i

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Prefeitura de Ipanguaçu promove projeto de combate às drogas no Dia do Estudante


As drogas ilícitas figuram entre os mais graves problemas da sociedade brasileira na atualidade, motivando assaltos, furtos, brigas e – não raro – assassinatos. Como forma de alertar seus cidadãos, a Prefeitura de Ipanguaçu, através da Secretaria Municipal de Assistência Social, realizou durante toda a manhã desta quinta-feira (11), Dia do Estudante, na praça pública do centro da cidade, o projeto “Um grito de liberdade: diga não às drogas”.

De acordo com a coordenadora do PróJovem, Rayane Ribeiro, a mobilização visa sensibilizar aos jovens e a comunidade à respeito dos malefícios provocados pelas drogas. “As drogas estão presentes de forma abusiva em todas as classes sociais. Hoje estamos nas ruas, realizando a entrega de panfletos e adesivando automóveis, mas esta é apenas uma ação dentre tantas outras realizadas pela prefeitura para combater este mal”, afirma a coordenadora, informando ainda que o projeto “Um grito de liberdade: diga não às drogas” reúne mais de 100 adolescentes das zonas rural e urbana de Ipanguaçu, oferecendo-lhes diversas atividades educativas desde o primeiro semestre.

Para melhor embasar essas ações sociais, a prefeitura de Ipanguaçu tem realizado há meses palestras, visitas a centros de reabilitação, entrevistas com dependentes químicos e debates com a população. A intenção, de acordo com a secretária de Assistência Social, Cristina Oliveira, é que esses projetos de combate às drogas possam se expandir e, em breve, sejam realizados nas escolas de todo o município.

“Nosso foco principal é manter nossos jovens longe das drogas. Estamos, inclusive, realizando atividades à tarde com os alunos que estudam no turno matutino e pela manhã com os alunos que estudam no vespertino, de forma que estes jovens não ficam ociosos, mas, sim, se ocupam no tempo que era vago desenvolvendo suas habilidades e talentos nas oficinas que oferecemos”, disse a secretária.

Dnocs pediu licença para implantar perímetro irrigado de Apodi

O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) requereu, junto aos órgãos especializados, a licença de instalação da primeira etapa do Perímetro Irrigado Santa Cruz do Apodi. O projeto da ordem de R$ 250 milhões alcançará 5.200 hectares, atendendo os municípios de Apodi e Felipe Guerra, e beneficiará 80 mil pessoas.

Ontem, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Apodi, Francisco Edilson Neto, que está em Teresina (PI), avisou que, de acordo com o último encontro com o ministro da Integração Nacional, Fernando Coelho, o processo de implantação do projeto está suspenso. "Essa decisão foi dada para que houvesse novos diálogos", disse.

De acordo com Edilson, a proposta contém uma série de irregularidades que põem em risco outros projetos. "Estão dizendo que precisarão de 5 metros cúbicos de água por segundo, mas se isso acontecer não sobrará água para abastecer as cidades através da adutora Alto Oeste", reclamou Edilson.

Foi marcada para amanhã outra reunião entre os campesinos, o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Ministério da Integração Nacional e o Dnocs, para tentarem chegar a um consenso. Os trabalhadores querem que a água seja acessada por vários setores, principalmente a agricultura familiar. O documento exige ainda que primeiro seja irrigado o Vale do Apodi, aproveitando o projeto piloto de 230 hectares, e que seja perenizado o rio Umari, atendendo às famílias de Apanha-Peixe, em Caraúbas.

O projeto é um sonho antigo da população apodiense desde que foi concluída a barragem Santa Cruz do Apodi, em 2002. No entanto, a maneira como está sendo proposto tem deixado insatisfeitos os pequenos agricultores. Mais de dois mil trabalhadores da agricultura familiar protestam que o perímetro será implantado de forma tradicional, beneficiando o agronegócio.

A preocupação dos trabalhadores é que aconteça em Apodi o mesmo que aconteceu em Baraúna, Ipanguaçu e Limoeiro do Norte (CE), onde as grandes empresas se apossaram das melhores terras para produzir de forma tradicional, prejudicando as terras e transformando os pequenos proprietários em assalariados.

O embate entre poder público e os movimentos sociais já dura alguns meses e já foi notícia até em Portugal. A Prefeitura de Apodi tenta amenizar os desencontros, construindo, inclusive, uma cartilha explicativa sobre o projeto.

