i

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Editorial: Quem ganha e quem perde com a nova eleição?


Hoje refiz esta nova reflexão comigo mesmo: Quem ganha e perde com a nova eleição? E sem titubear veio a resposta: O POVO. Sim o povo, aqueles que trabalham dia a dia, que acorda cedo pra bater o ponto e ganhar o pão de cada dia, o povo que exerce as suas funções nas mais diversas esferas dentro e fora do poder público, nas empresas privadas ou seja lá qual cargo ou função exerça ou tenha ligação direta ou não com o governo municipal. 


Vejo sobre a tela de um computador, as pessoas digladiando-se, além de trocar acusações pessoais na rua. Ele é culpado, ele é inocente.

Não tenho dúvidas que uma nova eleição é um retrocesso, sim um retrocesso. Diariamente lutamos para que tenhamos uma política democrática e não ditatorial, mas o que vejo é um jogo de interesses. Um trabalho sujo.

Não existe grupo bom ou mal, existe pessoas, as quais querem ver uma cidade que cresça, seja lá de qual lado for. Mas há pessoas que insistem em discutir em busca de se favorecer. É preciso que estas pessoas amadureçam, cresçam intelectualmente de uma forma mais humanizada. 

Dezenas de prefeitos já passaram a exercer o cargo mais importante do município, o de prefeito, e deram sua contribuição uns mais, outros menos. Não estou para dizer quem fez mais, ou quem fez menos, cada um faz disso aqui a própria reflexão.

Hoje sem dúvidas não vivemos na cidades das maravilhas, nenhuma cidade do país vive, mas também não vivemos em uma das piores do RN, vejo tantos avanços quanto antes, tantos desafios e barreiras vencidas, e em busca de um só proposito, ver está terra se desenvolver. Há muito ainda o que fazer, não tenho a mínima dúvida, mas como fazer? Quem pode fazer? Apenas o gestor, ou a população?

Uma discussão sem fim recomeça em torno desta pequena ilha. Muita demagogia e hipocrisia salta da dela do computador para a vida real de uma pequena parte da população. 

Já vi tempos de que antes um pequeno grupo se beneficiava do que se deveria ser público e de todos, pessoas que eram beneficiados com grandes salários e gratificações, que cresceram e construíram grande império, e por não saberem administrar ruíram novamente, natural, tudo que vem fácil, vai embora fácil. 

Ipanguaçu viveu em 2012 um dos momentos históricos, a população queria a continuidade de uma mudança. Nunca nenhum prefeito venceria uma eleição em todas as urnas com maioria de mais de 1.800 votos. Mas pareceu em vão já que uma acusação chega aos tribunais, que afirma troca de benefícios em busca de votos. Provas, um papel e fotos de materiais em frente das casas. 

Há! Esqueceram de mencionar que o município está em desenvolvimento, antes só a classe “A” ou “B” faziam reformas nas suas casas, pagavam suas contas em dia, hoje pobre também faz seus destino, trabalha, luta pelos seus ideias e constrói seus sonhos. Prova desse crescimento econômico é o número de casas construídas e adquirias pela população através do programa Minha Casa Minha Vida, além de reformas e aquisição de um carro ou motocicleta. É a classe “C” saindo da miséria, do conformismo, fazendo crescer a esperança de dias melhores. Tudo isso são novas oportunidades que se concretizam-se na cidade. 

Hoje Ipanguaçu torna-se uma nova cidade para investimentos, em todos os recantos, há um pequeno ou micro empresário que investe, gera novos empregos e prova que é possível tornar uma pequena cidade em uma constante mudança para o futuro. 

Não sei até onde poderá ir tanta ganancia e forme de poder. Só espero que a população não perca com tanta politicagem e hipocrisia que paíra sobre as mentes que instem em retroceder, a voltar há um passado, e sem falar que isso acarreta em inúmeros desentendimentos entre famílias, amigos e conhecidos. 

Quero uma Ipanguaçu para todos(as). Que a paz volte a reinar na cidade e que o trabalho e desenvolvimento não cerce. O futuro já começou, e a participação popular é o que faz a diferença.

Nenhum comentário: