por cidades-sede.
Um dos inscritos no Brasil Voluntário é o estudante carioca Thadeu Silva Rosa de Lima. Fluente em inglês e espanhol, Thadeu viu no projeto uma chance para praticar os idiomas. "É uma chance de fazer um intercâmbio cultural dentro do Brasil. Quero muito participar", destacou.
O brasiliense Jefferson Francisco de Oliveira Silva também se inscreveu nesta terça-feira e conta que quer participar do programa para retribuir o carinho que recebeu dos estrangeiros quando morou fora do país. "Eles nos tratam muito bem. Por isso estou disposto a ajudar o Brasil a organizar a Copa e contribuir na recepção dos estrangeiros", contou.
Fonte: Portal Brasil