i

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Ipanguaçu registra redução 41,15% no Índice Vulnerabilidade Social

Município é o segundo do Estado a apresentar queda. Melhoria no IDHM chega a 25,04% em dez anos, segundo o Atlas da Vulnerabilidade Social.


Dados divulgados no início desse mês pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), trazem os números sobre o índice de vulnerabilidade social do Brasil. O estudo mostra que de 2000 a 2010 o país reduziu em 27% a vulnerabilidade social, já o Rio Grande do Norte foi o estado nordestino com maior índice na redução, com cerca de 31,43%, entre as cidades do estado o município de Ipanguaçu, na região do Vale do Açu, foi o segundo município a apresentar queda no índice, com 41,15%. 

Segundo o levantamento feito pelo Ipea, em dez anos a quantidade de municípios brasileiros com alta ou muito alta vulnerabilidade social caiu de 3.610 em 2000 para 1.981 em 2010. Já o número de municípios com baixa ou muito baixa vulnerabilidade social passou de 638 em 2000 para 2.326 dez anos depois.

Ipanguaçu, com 13.856 mil habitantes e a 214 km de Natal, ocupa a segunda posição na queda da redução da vulnerabilidade social no estado, atrás apenas de Ipueira, na Região do Seridó, com 2.221 habitantes. 

A cidade de Ipanguaçu conhecida pela fruticultura irrigada conquista hoje novo patamar com o surgimento de novos empreendimentos e consequentemente novas fontes de renda. Segundo os dados, a renda per capta alcançou um crescimento de 38,71%, em 2000 a renda chegava a R$167,82/mês, em 2010 esse número saltou para R$ 273,80/mês, uma renda família de quatro pessoas que hoje chega a ultrapassar R$ 1.100,00. 

Esses dados levantados refletem também no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) onde em 2000 esse número chegava a 0, 452 e em 2010 alcançou 0, 603, uma melhoria de 25,04%.

A secretária municipal do Trabalho, Habitação e Assistência Social Maria Cristina de Melo Oliveira, esclarece que o Índice de Vulnerabilidade Social(IVS) é um indicador que permite um detalhamento sobre as condições de vida das camadas mais pobres da sociedade. Esse índice identifica e localiza as pessoas com maiores necessidades, a fim de criar e incluí-las em programas, projetos e serviços para (re)inclusão na sociedade.

Segundo Maria Cristina, “é com muita satisfação como secretária municipal que vejo o município de Ipanguaçu ser o segundo colocado no Rio Grande do Norte, registrando uma queda de 41,15% no IVS, isso significa que estamos no caminho certo com nossos programas, projetos, serviços, capacitações, pois os indicadores revelam melhoria na estrutura do serviço público, na habitação, no saneamento básico com a coleta de lixo, uma queda no déficit da infraestrutura urbana de 75%”, pontua.

A ampliação e acesso aos direitos sociais de fato tem permitido melhorias nos indicadores, entre eles a redução da mortalidade infantil que caiu para 50,13%, além de apontar a inclinação do analfabetismo, que retraiu 26,6%, refletindo na melhoria da educação em 43,24%.

A longevidade dos habitantes de Ipanguaçu alcançou um crescimento de 13,57%. Um dado que impressiona ainda é o crescimento das mulheres como chefes de família, um crescimento de 54,42%.

Para o prefeito Leonardo Oliveira, Ipanguaçu tem conquistado avanços importantes nos mais diversos setores, e os indicadores sociais vem para constatar as mudanças que ocorrem na vida da população. “Os dados divulgados pelo Ipea nos alegra, mas nos mostra também novos caminhos para aperfeiçoar ainda mais a gestão pública. Tenho a consciência que temos muito mais há fazer e até o fim de nossa gestão cumpriremos para entregar uma cidade ainda melhor”, afirma o gestor. 

Nos últimos anos a Prefeitura de Ipanguaçu tem feito investimentos importantes nas diversas áreas, priorizando pastas como Saúde, Educação e Assistência Social. Até o fim do ano o governo estima um investimento de mais de R$ 5 milhões na reforma e construção das Unidades Básicas de Saúde(UBS) das comunidades de Nova Descoberta, Pataxó, Picada, Itú e no Bairro Ilha Grande, além da construção da creche escolar, abatedouro público, praças nas comunidades de Pedrinhas, Arapuá e o Centro Cultural, que ao ser entregue beneficiará centenas de famílias.

Nenhum comentário: