i

segunda-feira, 26 de março de 2012

Ipanguaçu obtém pontuação acima da média potiguar no Índice de Desempenho do SUS (IDSUS)


O município de Ipanguaçu, localizado no Vale do Açu, está entre os três melhores da região na gestão do Sistema Único de Saúde. É o que indicam os dados do Índice de Desempenho do SUS (IDSUS), conjunto de ferramentas que avaliam o acesso e a qualidade dos serviços de saúde ofertados no país. O município, com aproximadamente 14 mil habitantes, obteve índice de 5,44, número acima da média no Rio Grande do Norte e não muito distante do obtido pela capital do Estado, Natal (5,9), uma das capitais mais bem posicionadas do país.

No Vale, Ipanguaçu, que tem investido muito nos últimos três anos na reestruturação e ampliação nos serviços de saúde que disponibiliza aos cidadãos, só ficou atrás de São Rafael e Porto do Mangue e ficou à frente das cidades de Jucurutu, Carnaubais, Pendências, Itajá, Alto do Rodrigues e Assú.

Para o prefeito Leonardo Oliveira o IDSUS já se constitui em um importante instrumento de avaliação dos serviços prestados. “O resultado prova o que o povo de Ipanguaçu já sabe: as ações de saúde tem melhorado ano após anos. No entanto, sabemos que há espaço para evoluirmos e crescermos mais. Estamos investindo cada vez mais em busca de oferecer ao nosso povo uma saúde ainda melhor para os ipanguaçuenses”, afirmou o prefeito.

O IDSUS foi criado pelo Governo Federal para melhor avaliar a saúde pública brasileira. O estudo leva em conta diferentes níveis de atenção à saúde (básica, especializada ambulatorial e hospitalar e de urgência e emergência), verificando como está a infraestrutura para o atendimento aos usuários e se os serviços ofertados têm capacidade de dar as melhores respostas aos problemas de saúde da população.

O IDSUS 2012 está disponível para consulta pelo endereço www.saude.gov.br/idsus.

Prefeito de Ipanguaçu avalia gestão


O Prefeito Leonardo Oliveira(PT) esteve na ultima sexta-feira(23) no centro da cidade realizando uma avaliação administrativa dos seu mandado enquanto gestor nos últimos três anos.

Além de Secretários e acessosres o prefeito contou com a participação de lideranças comunitárias de diferentes locais, amigos, e depoimentos de admiração pelo trabalho desenvolvido na cidade.

"Temos avançado muito e ainda vamos avançar, levando o serviço de encontro ao povo na busca de melhorar a qualidade de vida do nosso povo esse é o nosso objetivo" disse o prefeito. 

Vejam as fotos (AQUI)

Tuberculose: casos no Brasil caem 3,5% em 2011

Já a taxa de incidência da doença no Brasil, de acordo com a pasta, caiu 15,9% na última década.

Dados divulgados hoje (26) pelo Ministério da Saúde indicam que os casos de tuberculose registrados no país em 2011 caíram 3,54% em relação ao ano anterior – foram notificados, ao todo, 69.245 casos contra 71.790 em 2010.

Já a taxa de incidência da doença no Brasil, de acordo com a pasta, caiu 15,9% na última década. Em 2001, foram registrados 42,8 casos de tuberculose para cada 100 mil habitantes contra 36 casos no ano passado.

Em relação aos óbitos provocados pela doença, houve queda de 23,4% no período de dez anos, segundo o ministério. Em 2001, o país registrou 3,1 mortes para cada 100 mil habitantes contra 2,4 mortes em 2010.

Apesar dos avanços, a tuberculose no Brasil representa a quarta causa de óbitos por doenças infecciosas e a primeira entre pacientes com aids. A recomendação do ministério é que todos os pacientes diagnosticados façam o teste anti-HIV. Entretanto, em 2010, apenas 60% dessas pessoas foram testadas.

De acordo com a pasta, em 2011, foram investidos US$ 74 milhões no enfrentamento à doença, contra US$ 5,2 milhões em 2002.

Tosse por mais de três semanas, com ou sem catarro, é o principal sintoma da tuberculose. Ao apresentar esse quadro, qualquer pessoa deve procurar uma unidade de saúde. Caso o diagnóstico seja confirmado, o tratamento deve ser iniciado imediatamente, para que a cadeia de transmissão seja interrompida.

O tratamento deve ser feito durante seis meses, sem interrupção, e é oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Por Paula Laboissière, Agência Brasil

Municípios do Vale do Açu se comprometem em consolidar Consórcio na região


reuniao consorcio vale 260312

Os prefeitos dos municípios do Vale do Açu estão comprometidos com o andamento do Consórcio Público Regional de Saneamento Básico. Em reunião realizada manhã de hoje (26), na sede da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), os presentes garantiram que vão dar andamento à consolidação da entidade. Uma reunião foi marcada para o dia 24 de abril, na cidade de Assu, com o objetivo de eleger a diretoria do Consórcio do Vale.


O secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Gilberto Jales, conduziu a reunião, lembrando que a obtenção de recursos passa necessariamente pela organização e planejamento. Jales se referiu aos recursos obtidos junto a Fundação Nacional de Saúde (FUNASA) para a construção dos aterros sanitários do Seridó e do Alto Oeste. Os R$ 20 milhões foram assegurados porque os Consórcios já estavam formados estas regiões.

Um total de 13 municípios, dos 24 previstos para a formação do Consórcio do Vale estiveram representados. O compromisso é assinar o protocolo de intenções. Em seguida as câmaras municipais ratificam o protocolo convertendo-o em contrato de Consórcio. Após a formalização do contrato de Consórcio por todos os municípios, ocorre a eleição da diretoria. Espera-se que até o próximo 24 de abril este processo nos municípios esteja concluído para a eleição da diretoria.

Mesmo não havendo a totalidade dos municípios na reunião, ficou acertado que os demais municípios serão envolvidos para fortalecer a formação da entidade. Também foi lembrado que o Consórcio é o melhor caminho para resolver a questão ambiental causada pelos resíduos sólidos, visto que as prefeituras estão respondendo a questionamentos, principalmente do Ministério Público, sobre os lixões nas cidades.

O Consórcio também pode ser formado por um número menor de municípios do que o previsto inicialmente, desde que a quantidade de habitantes dos que formam o Consórcio ultrapasse mais de 100 mil habitantes. Com esta população, lembra a técnica da Semarh, Juliana Ubarana, é possível ter a viabilidade econômica e financeira do aterro sanitário da região.

Os municípios que formam o Consórcio do Vale são: Assu, Baraúna, Tibau, Grossos, Areia Branca, Serra do Mel, Porto do Mangue, Carnaubais, Pendências, Macau, Guamaré, Alto do Rodrigues, Afonso Bezerra, Pedro Avelino, Pedra Preta, Lajes, Ipanguaçu, Itajá, Angicos, Fernando Pedroza, São Rafael, Santana do Matos, Paraú e Upanema.

Assessoria de Imprensa SEMARH

Ipanguaçu participa de Formação de agentes de Desenvolvimento


Em busca de preparar os participantes para atuar na mobilização, articulação e orientação técnica básica das pessoas chaves para implantação e implementação das possibilidades de melhorias do ambiente de negócios das micro e pequenas empresas, a prefeitura de Ipanguaçu enviou dos representantes para o Curso de Formação de agentes de Desenvolvimento Básico que ocorreu de 19 a 22 de março no auditório do SEBRAE na cidade de Mossoró.

Segundo Poliana Rocha e Tereza Paula, disseram que o curso foi produtivo e dentro dos assuntos e que o município tentará colocar em pratica “seremos multiplicadores das informações, junto com o poder publico iremos acompanhar para tirar da informalidade os empresários do município, a fim de desenvolver o setor privado da local” disse Poliana.

Semarh reúne prefeitos do Vale do Açu

Os prefeitos da região do Vale do Açu estarão reunidos nesta segunda-feira, 26, às 9h, na sede da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (SEMARH), em Capim Macio, para tratar da formação do Consórcio Público Regional de Saneamento Básico, o mesmo que já aconteceu nas regiões do Seridó e Alto Oeste.

O secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Gilberto Jales, participa da reunião informando aos prefeitos a importância da formação da entidade e o andamento das ações desenvolvidas pela Semarh na área de resíduos sólidos. A empresa Geotechnique Consultoria e Engenharia, responsável pelos estudos das áreas para o aterro sanitário e equipamentos necessários à coleta de lixo, está fazendo levantamento na região do Vale do Açu.