PAC 2
O requerimento do projeto do Apodi foi enviado junto com o pedido de execução da segunda etapa dos serviços de implantação do Perímetro Irrigado Araras Norte, localizado na área rural do município de Varjota (CE), de 1.619 hectares na área produtiva, com recursos da ordem de R$ 28,5 milhões, beneficiando cerca de 20 mil pessoas e da segunda etapa do perímetro Irrigado Tabuleiros de Russas, localizado em Russas (CE), que já está em acelerado processo de implantação, atendendo 3.600 hectares, com investimentos de R$ 180,6 milhões, beneficiando 50 mil pessoas


Fonte: Jornal De Fato/JOSÉ DE PAIVA

Governo do Estado define calendário de realização da oitava Feira de Negócios do Vale do Açu

Acabou se confirmando a expectativa do empresário Wild Diniz, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas, CDL, de Assú. Será em outubro a oitava edição da Feira de Negócios do Vale do Açu. O calendário do evento foi confirmado pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, órgão promotor da Feira – ao lado da própria CDL e outras entidades e instituições parceiras. A definição do calendário ocorreu de comum acordo entre o órgão estadual, a presidência da CDL e a Prefeitura do Assú. A Feira será realizada nos dias 6, 7 e 8 de outubro vindouro, na cidade de Assú. Novamente a estrutura será montada na Praça São João, logradouro central da cidade. Wild Diniz já declarou que deverá ser a última Feira de Negócios tendo-o à frente da CDL. Ele já deixou claro que, ao final do mandato atual, não pretende mais permanecer no posto, e aguarda que surja algum associado interessado no cargo. Dentre os principais parceiros da Feira, além do Governo do Estado e a Prefeitura, estão o escritório regional do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa, Sebrae, e a Petrobras. As discussões em torno da confecção do programa oficial da Feira e a escolha das atrações musicais que se apresentarão durante os três dias do evento, além de outros detalhes, deverão começar ainda durante o decorrer deste mês de agosto. Números divulgados pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico e pela CDL mostram que, anualmente, a Feira de Negócios do Vale do Açu é visitada por aproximadamente 50 mil pessoas. A primeira edição contou com um total de 100 estandes montados no largo da Praça São João. Para este ano a quantidade de estandes poderá se aproximar das duzentas unidades. Novamente será aberto espaço para que as outras cidades da região disponham de locais para exposição. O trabalho de preparação do local para a montagem da estrutura da Feira deverá ocorrer por toda a segunda quinzena do mês de setembro próximo.

Fonte: informativo Princesa

Universitários do Assú conquistam 1° e 3° lugares do Prêmio RN de Economia


O primeiro lugar da 11ª edição do Prêmio RN de Economia foi conquistado por universitários do Assú. E não foi só isso. Graduandos de Economia do Campus Avançado Prefeito Walter de Sá Leitão, no município de Assú, também conquistaram o terceiro lugar.
O “Prêmio RN de Economia” é realizada em parceria pelo Conselho Regional de Economia do RN (CORECON/RN) e o Conselho Federal de Economia – COFECON, e tem por objetivo estimular o aperfeiçoamento da pesquisa científica e incentivar economistas recém-formados a desenvolverem estudos voltados para o conhecimento das realidades estadual, regional e nacional.

Os dois exitosos trabalhos oriundos do Campus assuense tiveram a orientação do professor Joacir Rufino de Aquino.

Confira abaixo a relação completa dos trabalhos premiados:
1º lugar: Rafaela Cabral de Oliveira (UERN - Assú/RN)
Título: Análise socioeconômica da Industria de Cerâmica Vermelha no Município de Itajá/RN
2º lugar: Andréa Silvânia Gomes Gonçalves (UFRN)
Título: O setor de telefonia móvel no Brasil e no Rio Grande do Norte: 1997-2010.
3º lugar: Glaucia Wilanne B. de Azevedo (UERN - Assú/RN)
Título: Políticas de Crédito Rural e Reforma Agrária: Uma analise do PRONAF "A" no Assentamento Bom Futuro em Campo Grande/RN.

Fonte:  Rodrigo Medeiros

Tiririca afirma que Câmara é uma fábrica de loucos

Publicado por Robson Pires, 
Oito meses depois de assumir o mandato, o palhaço Tiririca já sabe responder o que faz um deputado federal, informa a coluna deMônica Bergamo, publicada na edição desta quinta-feira da Folha.
“É uma pessoa que trabalha muito e produz muito pouco”. Isso porque a Câmara, na opinião dele, “é uma fábrica de loucos. Ele conta que os parlamentares muitas vezes varam as madrugadas em discussões intermináveis em que “ninguém escuta ninguém”, afirma o deputado.
Com o slogan “Vote por Tiririca. Pior que tá não fica”, o palhaço que fez carreira no circo e na televisão foi o deputado mais votado em São Paulo, com 1,350 milhão de votos.
Francisco Everardo Oliveira Silva, “Tiririca”, nascido em 1965 no Ceará, concorre a uma vaga na Câmara dos Deputados por São Paulo pelo Partido da República (PR) nas eleições de 3 de outubro.