A empresa faz análise de áreas para sediar o aterro sanitário e os equipamentos previstos para viabilizar a coleta e transporte dos resíduos. Entre eles, as estações de transbordo (equipamento que vai transferir resíduos), unidade de triagem (equipamento que fazer a separação do lixo) e ponto de entrega voluntária (equipamento em que a população vai entregar o lixo reciclável).
Os municípios que formam o Consórcio do Vale são Assú, Baraúna, Tibau, Grossos, Areia Branca, Serra do Mel, Porto do Mangue, Carnaubais, Pendências, Macau, Guamaré, Alto do Rodrigues, Afonso Bezerra, Pedro Avelino, Pedra Preta, Lajes, Ipanguaçu, Itajá, Angicos, Fernando Pedroza, São Rafael, Santana do Matos, Espírito Santo do Oeste (Paraú) e Upanema.

No sentido de apoiar os municípios potiguares, a Semarh acompanha por meio de sua assessoria técnica o trabalho de formação dos consórcios por região e viabiliza ações no sentido de garantir a logística de implantação dos aterros e equipamentos para a coleta de resíduos sólidos. O trabalho da secretaria envolve uma série de etapas.

A assinatura de protocolo de intenções é o primeiro passo na formação do consórcio. Em seguida, as Câmaras Municipais ratificam o protocolo, convertendo-o em contrato de consórcio. Após a formalização pelo contrato de consórcio, ocorre a eleição da diretoria. A formalização da entidade jurídica ocorre com o CNPJ e depois é constituído o estatuto da entidade.

Recentemente, o Consórcio Público Regional de Saneamento Básico do Alto Oeste conseguiu uma grande vitória para consolidação da sua personalidade jurídica própria. A entidade formada por 44 municípios do Alto Oeste obteve o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) e atualmente é a região mais avançada entre os consórcios do Estado. O RN já possui em andamento o Consórcio Público Regional do Seridó e pretende-se formar os Consórcios do Agreste e Mato Grande.

Jornal DE Fato

Educação tem papel estratégico e precisa ser garantida a todos, diz presidenta

Dilma_fala_sobre_educacao
Brasília – Ao comentar o lançamento do Programa Nacional de Educação no Campo (Pronacampo) na semana passada, a presidenta Dilma Rousseff disse hoje (26) que a educação tem papel estratégico e tranformador para o país e que precisa ser garantida a todos.

No programa semanal Café com a Presidenta, ela lembrou que serão investidos R$ 1,8 bilhão por ano para melhorar a educação no campo – beneficiando, sobretudo, pequenos agricultores, produtores da agricultura familiar, assentados da reforma agrária e comunidades quilombolas.
“As ações do Pronacampo vão desde a melhoria da infraestrutura nas escolas à formação dos professores. Trinta mil escolas vão receber recursos para manutenção e reformas e outras 3 mil escolas serão construídas até 2014. Vamos também formar professores e oferecer cursos profissionalizantes aos nossos jovens e trabalhadores rurais”, explicou.
Para Dilma, o projeto é audacioso, já que quase 30 milhões de brasileiros sobrevivem da agricultura atualmente. Segundo ela, a ideia do governo é que essas pessoas possam estudar e ter uma profissão sem precisar deixar o campo.
“Uma das nossas ações será oferecer material didático com conteúdo diferenciado para as escolas rurais. A partir do ano que vem, os temas dos livros didáticos dessas escolas estarão relacionados com a realidade das pessoas que vivem no campo e também das comunidades quilombolas, valorizando os saberes da terra e o conhecimento de quem vive na área rural”, completou.
Ainda de acordo com a presidenta, serão entregues mais de 8 mil ônibus e 2 mil lanchas para auxiliar no transporte escolar, além de 180 mil bicicletas. Ela ressaltou que a distância entre as escolas rurais e a casa dos trabalhadores pode ser grande e que, nesses locais, não há transporte coletivo acessível como nas cidades.
Trabalhadores rurais também poderão participar do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) – serão 180 mil vagas esclusivas para o campo em cursos como agroecologia, fruticultura, zootecnia, piscicultura e apicultura.
Fonte: Agência Brasil